Image Map











domingo, 20 de maio de 2018

Reflexões de um pastor adventista (Parte 1)






Um leitor trouxe à atenção deste site um livro publicado pelo pastor Brizolar Jardim, da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Trata-se do livro “A Sacudidura e os 144 mil Selados”.

Trata-se de uma obra sincera, na qual o referido pastor demonstra sua real preocupação pela condição espiritual de sua organização religiosa, trazendo à tona os aspectos que acredita necessitarem de reforma, e apontando as possíveis soluções para isso.




Na página 131 de sua obra, o senhor Jardim menciona um problema doutrinal que ele e outros adventistas enfrentavam a respeito de sua interpretação referente aos 144.000 e à grande multidão mencionados no livro do Apocalipse:





Da cândida admissão do senhor Jardim pode-se depreender como deve ser difícil ter de ensinar algo que se sabe de antemão não se harmonizar com a Bíblia.

Mas, o que leva a essa dificuldade doutrinal? O problema está numa interpretação apontada pelo referido pastor:

Página 122

A crença adventista, de que os 144.00 vêm da grande tribulação, por certo, gera confusão, como admitido pelo senhor Jardim:

Página 122

Segundo a Bíblia, os que saem da grande tribulação são a grande multidão:

“Depois disso [da visão dos 144 mil] eu vi uma grande multidão, que nenhum homem era capaz de contar [diferente dos 144 mil, que são um número contado], de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de compridas vestes brancas, e havia folhas de palmeiras nas suas mãos. Em vista disso, um dos anciãos me disse: ‘Quem são esses que vestem compridas vestes brancas, e de onde vieram?’ Assim, eu lhe disse imediatamente: ‘Meu senhor, é o senhor quem sabe.’ Ele me disse: ‘Esses são os que saem da grande tribulação; eles lavaram suas vestes compridas e as embranqueceram no sangue do Cordeiro.’” – Apocalipse 7:9, 13, 14.

O que levou o pastor adventista do Sétimo Dia a escrever tal livro? A quem tal livro foi endereçado? No prólogo de sua obra, o próprio autor explica:


E na introdução, o senhor Jardim torna claro seu sentimento em relação à religião da qual é pastor:

Introdução, página 2

Com tal espírito altruísta, o senhor Jardim traz à tona os problemas enfrentados pelo seu movimento religioso, os quais merecem atenção. Levanta questões pertinentes que precisam ser analisadas:

Página 6

A que conclusões chegou tal pastor sobre esses questionamentos?

A situação da Igreja Adventista do Sétimo Dia

Seguem abaixo alguns problemas apontados pelo referido pastor adventista:

Apostasia:

Página 66

Formalismo:

Página 8

Não viver a verdade:

Página 31

Falta de engajamento:

Página 7

Participação na guerra:

Página 86

Página 87

Ausência de perseguição:

Página 9

Problemas na liderança:

Introdução, página 1

Página 36

Condição espiritual doentia:

Página 79

Página 79

Conclusão

Após a franca exposição acima, somos levados a nos perguntar: Qual a razão de tal situação no seio da Igreja Adventista do Sétimo Dia? O artigo seguinte examinará esta questão.


Explicação da sigla usada:
IASD: Igreja Adventista do Sétimo Dia.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *