Image Map











quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Por que Jesus é chamado de “Pai da eternidade”?

Fonte da ilustração: jw.org

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz..” – Isaías 9:6.

A expressão hebraica em questão é ’Avi·‛ádh. ’Av significa “pai” e ‘ádh (hádh)indica ilimitado tempo futuro, sempiternidade ou eternidade”[1]. Assim, embora a Tradução d0 Novo Mundo verta por “Pai Eterno”, a nota de rodapé da Tradução d0 Novo Mundo das Escrituras com Referências (Revisão de 1986) explica: “Ou ‘Pai Para Sempre’. Hebr.: ’Avi·‛ádh.

Com base nessa expressão (“Pai da eternidade”) aplicada ao Filho, Jesus Cristo, os trinitaristas defendem que ele e seu Pai compartilham da coeternidade, sendo assim coiguais.

Contudo, tal argumento é produto de um olhar superficial tanto na questão do uso epistemiológico (textual) quanto contextual (ou semântico) da expressão “Pai da eternidade” e da palavra hebraica para “eternidade” no texto de Isaías 9:6.

O uso de ʽadh diz respeito à eternidade futura

Para comprovar isso, observe nos textos abaixo os usos de ʽadh:

Salmo 19:9: “O temor de Jeová é puro, dura para sempre.”

Isaías 45:17: “Mas Israel será salvo por Jeová, e essa salvação será eterna. Vocês não serão envergonhados nem desonrados por toda a eternidade.”

Habacuque 3:6: “Ele parou e fez a terra tremer. Com um olhar, fez nações estremecer. Os montes eternos foram despedaçados, e as colinas antigas se encurvaram. Os caminhos da antiguidade pertencem a ele.”

Salmo 104:5: Estabeleceu a terra em seus alicerces; ela nunca, jamais, será tirada do seu lugar [“Ou: ‘será abalada.’”, nota da NM Revisada de 2015.].”

Note que todos os usos acima de ʽadh dizem respeito à eternidade futura, pois as coisas descritas como eternas tiveram princípio.

O mesmo se pode dizer do uso de ʽadh com referência a Jesus. O contexto bíblico comprova isso.

“Pai da Eternidade” no contexto bíblico

A profecia de Isaías 9:6 não é uma descrição do Filho em sua existência atemporal, como pretendem os trinitários, mas diz respeito à atividade messiânica dele. Prova disso é que inicia assim: “Porque um menino nos nasceu.” Em sua existência pré-humana, o Filho não era um menino, mas um ser espiritual. Concordemente, todos os títulos usados em Isaías 9:6 para o Filho têm a ver com sua atividade messiânica, a partir de sua existência humana, pois tais títulos são prefaciados pela frase “e será chamado …”.

Como o Messias enviado por Deus, Jesus mostrou ser realmente um “Maravilhoso Conselheiro” ao ensinar e um “Deus Poderoso” ao realizar milagres e expulsar demônios. Tendo em vista que o termo “Deus” (ou “deus”) na Bíblia se aplica, sem conotação idólatra, a alguém poderoso, vale ressaltar que os anjos são chamados de ʼelo·hím (“deuses”) no Salmo 8:5, e são seres poderosos, conforme o Salmo 103:20. Assim, cada anjo é um deus poderoso.[2] No entanto, o uso do título “Deus Poderoso” em Isaías 9:6 diz respeito a uma atividade específica realizada pelo Filho de Deus – seu papel como Messias.

Quando estabelecer o seu Reino messiânico sobre a Terra, ele mostrará ser, num amplo sentido, o “Príncipe da Paz” (“‘Príncipe Pacífico’, isto é, um príncipe que dá paz’, nota NM Com Referências), pois o versículo 7 acrescenta: “A expansão do seu reinado e a paz sobre o trono de Davi e sobre o seu reino não terão fim, de modo que este será estabelecido firmemente e amparado por meio da justiça e da retidão.” Mas que dizer de seu papel messiânico como “Pai da Eternidade”?

Desde que depôs sua vida humana perfeita em favor da humanidade, Jesus se tornou o “Pai da Eternidade” futura da raça humana, pois possibilitou tal eternidade aos humanos que voluntariamente harmonizarem suas vidas com a vontade de Deus. – João 3:16; 10:10; Romanos 6:23.

Assim, tanto num sentido textual quanto contextual, a expressão “Pai da Eternidade” não torna o Filho coeterno com o Pai. Por que podemos dizer isso?

Porque, como vimos, a eternidade referida ao Filho é futura, ao passo que o Pai – e somente o Pai – tem eternidade passada.  Diz a Palavra de Deus sobre ele:

“Ó Jeová, tu tens sido nossa morada por todas as gerações. Antes de nascerem os montes ou de teres formado a terra e o solo produtivo, de eternidade [passada] a eternidade [futura], tu és Deus.” – Salmo 90:2.


Notas:
[1] Estudo Perspicaz das Escrituras (vol. 3, p. 687, publicado pelas Testemunhas de Jeová), verbete “Tempo indefinido”.
[2] Para um entendimento do uso da palavra “Deus” (ou “deus”) na Bíblia sem conotação idolatra, veja o artigo O uso e significado da palavra “Deus” (Elohim) nas Escrituras Sagradas no blog “Tradução do Novo Mundo Defendida”.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *