Image Map











quinta-feira, 14 de setembro de 2017

O Logos – quem é ele? (Parte 7)

Contribuído por A Verdade É Lógica.

O artigo anterior mostrou o erro de os trinitários atribuírem eternidade passada ao Logos.  Este artigo continuará a consideração sobre a identidade do Logos à luz do subtema abaixo.

A NECESSIDADE DE HAVER UM FILHO ESPECIAL

Filo entendia algo que as Testemunhas de Jeová usam como argumento contra a crença trinitária: Alguém tem que ser o filho mais velho de Deus – o primogênito. Mas quem é a primeira criação no entendimento de Filo? O Logos. Em referência a este, Filo postulou:

[...] ‘E Deus plantou um paraíso no Éden, ao leste,” {17} {Gênesis 2:8.} não de plantas terrestres, mas celestiais, as quais o plantador [fez] brotar a partir de uma luz incorpórea que existe em volta dele. De um modo como que para ser inextinguível. (62) Eu também já ouvi um dos companheiros de Moisés proferir tal declaração do seguinte modo: ‘Eis um homem cujo nome é o Leste’ {18} {Zacarias 6:12.} Uma nomenclatura propriamente nova, se considerá-la como que dita a respeito de um homem que é composto de corpo e alma; mas se você considerá-la como aplicada ao ser incorpóreo [i.e. o Logos] que em nada difere da imagem divina [veja Hebreus 1:3], você concordará, então, que o nome do leste foi dado a ele com grande inspiração. (63) Pois o Pai do universo causou que ele brotasse como filho mais velho, a quem, em outra passagem, chama-o de primogênito; e ele, que de tal forma nasceu, imitando os caminhos de seu Pai, formou tais [coisas] e tais espécies, recorrendo aos padrões do arquétipo.” (FILO,  subtítulo On the Confusion of Tongues, XIV - 31-63)



Se você é unitarista, você certamente lembrou de Colossenses 1:15,16:

“Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; pois por meio dele foram criadas todas as outras coisas.”

Eu devo admitir que as semelhanças entre os conceitos de Filo sobre o Logos como filho, arcanjo e mediador, participante ativo nos propósitos do Pai, ontologicamente inferior a Deus e separado Dele, mexem com a minha curiosidade e minha inclinação conservadora quanto a se João tinha alguma informação filosófica a respeito do Logos de Filo. (Vou expor minha opinião no final do artigo.)  

“TODA A AUTORIDADE ME FOI DADA”

Já analisamos vários preceitos de Filo sobre o Logos ser ontologicamente separado de Deus e possuir uma origem. Mas, e quanto à subordinação? Vejamos um pouco sobre uma interpretação bastante peculiar de Filo a respeito de Adão e como Filo fez um paralelo entre o primogênito da humanidade e o primogênito celestial, o Logos. Para isso, tenha em mente o texto de Gênesis 9:6: “Pois Deus fez o homem à sua imagem.”

(62) Por que será que ele fala como que de outro deus, dizendo que ele fez o homem à imagem de Deus, e não que ele o fez à sua própria imagem? (Gênesis 9:6). De modo bastante apropriado e sem qualquer falsidade essa declaração profética [ocular] foi proferida por Deus, pois nenhuma coisa mortal poderia ter sido formada na semelhança do supremo Pai do universo, mas somente conforme os padrões de uma deidade secundária, que é a Palavra do supremo Ser; visto que convém que a alma racional do homem a carregue como o tipo de Palavra divina; visto que, em sua primeira Palavra, Deus é superior à natureza mais racional possível. Mas ele, que é superior à Palavra, mantém sua posição na melhor e mais singular preeminência, e como poderia a criatura possivelmente exibir a semelhança dele em si próprio? Não obstante, ele também desejou declarar este fato, que Deus age justamente e exige vingança corretamente, a fim defender o homem virtuoso e reto, porque tais carregam em si mesmos um conhecimento íntimo com sua Palavra, da qual a mente humana é a semelhança e forma [...].” (FILO, Questions and Answers on Genesis 2:62) [Os grifos são nossos.]



Na citação feita acima, Filo trata do Logos como “uma deidade secundária”, o Logos, o qual é inferior a Deus e foi o arquétipo da criação do homem, como se Deus tivesse criado Adão à semelhança do Logos – um deus secundário – não à semelhança do próprio Pai. É essencial ressaltar que estamos nos detendo profundamente na concepção de Filo sobre o Logos. Assim, não estamos analisando se toda a teologia do filósofo é correta. Para Filo, o Logos é um deus secundário, não o Deus Supremo. Conhecendo o Logos de Filo ou não, João também pensava algo similar. – Leia João 1:1; 18.

Vejamos alguns pontos sobre a autoridade que o Logos de Filo possui. Será que ele possui a autoridade máxima ou é dono de toda sua própria autoridade? Ou será que ele possui uma autoridade secundária, concedida por alguém superior ao próprio Logos? O Logos é igual ou inferior a Deus? O artigo seguinte analisará essas questões.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *