Image Map











domingo, 10 de julho de 2022

O que é “impureza” (akatharsía)?

 

Contribuído.

 

Em sua carta aos gálatas, Paulo, sob inspiração do espírito santo, menciona várias obras da carne cujo o praticante se torna inelegível para o reino de Deus. (i.e., terá a salvação anulada.)

Uma dessas obras da carne é akatharsía, a saber, “impureza”. Lemos:

(Gálatas 5:19-21) 19 Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são fornicação, impureza. . . os que praticam tais coisas não herdarão o reino de Deus.

Afinal, na prática, o que é “impureza”? Será que se refere a ações ou a sentimentos? Podemos saber a quais ações concretas tal palavra se refere? Neste artigo analisarei as referências desse termo no Novo Testamento e mostrarei seu real sentido e aplicação nas Escrituras Sagradas.

Dissertação

Definição versus referência

As palavras possuem definições, que são explicações dos sentidos que podem ser lidas em dicionários, e também possuem referências, que são aquilo a que, na prática, a palavra está fazendo a alusão.

Na hora de traduzir para o idioma alvo, o tradutor deverá escolher entre usar o sentido ou a referência para uma palavra ou expressão. O problema de traduzir tudo de forma sempre literal (com base no sentido) é que muitas palavras e expressões não farão sentido no idioma alvo. Um exemplo disto é o uso de metáforas. São frequentes os casos em que uma palavra é usada com referência distinta do sentido, embora não plenamente; o problema de traduzir pela referência é que a opinião do autor influenciará a compreensão do leitor quanto ao sentido original da mensagem. Pode-se dizer que o sentido do signo linguístico é encontrado no léxico, mas a referência é encontrada no contexto.

Vejamos um exemplo disso. A palavra grega κοίτη (koitē) significa literalmente “cama” ou “sofá”. Este é o sentido da palavra. No entanto, em Hebreus 13:4 o escritor usa κοίτη para se referir a “relação sexual”, como no caso do adultério. Esta é a referência da palavra. O termo “cama” é usado para se referir às relações sexuais devido à conexão entre cama e as intimidades do matrimônio. Já em Romanos 13:13, o termo “cama” é usado como referência à “emissão de sêmen”.

Algumas palavras gregas são bastante abstratas, e isso dificulta a tradução porque não sabemos a referência original na mente do escritor, não sabemos a que exatamente o escritor se referia a menos que o contexto venha a esclarecer. Uma palavra abstrata pode ser usada de forma muito ampla, mas se for usada muitas vezes e em muitos contextos, será mais fácil de compreender sua raiz semântica por ver o sentido básico em comum. Quanto mais próximos da raiz semântica forem os usos da palavra, mais identificável ela será, mas o termo se torna mais obscuro à medida que seus usos se afastam da raiz semântica. E se a palavra é usada poucas vezes, fica bem mais difícil entender seu sentido básico.

Esses exemplos esclarecem a diferença entre sentido e referência. Na palavra akatharsía, temos o sentido que é “impureza”, mas mostrarei que não encontramos referências claras no Novo Testamento, isto é, não sabemos com certeza absoluta a que akatharsía faz referência, quais ações, quais sentimentos, quais situações.

 Definições lexicais de akatharsía

A definição do Mounce Concise Greek-English Dictionary para esse termo é: “impureza, lascívia [desejo sexual exagerado], impureza de motivo”. Destaquei em negrito a última expressão “impureza de motivo” porque a obra Thayer’s Greek Definitions usa também a mesma expressão e porque é a referência semântica mais objetiva que pode ser encontrada nas Escrituras Gregas Cristãs para akatharsía.

Em todas as 10 (dez) ocorrências de akatharsía no NT, nenhuma ação concreta é relacionada ao termo, e as referências mais claras que encontramos é em conexão com sentimentos impuros e porneía, ilegalidade e também o estado de impureza/sujeira em sentido moral. Em outras palavras, na Bíblia, akatharsía não possui aplicação muito clara, mas pode se referir aos sentimentos impuros que acompanham ações impuras e também ao estado de impureza após ter-se cometido sexo ilícito (porneía).


De todas as referências para akatharsía no Novo Testamento, nenhuma ação concreta é atribuída ao termo.

Na tabela a seguir pode-se observar todas as ocorrências de akatharsía no NT. Leia atenciosamente cada texto e perceberá que a palavra nunca se refere a ações concretas; mas as referências mais perceptíveis são:

1) A sujeira literal (Mat 23:27), o que pode ser usado como metáfora para uma aplicação moral;

2)     Sentimentos impuros (1Tes 2:3, 4);

3)   O estado de impureza em contraste com o estado de santidade. (1Tes 4:7) Isso ocorre após o pecado ter sido cometido;

Texto

Citação (TNM15)

Referência

Mat 23:27

“Ai de vocês, escribas e fariseus, hipócritas! Porque são como sepulcros caiados, que por fora realmente parecem belos, mas por dentro estão cheios de ossos de mortos e de todo tipo de impureza.”

Aquilo que é podre, fétido, que está dentro de uma sepultura.

Rom 1:24

Portanto Deus, em harmonia com os desejos do coração deles, os entregou à impureza, para que desonrassem o seu próprio corpo.”

Relacionada a atos homossexuais, mas não se sabe a que exatamente.

Rom 6:19

“Estou falando em termos humanos por causa da fraqueza da sua carne; pois, assim como vocês apresentaram os seus membros como escravos à impureza e ao que é contra a lei, resultando no que é contra a lei, apresentem agora os seus membros como escravos à justiça, o que levará à santidade.”

Está conectada com “aquilo que é contra a lei”. Mas não se sabe exatamente o que seria isso.

2Co 12:21

“Talvez, quando eu for novamente, meu Deus me humilhe diante de vocês, e eu tenha de chorar por muitos que anteriormente pecaram e não se arrependeram da impureza, da imoralidade sexual e da conduta insolente que praticaram.”

Parece estar relacionada a desejos imorais.

Ef 4:19

“Tendo perdido todo o senso moral, entregaram-se à conduta insolente para praticar com ganância [lucro monetário injusto] todo tipo de impureza.”

Aparenta estar relacionada a algo sexualmente imoral.

Ef 5:3

“A imoralidade sexual, todo tipo de impureza e a ganância [lucro monetário injusto] não sejam nem mesmo mencionadas entre vocês, assim como é próprio de pessoas santas. . .”

Não há referências claras.

Gál 5:19

“As obras da carne são claramente vistas. Elas são: imoralidade sexual, impureza, conduta insolente. . .”

Relacionada à sexualidade, mas não se sabe a que exatamente.

Col 3:5

“Façam morrer, portanto, os membros do seu corpo com respeito a imoralidade sexual, impureza, paixão desenfreada, desejos prejudiciais e ganância, que é idolatria.”

Relacionada a algo sexualmente imoral, aparentemente desejos.

1Tes 2:3, 4

“Pois a exortação que damos não vem de erro nem de impureza, nem é enganosa. . . o nosso coração.”

Certamente relacionada a sentimentos.

1Tes 4:7

“Pois Deus nos chamou, não para a impureza, mas para a santidade.”

Relacionada ao estado de estar impuro em contraste com o estado de ser santo.

 

Essa exposição objetiva mostra que nenhuma ação específica é atribuída à akatharsía (impureza) no NT; também mostra que o termo, quando há uma referência um pouco mais clara, conecta-se a sentimentos/desejos impuros, ou mesmo àquilo que é sujo de forma genérica, e também ao estado de impureza resultante de um pecado sério (como porneía) em contraste com o proceder de santidade, mas nunca a ações concretas. Nesta última referência, poderíamos dizer que se um sujeito pratica sexo ilícito, ele está em um estado de impureza. Logo, a raiz semântica de impureza não é uma ação. Neste ponto, impureza seria o resultado moral de porneía. Em outras palavras, “impureza” não é o que a pessoa faz, mas é o estado moral que passa a ter por causa dos pecados que comete.

Será que poderíamos inventar ações e dizer que os que praticam tais ações são culpados de “impureza” segundo o uso escriturístico do termo, e assim excomungá-los/desassociá-los da congregação? Reflitamos sobre a seguinte situação hipotética. Dois namorados se beijam apaixonadamente e ficam sexualmente estimulados, mas não fazem nada além disso; eles são solteiros e desimpedidos. Será que poderíamos dizer que cometeram “impureza”? Não há uma resposta objetiva com base na Bíblia para isso, pois, conforme a lista anterior atesta, a Bíblia não apresenta quaisquer ações para a palavra akatharsía. Portanto, ninguém poderá dizer que as pessoas envolvidas neste exemplo hipotético são culpadas de cometer “impureza” em seu sentido bíblico. E há ainda outro motivo lógico que reitera essa conclusão, conforme mostrarei a seguir.

Jeová Deus criou o homem para a mulher e a mulher para o homem. Se dois jovens desimpedidos estão namorando e pretendem se casar, é não apenas natural como também excelente que tenham forte atração sexual um pelo outro. Deus nos criou dessa forma – isso procede do Criador. Portanto, ninguém poderá dizer que a “forte atração sexual” entre um homem e uma mulher que pretendem se casar é “impureza”.

As relações sexuais são apenas para os casados segundo a moralidade cristã. O sexo pré-marital corresponde à porneía, que é uma ação pecaminosa. (1 Coríntios 7:1-3) Portanto, é obviamente impróprio que um casal de namorados acaricie os seios – no caso, o rapaz para com a moça – ou que acariciem por cima ou por baixo da roupa os órgãos sexuais um do outro, pois normalmente as relações sexuais entre casados começam dessa forma e, visto que duas pessoas ainda não casadas não podem ter relações sexuais, não devem estimular os desejos uma da outra de tais formas.

Entretanto, se um casal de namorados fizer isso uma, duas ou mesmo várias vezes, mas não forem além disso, são eles culpados de cometer “impureza”, segundo a Bíblia? A resposta é: ninguém pode afirmar isso. Parece absurdo? Se você acha que sim, peço que aguente firme e reflita comigo sobre os 3 pontos a seguir:

1)             A Bíblia não atribui nenhuma ação concreta a akatharsía. Assim, não há base bíblica objetiva ou mesmo comparativa para afirmar que tal ação equivale a impureza;

2)           Impureza é apresentada como sentimento/desejo, e não sabemos julgar os sentimentos dos envolvidos para determinar de forma objetiva se são culpados de impureza. Só Deus poderá condenar pessoas pela “impureza de motivo” no íntimo delas;

3)    Não há nada de impuro em um casal de jovens que têm forte atração/desejo sexual um pelo outro, pois Jeová nos criou assim. Eles continuarão tendo o mesmo desejo um bom tempo depois de casados, apenas o que mudará é o fato de estarem casados, não o desejo em si. Portanto, o desejo que sentem um pelo outro não é pecado;

É evidente que dois jovens que praticam isso se colocam em sério risco no que tange a potenciais pecados mais graves. O senso comum sugere que provavelmente, embora não necessariamente, tais jovens se envolverão em conduta sexual pecaminosa, a saber, fornicação/imoralidade sexual. (Leia Provérbios 6:27) Se eles se tornarem fornicadores, eles se tornam impuros perante Deus, e deverão ser expulsos da congregação, não por terem “praticado impureza”, mas por terem se tornado fornicadores. A impureza é o resultado disso.

A que akatharsía não se refere?

Conforme já dissertei, no NT não há ações concretas atribuídas a akatharsía, mas o termo, quando a referência é mais claramente identificável, refere-se a sentimentos/desejos impuros, sentimentos de caráter sexual que não deveriam ser nutridos, ao estado de impureza em contraste com o proceder de santidade e também à sujeira/impureza de modo geral, que é um estado, não uma ação. Ao que tudo indica, é por isso que o termo muitas vezes aparece junto de porneía (sexo ilícito). Portanto, a seguir enfatizo ações às quais akatharsía, no seu uso bíblico, não se refere:

a.  Não se refere à ação de viver em “extrema falta de limpeza (física)”, como no caso de uma pessoa ser bastante suja, talvez por não escovar os dentes frequentemente, banhar-se raramente, expelir odores indesejáveis, mesmo porque padrões de limpeza variam muito do Brasil para a África, por exemplo. A Bíblia não apresenta níveis de impureza que seriam supostamente toleráveis e além dali não mais seriam toleráveis.

b.  Não se refere à ação de usar tabaco, noz de bétele ou mesmo drogas intoxicantes como maconha, cocaína, morfina, nem ao abuso de remédios. Obviamente, se a pessoa ficar propositalmente intoxicada, ela se torna impura como resultado do pecado;

c.   Não se refere à ação de fazer sexting (falar sobre coisas imorais pelo telefone) mandar fotos sensuais pelo computador ou smartphones, embora, evidentemente, tais ações sejam motivadas por desejos impuros;

d.  Não se refere à ação de assistir pornografia ou mesmo “formas repulsivas de pornografia”, como vídeos de estupro em grupo, sexo grupal, ou qualquer outra coisa tão repugnante quanto; embora, evidentemente, tais práticas sejam motivadas por desejos impuros;

Todas as ações acima são certamente erradas e algumas delas repugnantes para alguém que leva o nome de Cristo e de Jeová Deus. Contudo, as ações mencionadas não são akatharsía no sentido bíblico do termo, pois akatharsía não se refere a ações. Não me entenda mal, prezado leitor, é claro que eu concordo que todas essas ações são péssimas para qualquer pessoa, ainda pior para aqueles que portam o nome do Senhor. Não há dúvidas de que um cristão viciado em pornografia está nutrindo desejos impuros que o tornam inelegível para o reino de Deus. O foco deste estudo que apresentei aqui é apenas apresentar o sentido e aplicação na Bíblia do termo “impureza” (akatharsía).

O que são “sentimentos impuros”?

Sentimentos impuros (akatharsía) tornam a pessoa inelegível para a salvação. Visto que não podemos julgar sentimentos, tal impureza só pode ser julgada pelo Criador, que examina nossos corações, nunca pela congregação. (1 Crônicas 28:9) Em outras palavras, a congregação julga ações; as motivações, sentimentos, desejos são julgados apenas pelo Criador. (1 Coríntios 6:1-6) Todo o cristão, entretanto, tem em si o dever de lutar contra desejos impuros. Vejamos alguns desejos impuros que os cristãos devem repudiar ou contra os quais todo cristão deve lutar:

a)          Desejos sexuais por pessoas casadas; (Êxodo 20:17; Mateus 5:28)

b)  Desejos sexuais por pessoas sem roupa (refiro-me à pornografia); (Jó 31:1)

c)        Desejos sexuais por qualquer coisa que vá contra a natureza da sexualidade pura criada por Jeová, tal como por pessoas do mesmo sexo, por crianças, ou até mesmo por animais; (Romanos 1:24, Judas 7)

d)   Desejos de ódio, assassinato, agressão, tortura ou outras coisas moralmente repulsivas;

Sem dúvida, pode haver casos em que o modo como um menino ou menina foi criado (a), talvez sem a presença de um pai ou mãe exemplar, ou mesmo casos de abuso sexual infantil, ou ainda fatores hormonais, façam um jovem sentir atração por pessoas do mesmo sexo, ou outros desejos impróprios segundo os conceitos de Deus apresentados nas Escrituras Sagradas.

Há obviamente desejos que não pedimos para ter, mas simplesmente temos e não podemos apagá-los totalmente. Contudo, lembremo-nos de uma bela ilustração: você não pode impedir que um pássaro sobrevoe sua cabeça, mas pode impedi-lo de fazer um ninho ali. O mundo apartado de Deus tem ensinado que não há desejos sexuais errados, mas que todo o desejo sexual é puro e deve ser extravasado. Isso evidentemente não se harmoniza com o conceito bíblico de um homem virtuoso. O homem virtuoso tem autodomínio (autocontrole), trata as mulheres com dignidade, como damas a serem amadas, protegidas e honradas, não como objetos de prazer ou pedaços de carne com os quais seus desejos impuros poderão ser satisfeitos.

Mulheres virtuosas respeitam os homens e agem como pessoas dignas de respeito por eles, esperam deles força moral, masculinidade e virilidade, gentileza, determinação e atitude, esperam que os homens sejam bons trabalhadores e provedores, não os encaram como objetos sexuais nem se permitem serem vistas dessa forma por eles.

Há muitos desejos impuros que habitam os corações das pessoas no mundo apartado do Soberano Senhor Jeová. É imperativo que nós, cristãos, lutemos contra tais desejos e evitemos situações que poderiam despertá-los em nós, como assistir pornografia, participar de conversas onde o sexo é abordado de modo vulgar, ou mesmo frequentar locais onde mulheres e homens praticam lap dancing e coisas semelhantes a estas. Aqueles que nutrem desejos impuros não herdarão reino de Deus e aqueles que praticam o pecado se tornam impuros.

Conclusão

A palavra akatharsía é traduzida por “impureza” e significa “impureza de motivo”. Nenhuma ação concreta é atribuída a tal termo nas Escrituras, mas sempre que há uma referência clara, akatharsía alude aos desejos impuros, à ilegalidade, à sujeira e ao estado de impureza em contraste com o proceder de santidade. A Bíblia ensina que os que nutrem sentimentos impuros não herdarão o reino de Deus.

 

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová. 

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 


5 comentários:

  1. Muito bom. É essencial que todos os anciãos saibam disso.

    ResponderExcluir
  2. Será que falta conhecimento da lingua grega por parte dos que tomam dianteira na organização? será que eles não se dão conta da necessidade de fazer mudança quando ao entendimento e aplicação de porneia e impureza? essas perguntas só eles podem responder, porem é muito provável que algum irmão tenha enviado essas pesquisas ao corpo governante. Por favor Apologista continue postanto exelentes artigos como este.

    ResponderExcluir
  3. Olá, irmão. Este assunto é muito interessante. Houve um tempo em que eu pensava que não era necessário saber os idiomas originais da bíblia, pois já temos a tradução em português. Eu não poderia estar mais errado. Com estes artigos recentes percebi quão fundamental é saber um pouco de grego, pelo menos. Mas se acrescentar o hebraico, fica melhor. É essencial que os instrutores da bíblia conheçam os idiomas originais.

    ResponderExcluir
  4. Eu gostaria que o livro dos anciãos PASTOREM de 2019 fosse tornado público aos irmãos. Acho estranho que os irmãos não possam ter acesso uma vez que o livro é supostamente baseado na Bíblia. E a Bíblia é de conhecimento público

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também. Em todos os países livres e democráticos o código penal é aberto ao público.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *