Image Map











sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Elias e Enoque foram para o céu?


Enoque andou com Deus
Fonte: jw.org

Um leitor trouxe a este site o seguinte assunto:

Dois temas complexos que sem dúvida mereceriam sua atenção: 

1. Talvez fosse útil comentar sobre os entendimentos da cristandade acerca de Hebreus 11:13-16 e os questionamentos sobre a tradução TNM [Tradução do Novo Mundo].

2- Pela minha leitura comum, entendi que a carta de Elias a Jeorão teria se passado depois de sua “ascensão” (o que muitos eruditos concordam; inclusive, há quem coloque em dúvida essa passagem, acusando-a de apócrifa, já que seria impossível Elias enviar tal carta), mas outros com uma intricada explanação cronológica rebatem, além de dizerem que o relato de Reis não está em ordem cronológica.

Inclusive, as datas usadas por eles com certeza são diversas das usadas pela cronologia da TDV [Associação Torre de Vigia]. Cronologia sem dúvida não é minha “praia”.

Resposta:

Certo comentarista afirmou que João 3:13 indica que ‘ninguém subiu ao Céu para expor, na Terra, as coisas celestiais’. Contudo, tal afirmação é ir ‘além do que está escrito’ (1 Coríntios 4:6), pois Jesus apenas afirmou que “nenhum homem subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem”.

Também, os que propõem que servos fieis de Deus foram para o céu antes de Jesus ter vindo à Terra interpretam que “céu” nos textos envolvendo Elias tem que ser o céu espiritual, algo que não está na Bíblia. Pelo contrário, o contexto bíblico como um todo mostra claramente que se trata dos céus físicos, especificamente o céu ligado à expansão atmosférica, onde os pássaros voam. Veja os textos bíblicos abaixo:

“Então Deus disse: ‘Que haja uma vastidão entre as águas, e haja uma divisão entre águas e águas.’ Então Deus fez a vastidão e separou as águas abaixo da vastidão e as águas acima da vastidão. E assim se deu. Deus chamou a vastidão de ‘céu’. Houve noite e houve manhã, segundo dia.” – Gênesis 1:6-8.

“Observem atentamente as aves do céu.” – Mateus 6:26.

Fonte: jw.org

Falando de pessoas como Abel, Enoque, Noé, Abraão e Sara, Hebreus 11:13 afirma: “Todos esses morreram com fé.” É óbvio que Enoque não foi para os céus espirituais. O que de fato aconteceu é que a vida de Enoque foi abreviada para que não fosse vítima de uma morte violenta às mãos dos inimigos de Deus. Assim, ele não viu essa espécie de morte.

É sob esta perspectiva que devemos entender as palavras de Hebreus 11:5, que declaram: “Pela fé Enoque foi transferido para não ver a morte, e não foi achado em parte alguma, porque Deus o havia transferido; pois, antes de ser transferido, ele recebeu o testemunho de que havia agradado a Deus.” Mas, como indica a continuação do capítulo (Hebreus 11:13), ele também morreu.

A tabela que aparece no artigo “Cronologia”, na obra “Estudo Perspicaz das Escrituras” (volume 1, pp. 618-620), mostra claramente que a carta de Elias a Jeorão, de Judá, foi enviada pelo profeta cerca de sete anos após Elias ter subido aos céus atmosféricos.


O fato é que os perpetradores de que Elias e Enoque foram para os céus espirituais, e de que outros servos pré-cristãos irão para o céu, desconsideram todo o contexto bíblico sobre os requisitos bíblicos para se obter a esperança celestial, requisitos esses que só se tornaram disponíveis APÓS a vinda de Cristo à Terra. Veja o artigo “Os antepassados justos de Cristo irão para o céu?”.

Assim, a Tradução do Novo Mundo, publicada pelas Testemunhas de Jeová, traduz corretamente Hebreus 11:13-16, em harmonia com o grego bíblico e com o contexto da inteira Bíblia. Esta passagem declara:

“Todos esses morreram com fé, embora não recebessem as coisas prometidas; mas as viram de longe e as aceitaram com alegria, e declararam publicamente que eram estrangeiros e residentes temporários naquela terra. Os que falam assim demonstram que buscam seriamente um lugar para si mesmos. Contudo, se eles continuassem se lembrando do lugar de onde tinham saído, teriam tido a oportunidade de voltar. Mas o fato é que tais pessoas procuram alcançar um lugar melhor, isto é, um lugar que pertence ao céu. Portanto, Deus não se envergonha delas, de ser chamado seu Deus, pois preparou para elas uma cidade.” – Hebreus 11:13-16.

Veja o artigo “Hebreus 11:16 ensina que os patriarcas pré-cristãos irão para o céu?”, que considera detalhadamente a passagem de Hebreus 11:13-16.

Contudo, vale ressaltar que esse texto não indica que os servos pré-cristãos irão para o céu espiritual, em vista dos requisitos delineados na Bíblia para fazer parte da classe celestial, conforme mostrado o artigo “Os antepassados justos de Cristo irão para o céu?”.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



2 comentários:

  1. Acredito que 2 Reis 3:11 demonstra que Elias já tinha partido quando Jeosafá ainda era rei em Judá, e a carta enviada por Elias foi quando seu filho Jeorão (não confundir com o rei Jeorão de Israel) era o rei em Judá.

    Isso me parece ser suficiente para provar que Elias escreveu a carta após sua partida e subida aos céus (atmosféricos).

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Acho interessante notar que aconteceu algo aparentemente similar com Filipe após ele batizar o eunuco etíope, e está escrito no final do capítulo 8 de Atos. Ele foi transportado milagrosamente para outro lugar. Isso mostra que é possível ter ocorrido algo assim com Elias também, e não seria o único caso registrado disso acontecendo.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *