Image Map











segunda-feira, 22 de outubro de 2012

“Por intermédio de [Deus]” – o que essa expressão significa?

Fonte da ilustração:
https://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/g201403/verdadeira-historia-da-criacao/


“Porque era próprio que aquele [Deus], para quem são todas as coisas e POR INTERMÉDIO DE QUEM são todas as coisas, trazendo muitos filhos à glória, aperfeiçoasse por sofrimentos o Agente Principal [Jesus] da salvação deles.” – Hebreus 2:10.

       
As Escrituras são claras em mostrar que Jeová, o Deus Todo-Poderoso e Criador, criou primeiro Seu Filho, o Logos, que se tornou o nosso Senhor Jesus Cristo; e, por meio deste, criou “todas as outras coisas”. (Colossenses 1:15, 16)[1] Isso pode ser comprovado pelo que diz Hebreus 1:2: “No fim destes dias nos falou por intermédio dum Filho, a quem designou herdeiro de todas as coisas e POR MEIO DE QUEM fez os sistemas de coisas [“o universo”, NVI].”
     
No entanto, numa tentativa de contestar essa clara verdade, alguns trinitaristas usam o texto de João 1:3, que declara: “Todas as coisas vieram à existência por intermédio dele [Jesus], e à parte dele nem mesmo uma só coisa veio à existência.” Com base nesse versículo, argumentam: ‘Se todas as coisas que “vieram a existir” dependeram de Cristo para sua existência, Ele mesmo não pode ter “vindo a existir.”’ 


Quem é o Criador?

João 1:3 usa a mesma expressão de Colossenses 1:16, a saber, di autoû (“por intermédio dele”). Embora a NM não traduza por “todas as [outras] coisas”, esse evidentemente é o sentido, com base no inteiro contexto bíblico. Ou seja, todas as DEMAIS coisas “vieram à existência por intermédio” do Filho, uma vez que o Filho veio à existência pela ação direta do Pai, Jeová Deus. Provérbios 8:22-30 fala alegoricamente do Filho como sendo a “sabedoria” de Deus. (Veja 1 Coríntios 1:24.) No versículo 22 o Filho declara: "Iahweh ME CRIOU, primícias de sua obra ... DESDE O PRINCÍPIO." (BJ) A tradução inglesa do rabino Isaac Leeser (1853) diz: “O Senhor criou-me NO PRINCÍPIO do seu caminho, a PRIMEIRA de suas obras.”[2] Ademais, o fato de ele ser referido como “Filho” mostra que teve princípio.  (Hebreus 1:2) Permanece sempre inviolável a regra de 1 Coríntios 8:6: “Para nós há realmente um só Deus, o Pai, DE QUEM procedem todas as coisas, e nós para ele; e há um só Senhor, Jesus Cristo, POR INTERMÉDIO DE QUEM são todas as coisas, e nós por intermédio dele.” – Veja o artigo “Duas regras – uma falsa e uma verdadeira”, neste site.

O próprio Jesus Cristo se referiu a seu Pai como sendo o único Criador, quando disse: “Não lestes que AQUELE QUE OS CRIOU desde o princípio os fez macho e fêmea …?” (Mateus 19:4) Note que Jesus não disse: “Aqueles que os criaram.” Portanto, “o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo” é o único Criador, conforme atestado por diversos textos bíblicos. – Isaías 40:28; 42:5; 43:1, 15; 45:18; Amós 4:13; 1 Pedro 4:19; 2 Coríntios 1:3.

Mas os trinitários, numa tentativa adicional de tentar identificar Jesus com Jeová no papel de Criador, citam Isaías 44:24, onde Jeová declarou: “Eu, Jeová, faço tudo, estendendo os céus por mim mesmo, estirando a terra. Quem estava comigo?” Uma vez que essa pergunta subentende uma resposta negativa – “ninguém” –, os trinitários alegam que Jeová Deus criou as coisas sozinho, sem a participação do Logos (Jesus na sua existência pré-humana). Visto que algumas passagens descrevem a participação de Jesus na criação, os trinitários sustentam que Jesus é o mesmo ser que Jeová, o Criador do Universo. (João 1:3; Colossenses 1:15, 16; Hebreus 1:2) No entanto, essa argumentação em torno de Isaías 44:24 desconsidera o contexto. O contexto contrasta Jeová com os deuses falsos das nações pagãs. (Isaías 43:12; 44:14-20) A passagem não diz respeito a Jesus na sua existência pré-humana, que, conforme o inteiro contexto bíblico mostra, participou com Jeová na criação. – Gênesis 1:26; Provérbios 8:22-30.

Obviamente, o Deus Supremo não precisava usar Seu Filho na criação de todas as outras coisas. No entanto, ele se agrada de usar suas criaturas na realização de Seus propósitos.


Termos semelhantes não provam a mesma identidade

Também, os proponentes da Trindade tentam traçar um paralelo entre Romanos 11:36 e Colossenses 1:16. O primeiro texto diz que “todas as coisas são … PARA ELE [Jeová, o Pai]”, ao passo que a segunda passagem afirma que “todas as outras coisas foram criadas por intermédio dele e PARA ELE [Jesus]”. Em ambos os textos a expressão grega que traduz “para ele” é eis autòn. Assim, os trinitários pontuam que essa semelhança textual indicaria que Jeová e Cristo detêm a mesma identidade. Mas, como mostrou o artigo “Duas regras – uma falsa euma verdadeira” (neste site), o mesmo título ou a mesma expressão usada para dois seres não prova, em si mesmo, que tais seres tenham a mesma identidade.

O contexto bíblico esclarece o sentido dos dois textos em questão. “Todas as coisas são … para ele [Jeová]” por ser ele o Criador de todas as coisas, sendo que, por isso, tudo lhe pertence. (Romanos 11:36; Apocalipse 4:11; Salmo 24:1; 50:10) No caso de Cristo, “todas as outras coisas foram criadas… para ele”, porque Deus o “designou HERDEIRO de todas as coisas”. (Hebreus 1:2) Alguém só herda o que não possui. Como explicado em João 3:35, “o Pai ama o Filho e TEM ENTREGUE todas as coisas na sua mão.”


“Por intermédio de [Deus]” – indica igualdade com o Filho?

Não conseguindo estabelecer que o Filho seja o Criador, os trinitários tentam traçar outro caminho. Salientam que a expressão “por intermédio dele” (em grego: di autoû) aplicada a Jesus em Colossenses 1:16, também é usada para Deus, o Pai, em Romanos 11:36. Entretanto, o argumento de que a expressão di autoû aplicada a Deus, o Pai, torna o Filho coigual a ele mostra desconhecimento do grego bíblico. Di é uma apócope de diá, que significa “por”, “por intermédio [ou: através] de”, “com”, e “por causa de”. Por conseguinte, além de denotar o meio, ou instrumento intermediário, de uma ação, essa preposição também tem o sentido de CAUSA. Veja os exemplos abaixo:

Mateus 10:22: “E vós sereis pessoas odiadas por todos, POR CAUSA DO [diá]  meu nome.”

Atos 21:34: “Mas alguns da multidão começaram a gritar uma coisa e outros outra. Assim, não podendo por si mesmo saber nada de certo, POR CAUSA DO [diá] tumulto, mandou que fosse levado ao quartel.”

Mateus 27:18: “Pois ele se apercebia de que o tinham entregado POR [diá] inveja.”

João 7:13: “Ninguém, naturalmente, falava dele publicamente, POR CAUSA DO [diá] temor dos judeus.”

O fato de os exemplos acima usarem diá com o acusativo, ao passo que Romanos 11:36 e Hebreus 2:10 usam tal preposição com o genitivo, não é relevante. Pois, segundo o Léxico Grego-Português de Gingrich e Danker (1993), o sentido de CAUSA também é usado com o genitivo. O referido léxico cita para isso os exemplos abaixo:

Romanos 3:20: “Pela [diá; ou: por causa da] lei vem o conhecimento exato do pecado.”

Romanos 7:5: “Pois, quando estávamos de acordo com a carne, as paixões pecaminosas, incitadas pela [diá] Lei, trabalhavam em nossos membros para que produzíssemos fruto para a morte.” O texto não significa que as “paixões pecaminosas” usaram a “Lei” como instrumento intermediário a fim de gerar “fruto para a morte”, e sim que, EM RAZÃO – ou POR CAUSA – da existência da Lei, que definiu plenamente o pecado, as “paixões pecaminosas” foram claramente manifestadas em todos os seus ângulos e matizes, sendo, desta forma, “incitadas”.

Diá písteos (“por intermédio da fé”; com genitivo) é equiparado a  ek písteos (‘POR CAUSA da fé’; com genitivo), mostrando contextualmente que diá com genitivo também pode ter o sentido de CAUSA. (Gálatas 2:16) Assim, diá com genitivo e com acusativo, embora estejam em situação gramatical diferente, semanticamente podem ser iguais, tendo o mesmo sentido. Isso pode ser definitivamente demonstrado pelo texto abaixo:

2 Coríntios 8:8: “Não é como se fôsseis mandados, mas EM VISTA DA seriedade dos outros e para fazer uma prova da genuinidade do vosso amor é que eu estou falando.” Os “outros” a quem Paulo se refere eram os cristãos macedônios, os quais, embora materialmente pobres, deram exemplo em ajudar materialmente seus concristãos em necessidade. (2 Coríntios 8:1-7) Portanto, “EM VISTA [ou: EM RAZÃO; POR CAUSAdiá] da seriedade [spoudês]”, ou diligencia, dos cristãos macedônios, os cristãos de Corinto, a quem Paulo escreveu essa carta, deveriam repensar em que ponto estava a sua generosidade. Os cristãos coríntios não deveriam ajudar materialmente “pela [ou: “mediante”]” a diligência, ou zelo, dos cristãos macedônios (Al, ALA, ACRF, IBB), mas sim POR CAUSA do exemplo deles. Neste texto, diá ocorre com genitivo no sentido de CAUSA. A Nova Tradução na Linguagem de Hoje corrobora isso: “Não estou querendo mandar em vocês. O que eu estou querendo é que conheçam o entusiasmo com que as igrejas da Macedônia deram ofertas, para que assim vocês vejam se o amor de vocês é verdadeiro ou não.” – 2 Coríntios 8:8.

Com base na definição dos léxicos, e tendo em vista o uso de diá no texto grego do “Novo Testamento”, bem como levando em conta o inteiro contexto bíblico, segue-se que, quando a preposição diá – mesmo que traduzida como “por intermédio de” – é aplicada a Jeová, isto não o torna instrumento ou agente de outra pessoa, mas é usada no sentido de Ele ser a CAUSA, ORIGEM ou RAZÃO de alguma coisa, que é outro sentido de diá, conforme mostrado acima. Hebreus 2:10 atribui a Jeová a CAUSA ou RAZÃO da existência de todas as coisas. Deus não é intermediário de outra pessoa. 1 Coríntios 1:9 afirma que a chamada celestial é feita por intermédio [diá] de Deus, mas é o próprio Deus quem faz a chamada; ele não é agente de outrem. Ele é a CAUSA ou ORIGEM da chamada. No caso de Jesus é diferente. Ele atua como agente, ou instrumento, de outra pessoa, que é seu Deus e Pai. Deus faz coisas “por intermédio” dele. – Romanos 2:16; Judas 25.


Abreviatura das traduções usadas neste artigo:

ACRF – Almeida Corrigida e Revisada Fiel.
Al – Almeida Revista e Corrigida.
ALA – Almeida Atualizada.
BJ – Bíblia de Jerusalém.
IBB – Almeida da Imprensa Bíblica Brasileira.
NM – Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.
NVI – Nova Versão Internacional.


Nota:

[2] Algumas palavras de certos versículos bíblicos foram colocadas em maiúsculo para salientar o ponto a ser destacado.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






15 comentários:

  1. "Salientam que a expressão “por intermédio dele” (em grego: di autoû) aplicada a Jesus em Colossenses 1:16, também é usada para Deus, o Pai, em Romanos 11:36"

    Isso significa que não devemos frisar que o texto de Colossenses em questão não diz que as coisas "foram criadas por ele" e sim "foram criadas POR INTERMÉDIO dele" ou "POR MEIO dele"? Pois já é costumeiro (Se bem que as fraseologias são diferentes -além dos contextos divergirem-:

    Hebreus 2:10 por exemplo fala de "existem [são] por intermédio dele [de Deus]"

    Já Romanos 11:36 tem outra linguagem e diz que todas coisas "pertencem [são dele] à ele, [existem] por causa dele [são...POR ELE] e [existem] para ele [para uso dele!].

    Col 1:16 por outro fala fala que todas coisas "foram CRIADAS POR MEIO" do Primogênito. Hebreus 1:2 tira toda a ambiguidade que poderia haver:
    "[Deus] nos falou POR MEIO de um Filho, a quem [Deus] designou herdeiro de todas as coisas e POR MEIO de quem [Deus] criou o Universo". Já esse ato de "criar por meio de" já não parece se encaixar à Deus, será que Jeová criou ao mundo por meio de Jeová? ou Poderíamos dizer que o Filho criou por meio do Pai? Enfim, a conclusão dos textos referentes a "CRIAÇÂO" é de "Deus criando por meio de" alguém. Aí o foco já não é de causa como em "existem por meio [i.e por causa] dele" mas é de agência, envolvendo um intermediário ou mediador)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, como o artigo acima mostrou, o contexto tira toda a confusão formulada pelos trinitaristas. Ademais, como salientado pela matéria, expressões semelhantes aplicadas a seres distintos não provam, em si mesmas, que tais seres possuam a mesma identidade.

      Excluir
  2. Gostei desse artigo.Todo assunto relacionado a trindade eu gosto em especial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Curiosamente também é dos meus temas preferidos Nilson. Talvez por que pareça fácil dar um NÓ NA CABEÇA dos opositores quando fazemos uma exposição competente e bem argumentada e também de INVERTER muitos "argumentos" que tiram da cartola, por exemplo este do Nós (Gn 1:16) versus Nós (Is 44:24) é muito curioso, veja como os pomos em contradição.

      Outros exemplos de por argumentos do trinitário em contradição:
      .Regra de Sharp.
      -> Tito 2:13 (O Deus e Salvador) vs Jo 20:28 (O Senhor e O Deus)
      Se eles dizem que tem uma regra que fala que quando temos dois indivíduos ligados por "Kai" e o primeiro vem com o artigo definido significa que o segundo é o mesmo ser, então no caso da exclamação de Tomé em que temos dois artigos definidos a referência são a dois seres diferentes, mas eles não querem abrir mão de nenhum desses textos, mesmo que a argumentação gramatical sobre eles seja CONTRADITÓRIA.

      .Mortalidade de Deus.
      Deus não morre x Meu Deus morreu por mim na cruz !
      Aqui ele precisa fazer uma escolha, pois a doutrina teísta cristã é clara quanto a imortalidade e eternidade de Deus. Mas por outro lado a Bíblia repete várias vezes que o Filho morreu e foi ressuscitado por Deus, O PAI. Mas como na Trindade, o Filho É DEUS, então logicamente se ele morreu, DEUS, o Filho MORREU. Por outro lado como na Trindade ele é Deus, ELE TAMBÉM TEM ESSE MESMO ATRIBUTO DE IMORREDOURO e SEMPRE ETERNO no EXISTIR.

      Então é um caso de morreu e não morreu ao mesmo tempo, como próprio dos fraseados que envolvem a Trindade que se conflitam na mesma frase:

      - O Senhor Deus é um, mas é três.
      - Só existe um Criador, embora 3 pessoas tenham criado tudo.
      - O Filho nasceu, foi gerado por Deus, mas não teve principio.
      - Jesus recebeu autoridade do Pai, embora a tivesse desde sempre
      - O Filho não sabia sobre o dia pois era homem e ao mesmo tempo sabia, pois era Deus.
      - Deus morreu, mas não morreu.
      - Nosso Deus, a Trindade fala como Eu nuns textos provando sua unidade e como Nós em outros provando sua pluralidade.
      - Não cremos em três Deuses, isso seria triteísmo e a Trindade é provada no AT pela palavra Elohim, que significa Deuses.
      - Jesus era menor que o Pai, embora fosse igual à ele.
      - O Filho, que era Deus se esvaziou de sua forma de Deus e veio a existir em forma de homem mas nunca deixou de ser Deus, ficando sua forma divina 100% intacta junto com sua forma 100% humana.
      - O Pai ressuscitou ao Filho e o Filho também ressuscitou a si mesmo, embora estivesse morto
      - Jesus ao reviver subiu ao céu e foi exaltado para o lado direito do Pai de onde nunca saiu pois era onipresente.
      - O Deus das TJs é limitado, pois elas dizem que ele tem um corpo espiritual, ora isso de ter existência corporal limita a divindade que não pode ser 100% plena: onipotente e onipresente dessa forma. Jesus tem um corpo carnal no céu hoje e virá fisicamente a Terra buscar os seus, ele é 100% Deus, plenitude da divindade, sendo onipotente e onipresente.
      - Jesus sendo Deus, por isso não tentou usurpar o ser igual á Deus
      - Jesus já era Todo Poderoso e quando voltou aos céus Deus o exaltou a uma posição superior e lhe deu o nome que está acima de todo nome
      - Jesus não e nunca poderia ser o Arcanjo, pois ele é Deus não é anjo, ele é criador, anjos são criaturas, mas ele é o ANJO DO SENHOR que aparecia no Antigo Testamento.

      Percebe NILSON ? Tais colocações acima são muito comuns nesse meio, mas nome a confusão inata de tais ideias, que não conseguem nunca escapar dos paradoxos inerentes de tais teorias doutrinárias ... eles só conseguem explicar até certo ponto mas sempre chega numa hora que batem numa barreira que terão de atribuir aos MISTÉRIOS INSONDÁVEIS DA FÉ, pois explicações lógicas e bíblicas irão faltar

      Excluir
    2. Muito boa essa exposição das CONTRADIÇÕES do ensino trinitário, Saga!

      Excluir
    3. ERRATA *

      Curiosamente também é dos meus temas preferidos Nilson. Talvez por que pareça fácil dar um NÓ NA CABEÇA dos opositores quando fazemos uma exposição competente e bem argumentada e também de INVERTER muitos "argumentos" que tiram da cartola, por exemplo este do Nós (Gn 1:16) versus EU* (Is 44:24) é muito curioso

      Excluir
  3. Me veio derepente uma nova luz agora mesmo em cima de um sentido possível de Isaías 44:24

    - “Eu, Jeová, faço tudo, estendendo os céus por mim mesmo, estirando a terra. Quem estava comigo?”-

    De fato o texto conforme seu contexto significa que

    1-Só existiu um Criador, logo nega existência de quaisquer outros criadores, seja Brahma, Zeus, Aton, Rá, quem criou foi Jeová, o Criador.

    2-Nenhum desses deuses estavam com ele quando Jeová criou o céu e a terra, querendo dizer que NÂO CRIARAM JUNTO com ele.

    3-Além de não criarem, não auxiliaram ao Criador nesta tarefa, como se ele precisasse da ajuda de algum desses deuses. O poder de Jeová -O Criador- é autossuficiente.

    Agora, vamos a minha "luz" ...
    Pensemos no Verbo de Deus e no Espírito de Deus (Jo1:1, Prov8:27,30 e Gên1:2). De fato estavam com Deus na Criação, no sentido que existiam, assim como inclusive os Anjos estavam com ele quando criou a Terra conforme Jó 38:4,7, então temos uma contradição? Não. Algum desses citados é o Criador? Um segundo criador ou um co-criador? Não, apenas à Jeová, o Pai é atribuída a Criação

    1- Apenas Jeová Deus, o Pai é O Criador. Nem mesmo Seu Filho, Jesus Cristo, tem tal atribuição de ser O Criador.

    2- NINGUÉM ao mundo CRIOU JUNTO DE Jeová, nem mesmo o Filho, isso resultaria em dois criadores. O Filho estava com ele sim, no sentido literal, de estar presente naquela época, mas não atuou como "Criador" e nem "Co-Criador". Muito menos os anjos, que estavam fisicamente presentes mas claro que não como "Criadores"

    3- Jeová não teve AJUDA ou AUXILIO na criação, nem houve apoio do poder de terceiros na tarefa -como se necessitasse de ajuda por não conseguir sozinho-, tudo foi feito por meio do todo poderoso poder de Deus, por ele mesmo, sozinho. Nem mesmo Seu Filho o ajudou, Jeová delegou ao filho a tarefa de INTERMEDIAR a obra criativa, mas isso não foi um pedido de ajuda e o poder envolvido na tarefa foi o de Jeová. NÂO TEVE SOMA de poderes.

    Assim sendo, Isaías 44:24 parece continuar totalmente verídico mesmo se ampliarmos sua aplicação para além dos deuses citados em seu contexto imediato e sentido primário. O Criador fez tudo "POR SI MESMO", ou seja, SEM AJUDA DE NINGUÉM e SEM PODER EXTERNO, apenas seu próprio poder, ninguém estava criando junto com ele nem somando poder ao poder dele "por si mesmo". Dizemos isso porque o "estar com ele" no sentido de estarem outros seres presentes ao evento da criação, estavam muitosss, incontáveis Filhos de Deus, incluindo seu Primogênito, mas nenhum deles como criadores, co-criadores nem ajudantes do criador...
    ...pois Deus é autossuficiente e tudo criou "POR SI MESMO" (o que o Verbo fez na criação o fez usando o Espírito Santo do Criador e não poder próprio)

    Ficou grande vou separar em três postagens....

    ResponderExcluir
  4. PS: Já o Deus Trino me pergunto se Ele realmente necessita de 3 seres onipotentes para fazer ações que bastariam o poder próprio de qualquer um deles sozinhos que já são individualmente onipotentes, oniscientes e onipresentes. Por que Deus Filho Criador precisa do Deus Pai Criador? E por que os dois precisam do Deus Espirito Santo Criador? Os trinitaristas falam que precisou da atuações dos três da Trindade até para fazer uma ação simples como ressuscitar Jesus. O Pai precisa do ES ou o ES precisa do Pai e ambos precisam do Filho para fazer uma milagre tão simples para uma pessoa toda poderosa? Pois no caso da Trindade, o Deus Trino cria, sendo as 3 pessoas realmente concriadoras uma das outras, pois não tem Autor, Agente e Ferramenta, os 3 devem ser Criador em igual grau, ou pode um ser mais Criador que o outro??? A soma do poder dos três criou tudo? Cada um criou 33%? Um criou 50% outro 30% e outro 20%? Confuso isso. A opção de que Deus criou tudo usando seu filho como agente e seu espírito como ferramenta é bem mais lúcida e evita paradoxos.

    ResponderExcluir
  5. -Trinitaristas-
    Agora para a Trindade causa mais problemas, afinal os trinitaristas sim dizem que três pessoas criaram e que o poder envolvido era de três fontes.

    E como a Trindade usa o termo "nós" , AQUELE que fala em Isaías 44:24 NÂO PODE SER A TRINDADE, pois Ele usa termos singulares "Eu....mim", então só pode ser o Pai, sozinho. Se fosse a Trindade Pai-Filho-ES diria "Nós", ficaria assim: “Nós, Jeová, fizemos tudo, estendendo os céus por nós mesmos, estirando a terra. Quem estava conosco?”. Ou então eles mudam o disco, ou quando as pessoas da Trindade falam coletivamente usam o "Eu, me, mim, comigo" ou usam o "Nós, nos, aqueles, conosco" , não pode ser as duas coisas ao mesmo tempo, trocando o disco quando for mais conveniente.

    -Análise Contextual de ISAÌAS 44-
    Isaías 44:2 3 "Aquele que te fez... formou...despejarei meu espírito"
    Isaías 44:6 "Eu sou...mim"

    Inclusive o contexto causa outro problema à interpretação trinitária, no v.3 Aquele que fala diz "despejarei meu espírito", ORA, já sabemos que quem fala não se trata do Espírito Santo! A não ser que o espírito santo possa `despejar o seu espírito` [sic] sobre alguém [despejar o espírito do espírito santo!??!]; Este que vai `despejar espírito santo`, NÂO É O Espírito Santo, logo este mesmo quem fala no v.24 estaria simplesmente excluindo a " 3ªPessoa da Trindade" de ser o Deus Criador, afinal, quem está falando [1] NÂO É A TRINDADE (Ou usaria o Nós) e [2] nem é o Espírito Santo (senão não falaria que iria despejar espírito), só sobra a opção de ser simplesmente, Deus Pai.



    -Análise dos Pronomes da Pessoas Divinas-
    Trinitaristas dizem que Deus fala de si mesmo usando o plural, usando do "um de nós", "nossa imagem", etc (Gên 1:26 e 3:22 ; Isaías 6:8). Isso tadinhos é o que conseguem em 31.103 versos da Bíblia inteira, agora o ponto é que Deus fala a todo tempo de si mesmo usando o singular do inicio do AT até o fim do NT (Notem por ex: Gê 1:29, 30 ;2:18 ;3:11,12,17 ;4:10 ; 6:3,6-8,13,17,18 ;7:1 ;12:1,2 ;18:26 ;Êx 3:6-10,15; Jos 1:2 ;1Sam 8:7 ;2Sam 7:5-14 ;1Reis 3:12,13 ;9:2-7 ;Jó 2:3 ;Isaías 1:2 ;Jer 1:5 ;Ez 2:3,4 ;Jon 1:2 ;Mt 1:17 ;Lc 9:35 ;Jo 12:28 ; Atos2:17 ;Rom 12:19; Ap 21:5-7.

    Por outro lado, notem os pronomes que quando se fala das "pessoas divinas", não apenas se distingue os pronomes entre eles mas usa plural quando falam coletivamente:
    Lucas 22:42 "Não a MINHA...mas a TUA"
    João 10:30 "Eu e o Pai SOMOS..."
    joão 14:1 "Em Deus...também em MIM"
    João 14: 23 "E NÓS IREMOS a ele"
    João 17:11,21,22 "NÓS somos...CONOSCO"

    Enfim,quando o Jeová Deus fala de si mesmo usa "Eu", "meu", "comigo" e o Filho de Jeová faz o mesmo quando fala de si, ou seja, cada um fala de si próprio no singular, agora, quando a referência é coletivamente à Jesus Cristo e a Jeová Deus e a referência a eles é feita no plural "nós", "nosso", "conosco", então pela razão, lógica e uso bíblico, quando lemos o "nós" em Gên 1, não é o Deus Trino falando consigo mesmo mas simplesmente um dialogo entre Deus e seu Filho. O uso bíblico de pronomes, longe de apoiar a Trindade como deliram os trinitaristas, a refuta fortemente, pois defende a todo momento a unidade pessoal do Deus Jeová e sua distinção de identidade em relação aqueles que se diz serem a mesma entidade plural "Jeová" (Em vez disso leia Deut 6:4)

    ResponderExcluir
  6. Desculpe Vcs da torre de vigía, sou professor de portugués e vivo na Suiça. ser intermediador, significa que Deus por meio de Jesús(instrumento)criou as outras coisas.Instrumento é utilizado para uma execucao de una determinada açao. Posso dizer que Deus usou um pincel(Jesús) para desembarco a criacao.Por isso que Jesús é a Palavra: Haja luz!!!E etimológicamente, significa mediar, que precisa de algo mais para acontecer. Que producirá un efecto(criar) por meio de outra causa(Jesús). VC está errado nesse artigo. Portanto, como instrumento, Nao existe dois criadores, se Jesús criou, Ele é criador. Criatura Nao pode ser instrumento de nada. Pois Deus Nao divide a gloria con ninguem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado senhor Alexandre:

      Pelo visto o artigo acima não ficou claro na tradução que o senhor fez dele. Pois o artigo mostra que somente o Pai Jeová é o Criador. Jesus não é o Criador. Deus por meio de Jesus criou todas as coisas.

      Abraços!

      Excluir
    2. Exactamente.Por meio de Jesús. Ele foi instrumento. Nao existe dois criadores!!!!O Pai e o Verbo sao os mesmos en natureza. Verbo(Jesús) Nao se cria, é uma virtude que é inerente,inata de Deus.Sem Palavra ou Verbo Deus Nao criou. O Verbo é como Sabedoria, ja está en Deus. Deus Nao criou a Palavra(Jesús), ja estaba Nele.Deus Nao era mudo!!! E nem depois criou a Palavra.Medite sobre isso.Obrigado. Deus fala!!!Um abraço, meu amado!!!

      Excluir
  7. Prezado Alexandre:

    Como Jesus foi usado como instrumento pelo Deus Todo-Poderoso, Jesus não é o Deus Todo-Poderoso. Jesus é o Lógos, ou Verbo, por ser o representante de Deus. Deus criou seu Filho. – Apocalipse 3:14.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Se Jesús foi instrumento da criaçao sr apologista, Ele Nao ficou olhando. A Palavra(Jesús) que é o Logus profarikos(Jesús na criaçao) e Logus endiathetos(Jesús na Eternidade) está comunicación Deus Pai. Pois Palavra(Jesús) Nao se cria. Pois Deus Nao estaba mudo Quando falou e criou.Pois o verbo(Jesús) é inato, é inerente de Deus .ja estaba com Deus. Pois pra dizer Fiat Lux:Faca se a luz, necessita do verbo.O Pai é o arquitecto e Jesús é o engenheiro.Jesus criou tambem!!! Ele Nao ficou olhando!!!O Pai pronuncia o verbo porque é Dele proprio enquanto Pai. Nao existía (ab aeterno, se ab aeterno Nao tivesse un filho que é o verbo. O principio em Joao 1, Colossenses 1, e Apocalipse 3, significa origem, Fonte e principalmente alfa. Alfa é Jesús e Jeova. Isso EU sei que o sr. sabe. É o principio absoluto. Ou seja, está na Eternidade, e Nao no tempo.Portanto, criatura Nao cria!!! Isaías 43:10, Deus afirma: Nao ha outro Deus.Jesus Nao é deus e nem criatura. Dois deuses é abominación até para os judeus. E criatura Nao cria, Nao salva e Nao perdoa.Quero que o sr examine mesmo essa profundidade deste misterio desvendado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Alexandre:

      Um artigo foi preparado em resposta aos seus questionamentos. Em breve será publicado.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *