Image Map











terça-feira, 19 de setembro de 2017

Trindade – cegos guiando outros cegos



Um leitor me enviou a argumentação de um trinitarista sobre a palavra “unigênito” aplicada a Jesus Cristo em João 1:18:

Vou lhe explicar o porquê de JESUS ser chamado de unigênito. A palavra grega usada em João 1:18 é “µόνος”. Se você pesquisar em qualquer léxico grego vai ver que ela significa: Gerado, único, sozinho ou ainda SEPARADO. Agora, para entendermos a aplicação da palavra “µόνος” em João 1:18, temos que usar uma regra da Hermenêutica bíblica, a regra do texto paralelo.
‘Filipenses 2:7 que diz sobre Jesus: “Mas ESVAZIOU-SE a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se SEMELHANTE aos homens.” Note que o texto diz que Ele (Jesus) se esvaziou! Mas se esvaziou de quê? A resposta está em Colossenses 2:9, que diz que n'ELE habita TODA a plenitude da divindade. Harmonizando o texto de Colossenses 2:9 com Filipenses 2:7, entendemos que Cristo se esvaziou de sua DIVINDADE!
Analisando os textos supracitados,  fica fácil a compreensão do texto de João 1:18.
Veja na “Versão dos Setenta” (LXX) o texto de Deuteronômio 1:12, que reza assim:
ς δυνήσοµαι ς δυνήσοµαι µόνος φέρειν τν κόπον µν κα τν πόστασιν µν κα τς ντιλογίας µν; φέρειν τν κόπον µν κα τν πόστασιν µν κα τς ντιλογίας µν;
Note que a palavra “µόνος” aqui, a mesma usada em João 1:18, está sendo atribuída a Moisés como estando SOZINHO. Ou será que o texto estava querendo dizer que Moisés era o unigênito????? Claro que não!
Entendemos que “µόνος”, ou SEPARADO, é aplicada em João 1:18 no sentido d'Ele ter ficado SEPARADO de sua DIVINDADE; ter deixado sua vida celestial por uma vida terrena. Esse é o real significado de João 1:18.

Resposta:

A Trindade é uma teoria sofismática tão descabida que os trinitaristas vivem se contradizendo entre si e com a chamada doutrina oficial da Trindade. O comentário acima do referido trinitarista é prova inequívoca disso.

Antes de mostrar isso, vale trazer à tona que ele erra contra o texto grego quando afirma que “a palavra grega usada em João 1:18 é ‘µόνος’”. A palavra é monogenés. (Mónos é o primeiro dos dois elementos de composição que formam a palavra monogenés.) Portanto, toda a argumentação que ele faz em cima da palavra mónos fica sem efeito.

Segundo, ele mostra parcialidade em sua argumentação por se basear em traduções que vertem João 1:18 por “Filho unigênito”, sendo que os mais antigos manuscritos gregos usam a expressão “Deus unigênito”. Assim, a palavra “unigênito” não poderia indicar ausência de divindade, uma vez que o referido como “unigênito” é também descrito como sendo “Deus”, ou divino. E mesmo a expressão “Filho unigênito” é uma referência ao Lógos antes de sua vinda à Terra como humano. Lemos em João 3:16:

“Porque Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele exercer fé não seja destruído, mas tenha vida eterna.”

A passagem acima não afirma nem permite concluir que Deus deu alguém que haveria de se tornar seu Filho unigênito. Não; o Lógos (Jesus em sua existência pré-humana) já era Filho e unigênito em sua existência no céu.

O próprio texto de João 1:18, mesmo na versão utilizada pelo referido trinitarista, nos faz concluir que o “Filho unigênito” possui divindade, pois tal versão reza:

João 1:18:“Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer.”Almeida Revista e Corrigida.


             Note que João escreveu a respeito do “Filho unigênito” que este se encontra no seio do Pai. Ou seja, quando o apóstolo escreveu seu Evangelho, por volta do fim do primeiro século da Era Cristã, Jesus já havia retornado ao céu e foi descrito como sendo “unigênito”!

Mas, vejamos agora a contradição criada por esse trinitarista em relação ao próprio ensino da Trindade.

Os trinitários caem em seus próprios buracos

Jesus afirmou a respeito dos fariseus – seita judaica de seus dias: “Guias cegos é o que eles são. E, se um cego guiar outro cego, ambos cairão num buraco.” – Mateus 15:14.

Os trinitaristas fazem buracos teológicos levando outros trinitaristas a cair nesses mesmos buracos. O comentário do trinitarista no início deste artigo mostra isso. Ele afirmou que Jesus Cristo despojou-se de sua divindade ao vir à Terra.  Isso é biblicamente correto, sendo respaldado, inclusive, pelo texto que ele mesmo citou: Filipenses 2:7.

Contudo, por usar esse argumento bíblico, o mesmo trinitarista cava um buraco para os trinitaristas que aderem à visão oficial da Trindade, a qual prega que, na Terra, Jesus era tanto homem como Deus. E os trinitaristas cegados pela teoria do Deus-Homem caem diretamente nesse buraco!

Esse é apenas um dos muitos exemplos que mostram que os trinitaristas são totalmente desarmoniosos – e contraditórios – quanto à sua crença na Trindade. Tudo isso é produto de uma doutrina falsa, imposta pela força e de modo bem gradual na cristandade – a doutrina da Trindade.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *