Image Map











sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Jesus morreu pelo modo romano ou no modo judeu?

Fonte da ilustração:
https://www.jw.org/en/publications/books/bible-teach/the-ransom-jesus-sacrifice/


Certo leitor comentou:

‘Se Jesus fosse morto a maneira judaica, ele seria apedrejado, pois era assim que eles condenavam as pessoas. Mas Jesus foi morto a maneira romana por crucificação.’


Resposta do apologista:

A mesma Escritura (a Bíblia) que registra em pormenores a vida e morte de Jesus também mostra que ele morreu de modo a cumprir a Lei mosaica, que exigia que um criminoso amaldiçoado fosse pendurado num madeiro. 

Gálatas 3:10-13: “Todos os que confiam em obras exigidas por lei estão sob maldição, pois está escrito: ‘Maldito é todo aquele que não continua em todas as coisas escritas no rolo da Lei, deixando de fazê-las.’ Além disso, é evidente que por lei ninguém é declarado justo diante de Deus, pois ‘o justo viverá em razão da fé’. Ora, a Lei não se baseia em fé. Em vez disso, ‘quem fizer estas coisas viverá por meio delas’. Cristo nos comprou,livrando-nos da maldição da Lei por se tornar maldição em nosso lugar, pois está escrito: ‘Maldito é todo aquele pendurado num madeiro.’”

Deuteronômio 21:22, 23: “Se um homem cometer um pecado que mereça a sentença de morte e for morto, e você o pendurar num madeiro, seu cadáver não deve ficar a noite toda no madeiro. Você deve se certificar de enterrá-lo naquele dia, pois quem é pendurado num madeiro é amaldiçoado por Deus. Você não deve tornar impura a terra que Jeová, seu Deus, lhe dá como herança.

Além disso, os romanos usavam a crux simplex (um pau de uma única viga).


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.com.br




sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Usando Mateus 16 para explicar 1 João 5:20

Fonte da ilustração: 
https://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/jesus/ministerio-na-galileia/pedro-recebe-chaves-do-reino/

Contribuído.

Entendo que esse versículo possui alguns elementos semelhantes ao texto de Mateus 16:15-18, onde lemos na versão Almeida Corrigida e Revisada Fiel (ACRF):

“Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.”

A Igreja católica especificamente entende que nesse versículo a “pedra” é Pedro; porém, uma análise nos traz à luz que a identidade da “pedra” na verdade está na resposta dada por Pedro de que Jesus era o Cristo. Ficando assim:

Pergunta de Cristo: ‘Quem eu sou?’
Resposta de Pedro: ‘O Cristo.’

Afirmação de Jesus: “Sobre esta pedra (“pedra”= resposta de Pedro de que Jesus era o Cristo) edificarei a minha igreja.”

Esse entendimento é comprovado pelas palavras do próprio apóstolo Pedro, em Atos 4:11:

Esse Jesus, pedra que foi desprezada por vós, edificadores, tornou-se a pedra angular.- Bíblia Ave Maria.

Agora, vejamos 1 João 5:20:

“E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para que conheçamos ao Verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.” – ACRF.

Em 1 João 5:20, alguns elementos são similares, pois muitos, ao lerem sem a detida atenção, de fato podem concluir que o “verdadeiro Deus e a vida eterna” seja Cristo, assim como uma leitura corrida de Mateus 16 pode levar muitos a concluírem que Pedro seja a “pedra” à qual Jesus se referiu. Portanto, de maneira simples, 1 João 5:20 pode ser entendido plenamente conforme esboçado abaixo:

Esse versículo possui 3 elementos:

(1) Cristo.
(2) O entendimento que Cristo nos dá do “Verdadeiro”.
(3) O “Verdadeiro”.

Cada um tem uma função específica nesse texto, que podemos entender assim:

Cristo: O Filho de Deus, que nos deu entendimento para conhecer o Verdadeiro.

“No que é verdadeiro estamos, isto, é em seu Filho Jesus Cristo” = o entendimento dado por Cristo sobre o Verdadeiro.

“Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” = o Verdadeiro é Aquele sobre quem Cristo nos deu entendimento: seu Pai, Jeová.

Lemos em 1 João 5:10-13 (ACRF):

Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem a Deus não crê mentiroso o fez, porquanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu. E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida. Estas coisas vos escrevi a vós, os que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna, e para que creiais no nome do Filho de Deus.

Observe o leitor que a passagem acima faz distinção, não entre Deus, o Pai e o Filho, mas sim entre “Deus” e seu Filho. Ou seja, apenas o Pai é chamado de Deus. Jesus Cristo é referido como sendo seu Filho, e não Deus-Filho. E esse padrão é seguido por todo o “Novo Testamento”.

Por conseguinte, assim como, em Mateus 16, a “pedra” não é Pedro, e sim o Cristo, de modo similar, em 1 João 5:20, o “verdadeiro Deus” não é Cristo, e sim o Pai, Jeová Deus.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.com.br







sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Miguel, o arcanjo – combatendo ideias erradas sobre a sua identidade

Fonte da ilustração: http://wol.jw.org/es/wol/d/r4/lp-s/2013888


Artigo contribuído.

Infelizmente, muitas pessoas, em seu anseio de defender doutrinas não bíblicas, procuram fazer com que a Bíblia diga o que eles querem. Nesse sentido, eles utilizam textos fora do contexto e fazem uma aplicação errada. Nesse respeito, seguem o mau exemplo de Satanás, que distorceu uma passagem bíblica:

Salmos 91: 11, 12: “Pois ele dará aos Seus anjos uma ordem referente a você, para protegê-lo em todos os seus caminhos. Eles o carregarão nas mãos, para que não bata com o pé numa pedra.”

Mateus 4:5, 6: “O Diabo o levou então à cidade santa, colocou-o sobre o parapeito do templo e lhe disse: “Se você é filho de Deus, jogue-se para baixo, pois está escrito: ‘Ele dará aos seus anjos uma ordem referente a você’ e ‘Eles o carregarão nas mãos, para que não bata com o pé numa pedra’.”

Jesus refutou essa aplicação errada do Salmo 91 por contra-argumentar:

Também está escrito: ‘Não ponha Jeová, seu Deus, à prova.’” – Mateus 4:7.

Em outros casos, acontece justamente o que diz 2 Pedro 3:16: “No entanto, algumas coisas nelas são difíceis de entender, e essas coisas os ignorantes e instáveis estão distorcendo, assim como fazem também com o restante das Escrituras, para a sua própria destruição.”

Às vezes, recorrem a flagrantes mentiras contra o povo de Deus, conforme diz Mateus 5: 11: “Felizes são vocês quando as pessoas ... mentindo, dizem todo tipo de coisas más contra vocês, por minha causa.”

Analisemos alguns “argumentos” que visam demonstrar que Jesus não é Miguel, o arcanjo. Percebam que todos eles encaixam-se numa das situações mencionadas no primeiro parágrafo, e depois vejam o que a Bíblia realmente diz.

1° argumento deles: ‘As origens da ideia de que Jesus é um anjo se encontra na filosofia grega que influenciou a igreja primitiva nos primeiros séculos. Trata-se da influência do gnosticismo, que descreve Jesus, não era um ser humano, mas um ser espiritual (um anjo), tentando negar as qualidades humanas de Jesus (sua humanidade).

Defesa: Será que o povo de Jeová crê que Jesus era um anjo na Terra? 

Veja o que diz a obra Estudo Perspicaz das Escrituras (volume 2, pp. 537-538, publicada pelas Testemunhas de Jeová):

Seu Nascimento na Terra. Antes do nascimento de Jesus na terra, anjos tinham aparecido neste planeta em forma humana, pelo que parece materializando corpos apropriados para a ocasião, daí desmaterializando-os depois de terem concluído tais tarefas. (Gên 19:1-3; Jz 6:20-22; 13:15-20) Continuaram assim a ser criaturas espirituais, apenas utilizando temporariamente um corpo físico. Isto, porém, não se deu com a vinda do Filho de Deus à terra para se tornar o homem Jesus. João 1:14 diz que “a Palavra se tornou carne e residiu entre nós”. Por este motivo, ele podia chamar-se de “o Filho do homem”. (Jo 1:51; 3:14, 15).

Em adição, a revista A Sentinela de 1° de abril de 2012, página 5, diz:

“Filho do homem”. (Mateus 8:20) Muitas vezes, Jesus se referiu a si mesmo como “o Filho do homem”, expressão que aparece umas 80 vezes nos Evangelhos. Ela indica que Jesus era completamente humano, não uma encarnação de Deus. Como é que o Filho unigênito de Deus veio a nascer como humano? Por meio do espírito santo, Jeová transferiu a vida de seu Filho para o ventre de Maria, uma virgem judia, causando assim a concepção. Por isso, Jesus nasceu perfeito, sem pecado. — Mateus 1:18; Lucas 1:35; João 8:46. (Grifo acrescentado.)

De modo que, dizer que o povo de Jeová acredita que Jesus era um anjo enquanto esteve na terra, é uma crassa mentira.

2° argumento deles: ‘Os que afirmam que Jesus é o arcanjo Miguel desconsideram o primeiro capítulo de Hebreus, o qual foi escrito principalmente para refutar a teoria gnóstica de que Jesus era um anjo. O propósito desse capítulo é fazer distinção entre Jesus e os anjos.’

Defesa: Será que Hebreus refuta que Miguel, o arcanjo, é Jesus em sua existência pré-humana? O que nos mostra o contexto?

O contexto de Hebreus, capítulo 1, mostra-nos a enaltecida posição de Cristo pós-ressurreição e não a sua existência pré-humana qual Arcanjo Miguel. Vejamos esse detalhe no texto, em Hebreus 1: 1-6, 13:

“Há muito tempo, Deus falou aos nossos antepassados por meio dos profetas, em muitas ocasiões e de muitos modos. Agora, no fim destes dias, ele nos falou por meio de um Filho, a quem designou herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez os sistemas de coisas. Ele é o reflexo da glória de Deus e a representação exata do seu ser, e sustenta todas as coisas pela sua poderosa palavra. E, depois de ter feito uma purificação dos nossos pecados, sentou-se à direita da Majestade nas alturas. Assim, ele se tornou superior aos anjos, visto que herdou um nome mais excelente do que o deles. Por exemplo, a qual dos anjos Deus disse alguma vez: ‘Você é meu filho; hoje eu me tornei seu pai’? E novamente: ‘Eu me tornarei seu pai e ele se tornará meu filho’? Mas, ao trazer novamente o seu Primogênito à terra habitada, ele diz: ‘Que todos os anjos de Deus lhe prestem homenagem.’”

As Escrituras nos mostram que a atual posição de Jesus não é a mesma antes de ele ter vindo à Terra. Vejamos:

João 17: 5 : “E agora, Pai, glorifica-me ao teu lado com a glória que eu tive junto de ti antes de o mundo existir.”

Jesus, nesta oração, pede ao Pai que seja restaurada a anterior glória celestial dele, quando ele retornasse aos céus por meio da ressurreição. Jesus revelou ser humilde; ele pediu apenas a glória que já tinha, em sua existência pré-humana como Miguel, o arcanjo.

Entretanto, Jeová fez muito mais pelo seu Filho. Jeová não restaurou a anterior glória de Jesus. Vejamos o que Jeová fez.

Filipenses 2:9: “Por essa razão, Deus o enalteceu a uma posição superior e lhe deu bondosamente o nome que está acima de todo outro nome.”

O ressuscitado Jesus não possui o mesmo status de antes de vir à Terra. A Bíblia nos mostra que ele está numa posição superior. É dentro desse contexto que o apóstolo Paulo nos apresenta o glorificado Jesus. Hebreus, capítulo 1, não contraria a ideia de Jesus ser Miguel; ao contrário, reforça ainda mais este ponto: dentre todos os filhos de Jeová, o Seu Primogênito está acima dos demais, em virtude da sua atual posição enaltecida nos céus.

Para meditar: Se Jesus é Deus, conforme defendem os trinitaristas, Hebreus capítulo 1 traz expressões desnecessárias, por exemplo:

“Assim, ele se tornou superior aos anjos, visto que herdou um nome mais excelente do que o deles.” – Versículo 4.

Informação desnecessária, caso Jesus fosse Deus; isso seria o óbvio. Essa expressão só faz sentido caso Jesus não seja o próprio Deus.

Além disso, o capítulo 1 de Hebreus traria um grande absurdo se afirmarmos que Jesus é o próprio Deus Todo-Poderoso:

“O senhor amou a justiça e odiou o que é contra a lei. É por isso que Deus, o seu Deus, o ungiu com óleo de alegria mais do que aos seus companheiros.” – Versículo 9.

Quem afirmar ou usar o texto de Hebreus para provar que Jesus é o Deus Todo-Poderoso tem que admitir que o Todo-Poderoso teria um Deus maior que ele próprio e que esse Deus o ungiu! 

3° argumento deles: ‘Em Judas versículo 9 afirma-se que Miguel “não ousou pronunciar juízo de maldição” contra o Diabo quando este disputava com ele o corpo de Moisés. (Almeida Corrigida e Revisada Fiel) Afirmar que Miguel é o Filho de Deus rebaixar o Senhor Jesus. Pois, quando estava na Terra, Jesus ele ordenou ao Diabo: “Vai-te, Satanás.” (Mateus 4:10) Visto que Miguel “não ousou” expressar qualquer condenação contra o Diabo, isso prova que ele tem menos autoridade muito que o Filho de Deus.’

Defesa: será que este raciocínio é coerente? Um primeiro ponto a ser observado é a maneira  em que Miguel não faria o juízo ou julgamento:

Judas 9: “Mas, quando Miguel, o arcanjo, teve um desacordo com o Diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a proferir um julgamento contra ele COM INSULTOS, mas disse: ‘Jeová o censure.’”

Portanto, esse comportamento de Miguel é tal qual o comportamento de Jesus:

2 Pedro 2: 21-23: “De fato, para isso vocês foram chamados, porque o próprio Cristo sofreu por vocês, deixando um modelo para seguirem fielmente os seus passos. Ele não cometeu pecado, nem se achou falsidade na sua boca. Quando estava sendo insultado, não respondia com insultos. Quando estava sofrendo, não ameaçava, mas confiava-se Àquele que julga com justiça.”

Observação: No versículo 9 de Judas muitas Bíblias trazem o título SENHOR, em vez de o nome Jeová. Isso faz que alguns pensem que Miguel está apelando ao Senhor Jesus para ajudá-lo. Entretanto, nesse texto deve constar o nome divino, tendo em vista um relato semelhante nas Escrituras Hebraicas (“Velho Testamento”):

Zacarias 3:1, 2: “E ele me mostrou o sumo sacerdote Josué de pé diante do anjo de Jeová, e Satanás estava de pé à direita dele para se opor a ele. O anjo de Jeová disse então a Satanás: ‘Que Jeová o censure, ó Satanás, sim, que Jeová, que escolheu Jerusalém, o censure! Não é este homem um pedaço de madeira tirado do fogo?’”

Um segundo ponto é sobre o julgamento de Satanás – quando e como ocorrerá?

Judas, ao dar conselhos na sua carta, cita vários exemplos do passado: destruição de alguns após o êxodo do Egito, os anjos desobedientes nos dias de Noé, as cidades de Sodoma e Gomorra, Caim, Balaão, Corá, bem como nos traz à atenção a disputa entre Miguel e Satanás acerca do corpo de Moisés. (Deuteronômio 34:6) A Bíblia nos diz que Jeová enviou seu anjo, sendo este Miguel, para guiar os israelitas pelo deserto. Embora não possamos ser dogmáticos ou precisos quanto ao tempo, essa disputa provavelmente ocorreu durante a jornada pelo deserto e confirma que o anjo que guiava o povo de Deus era Miguel; ou, como diz Daniel 12: 1, “[...] Miguel, o grande príncipe que está de pé a favor do povo a que você pertence.”

Mas quando seria ou será o julgamento de Satanás?

Mateus 8: 29: “E começaram a gritar: ‘O que você quer conosco, Filho de Deus? Veio aqui nos atormentar antes do tempo determinado?’”

Apocalipse 20: 1-3,10 : “Vi um anjo descer do céu com a chave do abismo e uma grande corrente na mão. Ele pegou o dragão, a serpente original, que é o Diabo e Satanás, e o prendeu por mil anos. E o lançou no abismo, fechou o abismo e o selou sobre ele, para que não enganasse mais as nações até que os mil anos tivessem terminado. Depois disso ele terá de ser solto por um pouco. E o Diabo, que as enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre.”

Percebemos, assim, que o tempo para o julgamento de execução contra Satanás será no futuro. Quem fará essa execução será o anjo do abismo e a Bíblia mostra que Jesus será o executor de Satanás. – Gênesis 3:15.

E para concluir: quem alega que a “voz de arcanjo” não é a voz de Jesus, deveria repensar, pois a Bíblia é bem clara ao dizer o seguinte:

João 5:28,29 : “Não fiquem admirados com isso, pois vem a hora em que todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a voz dele [de Jesus] e sairão: os que fizeram coisas boas, para uma ressurreição de vida; e os que praticaram coisas ruins, para uma ressurreição de julgamento.

Veja também os artigos:


 
A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.com.br




sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

O que significa o termo "primogênito" em Colossenses 1:15?


Fonte da ilustração:
https://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/wp20121201/por-que-deus-enviou-jesus/


Contribuído por: A Serviço do Reino.


Colossenses 1:15 diz assim sobre Jesus: "O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação." – Almeida Corrigida, Revisada e Fiel.

A palavra ”primogênito”, em uma de suas definições pelo The Expositor's Greek Testament, é definida da seguinte forma¹:

 "Πρωτότοκος ("Prototokos") em seu sentido primário expressa prioridade temporal, e, em seguida, por conta dos privilégios do primogênito, ela ganha uma maior sensação de domínio. Muitos comentaristas acham que ambas as ideias estão presentes aqui."

A Concordância de Strong define assim essa palavra ²:

prototokos: primogênito
Palavra Original: πρωτότοκος, ον
Parte do discurso: Adjective
Transliteração: prototokos
Ortografia fonética: (pro-tot ok'-os)
Definição sucinta: primogênito
Definição: primogênito, o mais velho.

AJUDA Estudos palavra
4416 prototokos (a partir de 4413 / protos "a primeira, pré-eminente" e 5088 / tíktō, "levar adiante") - corretamente, primeiro no tempo (Mt 1:25; Lc 2, 7);daí, preeminente (Col 1:15; Ap 1, 5).

Sendo assim, a palavra “primogênito” (protótokos) tem tanto o sentido de  "primeiro nascido" ou "primeiro filho" como também “mais importante/preeminente”. 

Exemplos do primeiro sentido (“primeiro nascido”) são encontrados no Velho e no Novo Testamento em quase que em sua totalidade. Apenas pra citar um exemplo: 2 Crônicas 21:3 confirma isso, quando declara: “Seu pai [Jeosafá] lhes deu dádivas de prata, e de ouro, e de coisas seletas, junto com cidades fortificadas em Judá; mas o reino ele deu a Jeorão, pois era o primogênito.”

Agora vejamos exemplos do segundo sentido. Um belo exemplo citado pelos trinitários é o de Jacó, que se tornou mais preeminente que Esaú. Jacó se tornou "primogênito" ou mais preeminente que seu irmão. – Gênesis 25:29-34; Hebreus 12:16.

Outro exemplo citado por eles é o de Davi, que, apesar de ser o filho mais novo, era o "primogênito" ou o mais preeminente que os demais. (Salmo 89:20, 27) De qualquer forma, Davi foi o primeiro rei da linhagem messiânica.  

Com essas informações, voltemos a Colossenses 1:15. Em que sentido a palavra “primogênito” se aplica a Jesus? Primeiro filho ou preeminência? A resposta clara é: nos dois sentidos. Como assim?

Antes temos que deixar claro que para os trinitários o termo "primogênito" neste verso não quer dizer que Jesus é o primeiro filho criado de Jeová, mas sim que Jesus é preeminente sobre toda a criação porque é o Criador dela. Mas como afirmado acima, ela se aplica nos dois sentidos pra Jesus. A questão principal a ser discutida não é se Jesus é preeminente ou não. É óbvio que Jesus é preeminente, disso não há dúvidas.

Mas a questão é: Por que Jesus é preeminente? Vamos deixar a Bíblia responder.

A Bíblia é clara ao dizer que Jesus é preeminente porque é o primogênito da criação, ou o primeiro filho de Jeová. Hebreus 1:6 é claro ao dizer que Deus introduziu no mundo "o SEU primogênito". Portanto, Jesus é o primeiro filho criado de Jeová. Com isso concordam as palavras de Apocalipse 3:14 que diz que Jesus é “o princípio da criação de Deus".

Jesus é preeminente porque ele é o primeiro filho, e como primeiro filho, é mais preeminente do que os demais filhos, sendo o herdeiro de tudo e aquele que tem direito ao Reino. Sim, primogênitos são preeminentes, e sua preeminência vem do fato de serem os filhos mais velhos.

Só o fato de ser o primeiro filho de Jeová, o primogênito de toda a criação de Jeová, já garante pra Jesus status por direito de primogenitura de ele ser preeminente sobre todas as outras criaturas. Jesus por ser o primogênito, ou primeiro filho, tem mais direito e mais primazia do que qualquer outro. Assim sendo, Colossenses 1:15-17 mostra que a criação do universo foi um presente do Pai para o Filho, que é o herdeiro.

Segundo a lógica trinitária, que diz que Jesus é preeminente no segundo sentido apenas, teremos que admitir que alguém que não é Jesus foi a primeira criação de Jeová, sendo seu primeiro filho primogênito, mas Jesus foi feito "primogênito" no lugar deste outro, se tornando assim mais preeminente que este outro.

Assim, pensemos nas implicações de se negar que Jesus é a primeira criação de Deus! Não tem como fugir:  só existem dois sentidos para a palavra “primogênito” na Bíblia: ou é o primeiro filho nascido, ou então é outro filho, que não é o primeiro, mas que assume os direitos do primeiro.

Então, os trinitários têm duas escolhas: ou acreditam que Jesus é o primeiro filho criado de Jeová e, por isso, tem primazia e é preeminente, ou acreditam que Jeová criou outro antes de Jesus, mas Jeová escolheu Jesus e fê-lo ser mais preeminente que este outro. Em que vão acreditar, trinitários? Na Bíblia ou na tradição?


Referências:
 1) The Expositor's Greek Testament. Disponível em: <http://www.studylight.org/commentaries/egt/view.cgi?bk=50&ch=1>.
 OBS: O autor cita também em seus comentários que a palavra pode ter o significado apenas de "domínio" ou "soberania", ou seja, Cristo teria primazia ou seria preeminente porque é o governante sobre toda a criação e não que ele seria a primeira criatura. Essa parece ser a conclusão do autor e em apoio cita outros comentaristas bíblicos que dão suporte a essa conclusão.  Mesmo assim, o autor não é dogmático sobre o assunto e deixa a discussão em aberto ao dizer: "Se a palavra retém algo de seu significado original [prioridade temporal ou primeiro filho] aqui é duvidoso." 
2) Concordância de Strong. Disponível em: <http://biblehub.com/greek/4416.htm>.

Observação: Além da primeira definição de “primogênito” como sendo o mais velho, o link mostra que a palavra pode ter o significado de apenas "preeminência" (Greek Lexicon de Thayer), não necessariamente se referindo ao filho mais velho.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

As Testemunhas de Jeová e Jesus Cristo - Desmistificando a Lenda.






O vídeo acima é rico em referências bíblicas corretamente contextualizadas e em argumentos coerentes com a verdade bíblica.

O autor e comunicador do vídeo, Pedro Calvache, de forma brilhante, fundamentado por inúmeras traduções da Bíblia e publicações eruditas, reconhecidas pelas religiões da cristandade, desenvolve primeiramente a temática de desmistificar o errôneo conceito popular de que as Testemunhas de Jeová não aceitam Jesus Cristo, mostrando que elas não apenas creem em Jesus como também aceitam o que a Bíblia realmente ensina sobre Jesus.

Após isso, desenvolve o tema do amor que identifica os verdadeiros cristãos, que os impede de participar das guerras das nações, e fundamenta por obras históricas como as Testemunhas de Jeová vivem à altura desse amor.

A atividade do irmão Calvache, grande apologista das verdades bíblicas, em seus vídeos de excelente educação bíblica, presta considerável serviço a todos os que amam a Bíblia e amam nosso Senhor Jesus Cristo.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *