Image Map











domingo, 27 de maio de 2018

TRADUÇÃO NO NOVO MUNDO DA BÍBLIA SAGRADA – ERUDITA E CONFIÁVEL (Parte 6)

Fonte da foto: jw.org


Contribuído.


A parte anterior considerou a questão dos textos e histórias acrescentados ao texto bíblico da versão Almeida Revista e Corrigida [ARC], bem como a questão da coerência na tradução. Este artigo continuará a analisar a questão da coerência.
Leia Mateus 11:12 na ARC“... se faz violência ao reino dos céus, e os violentos pela força se apoderam dele. Ou, como dizem outras versões, os violentos o tomam por assalto”.
A incoerência desta tradução na ARC deixa o leitor no mínimo confuso, podendo levá-lo a acreditar que o reino de Deus deve ser defendido por ações violentas, que os violentos se apoderam do reino de Deus pela violência, como que, tomando-o por assalto. Como fica então o ensino de sermos pacificadores (Mateus 5:9)? E o ensino de que devemos AMAR até mesmo nossos inimigos? (Nossa luta não é contra carne e sangue; Efésios 6:12.)
Biázomai e biastaí são os termos gregos usados nesta passagem. Sobre o verbo grego bi·á·zo·mai empregado neste texto, o Dicionário Expositivo de Palavras do Velho e do Novo Testamento, de Vine (1981, Vol. 3, p. 208)  diz: “O verbo sugere um esforço vigoroso.” A respeito de Mateus 11:12, o perito alemão Heinrich Meyer declara: “Deste modo, descreve-se aquele esforço e aquela luta entusiásticos, irresistíveis, para alcançar o reino messiânico que se acercava . . . Tão entusiástico e enérgico (não mais calmo e expectante) é o interesse no que tange ao reino. Os [bi·a·staí] são, por conseguinte, crentes [e não atacantes inimigos] que se empenham arduamente para possuí-lo.” — Critical and Exegetical Hand-Book to the Gospel of Matthew (Manual Crítico e Exegético do Evangelho de Mateus), de Meyer, 1884, p. 225.
Veja a coerência da TNM ao traduzir esse versículo:
Mateus 11:12: “...O reino dos céus é o alvo para o qual os homens avançam vigorosamente, e os que avançam vigorosamente se apoderam dele.
Empenhar-se, esforçar-se e avançar vigorosamente são alternativas para uma tradução mais coerente em conformidade aos ensinos do nosso Senhor Jesus Cristo. Desta forma, a TNM ressalta que Jesus está nos ensinando uma grande e importante lição: Que, para herdar o reino de Deus, se requer um grande esforço para que continuemos a avançar vigorosamente na busca da vida eterna.
Na ARC, em 2 Crônicas 22:1-2, lemos que Acazias era o filho mais moço de Jeorão, e que Acazias começou a reinar com a idade de 42 anos. Observe agora que, em 2 Crônicas 21:20 (apenas um versículo anterior ao capitulo 22), fala que Jeorão, pai de Acazias, tinha 40 anos quando morreu.
Percebeu a contradição? Como é que pode Acazias ser o filho mais moço de Jeorão e ao mesmo tempo ser dois anos mais velho que o seu próprio pai?
Faça a leitura dos mesmos textos na TNM, compare e veja a exatidão, a coerência e a seriedade que os seus editores tiveram ao traduzir a Palavra de Deus, tornando-a harmoniosa.
Gênesis 6:6 na ARC: “Então, arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem ...”
As Escrituras atestam firmemente que Deus não erra, pois Ele é perfeito. (Deuteronômio 32:4) Não é correto dizer que Deus se arrepende porque Ele não é humano e sim Divino. (Números 23:19) Então, por que muitos tradutores bíblicos insistem em dizer em suas edições que Deus “se arrepende”?
No hebraico quando a palavra arrependimento está relacionada ao homem é “Shübh” e a Deus é “Nãham” Os tradutores bíblicos não os diferenciam, e por este motivo a palavra “arrependimento” tem sido traduzido tanto para designar ações humanas como atitudes divinas.
Nãham significa basicamente “sentir pesar, entristecer-se, lastimar, deplorar”. Podendo significar “sentir pena, ter compaixão, mudança de ideia, mudança de atitude”.
Shübh significa basicamente “retornar, converter-se” e é aplicada ao homem arrependido que reconhece seus erros e pecados e retorna a Deus. Está relacionado ao arrependimento moral.
Podemos entender melhor essa diferença ao ler Jonas 3:9-10, no relato sobre os ninivitas que se arrependeram dos seus pecados e voltaram-se para Deus, fazendo com que Deus reconsiderasse a calamidade que tinha dito que traria sobre eles. Jonas 4:2 em diante revela a essência de Deus.
A forma “Nãhan” sempre será usada para Deus. Enquanto “Shubh” nunca será usada para Deus.
Para o homem pode ser usada as duas formas, afinal de contas, o homem não se arrepende só moralmente [Shübh], mas também “sente pesar, tristeza, lastima” [Nãhan], não pelos seus erros, mas pelos erros de outra pessoa. Como, por exemplo, o fim do laço matrimonial (divórcio), situação na qual o cônjuge sente tristeza, lástima, de ter se casado com uma pessoa indigna de confiança. Veja que foi o erro da outra pessoa que provocou o arrependimento do casamento.
Leia Gênesis 6:6 e todos os versículos citados acima na TNM e veja a coerência e a exatidão da mesma.
Gênesis 37:20 na ARC“... e lancemo-lo numa dessas covas...”
Mais uma vez a falta de perícia fez o tradutor da ARC verter a palavra hebraica “BOR” por cova. Obviamente uma escolha atrapalhada, uma vez que o dicionário de Strong verte “Bor” por cisterna. Mas, se o tradutor tivesse lido com atenção o versículo 24 do mesmo capítulo, teria observado que a “cova” estava vazia porque não havia água nela. Então, não se tratava simplesmente de uma “cova”, mas de uma cisterna.
Leia Gênesis 37:20 na TNM, e veja mais uma vez a competência e o zelo com que a TNM traduziu este versículo.
No artigo seguinte e último desta série será analisado o mais importante quesito na avaliação da qualidade de uma tradução – o uso do Nome divino, Jeová.

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagradapublicada pelas Testemunhas de Jeová.

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com


Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





2 comentários:

  1. Que série de artigos maravilhosa! É um verdadeiro "raio X" da ARC. E como são muitos os erros na ARC, não me admira que muitos que usam essa tradução não tem uma compreensão muito clara dos ensinos bíblicos. De fato, essa tradução não ajuda. Obrigado apologista por está série de artigos esclarecedores. Será uma ótima ferramenta para ajudar estudantes da Bíblia que desejam usar uma tradução da Bíblia exata e confiável. E o que você acha da Almeida Século 21? Ela parece ser mais exata que a ARC. Mas ela (A.Sec.21) tem muito erros? Você tem algum artigo falando sobre ela? Mais uma vez muito obrigado pelas informações desse artigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Diogenes:

      Não há ainda nenhum artigo neste site a respeito. Mas poderá ser produzido no futuro. Muito obrigado pela expressão de apreço pela série de artigos contribuída.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *