Image Map











terça-feira, 28 de abril de 2020

É errado usar a expressão “bondade imerecida” em vez de a palavra “graça”? – Parte 2

Fonte: jw.org

O primeiro artigo deste tema analisou se há base linguística para traduzir o vocábulo kháris (comumente vertido “graça” nas traduções da Bíblia) por “bondade”. Este artigo analisará a seguinte pergunta:

Por que “bondade imerecida”?

O qualificativo “imerecido” para o vocábulo “bondade”, formando a expressão “bondade imerecida”, é perfeitamente plausível. Pois, a humanidade pecadora não consegue, por seus próprios méritos, conquistar a salvação.  Conforme lemos em Romanos 3:23: “Pois todos pecaram e não atingem a glória de Deus.”    Coerente com este fato, a salvação provida por Deus mediante o sacrifício de Jesus Cristo é uma expressão e demonstração de “bondade imerecida”.

O periódico A Sentinela (16 de dezembro de 2016, p. 9. §§4-5) explicou por que a Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada usou a expressão “bondade imerecida” como tradução de kháris:

[…] O que é a “bondade imerecida” de Deus? Paulo usou uma palavra grega que, de acordo com uma obra de referência, passa a ideia de “fazer alguma coisa por alguém sem esperar nem exigir nada em troca”. É algo que alguém recebe sem ter feito nada para merecer.

Certo estudioso disse: “Quando [essa palavra grega] é usada com relação a Deus ou a Cristo, ela muitas vezes se refere à bondade que eles mostram em salvar a humanidade mesmo sem ela merecer.” É por isso que a Tradução do Novo Mundo traduz essa palavra por “bondade imerecida”.

Alternativamente, a obra Estudo Perspicaz das Escrituras (volume 1, pp. 337-338, verbete “Benignidade, benevolência”) explica por que a Tradução do Novo Mundo não usou a tradução “graça” para kháris:

[…] na grande maioria das ocorrências, khá·ris é traduzido por “graça” por muitos tradutores da Bíblia em português. A palavra graça, porém, com diversos sentidos diferentes, não transmite à maioria dos leitores as ideias contidas na palavra grega. Para ilustrar isso: Em João 1:14, onde a versão Rei Jaime (em inglês) diz: “O Verbo foi feito carne . . . cheio de graça e de verdade”, o que se quer dizer com isso? Significa “graciosidade” ou “favor”, ou o quê?

O perito R. C. Trench, em Synonyms of the New Testament (Sinônimos do Novo Testamento), diz que khá·ris subentende “um favor prestado de bom grado, sem exigências ou expectativa de retribuição — a palavra sendo assim predisposta para receber sua nova ênfase [conforme dada nos escritos cristãos] . . ., para expressar a inteira e absoluta espontaneidade da benevolência de Deus para com os homens. Assim, Aristóteles, definindo [khá·ris], dá toda a ênfase a este mesmíssimo ponto, que ela é conferida de bom grado, sem nenhuma expectativa de retribuição, e tendo como único motivo a liberalidade e prodigalidade do dador.” (Londres, 1961, p. 158) Joseph H. Thayer, em seu léxico, diz: “A palavra [khá·ris] inclui a ideia de benignidade que concede a alguém aquilo que ele não mereceu . . . os escritores do N. T. usam [khá·ris] de modo preeminente para a benignidade por meio da qual Deus concede favores até aos que não os merecem, e concede aos pecadores o perdão de suas ofensas, e os convida a aceitar a eterna salvação por meio de Cristo.” [A Greek-English Lexicon of the New Testament (Léxico Grego-Inglês do Novo Testamento), 1889, p. 666] Khá·ris é aparentada de perto com outra palavra grega, khá·ri·sma, a respeito da qual diz o New Testament Wordbook (Glossário do Novo Testamento, 1956, p. 29), de William Barclay: “A inteira ideia básica da palavra [khá·ri·sma] é a de uma dádiva gratuita e imerecida de algo dado a um homem, a que não se fez jus e que é imerecido.” — Veja 2Co 1:11, Int.

Quando khá·ris é usada no sentido acima, com referência à benignidade demonstrada para com alguém que não a merece, como se dá com as benignidades concedidas por Jeová, “benignidade imerecida” é em português um equivalente muito bom para a expressão grega. — At 15:40; 18:27; 1Pe 4:10; 5:10, 12.

O trabalhador tem direito àquilo pelo qual trabalhou, seu pagamento; ele espera seu salário como um direito, como uma dívida para com ele, e o pagamento dele não é nenhum presente ou especial benignidade imerecida. (Ro 4:4) Mas, serem pecadores condenados à morte (e todos nós nascemos como tais) libertos dessa condenação e declarados justos, é deveras benignidade totalmente imerecida. (Ro 3:23, 24; 5:17) […]. – Negrito acrescentado.





Diversos estudiosos da Bíblia entendem que a “graça” contém a ideia de bondade imerecida. O artigo seguinte desta série trará a lume o que dizem esses estudiosos, bem como as traduções que trazem a mesma ideia.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *