Image Map











domingo, 4 de dezembro de 2016

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (parte 36)



Fonte da ilustração:
https://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/g20020608/cristaos-devem-pregar-a-outros/

Prepara novamente os discípulos para sua morte
(Unificação de Mat. 17:22, 23; Mar. 9:30-32; Luc. 9:43-45)
Então, enquanto todos se maravilhavam com todas as coisas que fazia, partiram dali e passaram através da Galileia, mas ele não quis que se soubesse disso. Pois, quando estavam ajuntados na Galileia, [Jesus] estava ensinando os seus discípulos e dizia-lhes: “Alojai estas palavras nos vossos ouvidos, porque o Filho do homem está destinado a ser entregue nas mãos dos homens, e o matarão; mas, embora seja morto, no terceiro dia ele será levantado.” Consequentemente, ficaram muito contristados. Mas continuaram sem entendimento desta declaração. De fato, foi-lhes oculto para que não o percebessem, e tinham medo de interrogá-lo sobre esta declaração.

Fonte da ilustração:
http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1102014665
Pedro é interrogado sobre o imposto do Templo
(Mat. 17:24-27)
24 Chegando eles a Cafarnaum, dirigiram-se a Pedro os homens que cobravam as duas dracmas[1] [de imposto] e disseram: “Não paga o vosso instrutor as duas dracmas [de imposto]?” 25 Ele disse: “Sim.” No entanto, quando entrou na casa, Jesus adiantou-se-lhe por dizer: “O que achas, Simão? De quem recebem os reis da terra os direitos ou o imposto por cabeça? Dos seus filhos ou dos estranhos?” 26 Quando ele disse: “Dos estranhos”, Jesus disse-lhe: “Realmente, então, os filhos estão isentos de impostos. 27 Mas, para que não os façamos tropeçar[2], vai ao mar, lança o anzol e toma o primeiro peixe[3] apanhado, e, quando lhe abrires a boca, acharás uma moeda de estáter[4]. Leva-a e dá-lha por mim e por ti.”


Fonte da ilustração:
Livro "O Maior Homem Que Já Viveu", história 62.
Jesus coloca uma criança no meio dos discípulos
(Unificação de Mat. 18:1-5; Mar. 9:33-37; Luc. 9:46-48)
E entraram em Cafarnaum. Chegaram então a raciocinar quem dentre eles seria o maior deles. Então, naquela hora, quando ele estava dentro da casa,[5] aproximaram-se de Jesus os discípulos e disseram: “Quem é realmente o maior no reino dos céus?” [Jesus] fez-lhes a pergunta: “Sobre que estáveis disputando na estrada?” Eles ficaram calados, pois, na estrada tinham disputado entre si quem era maior. Jesus, sabendo os raciocínios dos seus corações, assentou-se assim, chamou os doze e disse-lhes: “Se alguém quer ser o primeiro, tem de ser o último de todos e ministro de todos.”
E chamando a si uma criancinha, colocou-a no meio deles, e, pondo os seus braços em volta dela, colocou-a ao seu lado e disse-lhes: “Deveras, eu vos digo: A menos que deis meia-volta e vos torneis como criancinhas, de modo algum entrareis no reino dos céus. Por isso, todo aquele que se humilhar, semelhante a esta criancinha, é o que é o maior no reino dos céus; e todo aquele que receber uma de tais criancinhas à base do meu nome, também a mim me recebe; e todo aquele que me receber, recebe não só a mim, mas também aquele que me enviou. Pois, quem se comportar como menor entre todos vós é o que é grande.”

Explicação das siglas usadas:

g: revista Despertai! Os números em sequência indicam, respectivamente, o ano, o dia e o mês da publicação.
gt: Livro O Maior Homem Que Já Viveu.
it: obra Estudo Perspicaz das EscriturasO número em sequência indica o volume.
w: revista A Sentinela. Os números em sequência indicam, respectivamente, o ano, o dia e o mês da publicação.

Notas:
[1] Moeda grega de prata, de cerca de 3,4 gramas, avaliada hoje em US$0,65. A dracma ática estampava a cabeça da deusa Atena num lado e uma coruja no outro. Os judeus pagavam ao templo um imposto anual de duas dracmas (uma didracma), o salário de dois dias de trabalho.. – It-1, p. 743; w08 1/02, p. 15.
[2]  Se a preocupação de Jesus com o seu próximo ia ao ponto de pagar um imposto que não precisava pagar, então, as pessoas que desejam imitar a Cristo certamente pagarão de bom grado os impostos exigidos por lei. – g79 22/8, p. 28.
[3] [3]Provavelmente, o biny, também conhecido como barbo. Suas três espécies apresentam barbilhões nos cantos da boca, de onde se originou o nome semítico biny, que significa “cabelo”. Ele se alimenta de moluscos, caracóis e peixes pequenos. O barbo de cabeça longa pode atingir 75 centímetros e pesar cerca de 7 quilos. – g02 22/2, p. 19.
[4] Moeda de prata valendo quatro dracmas. Equivalia naquele tempo ao salário de quatro dias de trabalho, ou ao imposto do templo para duas pessoas. O tetradracma era muito mais comum e mais acessível do que a didracma. Assim, o Novo Dicionário da Bíblia comenta: “Parece que os judeus frequentemente se juntavam aos pares para pagar o tributo do Templo.” Além disso, quem quisesse pagar o imposto para apenas uma pessoa tinha de pagar ágio, uma comissão pela troca de dinheiro. Essa taxa podia ser de até 8%. No entanto, quem pagava para duas pessoas ao mesmo tempo, ficava isento dessa taxa. Portanto, até mesmo nesse pequeno detalhe, o relato registrado por Mateus está em harmonia com o que se sabe a respeito de práticas comuns nos dias de Jesus. – It-2, p. 45; w08 1/02/08, p. 15.
[5] Talvez na casa de Pedro. – gt cap. 62.

O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

2 comentários:

  1. Prezado irmão, como podemos explicar o Salmo 90:10 na TNM antiga quando se traduz que após nossamorte saimos "voando"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Alexandre:

      Essa expressão é semelhante à expressão em português "o tempo voa", indicando que ele passa rapidamente, fazendo com que os momentos experimentados deixem de existir. Mas, em função de sua pergunta, e do mau uso dessa expressão feito por religiosos para tentar provar a imortalidade da alma, estou produzindo um artigo a respeito, que deve sair em breve.

      Porém, para ajudá-lo no presente momento, fique com este argumento:

      lemos em Tiago 4:14: “Porque vocês são uma neblina que aparece por um instante e depois desaparece.”

      Caso a expressão “saímos voando” no Salmo 90:10 devesse ser entendida literalmente, como a saída da "alma" do corpo, tal conclusão colidiria com a comparação feita por Tiago, a qual, por coerência, também deveria ser entendida literalmente. Mas uma neblina, quando desaparece, deixa de existir. Não vai a lugar algum.


      Abraços e fique com Jeová.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *