Image Map











domingo, 31 de janeiro de 2021

Jesus foi criado? (Conversa com um leitor) – Parte 1

Uma interessante conversa ocorreu entre o autor deste site e uma pessoa de nome Alcinei Lessa, num grupo apologético do Facebook. Tal diálogo começou com um comentário feito por ele a respeito da publicação do artigo “É possível a expressão ‘todas asoutras coisas’ como tradução do texto grego em Colossenses 1:16, 17? – Parte 2”.

Como a conversa foi longa, abordando diversos temas bíblicos, ela foi distribuída em diversos artigos, com subtítulos correspondentes. Também, como cada um abordou em sua fala diversos assuntos, quer como afirmação quer como refutação, o texto foi agrupado por tema. Deste modo, a conversa fica mais dinâmica, e o leitor dos artigos conseguirá acompanhar com mais facilidade os argumentos e contra-argumentos apresentados. Acredito que ela será proveitosa para todos os interessados em assuntos bíblicos doutrinais.

Em resposta à pergunta feita como tema do artigo supracitado – é possível a expressão “todas as outras coisas” como tradução do texto grego em Colossenses 1:16, 17? – o referido leitor fez um comentário. Segue abaixo seu comentário que, a partir de então, gerou a produtiva conversa entre nós.

Regra do tà pánta

Alcinei:

Em questão gramatical, sim. Mas não tem a palavra “outras” no texto em grego; foi colocada para subentender que Cristo é uma das coisas criadas. Justificam esse acréscimo ao apelar a textos como Lucas 13.2, onde “outros” está claramente subentendido. Esse argumento olvida dois fatos-chave. Primeiro, o termo traduzido por “todas” em Colossenses 1.16-20 não é meramente a palavra para “tudo”, pás, mas tà pànta, uma forma neutra do plural que é empregada no sentido de “inteireza” ou “a totalidade”; e que, quando empregada a respeito da criação, significa “o universo”, “todas as coisas sem exceção”. (Confira, por exemplo, Efésios 1.10-11 na Tradução do Novo Mundo). Em segundo, o livro “Por Que Devo Crer Na Trindade”, Editora Candeia, página 62.

Apologista da verdade:

Em primeiro lugar, não é apenas Lucas 13:2, mas diversos textos, que foram citados no artigo acima, que mostram o sentido relativo do termo grego pás.

Uma coisa é a pessoa acreditar no que quiser. Ela pode ser trinitária, unitária, unicista etc. É um direito que lhe assiste. Outra coisa é tentar embasar tal crença usando de supostas regras gramaticais. Se você ler o artigo com atenção, perceberá a citação de 1 Coríntios 15:27, 28, onde pánta (sem artigo) e tà pánta são usados referentes à criação intercambiavelmente, sem alterar o sentido, quebrando a suposta regra inflexível do uso do artigo. E o ponto mais forte neste texto é que Paulo mostra que tà pánta não se refere forçosamente a “todas as coisas sem exceção”, mas tem também o sentido relativo.

Portanto, o adjetivo pás no gênero neutro precedido por artigo não significa necessariamente ‘tudo sem exceção’. O contexto bíblico é que irá determinar. E isso depende de hermenêutica, e não de gramática.

A palavra “outras” altera o sentido do texto?

Alcinei:

Boa tarde, está sendo um prazer conversar com vocês. O acréscimo da palavra “outras” em Colossenses 1.15 altera o significado do texto, ao invés de tornar explícito; o que já é óbvio, conforme é o caso de Lucas 13.2. Isto é: a palavra “outros” pode ser omitida de um texto tal como Lucas 13.2 sem alterar o significado óbvio, mas o significado de Colossenses 1.16-20 fica muito alterado com o acréscimo da palavra “outras”.

Se o texto depende de hermenêutica, então não pode ser usado como uma única maneira. Certamente não pode ser usado para comprovar que Cristo foi criado. Para concordar que Cristo foi criado, vocês tiveram que acrescentar a palavra “outras” 4 vezes aos versículos que se seguem, para subentender que Cristo é uma das coisas criadas; e mesmo assim não oferece um significado razoável para expressão “o primogênito de toda criação”. CERTAMENTE NÃO PODE SER USADO PARA COMPROVAR QUE CRISTO FOI CRIADO.

Apologista da verdade:

Do ponto de vista trinitário, nem Colossenses 1:15-20 nem qualquer outro texto bíblico provaria que Jesus foi criado. Por outro lado, os unitários entendem que Jesus foi criado tendo por base Provérbios 8:22-30, Colossenses 1:15-20 e Apocalipse 3:14. Inclusive, Provérbios 8:22 na Septuaginta é traduzido “o Senhor me criou”.

Quanto ao uso de “outras” em Colossenses 1:16-20, entendo que não altera de forma alguma o sentido. Uma vez que Jesus é “o primogênito de toda a criação”, entendo que ele faz parte da criação. Na Bíblia, o primogênito sempre faz parte do grupo em que é aludido como primogênito. Como explica o livro “Raciocínios à Base das Escrituras”:

Antes de Colossenses 1:15, a expressão “primogênito” ocorre mais de 30 vezes na Bíblia, e em todos os casos em que é aplicado a criaturas viventes, tem o mesmo significado — o primogênito faz parte do grupo. “O primogênito de Israel” é um dos filhos de Israel; “o primogênito de Faraó” é um da família de Faraó; “os primogênitos dos animais” são eles próprios animais. O que faz com que alguns atribuam, então, um significado diferente a “primogênito” em Colossenses 1:15?


Visto que Jesus faz parte da criação, ele é um ser criado. Coerente com isso, o sentido do verso 16 é o de que “por meio dele foram criadas todas as OUTRAS coisas”. “Outras” porque Jesus não foi criado por ele mesmo. Ele foi criado diretamente por Deus. E Deus o utilizou para criar as OUTRAS coisas. Mesmo sem o uso da palavra “outras”, ela fica subentendida pelo fato de Jesus ser parte da criação.

Os versos 19 e 20 mencionam que “Deus se agradou de fazer morar nele toda a plenitude e, por meio dele, reconciliar todas as OUTRAS coisas consigo mesmo”. Óbvio que Jesus não precisaria ser reconciliado com Deus. Ele cumpre o papel de mediador nessa reconciliação. Assim, o que seria reconciliado seriam as “outras” coisas. Mesmo com a omissão da palavra “outras” isso fica subentendido.

Mas, os trinitários pensam diferente. E isso deve ser respeitado. Cada um tem o direito de aceitar a crença que quiser.

[Continua na parte 2.]

 

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová. 

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 


domingo, 24 de janeiro de 2021

1 Coríntios 15:24: “ao Deus e Pai” (Almeida) ou “ao seu Deus e Pai” (TNM)

Matéria extraída do site Tradução do Novo Mundo Defendida.  

 

A Bíblia Almeida Revista e Atualizada em 1 Cor. 15:24 diz: “E, então, virá o fim, quando ele entregar o reino ao Deus e Pai, quando houver destruído todo principado, bem como toda potestade e poder.”  

Tradução do Novo Mundo apresenta a seguinte tradução: “A seguir, o fim, quando ele entregar o Reino ao seu Deus e Pai, depois de ter reduzido a nada todo governo, toda autoridade e poder.”  

A frase grega em destaque nos textos acima é τ Θε κα Πατρί (toi theoi kai patrí), que literalmente quer dizer “o Deus e Pai”. Contudo, tanto o artigo τ (toi) quanto o substantivo Θε (theoi) estão no dativo. Este é um dativo de posse. Literalmente, então, podemos ver que está subentendido algo mais do que simplesmente “o Deus e Pai”, mas “ao Deus e ao Pai [dele/seu]”. O mesmo acontece em uma construção similar em Tiago 1:27 onde lemos na Almeida: “A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai.” (ARA; o adjetivo “nosso" ocorre nas versões  NASB, ASV, HCSB, ERV, WNT, WEB, King James em Português, Nova Almeida Atualizada, Nova Versão Internacional etc.). 

Esse texto literalmente diz:

 

θρησκεία καθαρὰ καὶ ἀμίαντος παρὰ τῷ θεῷ καὶ πατρὶ

threskeia  kathara  kai amiantos pará toi  theoi kai patri

A Religião pura e sem mácula para com o Deus e Pai


Onde está o adjetivo possessivo “nosso” no texto grego? Não existe literalmente! Mas está subentendido. Segundo o Exegetic Commentary on The New Testament, de Craig Blomberg, erudito do Novo Testamento, e Mariam Kamell, nesta passagem “o artigo provavelmente funciona ao menos parcialmente como um pronome possessivo”. 

Em Mateus 15:5, a expressão τ πατρ (toi patrì; literalmente “o pai”), que também ocorre no caso ou forma gramatical conhecido como dativo, é vertido por “a seu pai” tanto na ARA, na NVI e em inúmeras versões de língua inglesa e de língua portuguesa. Isso confirma que há, de fato, um dativo de posse nesta passagem. A mesmíssima construção gramatical ocorre em Marcos  7:11, onde lemos: 

Marcos 7:11 S-DMS (Substantivo Dativo Masculino Singular)

GRK: νθρωπος τ πατρ  τ

ARA: “Disser a seu pai.”

NAS: “Disser ao [seu] pai.”

KJV: “Que disser a seu pai.” 

Observe ainda Marcos 7:12 e Lucas 15:12, onde τ πατρί  é vertido “a seu pai”. 

Lucas 15:12 S-DMS

GRK: ατν τ πατρί

NVI: “Disse ao seu pai.”

NAS: “Disse ao seu.”

KJV: “Disse ao [seu] pai.” 

Em Efésios 5:20, a mesma expressão τ Θε κα Πατρί é vertida “ao nosso Deus e Pai” na Tradução do Novo Mundo da Bíblia.  Portanto, o artigo e o substantivo em grego, ambos no dativo, apresentam um dativo de posse.  Poderá confirmar isso em inúmeros textos adicionais nas Escrituras Gregas Cristãs. Infelizmente, a maioria das versões da Bíblia traduzem 1 Coríntios 15:24 de maneira a acomodar suas preferências teológicas. Empregaram o adjetivo possessivo somente onde isto não seria problema para eles perpetuarem sua teologia. 

[Fim do artigo.] 

Veja também os artigos: 

A expressão “seu Deus” em 1 Coríntios 15:24 está correta? (Parte 1) 

A expressão “seu Deus” em 1 Coríntios 15:24 está correta? (Parte 2)


Explicação das siglas usadas: 

ARA: Almeida Revista e Atualizada

ASV: American Standard Version

ERV: English Revised Version

HCSB: Holman Christian Standard Bible

KJV: King James Version

NASB, NAS: New American Standard Bible

NVI: Nova Versão Internacional

WEB: World English Bible

WNT: Weymouth New Testament


Fonte da matéria: https://traducaodonovomundodefendida.wordpress.com/2020/06/25/1-corintios-1524-ao-deus-e-pai-almeida-ou-ao-seu-deus-e-pai-tnm/ 

 

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová. 

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 

 



domingo, 17 de janeiro de 2021

Mateus 5:17-19 afirma que a Lei deixaria de vigorar?

Fonte: jw.org


A respeito do artigo “Télos em Romanos 10:4 – ‘fim’ ou ‘finalidade’?”, um leitor escreveu:

Mateus 5:17 ao 19 diz claramente sobre isso. O céu e a terra já passaram? Não? Então a lei não passou. Em Romanos 7:12 Paulo enaltece a lei; por que ele falaria mal em Romanos 10:4?

Se alguma palavra de Paulo contraria o que Jesus disse, só há duas explicações: ou Paulo estava contrariando Jesus ou você não sabe interpretar Paulo. Pedro mesmo já dizia que os escritos de Paulo são de difícil entendimento.

Jesus, Paulo, Pedro e todos os discípulos eram judeus, a Bíblia foi escrita exclusivamente por judeus e um prosélito.

Jeremias 31:31 diz claramente que a nova aliança Deus colocaria a lei dEle no nosso coração, não uma nova lei, mas a lei dEle, a lei já existente.

“A salvação vem dos judeus”, Jesus deixou bem claro isso... Quem contraria Mateus 5:17 ao 19 deve repensar seus conceitos.

Resposta:

Mateus 5:17-19 não diz respeito à Lei simplesmente passar, mas sim sobre ela passar SEM CUMPRIMENTO. Lemos em Mateus 5:18: “Nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.” (Almeida Revista e Atualizada) Ou seja, uma vez que a Lei fosse ‘cumprida’ (completada, terminada), ela ‘passaria’ (deixaria de vigorar).

Como explicou o artigo “Mateus 5:17 indica que a Lei dada à Israel continuaria no cristianismo?”, “a palavra grega usada aqui para “cumprir” (pleróo) tem o sentido de ‘completar’, ‘terminar’ (algo iniciado), ‘levar ao fim’”. Esse cumprimento foi realizado por Jesus Cristo. Uma vez cumprida em todos os aspectos, a Lei passou – deixou de vigorar.

Paulo não falou mal da Lei em Romanos 10:4, quando afirmou: “Porque Cristo é o fim da Lei, para que todo aquele que exercer fé possa alcançar a justiça.” Ele apenas salientou que a Lei cumpriu sua finalidade e, em consequência disso, ela deixou de vigorar. De fato, em parte alguma ele ou qualquer outro escritor cristão falou mal da Lei. Como reconheceu Paulo em Romanos 7:12: “Assim, a Lei em si mesma é santa, e o mandamento é santo, justo e bom.” Mas, ele falou isso num contexto no qual ele mostrou que a Lei, apesar de santa, deixou de vigorar para os cristãos. Paulo afirmou: “Mas agora fomos libertados da Lei.” – Romanos 7:6.

Assim, nem Paulo nem os demais escritores cristãos do “Novo Testamento” contrariaram Jesus. O problema está na interpretação do referido leitor das palavras de Jesus em Mateus 5:17-19.

Quanto a Jeremias, capítulo 31, o citado leitor deixou de observar que o “novo pacto” feito com os cristãos não é “como o pacto” que Deus fez com os israelitas quando os tirou do Egito. (Jeremias 31:32) E o escritor de Hebreus, ao fazer citação de Jeremias 31:31-34, explicou: “Ao dizer ‘um novo pacto’, ele tornou ultrapassado o anterior.” (Hebreus 8:7-13) Além disso, o escritor de Hebreus também declarou: “Pois, mudando-se o sacerdócio, torna-se necessário mudar também a Lei.” (Hebreus 7:12) O sacerdócio levítico deixou de vigorar. Do mesmo modo, a Lei dada a Israel com seus dez mandamentos também deixaram de vigorar. Assim, as “leis” que Jeová colocou no coração dos cristãos são as leis cristãs, mencionadas coletivamente como “a lei do Cristo”. – Gálatas 6:2.

Para mais informações a respeito, veja a série de artigos Os ‘Dez Mandamentos’ com seu sábado semanal devem ser guardados pelos cristãos?” clicando nos textos linkados abaixo:

Parte 2  


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org











domingo, 10 de janeiro de 2021

O fato de Jesus perdoar pecados prova que ele é o Deus Todo-Poderoso?


Fonte: jw.org

Contribuído.

Certo evangélico disse que Jesus perdoou pecados, e que só Deus pode perdoar pecados, inferindo disso que Jesus é o Deus Todo-Poderoso.

Mas, quem disse que só Deus pode perdoar pecados? Veja a resposta em Marcos 2:6-7, que declara: “Mas alguns dos escribas estavam assentados ali e arrazoavam em seu coração: Por que fala ele deste modo? Isto é blasfêmia! Quem pode perdoar pecados, senão um, que é Deus?” – Almeida Revista e Atualizada.

Segundo o texto acima, foram os escribas. Note o que Jesus respondeu: “Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados...” (Marcos 2:10, ARA) Jesus disse que tem autoridade. Quem lhe deu tal autoridade? Deus.

Agora veremos outros textos que elucidam melhor quem pode perdoar pecados.

“Se de alguns perdoardes os pecados, são-lhes perdoados; se lhos retiverdes, são retidos.” (João 20:23, ARA) Com quem Jesus falava? Com seus discípulos. Então, este texto mostra que eles também tinham autoridade para perdoar pecados.

“Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.” (Tiago 5:16, ARA) O contexto acima mostra que os que tomam a dianteira têm autoridade, com base nos princípios bíblicos, para perdoar os pecados dos que pecam contra a congregação.

“Acautelai-vos. Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; se ele se arrepender, perdoa-lhe.” (Lucas 17:3, ARA) Quem mais pode perdoar pecados? Nós. Este texto acima mostra que podemos perdoar os pecados que um irmão cometeu contra nós.

Comparando as passagens, vemos que o fato de Jesus perdoar pecados não o tornava Deus, porque o próprio contexto mostra que ele ‘tinha sobre a terra autoridade para perdoar pecados’. (Marcos 2:10) Assim, Jesus não usaria um critério independente e pessoal, mas estaria de acordo com a autoridade do Pai. Da mesma forma, os pecados perdoados pelos apóstolos não seriam por opinião pessoal; mas, por serem homens espirituais, avaliaram a situação à luz das Escrituras, e a decisão tomada por eles estaria em harmonia com a vontade de Deus. Sendo assim, eles, como Jesus, seriam apenas representantes de Deus. Da mesma forma hoje os anciãos seguem tal proceder. Portanto a argumentação do referido evangélico é antibíblica.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





domingo, 3 de janeiro de 2021

1 Coríntios 7:36-38 – “virgem” ou “virgindade”?


Fonte: jw.org

Lemos em 1 Coríntios 7:36-38: “Mas, se alguém pensa que se está comportando de modo impróprio para com a sua virgindade, se esta estiver além da flor da juventude, e este é o modo em que deve ocorrer, faça ele o que quiser; ele não peca. Casem-se. Mas, se alguém estiver resolvido no seu coração, não tendo necessidade, mas tiver autoridade sobre a sua própria vontade e tiver feito esta decisão no seu próprio coração, de manter a sua própria virgindade, ele fará bem. Consequentemente, também faz bem aquele que der a sua virgindade em casamento, mas, aquele que não a der em casamento fará melhor.” As traduções em geral vertem por “virgem”, “filha virgem” ou “noiva”. 

Sobre tais formas de traduzir, o artigo “παρθένος (‘Parthénos’) em 1 Coríntios 7:36-38 – ‘virgem’ ou ‘virgindade’?” mencionou que “a vasta maioria das traduções usadas pela cristandade – tanto por católicos quanto por evangélicos – traduz de modo incoerente essa passagem, dando a ideia de que a Bíblia promove o incesto, ou o machismo”. O supracitado artigo demonstrou que o termo grego parthénos pode ser corretamente traduzido por “virgindade”.

A respeito desse artigo, um leitor se expressou como segue:

Deixa eu ver se entendi; então, o que é parthenía? Outros leitores também podem não ter pego.

Resposta:

Pathenía (grego παρθενία) significa “virgindade”. O artigo mostrou que parthénos (literalmente “virgem”) também tem a conotação de “virgindade”, ou seja, estado ou condição de virgem, em 1 Coríntios 7:36-38.

Após isso, o referido leitor perguntou:

Em que o “s” em parthenías diferencia esse termo de parthenía? O artigo deixou no ar que esses termos são complexos e com variedade de aplicações.

Resposta:

Parthenías (com o sigma no final) é o mesmo substantivo feminino parthenía no singular no caso genitivo.

Não entramos no campo de definições e detalhes, visto que este artigo foi escrito para defender a Tradução do Novo Mundo. Por outro lado, o artigo não é uma avaliação básica, mas uma referência mais detalhada e aprofundada sobre o tema. Uma resposta a alguns em seu questionamento.

Críticas e pontos de vista divergentes são algo natural, e aceitamos postar em algumas ocasiões. Contudo, quando a pessoa escreve com o intento de zombar, a coisa é bem diferente. Certo crítico afirmou, com base em alguns respeitados léxicos (Bauer e Liddel e Scott), que parthénos “não significa virgindade”. Ele cita as seguintes fontes seculares:

BAUER:

παρθενία, ας, (παρθένος; Sappho, Pind., Trag. +) estado de ser virgem, virgindade (Callim., Hino 3, 6 de Artemis: παρθενίη αώνιος; Aristocritus [III bc]: 493 Fgm. 5 Jac. de Hestia; Diod S 5, 3, 4) π. Mαρίας IEph 19:1. Do tempo da virgindade (w. foco no tempo de entrada no status de casado).

LIDDELL-SCOTT:

παρθένος, Lacon. παρσένος Ar.Lys.1263 (lyr.), , donzela, menina, Il.22.127, etc.; α θλιαι π. myμαί minhas meninas infelizes, S.OT1462, cf. Ar.Eq.1302; também γυν παρθένος Hes.Th.514; π. κόρα, da Sphinx, dub. em E.Ph.1730 (lyr.); θυγάτηρ π. X.Cyr.4.6.9; de Persephone, E.Hel.1342 (lyr.), cf. S.Fr.804; virgem, opp. γυνή, Id.Tr.148, Theoc.27.65.

Após tais fontes, decidimos observar o assunto com mais atenção e percebemos algum ponto que foi despercebido referente à gama de significação de PARTHÉNOS e até mesmo de PARTHENÍA.

Para se inteirar do assunto, leia os cinco artigos da série abaixo:

 

Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 1


Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 2


Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 3


Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 4


Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 5 (Final)



Referências:

Parthenía. The KJV New Testament Greek Lexicon. Disponível em: <https://www.biblestudytools.com/lexicons/greek/kjv/parthenia.html>.

______. The NAS New Testament Greek Lexicon. Disponível em: <https://www.biblestudytools.com/lexicons/greek/nas/parthenia.html>.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org











Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *