Image Map











segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Por que as Escrituras Cristãs registram pouco uso do nome de Deus por Jesus? – Parte 1



Certo leitor indagou:

Por que Jesus usou muito pouco o nome de Deus? Ele quase não usa; geralmente chama Deus mais de Pai do que qualquer outra coisa. Está aqui o link do site que eu vi [nome removido].

Resposta:

Tenha presente que existe um ataque conjunto da parte da cristandade CONTRA o nome de Deus, Jeová. E o próprio Satanás é o mentor intelectual desse ataque infame.


 







Nota-se disso que os argumentos apresentados contra o uso do nome de Deus baseiam-se em futilidades e não em algo sério.

O nome divino e a religião verdadeira


Com relação ao uso do nome divino identificar a religião verdadeira, temos as palavras de Atos 15:14:

“Deus, pela primeira vez, voltou a sua atenção para as nações, a fim de tirar delas UM POVO PARA O SEU NOME.”

Assim, não é um uso esporádico do nome, tal como em uma moeda, em uma estátua, em um hinário, ou mesmo em uma pregação do púlpito que faria de determinada organização religiosa o ‘povo para o nome de Deus’. O próprio discípulo Tiago, que declarou as palavras de Atos 15:14, mostrou o que o ‘povo para o nome de Deus’ produziria nessa questão de destacar o nome divino:

“A FIM DE QUE os remanescentes dos homens POSSAM BUSCAR SERIAMENTE A JEOVÁ, junto com pessoas de todas as nações, PESSOAS CHAMADAS POR MEU NOME, diz Jeová.” – At 15:17.

Conforme torna claro tal texto, as pessoas conheceriam por meio de tal “povo” o Deus da Bíblia não apenas como um anônimo e distante “Deus” e “Senhor”, mas como Alguém que tem um nome próprio, pessoal. Além disso, tal publicidade feita ao nome de Deus por tal “povo” faria com que os membros desse “povo” fossem ‘chamados pelo nome de Deus’. Quando estamos em nosso serviço de evangelização, é comum ouvirmos as pessoas dizerem: ‘Lá vem os Jeovás’. De fato, somos realmente ‘pessoas chamadas pelo nome de Deus, Jeová’!

Agora, dizer o autor do site que você citou que as chamadas “religiões cristãs” honram o nome de Deus é um verdadeiro disparate! Nem é necessário se delongar sobre isso.

Jesus Cristo e o nome divino

O referido site afirmou que os Evangelhos não indicam que Jesus usava e tornava conhecido o nome Jeová. A verdade é justamente o oposto! Basta ler as palavras de Jesus em João 17:6, 26.



Por exemplo, quando Jesus citou textos do “Velho Testamento” em que o Nome ocorre, é evidente que ele usou tal nome, tendo em vista o elevado respeito que ele mostrou ter pelo seu Deus e Pai. Como ele mesmo disse: “Honro a meu Pai.” – João 8:49.

Mateus 4:4

Mas ele disse em resposta: “Está escrito: ‘O homem tem de viver, não somente de pão, mas de cada pronunciação procedente da boca de Jeová.’” (Citação de Deuteronômio 8:3, em que ocorre o nome divino.)

Mateus 4:7

Jesus disse-lhe: “Novamente está escrito: ‘Não deves pôr Jeová, teu Deus, à prova.’” (Citação de Deuteronômio 6:16, em que também ocorre o nome divino.)

Mateus 4:10
Jesus disse-lhe então: “Vai-te, Satanás! Pois está escrito: ‘É a Jeová, teu Deus, que tens de adorar e é somente a ele que tens de prestar serviço sagrado.’” (Citação de Deuteronômio 10:20, texto que também usa o nome divino.)

Observe as seguintes afirmações feitas pelo autor da matéria:

“Deus é chamado de muitos nomes na Bíblia.”

O autor confunde nome com título. O Salmo 83:18 (Al) declara:

“Para que saibam que tu, A QUEM SÓ PERTENCE O NOME DE JEOVÁ, és o Altíssimo sobre toda a terra.”

A palavra “nome” ocorre 982 vezes na Bíblia. Destas ocorrências, 408 estão relacionadas com o nome divino – ou seja, mais de 40 por cento! Portanto, as estatísticas não mentem. Além de mostrar que Deus só possui UM nome PESSOAL, esses algarismos também mostram que quase a metade do uso da palavra “nome” na Bíblia faz referência A UM NOME PRÓPRIO, PESSOAL, e não a uma “reputação”, tal qual ele vergonhosamente procurou demonstrar, com frases tais como “em nome da lei” etc. Assim, quando a Bíblia fala do “nome” de Deus, ela aponta o tetragrama, o nome divino, não apenas a reputação ou fama de Deus.

Outra afirmação: “O [nome] favorito de Deus é Pai.”

O nome “Jeová” ocorre somente no “Velho Testamento” 6.973 vezes, ao passo que o TÍTULO (não nome) “Pai”, quando aplicado a Jeová, ocorre 264 vezes em toda a Bíblia – menos que “Senhor”, o qual, aplicado a Jeová, ocorre 355 vezes. 

Assim, quando Jesus disse “santificado seja o teu nome”, ele NÃO estava apenas “destacando a grande importância de Deus”; antes, estava mostrando que o Deus da Bíblia, e do próprio Jesus Cristo, tem um nome próprio, pessoal, pelo qual deseja ser chamado, e que esse nome deve ser tratado como sagrado. 

Por certo, afirmar que Deus não tem um nome pessoal, mas apenas títulos, e deixar de usar um nome que ocorre na Bíblia cerca de 7.000 vezes à base de uma questão arbitrária de pronúncia NÃO É tratar o nome pessoal de Deus como sagrado!

Após essa consideração inicial, que forneceu o pano de fundo que indica claramente o real motivo do ataque ao nome divino, ainda fica a questão:

Por que as Escrituras Cristãs registram pouco uso do nome de Deus por Jesus?

O segundo artigo desta temática irá considerar essa pergunta.


Os artigos deste blog podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o blog oapologistadaverdade.blogspot.com






3 comentários:

  1. O objetivo dos evangelho quando foram escritos foram estimular e chamar pessoas para se tornarem filhos de Deus ungidos pelo espírito, se relacionando filialmente Jeová Deus como Pai.

    Este faceta de Jeová como um Pai amoroso, não era tão frisada nas Escrituras Hebraicas.

    Muitos judeus conheciam a Deus como Jeová, mas não como um Pai.

    O termo Pai é usado também como forma de glorificar a Jesus como O Filho de Deus, cada vez que ele fala de Deus como sendo seu Pai é uma afirmação de sua filiação com Deus. Os cristãos ao chamarem o Deus a que adoram de O Pai ou de Deus - o Pai, estavam querendo dizer o Pai de Jesus Cristo, reforçando sua posição como o Filho de Deus. Outros termos nesse sentido são unigênito e primogênito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os judeus tinham a Jeová como seu Pai. (Is 64:8) Mas, evidentemente a relação deles era bem diferente da relação entre Jeová e Seu Filho, Jesus Cristo. - Mt 11:27.

      Excluir
  2. Boa resposta!
    Desculpa por,nas poucas vezes que comentei no seu blog dar mais elogios do que falar algo a mais com coisas bíblicas...Eu até queria,mas..

    É que minha consciência pesa por eu entrar no seu blog.Eu fico um pouco nervosa quando eu vou comentar aqui.Então,por isso que eu não escrevo e comento muito no seu blog,pois,entro no seu blog quase todos os dias.E por minha consciência pesar,de eu ficar um pouco nervosa quando eu eu vou comentar...,sei que talvez,se eu for tentar falar algo a mais,vai sair meio coisado meu comentário.XD

    É,tenho um pouco de receio de entrar em blogs,,, assim!

    Mas eu gosto bastante do seu blog!

    Bom,é isso!Esperando pela parte 2!
    Laís

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *