Image Map











domingo, 2 de agosto de 2020

Leitores comentam sobre o tormento eterno


Fonte: jw.org

Dois leitores acompanharam os comentários de um defensor do tormento eterno, bem como as considerações do autor deste site, no artigo “Seol e Hades significam o inferno da cristandade?”. O texto-base avaliado nesse artigo foi Jonas 2:2, que declara: “Na minha aflição clamei a Jeová e ele passou a responder-me. Do ventre do Seol clamei por ajuda. Ouviste a minha voz.” Após isso, os referidos leitores extraíram trechos do citado comentarista e fizeram suas colocações. Seguem abaixo as colocações feitas por eles.

Comentarista: “E ainda outras traduções mais atuais traduzem [Seol] por ABISMO, o que para mim é a melhor tradução, pois Jonas estava em um lugar escuro e profundo, ou seja, ele tinha o conceito de Seol como sendo um lugar PROFUNDO, FORA DESTE MUNDO e de um terrível TORMENTO.”

Leitor 1: “Abismo”, “Além” e “Inferno” são três termos diferentes com sentidos diversos, até mesmo contraditórios; misturá-los não dá muito certo. O mesmo comentarista elogiou “Sepultura”. Ora, aí são quatro termos diversos com sentidos incoerentes entre si: “inferno” é “inferno”, “sepultura” é “sepultura”, “além” não é “inferno” e “sepultura” não é “abismo”.

Comentarista: “Olá, estudando Jonas 2.2 nas mais variadas traduções descobri que algumas traduzem Seol por ALÉM (lugar para onde vão as almas dos mortos), o que é uma boa definição do termo.”

Leitor 1: Engraçado que ele elogia todas as traduções, não importa pelo que vertam o termo, só critica a Tradução do Novo Mundo por transliterar Sheol por “Seol”. Todas estão ok, só a NM que falha.

Comentarista: “Outras traduzem por INFERNO, o que também é bem traduzido. Afinal de contas, Jonas não estava em tormentos?”

Leitor 1: Jonas não estava em tormentos; ele estava preso dentro do peixe, mas não estava em “tormentos” conforme se entende o tormento infernal do fogo do inferno. Será que Deus pegou seu profeta e cruelmente o castigou a queimar sadisticamente dentro do ventre do grande peixe sem morrer? Ou será que o pôs lá dentro para ser furado por tridentes, ou para devorado por presas de demônios ferozes que torturam as pobres “almas” ‘a serviço de Deus’?

A situação de Jonas era desagradável, mas ele estava ali protegido para refletir e meditar em sua desobediência – sem sofrer profundas e penosas dores excruciantes. Embora ele temesse a morte, Jeová tinha um tempo certo para libertá-lo. A restrição talvez cause certa aflição, mas não houve nenhum “tormento infernal” no peixe envolvendo fogo ardente ou cruéis torturas satânicas.

Comentarista: “Portanto, Seol não pode ser traduzido neste texto como uma ‘futura sepultura’; pois Jonas estava no Seol no TEMPO PRESENTE, e não se referindo ao futuro; pois, para ele, o Seol era um lugar de tormento CONSCIENTE, de atividade mental: pois ele até mesmo orou a Deus dentro do ventre do Seol.”

Leitor 1: Sobre o fato de Jonas estar vivo, o comentarista elogiou a tradução de Seol como sendo “O ALÉM” e como “INFERNO”. Para estar no “além” ou no “inferno” se precisa estar tão morto quanto para estar na “sepultura”, ou seja, no caso dessa sua zombaria de chamar de “FUTURA sepultura” daria na mesma chamar de “FUTURO além” ou “FUTURO inferno”; pois, para literalmente estar no inferno ou no além se necessita estar morto em primeiro lugar. No “tempo presente” ele não poderia estar nem no mitológico inferno e nem no fictício além.

Sobre a possibilidade de ele estar consciente, dizem as Escrituras sobre o estado dos mortos no Seol: “Pois os viventes estão cônscios de que morrerão; os mortos, porém, não estão cônscios de absolutamente nada, nem têm mais salário, porque a recordação deles foi esquecida.” – Eclesiastes 9:5.

Sobre a possibilidade de o Seol ser um lugar de tormento infernal para Jonas, o fiel Jó orou: “Quem dera que me escondesses no Seol, que me mantivesses secreto até que a tua ira recuasse, que me fixasses um limite de tempo e te lembrasses de mim!” (Jó 14:13.) Sobre a possibilidade de que Jonas pudesse falar, orar e louvar a Deus se estivesse literalmente no Seol, o Salmos 6:5 declara: “Porque na morte não há menção de ti; no Seol, quem te elogiará?” “​Os mortos não louvam o SENHOR, nem os que descem à região do silêncio.” (Salmo 115:17, Almeida Revista e Atualizada) Sobre a possibilidade de o Seol de Jonas não ser paralelo à Sepultura, Jesus fez o paralelo justamente com a Sepultura: “Porque, assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do enorme peixe, assim estará também o Filho do homem três dias e três noites no coração da terra.” – Mateus 12:40.

Comentarista: “Jonas...tinha o conceito de Seol como sendo um lugar PROFUNDO, FORA DESTE MUNDO e de um terrível TORMENTO.”

Leitor 1: Como o ventre do peixe poderia estar “FORA DESDE MUNDO”??????? A tradução por “além” é autocontraditória: além de o peixe estar neste mundo, de o profeta estar vivo, ainda cabe citar que “além” comporta todos os que morrem, incluindo os servos de Jeová – como era o caso de Jonas –, mas “Inferno” só é usado para os ímpios. Então, “Inferno” não encaixa com “Além”; pois, “inferno” só comporta as ‘almas dos maus imortais’, e “além” comporta as ‘almas dos bons’ junto.

Comentarista: “… a ÚNICA tradução possível é INFERNO.”

Leitor 1: Sobre a possibilidade de a natureza do Seol-Hades ser o “Inferno” de eterno sofrimento literal em fogo, Jacó disse: “E todos os seus filhos e todas as suas filhas se levantavam para consolá-lo, mas ele se negava a ser consolado e dizia: ‘Pois descerei pranteando para meu filho [José] ao Seol!’ E seu pai continuava a chorar por ele.” (Gênesis 37:35)

Comentarista: “Hades é UM LUGAR DE TORMENTO.”

Leitor 1: Isso seria baseado em um único versículo [Lucas 16:23], em texto de parábola profética [do Rico e Lázaro], com a prosopopeia de seres inanimados em cenários de simbologia espiritual; em contrariedade a outros quase 80 versos, a maioria deles falando da realidade literal da morte e de seus cativos. Demonstraria um desejo muito forte de se crer no que se quer crer, pois se escolhe um texto conveniente a dedo e se ignora todos os outros por mero favoritismo parcial.

A pergunta é: Jesus esteve três dias no Hades de tormento consciente? Davi, que ainda não tinha subido ao céu no tempo dos Atos dos Apóstolos (Atos 2:34), ao morrer, esteve no mesmo lugar onde Jesus esteve o Seol-Hades. (Salmo 16:10 - Atos 2:31) Davi e Jesus estiveram sofrendo o tormento infernal no fogo eterno? Ao morrer, José do Egito iria ser atormentado no inferno ardente? Jacó queria ir até lá ver seu filho? Jó queria ficar um tempo morto para descansar de seus sofrimentos terrenos lá no sofrimento ardente do inextinguível fogo infernal?

Comentarista: “A boa interpretação bíblica é aquela em que a pessoa que a interpreta faz isso com o que chamo de HONESTIDADE INTELECTUAL, ou seja: extrair do texto o que ele realmente diz e não o que eu quero que ele diga; eu me esforço em praticar isso.”

Leitor 1: Ele se esforçou em modificar o sentido de Seol para termos de traduções incoerentes entre si, texto a texto, em vez de lhe dar um sentido determinado e coerente com todas as suas ocorrências, e especialmente em lhe dar a conotação de “Inferno”, sentido que Seol nunca teve desde sua primeira aparição até a última.

De toda forma, o sentido de “Além” ou “Inferno” para Seol dependeria primeiro de que a alma fosse imortal; como ela não é (Ezequiel 18:4), essas “opções” já são descartadas logo de cara sem necessidade de mais polêmica em cima, sem almas (note Gênesis 2:7) para estarem vivendo em imortalidade (note Ezequiel 18:4; 1 Coríntios 15:54), conscientes (note Eclesiastes 9:5) e barulhentas (note o Salmo 115:17) no Seol-Hades. A doutrina do Inferno e todas as outras doutrinas a respeito do além (Purgatório, Limbo, Indulgências, Reencarnação, Espiritismo, Necromancia) caem por não terem suporte bíblico nenhum para se sustentarem!

Não se pode isolar uma ou duas passagens e tentar enfiar o conceito de inferno dentro delas na base da incoerência de diferentes traduções bíblicas. Considere um horizonte mais amplo, de todas as passagens bíblicas referentes àquele assunto dentro de uma versão bíblica que faça tradução coerente dos termos-chave da maneira mais uniforme possível; depois veja se o conceito religioso popular se encaixa no que o consensual contexto bíblico de Gênesis a Apocalipse está demonstrando.

O segundo leitor também fez observações sobre algumas afirmações do referido comentarista:

Comentarista: “Obs.: a boa interpretação bíblica é aquela em que a pessoa que a interpreta faz isso com o que chamo de HONESTIDADE INTELECTUAL, ou seja: extrair do texto o que ele realmente diz e não o que eu quero que ele diga; eu me esforço em praticar isso. Um abraço, apologista.”

Leitor 2: Meu Deus, quanta hipocrisia! Se nem nas traduções que ele usa existe essa ‘honestidade intelectual’. Afinal, sabemos muito bem que, nos idiomas bíblicos originais hebraico e grego, nem encontramos a palavra inferno. Ela vem do latim infernus. Se pelo menos os tradutores traduzissem Seol (hebraico) e Hades (grego) em todas as ocorrências por “inferno”, aí sim seria mais honesto. Pelo menos assim os leitores iriam entender sobre o ‘inferno bíblico’ o seguinte:

1. É um lugar para onde vão tanto bons como ímpios (Salmo 9:17; Jó 14:13; 17:13). Jó era um homem bom, não merecia ser atormentado num mítico inferno de fogo;

2. Nele não existe atividade (Salmo 6:5; Eclesiastes 9:5, 6, 10);

3.  Até mesmo nosso Senhor Jesus, que não é mau, esteve no inferno bíblico (Salmo 16:10; Atos 2:27, 31);

4. Não é o lugar de julgamento final, já que os que estão no Hades (inferno bíblico) voltarão na ressurreição (Apocalipse 20:13, 14);

5. Será destruído, visto que será jogado dentro do lago de fogo, que representa a destruição eterna (Apocalipse 20:14, 15);

Sendo INTELECTUALMENTE HONESTO, será que as descrições destes textos dão a entender a existência de um lugar de tormento eterno? Ou será que esses textos bíblicos descrevem a sepultura comum da humanidade? Está vendo, senhor comentarista? Nem as traduções da Bíblia que o senhor usa foram produzidas por pessoas intelectualmente honestas; pois, se fossem, traduziriam de maneira correta, ajudando os leitores sinceros a compreender que a sepultura é o destino final da humanidade após a morte, sendo sua esperança a ressurreição. – João 5:28, 29; 11:25.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




Um comentário:

  1. Parabéns ao que defendeu a TNM
    FUTURO além foi demais
    Essa exposição bem feita expôs o argumento do infernista ao ridículo mas foi dentro do processo natural e não maldoso e desrrespeitoso.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *