Image Map











sábado, 26 de setembro de 2015

Destaques da Leitura da Bíblia: 2 Reis 23-25


Não há divisão entre a Lei de Deus dada a Israel

Os sabatistas costumam dividir a Lei em duas partes: lei moral (para eles os Dez Mandamentos) e lei cerimonial (as demais, que, segundo eles, foram as que deixaram de vigorar). Um dos argumentos dessa suposta separação é a afirmação de que os Dez Mandamentos foram escritos apenas nas tábuas de pedra, ao passo que as demais leis num rolo, ou livro.

No entanto, o livro também continha os Dez Mandamentos:

2 Reis 23:2, 3 “Depois o rei subiu à casa de Jeová com todos os homens de Judá, todos os habitantes de Jerusalém, os sacerdotes e os profetas — todo o povo, do pequeno ao grande. Ele leu para eles todas as palavras do livro do pacto que tinha sido achado na casa de Jeová. O rei ficou de pé junto à coluna e fez um pacto perante Jeová, comprometendo-se a seguir a Jeová e a guardar seus mandamentos, suas advertências e seus decretos, de todo o coração e de toda a alma, cumprindo as palavras do pacto escritas no livro. E todo o povo concordou com o pacto.


Observe a expressão “livro do pacto”. O pacto da Lei dada a Israel incluía todo o conjunto de leis, em especial o Decálogo. Deuteronômio 9:11 declara: “Sucedeu, pois, que ao fim dos quarenta dias e quarenta noites, o Senhor me deu as duas tábuas de pedra, as tábuas do pacto.” Também, lemos em Deuteronômio 4:13: “E ele passou a declarar-vos seu pacto que vos mandou cumprir — as Dez Palavras [“os dez mandamentos”, Als], escrevendo-as depois em duas tábuas de pedra.”
    Assim sendo, há base para se concluir que o Decálogo também foi registrado em tal livro. 

A astrologia está ligada ao demonismo

2 Reis 23:5: “E acabou com a atividade dos sacerdotes de deuses estrangeiros, a quem os reis de Judá tinham designado para fazer fumaça sacrificial nos altos sagrados das cidades de Judá e dos arredores de Jerusalém. Também acabou com a atividade dos que faziam fumaça sacrificial a Baal, ao sol, à lua, às constelações do zodíaco e a todo o exército dos céus.

Sobre tal passagem, lemos na obra Estudo Perspicaz das Escrituras (vol. 3, p. 826, verbete "Zodíaco"; publicada pelas Testemunhas de Jeová):

Faixa de estrelas vista da terra dentro dum espaço de nove graus em ambos os lados do plano da órbita da terra em volta do sol.
[…]
Foi só no segundo século AEC, porém, que um astrônomo grego dividiu o zodíaco em 12 partes iguais de 30 graus cada uma; estas partes passaram a ser chamadas de signos do zodíaco e receberam os nomes das constelações relacionadas. A palavra “zodíaco” vem do grego e significa “círculo de animais”, visto que a maior parte das 12 constelações do zodíaco originalmente eram chamadas por nomes da vida animal ou marinha.
[…]
Estes signos, atualmente, não coincidem mais com as constelações cujos nomes lhes foram originalmente dados. Isto se deve ao que é conhecido como precessão dos equinócios, que resulta num gradual deslocamento das constelações para o L, em cerca de um grau a cada 70 anos, num ciclo que leva uns 26.000 anos para completar-se. Assim, o signo de Áries, nos últimos 2.000 anos, deslocou-se cerca de 30 graus para dentro do signo de Peixes.
As constelações do zodíaco se transformaram em objetos da adoração falsa desde os primevos tempos mesopotâmicos.

Devemos ser zelosos pela adoração pura de Jeová, assim como Josias foi

Josias destruiu os utensílios de Baal que estavam no templo (2 Reis 23:4, 6); acabou com as atividades dos sacerdotes de deuses falsos (2 Reis 23:5); destruiu tudo ligado à adoração falsa, incluindo lugares destinados a sacrifícios humanos (2 Reis 23:10, 11, 15, 16); seguindo a lei de Deus em Êxodo 22:20 e em Deuteronômio 13:5, Josias mandou executar os sacerdotes de deuses falsos (2 Reis 23:20); e, seguindo a lei de Deus em Levítico 20:27, mandou executar os médiuns espíritas. – 2 Reis 23:24.

Assim como Josias, devemos ser zelosos pela lei de Deus dada aos cristãos – a “lei do Cristo” (Gálatas 6:2), evitando todas as formas atuais de adoração falsa.

A predestinação de indivíduos específicos não exclui o livre-arbítrio

2 Reis 23:29, 30: “Nos seus dias, o Faraó Neco, rei do Egito, foi ao encontro do rei da Assíria, junto ao rio Eufrates. o rei Josias saiu para enfrentar o Faraó Neco, mas, quando Neco o viu, matou-o em Megido. Portanto, seus servos levaram seu corpo num carro de guerra de Megido a Jerusalém e o enterraram na sua sepultura. Então o povo da terra tomou Jeoacaz, filho de Josias, ungiu-o e o fez rei no lugar do seu pai.

Por que Jeová permitiu que um rei tão leal fosse morto por inimigos?

A obra Estudo Perspicaz das Escrituras (vol. 3, p. 318, verbete “Presciência, predeterminação”) explicou:

A profecia de Jeová a respeito de Josias exigia que algum descendente de Davi fosse assim chamado, e predizia as medidas que ele tomaria contra a adoração falsa na cidade de Betel. (1Rs 13:1, 2) Mais de três séculos depois, um rei com este nome cumpriu a profecia. (2Rs 22:1; 23:15, 16) Por outro lado, ele falhou em acatar “as palavras de Neco provenientes da boca de Deus”, e isto o levou a ser morto. (2Cr 35:20-24) Assim, embora Josias fosse predito por Deus e predeterminado para executar uma tarefa específica, ele ainda tinha livre-arbítrio, podendo escolher acatar ou desconsiderar recomendações.

Josias deixou de acatar o princípio expresso em Provérbios 26:17: “Como alguém que agarra as orelhas de um cão é quem passa e fica furioso por causa da discussão dos outros.

A desobediência continuada do reino de Judá levou Jeová a retirar sua proteção

2 Reis 23:32-34: “Ele [Jeoacaz] começou a fazer o que era mau aos olhos de Jeová, conforme tudo o que os seus antepassados tinham feito. O Faraó Neco prendeu-o em Ribla, na terra de Hamate, para impedir que reinasse em Jerusalém, e então exigiu que o país pagasse um tributo de cem talentos de prata e um talento de ouro.  Além disso, o Faraó Neco fez Eliaquim, filho de Josias, rei no lugar de Josias, seu pai, e mudou o nome dele para Jeoiaquim; mas pegou Jeoacaz e o levou para o Egito, onde morreu.

Cem talentos de prata e um talento de ouro” nos valores atuais equivaleriam a U$ 1.045.950,00 (mais de um milhão de dólares), ou mais de 4 milhões de reais.

Além do altíssimo tributo, essa interferência na própria realeza davídica prenunciava o predito exílio. –  Deuteronômio 28:36, 37, 64; 29:28.

Após isso, Jeoiaquim tornou-se vassalo do rei de Babilônia. – 2 Reis 24:1.

Em 617 AEC[1], no reino de Joaquim, filho de Jeoiaquim, houve o exílio em Babilônia dos nobres de Judá. – 2 Reis 24:8-14. 

No segundo sítio (cerco) feito pelo rei de Babilônia (609-607 AEC) houve a destruição de Jerusalém e o exílio dos judeus em Babilônia. – 2 Reis 25:1-11.

Assim, acabou o reinado terrestre dos descendentes de Davi. Gedalias não foi colocado como rei, mas como encarregado, ou governador. – 2 Reis 25:22.

Deixar de dar atenção a avisos pode resultar em péssimas consequências

2 Reis 25:25: “No sétimo mês, Ismael, filho de Netanias, filho de Elisama, que era da linhagem real, foi a Mispá com mais dez homens. Eles golpearam Gedalias, e ele morreu; os judeus e os caldeus que estavam com ele também morreram.

A obra Estudo Perspicaz das Escrituras (vol. 2, p. 187, verbete “Gedalias”) comentou:

[…] Baalis, rei de Amom, que conseguiu obter a cooperação de Ismael numa trama para assassinar o governador Gedalias. Sabendo disso, Joanã e outros chefes das forças militares aconselharam o governador a respeito disso, mas este não acreditou neles. Joanã até mesmo se chegou a Gedalias em particular e se ofereceu a frustrar a trama por matar Ismael. Mas, Gedalias não quis saber disso, pensando que se caluniava a Ismael. De modo que, quando Ismael, junto com outros dez homens, veio a Mispá, Gedalias não tomou nenhuma precaução. Passou a comer com eles; e enquanto comiam, Ismael e os homens com ele se levantaram e mataram Gedalias, bem como todos os judeus e caldeus que estavam com Gedalias. — 2Rs 25:22-25; Je 39:14; 40:5-41:3.

Isso nos ensina que é importante dar atenção a avisos, verificando se procedem, ou não, em especial quando estão ligados à preservação de vidas.

[1]A sigla “AEC” significa “Antes da Era Comum”, e diz respeito à época anterior ao ano 1 de nosso calendário gregoriano. É ligeiramente diferente de “a.C” (“antes de Cristo”), pois Jesus Cristo não nasceu no ano 1 de nosso calendário; segundo a cronologia bíblica conjugada com a secular, Jesus nasceu por volta de outubro de 2 AEC – cerca de 1 ano e 3 meses antes do ano 1 de nosso calendário. Por isso, as Testemunhas de Jeová e alguns eruditos seculares preferem a sigla “AEC” (“Antes da Era Comum”) e “EC” (“Era Comum”), por serem mais exatas. – Veja o artigo Harmonizando Mateus 2:13 e Lucas 2:22.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site oapologistadaverdade.org







quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Destaques da Leitura da Bíblia: 2 Reis 19-22


A oração de um justo tem poder

O Rei Ezequias solicitou ao profeta Isaías:

 “Portanto, ore a favor do restante que ainda está vivo.”2 Reis 19:4.

A súplica do justo, quando em operação, tem muita força. – Tiago 5:16.

A execução dos julgamentos divinos pode parecer demorar em nossa avaliação imperfeita, mas ocorrem no tempo devido de Deus

2 Reis 19:7: “Pois porei na mente dele um pensamento, e ele ouvirá uma notícia e voltará   à sua terra; e eu o farei cair pela espada na sua própria   terra.”

Segundo registros seculares cumprimento da parte em grifo ocorreu somente cerca de 20 anos depois:

Os registros cronológicos assírios e babilônicos (embora a sua confiabilidade seja questionável), parecem indicar que Senaqueribe governou por cerca de 20 anos após a sua campanha contra Jerusalém. – it-2, p. 425, verbete “Isaías, Livro de”.

Numa das suas inscrições, Esar-Hadom confirma o relato bíblico sobre a morte do seu pai (Is 37:37, 38), dizendo: “Uma firme determinação sobreveio aos meus irmãos. Eles abandonaram os deuses e se voltaram para seus atos violentos, maquinando o mal. . . . Para obterem a realeza, mataram Senaqueribe, seu pai.” — Ancient Records of Assyria and Babylonia (Registros Antigos da Assíria e de Babilônia), de D. Luckenbill, 1927, Vol. II, pp. 200, 201. Apud it-1, p. 828, verbete “Esar-Hadom”.

Ezequias implorou a salvação da parte de Jeová tendo em foco a legitimidade da Divindade exclusiva Dele em relação aos deuses falsos

2 Reis 19:19: “Mas agora, ó Jeová, nosso Deus, por favor, salva-nos das mãos de Senaqueribe, para que todos os reinos da terra saibam que somente tu, ó Jeová, és Deus.”

Assim, é correto buscarmos a ajuda divina tendo por base nossa preocupação com o Nome dele e com nossa adoração e serviço prestados a ele:

Salmo 6:4, 5:Volta, ó Jeová, e livra-me; salva-me por causa do teu amor leal. Pois na morte não há menção de ti; na Sepultura, quem te louvará?

Jeová encara o que é feito a seu povo como tendo sido feito a Ele

2 Reis 19:22: “A quem você [Senaqueribe] desafiou e contra quem blasfemou? Contra quem levantou a voz e ergueu os seus olhos arrogantes? Foi contra o Santo de Israel! Por meio dos seus mensageiros você desafiou a Jeová.”

Jeová conhece a atuação de seus inimigos; nada que os demônios façam o pega de surpresa

2 Reis 19:27: “Mas sei muito bem quando você se senta, quando sai, quando entra e quando você está furioso comigo.”

Explicação de textos

2 Reis 19:30: “Os da casa de Judá que escaparem, os que restarem, lançarão raízes na terra e produzirão frutos nos ramos.

O livro “Profecia de Isaías — Uma Luz Para Toda a Humanidade”[1] (volume 1, p. 392, par. 20) explica: “Jeová compara seu povo a uma planta difícil de desarraigar.”

Essa comparação ajuda a entender o texto de Malaquias 4:1: 

“‘Vejam! Vem o dia, ardente como uma fornalha, quando todos os arrogantes e todos os que praticam o que é mau se tornarão como palha. O dia que virá certamente os devorará’, diz Jeová dos exércitos, ‘e não lhes deixará nem raiz nem ramo.’”

O texto mostra que todos os julgados por Deus como incorrigíveis serão destruídos, iguais a uma planta infrutífera e perigosa.

A atuação de Jeová sempre tem um propósito

2 Reis 19:34: “Eu defenderei e salvarei esta cidade por minha própria causa e por causa de Davi, meu servo.”

Estavam envolvidos a reputação de Jeová qual Deus verdadeiro bem como o pacto feito com o Rei Davi. – Salmo 89:35-37.

2 Reis 20:4,5: “Isaías ainda não tinha chegado ao pátio central quando recebeu a seguinte palavra de Jeová: ‘Volte e diga a Ezequias, o líder do meu povo: “Assim diz Jeová, o Deus de Davi, seu antepassado: ‘Ouvi a sua oração; vi as suas lágrimas. Por isso vou curar você.’”’”

Naquela época, Ezequias ainda não tinha filho para poder dar continuidade à dinastia de reis davídicos. Levando em conta Seu pacto com Davi, bem como a integridade de Ezequias, Jeová o curou milagrosamente.

A imprudência resulta em más consequências

2 Reis 20:12, 13: “Naquele tempo, o rei de Babilônia, Berodaque-Baladã, filho de Baladã, enviou cartas e um presente a Ezequias, pois ouviu dizer que Ezequias tinha ficado doente. Ezequias os recebeu e mostrou-lhes toda a sua casa do tesouro — a prata, o ouro, o óleo de bálsamo e outros óleos preciosos, o seu depósito de armas e tudo o que havia no seu tesouro. Não houve nada que Ezequias não lhes mostrasse na sua casa  e em todo o seu domínio.”

Essa amostra indevida dos itens valiosos do reino de Judá resultaria em fomentar a cobiça do império babilônico, resultando no exílio dos judeus em Babilônia.

Os que detêm posição de autoridade precisam ser exemplares, em vista da influência que exercem

2 Reis 21:16: “[Manassés] cometeu o pecado de levar Judá  a pecar e fazer o que era mau  aos olhos de Jeová.

2 Reis 21:19, 20: “Amom tinha 22 anos de idade quando se tornou rei. … Ele fazia o que era mau aos olhos de Jeová, assim como Manassés, seu pai, tinha feito.

O histórico familiar não necessariamente determina o que cada um irá ser

2 Reis 22:2: “[Josias, filho de Amom e neto de Manassés] fez o que era certo aos olhos de Jeová e andou em todos os caminhos de Davi, seu antepassado; não se desviou nem para a direita nem para a esquerda.”

Pessoas de confiança são prezadas

2 Reis 22: 3-5: “Que o dinheiro seja entregue aos que supervisionam a obra na casa de Jeová. Eles, por sua vez, o entregarão aos trabalhadores na casa de Jeová, que deverão consertar a casa, isto é, os artesãos, os construtores e os pedreiros. Eles também usarão o dinheiro para comprar madeira e pedras lavradas para o conserto da casa. Mas não se deve exigir deles uma prestação de contas pelo dinheiro que está sendo entregue a eles, porque são de confiança.”

Os fiéis e humildes buscam sempre a orientação divina

2 Reis 22:12-14: “Assim que o rei [Josias] ouviu as palavras do livro da Lei, rasgou a sua roupa. Então o rei deu a seguinte ordem a Hilquias, o sacerdote, a Aicão, a filho de Safã, a Acbor, filho de Micaías, a Safã, o secretário, e a Asaías, servo do rei:  ‘Vão, consultem a Jeová por mim, pelo povo e por todo o Judá a respeito das palavras deste livro que foi achado, pois o furor de Jeová que se acendeu contra nós é grande, visto que os nossos antepassados não obedeceram às palavras deste livro nem fizeram tudo o que está escrito para nós.’ Assim, Hilquias, o sacerdote, Aicão, Acbor, Safã e Asaías foram até Hulda, a profetisa.

Hoje, a organização de Jeová disponibiliza uma abundância de publicações que explicam progressivamente a Palavra de Deus.

A fidelidade a Jeová sempre é recompensada

2 Reis 22:18, 19: “Vocês devem dizer o seguinte ao rei de Judá, que os mandou consultar a Jeová: ‘Assim diz Jeová, o Deus de Israel: “No que se refere às palavras que você ouviu, visto que o seu coração foi receptivo e você se humilhou perante Jeová quando ouviu o que falei contra este lugar e os seus habitantes — que eles se tornariam um motivo de terror e objeto de maldição — e você rasgou a sua roupa e chorou diante de mim, eu o ouvi”, diz Jeová. “É por isso que eu o reunirei aos seus antepassados, e você descansará em paz na sua sepultura, de modo que os seus olhos não verão toda a calamidade que trarei sobre este lugar.”’”


Explicação de siglas:

It – Obra Estudo Perspicaz das Escrituras, publicada pelas Testemunhas de Jeová. O número que segue à sigla (1 ou 2) refere-se ao volume.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site oapologistadaverdade.org







[1] Publicado pelas Testemunhas de Jeová.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Destaques da Leitura da Bíblia: 2 Reis 16-18


2 Reis 16:2: “Acaz tinha 20 anos de idade quando se tornou rei, e reinou por 16 anos em Jerusalém. Ele não fez o que era certo aos olhos de Jeová, seu Deus, como Davi, seu antepassado, tinha feito.

Jeová se lembra de Davi como um todo – como pessoa fiel – muito embora ocasionalmente ele tenha cometido pecados graves. Que exemplo maravilhoso de avaliar as pessoas nos é dado por Jeová!

A maldade resulta em Jeová retirar sua proteção

2 Reis 16:4-6: “[Acaz] andou no caminho dos reis de Israel e até mesmo queimou o seu próprio filho no fogo, imitando as práticas detestáveis das nações que Jeová tinha expulsado de diante dos israelitas. Além disso, oferecia sacrifícios e fazia fumaça sacrificial nos altos sagrados, nas colinas e debaixo de toda árvore frondosa. Foi então que Rezim, rei da Síria, e Peca, filho de Remalias, rei de Israel, vieram guerrear contra Jerusalém. Eles cercaram Acaz, mas não puderam tomar a cidade. Naquele tempo, Rezim, rei da Síria, restituiu Elate a Edom, expulsando os judeus de Elate.

2 Reis 17:5-7: “O rei da Assíria invadiu o país inteiro; ele chegou a Samaria e a cercou por três anos. No nono ano de Oseias, o rei da Assíria tomou Samaria. Depois ele levou o povo de Israel para o exílio na Assíria, e fez que morassem em Hala e em Habor, junto ao rio Gozã, e nas cidades dos medos. Isso aconteceu porque o povo de Israel tinha pecado contra Jeová, seu Deus, que os havia tirado da terra do Egito, do domínio de Faraó, rei do Egito. Eles adoraram outros deuses, seguiram os costumes das nações que Jeová havia expulsado de diante dos israelitas e os costumes que os reis de Israel tinham estabelecido.”

Estar “perante Jeová” não significa estar no céu

2 Reis 16:14: “Então ele pegou o altar de cobre que estava perante Jeová, na frente da casa, entre o seu próprio altar e a casa de Jeová, e o colocou no lado norte do seu próprio altar.”

Isso auxilia no entendimento do texto de Apocalipse 7:9, que afirma que a “grande multidão” está “diante do trono” de Deus. Ela não está no céu, mas à vista de Deus, tendo sido favorecida por ele.

Pessoas em autoridade não devem ser coniventes com os pecados de outros

2 Reis 16:10, 11: “Quando viu o altar que havia em Damasco, o rei Acaz enviou a Urias, o sacerdote, um projeto do altar, que mostrava como ele era e como tinha sido feito. Urias, o sacerdote, construiu o altar de acordo com todas as orientações que o rei Acaz tinha enviado de Damasco.”

Por temor do Rei Acaz ou consentimento com a idolatria, o sacerdote Urias construiu um altar pagão – um péssimo exemplo para os que ocupam posições de autoridade.

Jeová julga cada um de modo individual

2 Reis 17:2: “Ele fazia o que era mau aos olhos de Jeová, mas não tanto quanto os reis de Israel que reinaram antes dele.”

Esse detalhe do texto mostra que Jeová não nivela as pessoas de forma igual, mas avalia cada caso de modo individualizado. É um excelente exemplo para os que precisam fazer julgamentos.

Jeová dá repetidas advertências; não desiste logo de ajudar seus servos

2 Reis 17:13: “Jeová continuou a advertir Israel e Judá por meio de todos os seus profetas e de todos os videntes, dizendo: ‘Recuem dos seus maus caminhos!’

Por 257 anos, Deus lhes enviou profetas: Jeú (não o rei), Elias, Micaías, Eliseu, Jonas, Odede, Oséias, Amós e Miquéias. — 1Rs 13:1-3; 16:1, 12; 17:1; 22:8; 2Rs 3:11, 12; 14:25; 2Cr 28:9; Os 1:1; Am 1:1; Miq 1:1. (Veja Estudo Perspicaz das Escrituras, vol. 2, p. 455.)

Os que pastoreiam o povo de Deus devem demonstrar a mesma atitude amorosa.

O espiritismo é algo condenado por Deus

2 Reis 17:17, 18: “Eles também queimaram seus filhos e suas filhas no fogo, praticaram adivinhação, procuraram presságios e se entregaram a fazer o que era mau aos olhos de Jeová, ofendendo-o. Por isso, Jeová ficou muito irado com Israel e os removeu da sua vista.”

Os que têm autoridade e poder precisam ser exemplares

2 Reis 17:21-23: “Mas Jeroboão levou Israel   a se desviar de seguir a   Jeová e a cometer um grande pecado.   E o povo de Israel cometeu   os mesmos pecados que Jeroboão tinha cometido. Não se desviaram deles, até que Jeová removeu Israel da sua vista.”

É impróprio buscar orientação religiosa com os que não têm a adoração correta

2 Reis 17:27: “Em vista disso, o rei da Assíria ordenou: ‘Façam com que um dos sacerdotes que vocês levaram de lá para o exílio volte a fim de morar lá e lhes ensinar como adorar o Deus do país.’”

Esses eram os sacerdotes do bezerro de ouro. O resultado:

2 Reis 17:33: “Assim, eles temiam a Jeová, mas adoravam os seus próprios deuses, de acordo com a religião das nações de onde tinham sido trazidos.”

Esse desenvolvimento religioso resultou na religião samaritana, cujos membros, no primeiro século EC, encontravam-se na situação descrita por Jesus Cristo: “Vocês adoram o que não conhecem; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação se origina dos judeus.” – João 4:22.

Assim como os samaritanos, a cristandade (o cristianismo nominal) diluiu a Palavra de Deus, diminuiu a concentração de sua mensagem, mediante a adição de tradições antibíblicas e doutrinas religiosas falsas, tais como as da Trindade, imortalidade da alma, inferno de fogo etc. Isso resultou num falso cristianismo, que tem levado milhões de pessoas a não conhecer o verdadeiro Deus, Jeová, e a sua Palavra, a Bíblia Sagrada.

Cuidado com os argumentos enganosos!

Rabsaqué, um oficial do Rei assírio Senaqueribe, falando no idioma hebraico a todo o povo de Israel, usou argumentos falaciosos, sofismáticos, putativos.

Acusou falsamente o Rei Ezequias de ter feito aliança com o Egito

2 Reis 18:21: “Veja, você confia na ajuda daquela cana rachada, o Egito, que penetra e fura a palma da mão de quem se apoia nela. Assim é Faraó, rei do Egito, para todos os que confiam nele.

Deu a entender que Jeová estava descontente com Ezequias

2 Reis 18:22: “E caso vocês me digam: ‘Nós confiamos em Jeová, nosso Deus’, não são os altos sagrados e os altares dele que Ezequias removeu, dizendo a Judá e a Jerusalém: ‘É diante deste altar em Jerusalém que vocês devem curvar-se’?”’

O que foi removido foram os altares pagãos.

Induziu a confiança no poder militar

2 Reis 18:23: “Agora, faça uma aposta com o meu senhor, o rei da Assíria: eu lhe darei 2.000 cavalos se você conseguir encontrar cavaleiros suficientes para eles.

No entanto, a salvação dos judeus ali não dependia de força militar, pois a Bíblia diz: “O cavalo é preparado para o dia da batalha, mas a salvação pertence a Jeová.” – Provérbios 21:31.

Afirmou ter o apoio do próprio Jeová

2 Reis 18:25: “Agora, será que foi sem a autorização de Jeová que vim contra este lugar para destruí-lo? O próprio Jeová me disse: ‘Vá e destrua essa terra.’”

“Rabsaqué afirmou que as bênçãos de Jeová estavam com os assírios, não com os judeus. Se não fosse assim, argumentou, os assírios jamais poderiam ter penetrado tão fundo no território de Judá.” (ip1, p. 387, § 10)

Criou falsas expectativas de como seria a vida sob o domínio assírio

2 Reis 18:31, 32: “Não escutem a Ezequias, pois assim diz o rei da Assíria: ‘Façam paz comigo e rendam-se, e cada um poderá comer da sua própria videira e da sua própria figueira, e beber água da sua própria cisterna, até que eu venha e os leve a uma terra igual à sua, uma terra de cereais e de vinho novo, uma terra de pão e de vinhedos, uma terra de oliveiras e de mel. Então vocês continuarão vivos, não morrerão. Não escutem a Ezequias, pois ele está enganando vocês, dizendo: “Jeová nos livrará.”’

Hoje, os agentes de Satanás usam táticas similares:

  • Afirmar que um irmão que toma a dianteira na obra se desviou, e que não seria nada demais se você também abandonasse suas convicções.
  • Afirmar que a organização de Jeová muda suas doutrinas constantemente, mas sem levar em conta que isso é necessário para se alcançar o conhecimento progressivo da Palavra de Deus. (Veja os artigos A ciência bíblica – como devemos encará-la? e Uma “nova luz” apaga uma “luz anterior”?
  • Afirmar que há religiões que também não possuem doutrinas falsas como a da Trindade, da imortalidade da alma, do inferno de fogo etc., mas sem levar em contar que somente a organização de Jeová reuniu todas as doutrinas fundamentais que não negam o resgate provido por meio de Jesus Cristo. (Veja o artigo A Cristandade e a Doutrina da Redenção.)


Assim, continuemos a confiar em Jeová e na sua santa organização, que ele está utilizando para conduzir o Seu povo ao vindouro novo mundo!

Explicação de siglas:

ip1: livro “Profecia de Isaías — Uma Luz para Toda a Humanidade I”, publicado pelas Testemunhas de Jeová.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site oapologistadaverdade.org






Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *