Image Map











domingo, 27 de dezembro de 2020

Houve ressurreição por ocasião da morte de Cristo? (Dúvida de um leitor)


Fonte: jw.org

O artigo “Houve ressurreição por ocasião da morte de Cristo?” considerou o texto de Mateus 27:52, 53. Diversas traduções, católicas e evangélicas, vertem essa passagem de modo a afirmar que houve ressurreição dos “corpos dos santos” e que estes, “depois da ressurreição” de Jesus, entraram em Jerusalém e apareceram a muitas pessoas.

Por outro lado, a Tradução do Novo Mundo verte de modo a dar a entender que os “corpos dos santos” foram simplesmente “levantados”, isto é, foram expelidos dos túmulos feitos em rochas, tornando-se visíveis aos que lá estavam; e que pessoas que estavam lá foram a Jerusalém após a ressurreição de Jesus. Note como verte a NM: “Os túmulos se abriram e muitos corpos dos santos que tinham adormecido foram levantados (e pessoas, saindo dentre os túmulos depois de ele ter sido levantado, entraram na cidade santa), e eles se tornaram visíveis a muitas pessoas.”

Sobre o artigo acima citado, um leitor comentou o seguinte:

Mas, como corpos dos santos foram levantados? Cita-se somente os corpos dos santos. No [dicionário bíblico] “Estudo Perspicaz” deixa a entender que foi um terremoto, devido ao que houve no momento da morte de Jesus. Mas como um terremoto iria levantar apenas os corpos dos santos? Não teria levantado também os corpos dos outros mortos? E outra coisa, irmãos: o texto diz que isso ocorreu após a ressurreição de Jesus, o que teria sido após 3 dias, e não teve terremoto após 3 dias. Teve?

Quero muito entender este texto, até hebraico e grego fui estudar, e meu ancião me chamou a atenção quando eu disse que nossa amada [Biblioteca] JW precisa ser mais clara; disse que estou me tornando apóstata. Fiquei muito triste com isso. Mas insisto que a explicação aqui no site [jw] é boa, mas não me convenceu.

Creio que os Santos que fazem parte dos 144 mil foram ali levantados, pregaram em Jerusalém, e depois subiram aos céus; foram depois de Jesus, os primeiros a serem levantados. A história mente, a ciência mente, os judeus farisaicos mentem. Óbvio que isso tudo não seria revelado, seria abafado.

Oro a Jeová pedindo perdão pela ousadia, mas não consigo aceitar as vagas explicações quanto a esta passagem […] de que um terremoto teria levantado corpos, e só dos santos; isso eu não consigo digerir. Se puderem me ajudar, aceito, pois oração não está adiantando, e olha que tenho 18 anos na verdade.

Resposta:

Lemos em Mateus 27:51-54: “Naquele momento, a cortina do santuário se rasgou em duas, de alto a baixo, a terra tremeu e as rochas se partiram. Os túmulos se abriram e muitos corpos dos santos que tinham adormecido foram levantados (e pessoas, saindo dentre os túmulos depois de ele ter sido levantado, entraram na cidade santa), e eles se tornaram visíveis a muitas pessoas. Mas, quando o oficial do exército e os que estavam com ele vigiando Jesus viram o terremoto e as coisas que aconteciam, ficaram com muito medo e disseram: ‘Certamente este era o Filho de Deus.’”

Primeiro, a passagem não diz que apenas os corpos dos fiéis antepassados de Cristo foram levantados.

Segundo, a passagem não diz que tal levantamento de corpos ocorreu após a ressurreição de Cristo. A passagem entre parênteses diz respeito a pessoas que haviam ido aos túmulos e que depois retornaram a Jerusalém.

Que o levantamento dos corpos se deu devido ao terremoto pode ser visto pelo versículo 54, que menciona “o terremoto e as coisas que aconteciam”.

Quanto aos que têm esperança celestial, os membros desse grupo precisam primeiro ser gerados pelo espírito santo, o que ocorreu somente 50 dias após a ressurreição de Cristo. – Atos 2:1-4; João 3:3, 5.

Além disso, o que Mateus relata que foram levantados eram “corpos” e não pessoas.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





domingo, 20 de dezembro de 2020

Leitores apreciativos se expressam a respeito do artigo “Deus prova seus servos?”




Um leitor comentou o seguinte sobre o artigo “Deus prova seus servos?”:

Olá, muito bom o texto, ajudou a compreender melhor. Mas ainda tenho a dúvida: nas publicações fala-se de provações como que em alguns casos serviram de treinamento. Nesse caso, não consigo conciliar isso. Na Bíblia encontramos que a prova gera perseverança. Não dá a entender que Deus nos prova para aperfeiçoar? Isso estaria correto?

Resposta:

Deus não produz provações aos seus servos. Ele apenas as permite, para dar aos seus servos a oportunidade de mostrar a todos os observadores a decisão que têm de ser leais a Jeová. Essa permissão, junto com a firme posição dos cristãos, resulta em perseverança, em uma fé provada e vitoriosa.

Outro leitor se expressou da seguinte maneira:

Olá, Apologista, eu novamente por aqui! Gostaria, por favor, se pudesse indicar mais textos bíblicos para entender a questão de por que alguns servos de Deus no passado entendiam que certas calamidades vinham de Deus. Por exemplo, ontem eu li o capítulo 1 de Rute, especificamente nos versos 20 e 21:

“E ela dizia às mulheres: ‘Não me chamem de Noemi. Chamem-me de Mara, pois o Todo-Poderoso tornou minha vida muito amarga. Eu tinha tudo quando fui, mas Jeová me fez voltar de mãos vazias. Por que me chamam de Noemi, se Jeová se opôs a mim e o Todo-Poderoso me causou calamidade?’”

Fazendo uma pesquisa no site da biblioteca da Torre de Vigia, verifiquei que, no caso de Noemi, ela pensou dessa maneira, mas o que não era necessariamente verdade. Teria mais textos bíblicos que provam que alguns servos de Deus no passado tiveram visão errada das calamidades?

Obrigado novamente.

Resposta:

O sofrimento pode fazer uma pessoa, mesmo um servo ou serva de Deus, chegar a conclusões equivocadas sobre a Pessoa Dele, conforme os textos abaixo:

“A opressão pode levar o sábio à loucura.” – Eclesiastes 7:7a.

“É a tolice do homem que distorce o seu caminho, e o seu coração fica furioso com Jeová.” – Provérbios 19:3.

“Mas Davi ficou indignado porque a ira de Jeová tinha irrompido contra Uzá.” – 2 Samuel 6:8a.

“A terra foi entregue aos maus; Ele [Deus] fecha os olhos dos juízes. Se não é ele, então quem é?” – Jó 9:24.

“Mas isso desagradou muito a Jonas, e ele ficou muito irado. Então ele orou a Jeová: ‘Ó Jeová, não era essa a minha preocupação quando eu estava na minha terra? É por isso que eu tentei fugir para Társis na primeira vez, pois sabia que és um Deus compassivo e misericordioso, paciente e cheio de amor leal, e que fica muito triste com a calamidade. Agora, ó Jeová, por favor, tira a minha vida, pois para mim é melhor morrer do que viver.’ Jeová perguntou: ‘Você acha certo ficar tão irado?’ Jonas saiu então da cidade e se sentou ao leste da cidade. Ali ele fez para si um abrigo e se sentou à sua sombra para ver o que aconteceria à cidade. Então Jeová Deus fez com que um cabaceiro crescesse sobre Jonas para fazer sombra sobre a sua cabeça e para aliviar a sua aflição. E Jonas ficou muito contente com o cabaceiro. Mas, ao raiar o dia seguinte, o verdadeiro Deus fez com que um verme atacasse o cabaceiro, e este secou. Quando o sol começou a brilhar, Deus também fez soprar um vento leste abrasador, e o sol castigava a cabeça de Jonas, e ele estava quase desmaiando. Ele pedia para morrer e dizia: ‘Para mim é melhor morrer do que viver.’ Deus perguntou a Jonas: ‘Você acha certo ficar tão irado por causa do cabaceiro?’ E ele respondeu: ‘Eu tenho razão para ficar irado, tão irado que quero morrer.’ Mas Jeová disse: ‘Você teve pena do cabaceiro, que você não cultivou nem fez crescer; ele cresceu numa noite e morreu numa noite. Será que eu também não deveria ter pena de Nínive, a grande cidade, em que há mais de 120.000 homens que não sabem nem mesmo a diferença entre o certo e o errado, além de seus muitos animais?’” – Jonas 4:1-11.

 

Sobre a última passagem citada, veja o artigo “Você se permite ser contestado? Deus se permitiu!”.

  

Um leitor foi muito apreciativo em seus comentários. Observe o que ele escreveu:

Prezado “Apologista da Verdade”:

Seus textos são tão cristalinos e ao mesmo tempo tão solidamente baseados na Palavra da Verdade, que dá até um “refrigério na alma” ao ler a verdade expressa de forma tão nítida como você faz em seus artigos. Só agora em 03/07/2016 às 23:41 é que eu acessei este teu texto sobre as provações dos servos de Deus. A internet está sendo muito útil para permitir que irmãos talentosos na escrita e na arte do raciocínio sejam abençoados por Jeová e usados por Ele a fim de atingir o coração de todos os “corretamente dispostos para com a verdade”!

Seria muito interessante se o irmão, o Queruvim e tantos outros apologistas da verdade fizessem parte da Comissão de Redação da Torre de Vigia e de lá pudessem contribuir com a “alimentação espiritual” do povo de Jeová no mundo todo! Mas, pensando bem, o bom é que hoje, com a internet, dá para cada um contribuir com a Obra Mundial do jeito que pode, até mesmo a partir de casa!

Não era isso o que a Sociedade na época estimulava, quando incentivava o testemunho por telefone?! A internet pode ser vista como um tipo de testemunho por telefone 2.0, isto é, mais avançado!! CONTINUE FIRME! E QUE JEOVÁ TE ABENÇOE ATÉ TRANSBORDAR O COPO! EM NOME DE NOSSO REI E SUMO-SACERDOTE, JESUS CRISTO!

[Fim do comentário.]

Jesus ordenou a seus seguidores: “Ide e fazei discípulos.” (Mateus 28:19) Ele não especificou os métodos ou modos de fazer isso, mesmo porque a introdução da tecnologia proveria novas maneiras de ‘ir’ até as pessoas. Com o advento da imprensa, foi possível a produção em massa de Bíblias e de obras bíblicas. Com o surgimento da gravação da voz e de imagens em movimento, foi possível expandir a forma de pregar. E, por fim, com o surgimento da internet, é possível atingir um grande número de pessoas com a mensagem das Escrituras. Todos esses modos são maneiras de ‘ir’ até as pessoas. 


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





domingo, 13 de dezembro de 2020

Conversa com leitores sobre a personificação em relação ao “Espírito Santo” – Parte 1


O espírito santo desceu sobre Jesus “como pomba”, não em forma humana
Fonte: jw.org


A respeito do artigo “O ‘Espírito Santo’ pode ser entristecido sem ser uma pessoa?”, um leitor teceu alguns comentários sobre a questão da personificação em relação ao espírito santo. Seguem abaixo as considerações que ele fez e a resposta deste site a elas.

Leitor:

Olá, Apologista da Verdade:

Parabéns pelo empenho e esforço.

Em Jó 26:11, Salmos 51:8, Salmos 96:12, Lamentações 2:8 fala somente de objetos não pessoais; diferentemente do Espírito Santo, que no contexto pode ser entendido como um ser pessoal. Você ainda pode argumentar que, no caso, o Espírito Santo não é um ser pessoal. Tudo bem; mas, além de Ele ser Pessoal, ele tem uma natureza espiritual, diferente das coisas inanimadas.

Apologista da verdade:

Você afirma que o espirito santo “no contexto pode ser entendido como um ser pessoal”, mas não apresentou nenhum contexto que comprove isso. O fato é que o inteiro contexto da Bíblia como um todo apresenta o espírito santo como sendo algo impessoal, conforme os artigos deste site têm apresentado evidências.

Leitor:

Obrigado pela resposta; e respeito a sua opinião. No Salmo 23:4 aparecem dois objetos que “consolam”, e vemos que são objetos materiais; diferente do Espírito Santo, que é um Ser. E mesmo que o Espirito Santo fosse uma santa força, mesmo assim seria algo espiritual; e também nesse caso diferente dos objetos materiais citados no Salmo 23:4.

Agora em relação ao Espirito Santo ser chamado de “Consolador”, isso não define de forma definitiva que Ele não seja um ser pessoal, como se tal santo ato excluísse automaticamente o fato de Ele ser um ser pessoal; na verdade, não é um impeditivo para que Ele seja um Consolador. E se Jesus que foi e é um ser pessoal e deixou um consolador, tal consolador deveria ser também um ser pessoal assim como Jesus.

Apologista da verdade:

Você parte da premissa de que o espírito santo é uma pessoa e constrói seus conceitos em cima dessa premissa. No entanto, o correto não é estabelecer uma premissa do seu interesse, e sim verificar o que realmente a Bíblia ensina a respeito do espírito santo.

Na questão de o espírito santo ser referido como “consolador” ou “ajudador”, o artigo “O ‘outro Consolador’ é uma pessoa?” teceu o seguinte comentário:

O espírito santo seria outro parákletos e não outra pessoa. Parácletos significa “ajudador” ou “consolador”, e pode ser aplicado a todo aquele e a tudo que consola ou ajuda. Assim como em qualquer língua quem ou o que consola pode ser chamado de “consolador”, o mesmo se dá no grego.

O espírito santo é descrito como “outro” ajudador (parácleto) em relação a Jesus Cristo. (João 14:16, 26; 15:26; 16:7) Por conseguinte, a comparação aqui não é a de Jesus e o espírito santo serem ambos pessoas. A linha de comparação está na palavra “ajudador” (ou “consolador”, conforme algumas traduções). Tanto Jesus como o espírito santo são descritos como ‘ajudadores’ ou ‘consoladores’. A Bíblia fala de objetos, como vara e bastão, como ‘coisas que consolam’. (Salmo 23:4) O espírito santo é “outro [állos] ajudador” no sentido de que daria continuidade à ajuda prestada por Jesus na promoção dos interesses do Reino de Deus, e de forma alguma tais textos poderiam ser usados para provar a existência de uma suposta terceira pessoa dum deus trino.

Após ter lido os comentários acima, outro leitor escreveu o seguinte:

Engraçado que ninguém diz que o pecado é uma pessoa distinta quando lê Genesis 4:7. […] Ali diz que o pecado está à espreita ou à espera Caim, está agachado e Caim deve dominá-lo. Pois bem, se o Espírito Santo é uma pessoa, concluímos que o pecado também o é.

Apologista da verdade:

A mente aberta e sem ideias preconcebidas sobre o espírito santo permite entender claramente o uso do recurso linguístico da personificação em relação ao espírito santo.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.


Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



domingo, 6 de dezembro de 2020

Como os maus são punidos hoje?


Deus destruiu as cidades de Sodoma e Gomorra por causa da maldade de seus habitantes
Fonte: jw.org

Uma leitora deste site escreveu:

Gostaria de um esclarecimento bíblico. Que punição os maus recebem hoje? Eles podem ser punidos com doenças ou algo do tipo? Ou todos os maus são punidos com a morte? Eu entendo que as pessoas não são provadas (Tiago 1:13). Mas, e punidas? Aguardo seu retorno.

Resposta:

Como a Bíblia mostra, uma forma de punição ocorre por meio das leis naturais de Deus. Lemos em Gálatas 6:7: “Não se enganem: de Deus não se zomba. Pois o que a pessoa semear, isso também colherá.” Portanto, agir contra as leis de Deus gera consequências ruins, no que diz respeito à saúde, aos relacionamentos, e até com relação à vida, resultando em uma morte prematura. Ezequiel 18:23 registra as tocantes palavras de Jeová: “‘Por acaso eu tenho algum prazer na morte de uma pessoa má?’ diz o Soberano Senhor Jeová. ‘Não prefiro que ele abandone os seus caminhos e continue vivo?’”

Também, Deus pode agir diretamente contra um malfeitor, se Ele assim o desejar. Veja os textos abaixo:

“Com o tempo, Judá tomou uma esposa para Er, seu primogênito, e o nome dela era Tamar. Mas Er, primogênito de Judá, desagradava a Jeová; por isso Jeová o entregou à morte. Em vista disso, Judá disse a Onã: ‘Tenha relações com a esposa de seu irmão e realize o casamento de cunhado com ela, e dê descendência a seu irmão.’ Mas Onã sabia que a descendência não seria considerada sua. Então, quando tinha relações com a esposa de seu irmão, ele desperdiçava o sêmen, derramando-o no chão, para não dar descendência a seu irmão. O que Onã fazia era mau aos olhos de Jeová, de modo que ele também o entregou à morte.” – Gênesis 38:6-10.

“Jeová falava a Manassés e ao seu povo, mas eles não prestavam atenção. Assim, Jeová fez vir contra eles os chefes do exército do rei da Assíria; eles capturaram Manassés com ganchos, prenderam-no com duas correntes de cobre e o levaram a Babilônia.” – 2 Crônicas 33:10, 11.

Pode parecer que os maus não serão penalizados. O salmista Asafe certa vez tirou conclusões erradas se baseando apenas na aparência das coisas. Ele disse: “Sim, esses são os maus, que estão sempre despreocupados. Eles continuam aumentando a sua riqueza. Certamente foi em vão que mantive puro meu coração e lavei minhas mãos na inocência.” (Salmo 73:12, 13) Mas, fazendo uma avaliação sóbria com a ajuda de Deus, Asafe recobrou o bom senso. Ele declarou:

“Quando tentei entender tudo isso fiquei perturbado, até que entrei no grandioso santuário de Deus e compreendi o futuro deles [dos maus]. De fato, tu os colocas em terreno escorregadio. Tu os fazes cair na ruína. Num instante são destruídos! São eliminados repentinamente, num terrível fim! Como um sonho depois do despertar, ó Jeová, quando te levantares farás desaparecer a imagem deles. Mas meu coração estava amargurado, e eu sentia dores agudas no íntimo. Eu era insensato e não tinha entendimento; era como um animal irracional diante de ti. Mas agora estou sempre contigo; pegaste a minha mão direita. Tu me guias com os teus conselhos, e depois me conduzirás à glória. A quem mais tenho nos céus? Além de ti, não desejo nada na terra. Meu corpo e meu coração podem enfraquecer, mas Deus é a rocha do meu coração e a minha porção, para sempre. Certamente, os que se mantêm longe de ti morrerão. Trarás um fim a todos os que de modo imoral te abandonam. Mas, para mim, é bom me achegar a Deus. Fiz do Soberano Senhor Jeová o meu refúgio, para declarar todos os teus feitos.” – Salmo 73:16-28.

Assim, mesmo que pareça que os maus conseguem se safar, no final das contas, os que procuram fazer o bem é que serão bem-sucedidos. Como bem colocado em Eclesiastes 7:8: “Melhor é o fim posterior dum assunto do que o seu princípio.” – Tradução do Novo Mundo Com Referências.

Após a consideração acima, a referida leitora escreveu:

Muito obrigada pela resposta, isso mudou muito o meu entendimento. Eu achava que não estava acontecendo punição atualmente, fora as consequências naturais. Eu pensava que elas estavam reservadas apenas para o Armagedom.

Obrigada!


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *