Image Map











terça-feira, 17 de novembro de 2015

Destaques da Leitura da Bíblia – 1 Crônicas 26-29


Não estamos fadados a seguir o mau exemplo dos antepassados

Apesar de Corá ter se rebelado contra o arranjo de Jeová, seus descendentes apoiaram lealmente o arranjo divino.

Números 26:9-11: “E os filhos de Eliabe foram Nemuel, Datã e Abirão. Estes, Datã e Abirão, eram homens escolhidos da assembleia; eles lutaram contra Moisés e Arão junto com o grupo de Corá, quando lutaram contra Jeová. Então a terra se abriu e os engoliu. Quanto a Corá, morreu com os que o apoiavam quando o fogo consumiu 250 homens. E eles se tornaram um exemplo de aviso.  No entanto, os filhos de Corá não morreram.”

1 Crônicas 26:1: “Estas eram as turmas dos porteiros. Dos coraítas, havia Meselemias, filho de Coré, dos filhos de Asafe.”

2 Crônicas 20:19: Então os levitas que eram descendentes dos coatitas e dos coraítas se levantaram para louvar a Jeová, o Deus de Israel, com voz bem alta.

1 Crônicas 6:33, 37: “Estes eram os que serviam junto com seus filhos: dos coatitas havia Hemã, o cantor, filho de Joel, filho de Samuel, filho de Taate, filho de Assir, filho de Ebiasafe, filho de Corá.”

O povo de Deus sempre foi organizado

1 Crônicas 26:30: “Dos hebronitas havia Hasabias e seus irmãos, 1.700 homens capazes. Eles tinham a seu cargo a administração de Israel na região ao oeste do Jordão, no que se refere a todo o serviço de Jeová e ao serviço do rei.”

Sobre o significado da palavra “administração”, lemos:

A palavra hebraica traduzida por “administração” em 1 Crônicas 26:30 (pequd·dáh) deriva da raiz pa·qádh, que significa “visitar; voltar a atenção para”. (Ru 1:6 n.) Também é vertida por ‘cuidado; supervisão’. — 2Cr 24:11; Núm 3:32; compare isso com 2Rs 11:18 n.; veja SUPERINTENDENTE. (it-1, p. 51, verbete “Administração”.

1 Crônicas 27:1: “Quanto ao número dos israelitas — os cabeças das casas paternas, os chefes de mil, os chefes de cem e os oficiais a serviço do rei em tudo o que se referia às divisões que se revezavam mensalmente, durante todos os meses do ano —, cada divisão tinha 24.000 homens.”

Sobre este último texto, explica a obra Estudo Perspicaz das Escrituras:

Davi instituiu alguns planos novos, seus. Um sistema de rodízio mensal fornecia 12 grupos de 24.000 (num total de 288.000), de modo que o soldado, normalmente, servia apenas durante um mês por ano. (1Cr 27:1-15) Isto não significava, porém, que todos os 24.000 de determinado mês procediam da mesma tribo, mas, antes, cada tribo fornecia sua parte da quota mensal durante o ano.  It-2, p. 68, verbete “Exército”.

Indivíduos podem sair duma classe

1 Crônicas 27:31: “E o encarregado das ovelhas era Jaziz, o agareno. Todos esses eram encarregados dos bens do rei Davi.”

Quem eram os agarenos? A obra Estudo Perspicaz das Escrituras esclarece:

 [possivelmente: De (Pertencente a) Agar].
Aparentemente, era um povo pastoril que residia em tendas ao L de Gileade. … O salmista alistou os agarenos entre outros inimigos de Israel, tais como os edomitas, os moabitas, os amonitas e os amalequitas. (Sal 83:2-7) Entretanto, durante o governo de Davi, Jaziz, o agareno, estava encarregado dos rebanhos reais. — 1Cr 27:31. (it-1, p. 63, verbete “Agareno”.)

Isso mostra que, embora as classes do justo e do iníquo estão predestinadas, cada qual, a um resultado oposto – vida eterna para os justos e destruição eterna para os incorrigíveis – os indivíduos podem decidir em que classe querem estar.

Homens podem ser admirados, mas não deificados

1 Crônicas 28:5: “E, de todos os meus filhos — pois Jeová me deu muitos filhos —, ele escolheu Salomão para se sentar no trono do reinado de Jeová sobre Israel.”

1 Crônicas 29:23: E Salomão se sentou no trono de Jeová como rei no lugar de Davi, seu pai. Ele foi bem-sucedido e todos os israelitas lhe obedeciam.”

A obra Estudo Perspicaz das Escrituras comenta:

Jeová nomeava os reis do seu povo, e eles deviam atuar como Seus agentes régios, sentando-se, não em seus próprios tronos, mas no “trono do reinado de Jeová”, isto é, como representantes de Seu governo teocrático. (1Cr 28:5; 29:23) Contrário ao costume de alguns povos orientais daqueles dias, a nação de Israel não deificava seus reis. - it-3, p. 399, verbete “Rei”.

É necessário servir a Jeová de pleno coração

1 Crônicas 28:9: “E você, Salomão, meu filho, conheça o Deus do seu pai e sirva-o de coração pleno e de alma bem disposta, pois Jeová examina todos os corações e discerne toda inclinação dos pensamentos. Se você o buscar, ele deixará que você o encontre; mas, se o abandonar, ele rejeitará você para sempre.”

Interessante é o comentário da revista A Sentinela de 1.º de setembro de 1971, pp. 530-531, § 4, sob o tema “Servir a Jeová de pleno coração”:

Servir de “pleno coração” significa servir com um coração que é unidirecional na sua motivação, não de coração dúbio (Sal. 119:113), nem de coração dúplice. (1 Crô. 12:33; Sal. 12:2) Se servirmos de todo o nosso coração, então agradar a Jeová Deus é a maior coisa na nossa vida, é o deleite de nosso coração. Oramos assim como o salmista: “Instrui-me, ó Jeová, acerca do teu caminho. Andarei na tua verdade. Unifica meu coração para temer o teu nome.” (Sal. 86:11) Portanto, nosso coração é unificado, é singelo no seu objetivo. (Pro. 23:19) Tal coração nos move constantemente numa só direção, no caminho de Jeová.

Mas, como podemos desenvolver tal coração unificado?

Lemos na revista Despertai! de 8 de outubro de 1990, p. 24, sob o tema “Por que devo estudar a Bíblia?”:Isto implica em pesquisar a fundo as Escrituras no esforço de conhecer intimamente a Jeová.”

A respeito da acessibilidade e os benefícios de tal provisão, lemos:

Assim, independentemente da raça ou da nacionalidade, qualquer que seja o seu grau de instrução, seja pobre, seja rica, se a pessoa buscar sinceramente a verdade a respeito de Deus, ela a encontrará. De sua posição vantajosa no céu, Cristo e seus anjos cuidarão de que aquele que procura entre em contato com a verdade, independente de onde tal pessoa viva. Quão recompensadora será tal busca? Jesus disse: “Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo.” — João 17:3; veja também Ezequiel 9:4. (w89 1/5 p. 19 par. 6, sob o tema “Adore o Criador, não a criação”)

O espírito santo tem capacidade habilitadora

1 Crônicas 28:11, 12, 19: “Então Davi deu a Salomão, seu filho, o projeto arquitetônico do pórtico e dos diversos compartimentos, incluindo os depósitos, os compartimentos superiores, as salas interiores e o compartimento onde ficava a tampa propiciatória. Ele lhe deu o projeto arquitetônico de tudo que tinha recebido por inspiração, [Lit.: “pelo espírito”] para os pátios da casa de Jeová, para todos os refeitórios ao redor dela, para os tesouros da casa do verdadeiro Deus e para os tesouros das coisas tornadas sagradas. Davi disse: ‘A mão de Jeová estava sobre mim, e ele me deu entendimento [Ou: “perspicácia”] para colocar por escrito todos os detalhes do projeto arquitetônico.’”

A obra Estudo Perspicaz das Escrituras comenta sobre isso:

O espírito tem força ou capacidade habilitadora; pode habilitar pessoas para um serviço ou para um cargo. Embora Bezalel e Ooliabe talvez conhecessem os ofícios antes da sua designação relacionada com a fabricação do equipamento do tabernáculo e das vestes sacerdotais, o espírito de Deus ‘encheu-os com sabedoria, entendimento e conhecimento’, para que a obra fosse feita da maneira intencionada. Aumentou suas habilidades naturais e o conhecimento que já tivessem, e habilitou-os a instruir outros. (Êx 31:1-11; 35:30-35) O plano arquitetônico para o posterior templo foi dado a Davi por inspiração, quer dizer, pela operação do espírito de Deus, habilitando assim Davi a empreender uma extensa obra preparatória para o projeto. — 1Cr 28:12. (it-2, p. 35, verbete “Espírito”.)

(1Cr 22:1-4; 29:1-5) Ele [Davi] foi também usado para prover o divinamente inspirado “plano arquitetônico” para todo o arranjo e o equipamento do templo. (1Cr 28:11, 19) – it-1, p. 207, verbete “Arquitetura”.

Devemos ser generosos em contribuir para a
obra do Reino de Deus

1 Crônicas 29:3-9: “‘E, visto que eu amo a casa do meu Deus, além de tudo que já providenciei para a casa santa, dou também o meu próprio tesouro de ouro e prata para a casa do meu Deus, incluindo 3.000 talentos de ouro de Ofir e 7.000 talentos de prata refinada, para o revestimento das paredes dos diversos compartimentos, para os trabalhos de ouro e para os trabalhos de prata, e para todo o trabalho a ser feito pelos artesãos. E quem hoje se oferece para trazer uma dádiva a Jeová?’ Então os príncipes das casas paternas, os príncipes das tribos de Israel, os chefes de mil, os chefes de cem e os encarregados dos assuntos do rei se apresentaram voluntariamente. Eles deram para a obra da casa do verdadeiro Deus 5.000 talentos de ouro,10.000 daricos, 10.000 talentos de prata, 18.000 talentos de cobre e 100.000 talentos de ferro. Quem tinha pedras preciosas as deu ao tesouro da casa de Jeová, que estava aos cuidados de Jeiel, o gersonita. O povo se alegrou de fazer essas ofertas voluntárias, pois faziam as ofertas voluntárias a Jeová de pleno coração. O rei Davi também se alegrou muito.”

Quão grandes eram tais donativos?

Davi doou 3.000 talentos de ouro de Ofir para a construção do templo, ouro avaliado em US$ 1.156.050.000. (1Cr 29:1, 2, 4) – it-3, p. 125, verbete “Ofir”.

As contribuições do Rei Davi para a construção do prospectivo templo incluíam sua “propriedade especial” de ouro e prata, numa quantia superior a US$1.202.000.000. Os príncipes e os chefes do povo, por sua vez, tiveram prazer em contribuir mais de US$1.993.000.000 em ouro e prata, além de cobre, ferro e pedras. — 1Cr 29:1-9. (it-1, p. 551, verbete “Contribuição”.)

Davi sempre acalentou no coração o desejo de construir esse templo, e, embora isso não lhe fosse permitido, foi-lhe concedido constituir uma grande força-tarefa para talhar pedras e reunir materiais que incluíam 100.000 talentos de ouro (US$ 38.535.000.000) e 1.000.000 de talentos de prata (US$ 6.606.000.000), e cobre e ferro em quantidade impossível de se calcular. (1Cr 22:2-16) De sua fortuna pessoal, Davi contribuiu ouro de Ofir e prata refinada no valor de mais de US$ 1.202.000.000. Davi forneceu também os planos arquitetônicos, recebidos por inspiração, e organizou as dezenas de milhares de levitas em suas muitas turmas de serviço, incluindo um grande coro de cantores e de músicos. — 1Cr 23:1-29:19; 2Cr 8:14; 23:18; 29:25; Esd 3:10. (it-1, p. 668, verbete “Davi”.)

Os israelitas tiveram o privilégio de fazer contribuições para erguer e equipar construções para a verdadeira adoração. Doaram materiais para o tabernáculo e sua mobília (Êx 25:1-9; 35:4-9), “uma oferta voluntária a Jeová”, que teve de ser sustada porque a doação “mostrou-se suficiente para toda a obra a ser feita, e mais do que suficiente”. (Êx 35:20-29; 36:3-7) As contribuições do Rei Davi para a construção do prospectivo templo incluíam sua “propriedade especial” de ouro e prata, numa quantia superior a US$1.202.000.000. Os príncipes e os chefes do povo, por sua vez, tiveram prazer em contribuir mais de US$1.993.000.000 em ouro e prata, além de cobre, ferro e pedras. — 1Cr 29:1-9. (it-1, p. 551, verbete “Contribuição”.)

1 Crônicas 29:7: Eles deram para a obra da casa do verdadeiro Deus 5.000 talentos de ouro,10.000 daricos, 10.000 talentos de prata, 18.000 talentos de cobre e 100.000 talentos de ferro.”

Mais tarde, porém, o Rei Davi reuniu enormes quantidades de ferro para uso na construção do templo. Sob o reinado de Salomão, contribuiu-se “ferro no valor de cem mil talentos”, ou segundo muitas traduções, “cem mil talentos de ferro”. (1Cr 22:14, 16; 29:2, 7) Se a referência for ao valor do ferro, e se os talentos eram de prata, então o ferro valia US$660.600.000. Se a referência for ao peso do ferro, então eram cerca de 3.420 toneladas métricas. - it-2, p. 117, verbete “Ferro”.
  
Portanto, mais de 1 bilhão e 993 milhões de dólares em ouro e prata, além de cobre, ferro e pedras! Total: US$ 48.337.047.000!

1 Crônicas 29:14: “No entanto, quem sou eu, e quem é o meu povo, para que possamos fazer essas ofertas voluntárias? Pois tudo vem de ti, e nós apenas te demos o que vem das tuas mãos.”

Jeová assegurou seu povo: “‘A prata é minha, e o ouro é meu’, diz Jeová dos exércitos.” – Ageu 2:8.

Portanto, não há crise financeira para Jeová. A única coisa que pode impedir Suas bênçãos materiais para seu povo é alguma falha séria do próprio povo de Jeová. – Ageu 1:6.

Jeová é o Soberano Universal, o Supremo Teocrata

1 Crônicas 29:11, 12: Teus, ó Jeová, são a grandeza, o poder,  a glória, o esplendor e a majestade; pois tudo oque há nos céus e na terra pertence a ti. Teu é o reino, ó Jeová. Tu te elevas como cabeça acima de todos. As riquezas e a glória vêm de ti, e tu dominas sobre tudo. Nas tuas mãos há força e poder, e nas tuas mãos há a capacidade para engrandecer e para fortalecera todos.”

Importância do nome divino

1 Crônicas 29:13, 16: E agora, ó nosso Deus, nós te agradecemos e louvamos o teu belo nome. Ó Jeová, nosso Deus, toda essa riqueza que juntamos para construir uma casa para o teu santo nome vem das tuas próprias mãos, e tudo pertence a ti.”

1 Crônicas auxilia no entendimento de outras passagens

1 Crônicas 29:23: “E Salomão se sentou no trono de Jeová como rei no lugar de Davi, seu pai. Ele foi bem-sucedido e todos os israelitas lhe obedeciam.

Ninguém teria dificuldade em entender que Salomão “se sentou no trono de Jeová” de forma representativa, uma vez que o trono de Jeová está no céu e Salomão estava na Terra. – Isaías 66:1.

Isso nos ajuda a entender como a “grande multidão” de Apocalipse 7:9-17 é uma classe terrestre, apesar de ser simbolicamente descrita como estando “em pé diante do trono” de Deus.

Para mais informações sobre esse assunto, veja os artigos:

 A “grande multidão” – qual é a sua identidade? (Parte 1)

 A “grande multidão” – qual é a sua identidade? (Parte 2)

 A “grande multidão” – qual é a sua identidade? (Parte 3)

 Vida eterna no céu e na Terra – as bases bíblicas (Parte 3)



Explicação das siglas usadas:

g: revista Despertai! Os números em sequência indicam, respectivamente, o ano, o dia e o mês da publicação.

it: obra Estudo Perspicaz das Escrituras. O número em sequência indica o volume.

w: revista A Sentinela. Os números em sequência indicam, respectivamente, o ano, o dia e o mês da publicação.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *