Image Map











domingo, 25 de setembro de 2011

Personificação prova personalidade?

Fonte da ilustração: 
https://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/ws20141115/Agora-voc%C3%AAs-s%C3%A3o-povo-de-Deus/

 
   “Aconteceu uma vez que as árvores foram ungir um rei sobre si. Disseram, pois, à oliveira: ‘Reina sobre nós.’ Mas a oliveira lhes disse: ‘Deveria eu renunciar à minha gordura com que se glorifica a Deus e os homens e deveria ir para oscilar sobre as outras árvores?’” – Juízes 9:8, 9.

     A personificação, também chamada de prosopopeia, é uma figura de linguagem que consiste em atribuir dotes e qualidades pessoais a algo impessoal. A citação bíblica acima é um exemplo desse recurso literário. De fato, essa figura é bastante comum no dia a dia. Expressões tais como “hoje o dia está triste”, (quando o céu nublado e/ou o tempo frio produzem tristeza no ser humano,) e “esse parafuso não quer entrar”, (como se o parafuso tivesse vontade própria,) são exemplos comuns desse estilo. A Bíblia está repleta de exemplos de personificação, ou prosopopeia. Seguem, abaixo, alguns desses exemplos:

     “A palavra de Jeová . . . foi dizer-lhe.” – 1 Reis 19:9.
     “Meu divã me consolará.” – Jó 7:13.
     “As próprias colunas do céu . . . estão pasmadas.” – Jó 26:11.
     “Durante as noites me corrigiram os meus rins.” – Salmo 16:7.
     “Levantai as vossas cabeças, ó portões.” – Salmo 24:7.
     “Que a minha glória entoe melodias.” – Salmo 30:12.
     “Que jubilem os ossos que quebrantaste”. – Salmo 51:8.
     “As próprias baixadas . . . bradam em triunfo, sim, cantam.” – Salmo 65:13.
     “Rejubile a campina”. – Salmo 96:12.
     “O próprio sol sabe muito bem onde se põe.” – Salmo 104:19.
     “O próprio mar viu e pôs-se em fuga.” – Salmo 114:3.
     “Ele faz prantear a escarpa e a muralha.” – Lamentações 2:8.

     Os casos de personificação não se limitam a livros bíblicos poéticos. O pecado e a morte são personificados na carta apostólica aos Romanos, (5:14, 21; 7:8-11) a sabedoria é personificada nos Evangelhos, (Mateus 11:19; Lucas 7:35) e o sol e as árvores são personificados em livros proféticos. (Isaías24:23; Ezequiel 31:9) Há inúmeros exemplos bíblicos de personificação. As pessoas não têm nenhuma dificuldade de entender o uso dessa figura de retórica, pois reconhecem que as coisas personificadas não são realmente seres com personalidade.

     Contudo, o mesmo não acontece quando o espírito santo é personificado nas Escrituras. Isto se dá por causa do dogma da Trindade. Em 381 EC, o Concílio de Constantinopla atribuiu personalidade ao espírito santo, chamando-o de “Senhor”. Declarou ainda que tal espírito devia ser adorado.[1] Devido ao conceito prevalecente entre os membros da cristandade, de que o espírito santo é uma pessoa, muitos encaram a personificação desse espírito como evidência de personalidade. Tais pessoas desconsideram que as mesmas expressões são usadas para outras coisas impessoais. Observe, para tanto, as comparações abaixo:
“O espírito santo . . . vos ensinará.” (João 14:26) “Toda a Escritura é . . . proveitosa para ensinar.” (2 Tim. 3:16) Assim, as Escrituras também ensinam, embora não tenham personalidade.

     “O espírito santo . . . vos fará lembrar.” (João 14:26) “E terá de vir a haver o arco-íris na nuvem, e eu certamente o verei para me lembrar do pacto.” (Gênesis 9:16) O arco-íris, algo impessoal, também faz lembrar.

     “O espírito da verdade, que procede do Pai, esse dará testemunho.” (João 15:26) “As próprias obras que meu Pai me determinou efetuar, as próprias obras que eu faço, dão testemunho de mim.” (João 5:36) Ninguém dirá que as obras são pessoas; contudo, elas também dão testemunho.

     “O espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade.” (João 16:13) “A própria coluna de nuvem não se afastou de cima deles de dia, para guiá-los no caminho.” (Neemias 9:19) Tal coluna, naturalmente, era algo, não alguém – mas também guiava.

     “O espírito da verdade . . . falará as coisas que ouvir e vos declarará as coisas vindouras.” (João 16:13) “Ouvi, ó montes, a causa jurídica de Jeová.” (Miqueias 6:2) “Os céus declaram a glória de Deus.” (Salmo 19:1) Os céus e os montes são seres inanimados; mas podem, figuradamente, “ouvir” e “falar”. Aliás, uma das definições dos dicionários para “falar” é “exercer influência”. (Aurélio; Michaelis) É com base nisso que existe o ditado: “As ações falam mais alto do que as palavras.” Quer dizer, as ações exercem maior influência do que as palavras.

     Que dizer de Efésios 4:30? Esse texto declara em parte: “Não contristeis o espírito santo de Deus.” Trata-se, coerentemente, de mais um exemplo de personificação. O inteiro escopo de textos descritivos do espírito santo usam quadros verbais que o revelam como sendo algo impessoal. (Veja o artigo “É a Trindade uma doutrina bíblica?” neste site.) Mas, como podemos entender a linguagem figurada desse texto?

   Descrevendo a reação de Moisés à persistente obstinação dos israelitas, o Salmo 106:33 diz: “Amarguraram-lhe o espírito.” A Versão Almeida verte assim o texto: “Irritaram o seu espírito.” (Al) A respeito do Rei Acabe, de Israel, foi dito: “Por que está triste o teu espírito . . . ?” (1 Reis 21:5) Nesta acepção, “espírito” significa a força íntima “que induz a pessoa a demonstrar certa atitude, disposição ou emoção, ou a tomar certa ação ou adotar certo proceder”. [2] Essa força, evidentemente, não é uma pessoa, mas emana de uma pessoa. Por isso, atribui-se a ela os sentimentos da pessoa da qual tal força emana. Uma vez que o espírito santo emana de Deus, que é a sua fonte, a Bíblia atribui a esse espírito os sentimentos do próprio Deus.[3]

     Similarmente, pela mesma razão de Jeová Deus ser a fonte do espírito santo, as Escrituras atribuem a esse espírito o que é feito a Deus. É por tal razão que encontramos em Atos 5:3 as palavras do apóstolo Pedro a Ananias: “Por que te afoitou Satanás a trapacear o espírito santo . . . ?” O versículo seguinte explica: “Trapaceaste, não homens, mas a Deus.” (Atos 5:4) Isto não significa que o espírito santo seja Deus, pois Jesus referiu-se a tal espírito como sendo o “dedo de Deus”. (Lucas 11:20) O dedo de uma pessoa não é a própria pessoa, apenas faz parte dessa pessoa e é dirigido por ela. Por esta razão, qualquer dano feito ao dedo de uma pessoa é considerado como tendo sido feito a ela.

     Mas, em que sentido aquele casal ‘trapaceou o espírito santo’?[4] Naquela época, Jeová, por meio de seu espírito, ou figurativo “dedo”, estava movendo os cristãos de coração disposto a vender suas propriedades para ajudar seus concrentes necessitados. (Atos 4:34, 35) Ananias e sua esposa, Safira, também venderam uma propriedade, mas não para agir em harmonia com a influência altruísta com a qual o espírito santo estava movendo os fiéis. Por desviarem-se do nobre propósito induzido pelo espírito de Deus para um propósito egoísta, mesquinho, tal casal ‘trapaceou’ figuradamente tal espírito. Por fazer isso, literalmente ‘trapaceou’ a Deus, a fonte de tal espírito.

     Por conseguinte, é meridianamente claro que a personificação do espírito santo é tão somente um recurso linguístico e não um suporte teológico para uma falsa doutrina. Personificação não prova personalidade. A dificuldade por parte de teólogos da cristandade em entender isso se deve à pesada neblina de obscuridade religiosa que foi legada pelos que apostataram do primitivo cristianismo. É, portanto, necessário se despojar do orgulho da batina e do diploma de teologia e ‘aceitar com brandura a implantação da palavra que é capaz de salvar as vossas almas’. – Tiago 1:21.

Referências

[1] Veja os números da revista A Sentinela de 1.º de novembro de 1991, p. 20, e de 1.º de agosto de 1992, p.21.
[2] Veja a obra Estudo Perspicaz das Escrituras, volume 2, p. 40.
[3] Um exemplo disso é a personificação do amor, em 1 Coríntios 13:4-7. Quando se diz que o amor “é longânime e benigno”, que “não fica encolerizado”, que ‘se alegra com a verdade’, significa naturalmente que a pessoa que possui amor é que tem tais sentimentos e atitudes. Os sentimentos do detentor, ou possuidor, de uma qualidade são, metonimicamente, transferidos à própria qualidade. O mesmo ocorre entre Deus e o espírito santo.
[4] A palavra grega usada, yeudomai (pseúdomai), significa “mentir”, “(tentar) enganar, mentindo”. (Léxico do N.T. Grego/Português, de Gingrich e Danker) Um termo cognato, o vocábulo qeudhv (pseudés = falso, mentiroso) deu origem ao elemento de composição pseudo-.) O casal deu a aparência de estar seguindo um propósito quando, na realidade, estava seguindo outro inteiramente diferente.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org









10 comentários:

  1. Eu ví uma explicação sobre esse texto no pedras que clamam que foi traduzido do artigo em ingles,lá cita varios textos que prova que ações tomadas contra alquem ou algo que representa a Deus era como tivesse sido tomadas contra o proprio Deus,mas nesse site entendi melhor " COMO " Ananias e a esposa mentiram ou trapacearam o espirito de Deus. muito bom....

    ResponderExcluir
  2. Isso mostra que os sites e blogs de irmãos sinceros e bem motivados se complementam em prover ajuda espiritual, cada um contribuindo com algo de real valor, ao passo que 'Deus faz crescer'. (1 Cor. 3:6-9) Todo esse esforço é feito como expressão do conhecimento obtido por meio da organização de Jeová, e em plena lealdade a essa organização.

    ResponderExcluir
  3. Em Atos capitulo 13 versículo 2 lemos: "...o espírito santo disse: “Dentre todas as pessoas, separai-me Barnabé e Saulo para a obra a que os chamei.” Mostra aqui que o espirito santo dá ordem e envia pessoas,e embora pareça uma prova irrefutável da personalidade do espirito, se comparado com Lucas 11. 49 onde diz: "Por esta razão, a sabedoria de Deus também disse: ‘Eu lhes enviarei profetas e apóstolos, e eles matarão e perseguirão a alguns deles." Aqui mostra que, de modo similar a sabedoria também 'fala' e 'envia'. Então, com isso deveríamos entender que a sabedoria é uma pessoa? Óbvio que não. Portanto, de fato, personificação não prova personalidade.
    Parabéns irmão Apologista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom argumento, estimado irmão Jonas. Que Jeová continue abençoando seus esforços em prol do Reino de Deus. Um grande abraço.

      Excluir
  4. Juízes 9:8, 9 texto muito significativo que eu uso (Junto com Isaías 14:9-12 que chamo de Parábola do Lúcifer) para ajudar a elucidar a Parábola do Rico e do Lazaro (Pois em contexto simbólico e parabólico não são só os mortos que falam -Is 14:9,10- mas também árvores -Is 14:8-, por isso não é tão estranho e sem precedente que os mortos no Hades em LC 16 falem. Quanto ao outro texto usado pelos Imortalistas -Rev 6:9, 10- aí já é até ridículo, é uma passagem justamente de onde? DO APOCALIPSE! No 6:7,8 será que a Morte é uma pessoa montada em um CAVALO também?)

    " “Trapaceaste, não homens, mas a Deus.” (Atos 5:4) Isto não significa que o espírito santo seja Deus "

    Vejamos esses:
    (Atos 9:4-5) “Saulo, Saulo, por que me persegues?” Ele disse: “Quem és, Senhor?” Ele disse: “Eu sou Jesus, a quem tu persegues

    (Mateus 25:40) Ao ponto que o fizestes a um dos mínimos destes meus irmãos, a mim o fizestes.

    (Mateus 10:40)  “Quem vos recebe, recebe a mim, e quem me recebe, recebe também aquele que me enviou.

    (Números 14:26-27) E Jeová falou a Moisés e a Arão: “Até quando fará esta assembléia má tais resmungos contra mim? (Números 14:1-2) 2 E todos os filhos de Israel começaram a resmungar contra Moisés e Arão

    ResponderExcluir
  5. “...as árvores foram ungir um rei sobre si. Disseram...” – Juí. 9:8, 9.
    “A palavra de Jeová . . . foi dizer-lhe.” – 1 Reis 19:9.
    “...colunas do céu . . . estão pasmadas.” – Jó 26:11.
    “Durante as noites me corrigiram os meus rins.” – Sal. 16:7
    “Levantai as vossas cabeças, ó portões.” – Sal. 24:7
    “Que a minha glória entoe melodias.” – Sal. 30:12
    “As próprias baixadas . . . bradam em triunfo...cantam.” – Sal. 65:13
    “...jubilem os ossos”. – Sal. 51:8 - “Rejubile a campina”. – Sal. 96:12
    “O próprio sol sabe muito bem onde se põe.” – Sal. 104:19.
    “O próprio mar viu e pôs-se em fuga.” – Sal. 114:3
    “...prantear a escarpa e a muralha.” – Lam. 2:8.
    “Toda a Escritura é . . . proveitosa para ensinar.” - 2 Tim. 3:16
    "...as próprias obras...dão testemunho” - João 5:36
    “Ouvi, ó montes...” - Miq. 6:2
    “Os céus declaram...” - Sal. 19:1
    “Amarguraram-lhe o espírito” - “Irritaram o seu espírito” - Salmo 106:33
    “Por que está triste o teu espírito...?” - 1 Reis 21:5)
    "...a sabedoria de Deus também disse: ‘Eu lhes enviarei..." - Lucas 11:49


    Tenho essas outras :

    A Lei diz Rom 3:19
    Meus Ossos dirão Salmo 35:10
    O Amor 1 Cor 13:4-7
    O Pecado me enganou Rom 7:11
    Vento sopra para onde quer João 3:8
    Terra , Vinho Isaías 24:4, 7
    Sol, Lua Isaías 24:23
    Montes Isaías 55:12 e Habacuque 3:10
    Criação geme, em dores Romanos 8:19, 22
    Escritura Rom 4:3 , 9:17 , Gal 3:8 e Heb 4:12

    ResponderExcluir
  6. Alguns citam João 16:8 onde diz que "o espírito convence" as pessoas a respeito do pecado, a fim de tentar "provar" que este é alguém. Contudo, palavra “convencer” usada em João 16:8 onde diz que o espírito santo “convence” a pessoa do pecado é ἐλέγχω (el-eng’-kho) que significa “repreender”, “expor” “convencer”. O próprio Jesus disse que as pessoas que praticam pecado “não se chegam à luz a fim de que suas obras não sejam repreendidas”. Usa-se a aqui a mesma palavra grega que pode ser vertida “convencer” ou “repreender”. E quem faz isso, de acordo com Jesus? A luz! É ela alguém? Efésios 5:13 diz que “são tornadas manifestas” ou “repreendidas” pela Luz. Em todos estes textos usa-se a mesma palavra grega que o texto onde diz que o "espírito santo convence a pessoa do pecado". Esta é vertida CONVENCER em João 16:8! Ou seja a luz não é alguém, contudo ela também CONVENCE ou EXPOE, REPREENDE pessoas!

    Tiago 2:9 fala dos cristãos serem “repreendidos” (ἐλεγχόμενος) pela Lei”. É a lei alguém? Contudo ela também “convence” ou “repreende” que é a mesma palavra grega usada. É claro que se tomarmos o texto de modo isolado poderemos citá-lo a fim de promover uma doutrina particular e tradicional, mas não globalmente bíblica. É típico dos que não estudam com afinco e dedicação, se apegarem a textos esporádicos afim de promover alguma doutrina para a qual procuram prova. Esta não é a maneira correta de pesquisar as escrituras. É o mesmo que uma pessoa viajar para Curitiba e fotografar somente os lugares de menos destaque e até mesmo assustadores, a fim de criar um blog dizendo que a “cidade inteira” é aquilo que ele quer representar. Não seria a realidade sobre o panorama geral. Assim é a doutrina da personalidade do espírito santo.

    ResponderExcluir
  7. SÓ APENAS ESTUDANDE DA PALAVRA DE JEOVÁ E A GRADEÇO MUITO A ELE POR ESTAR NA SUA ORGANIZAÇÃO LOUVADO SEJA JEOVÁ POR INSTRUIR TÃO BEM SEU POVO QUANTO CONHECIMENTO CLARO E VERDADEIRO QUE HARMONIA TANTO O TEXTO COMO OS COMENTÁRIOS ESTÃO DE PARABÉNS TODOS VOCÊS RELMENTE VOCÊS DÃO INCETIVO MUITO GRANDE AS PESSOAS SINCERAS CADA VEZ MAIS ESTUDAREM A PALAVRA DE DEUS.

    ResponderExcluir
  8. GOSTARIA DE FAZER UMA PERGUNTA MAIS NAO QUERIA DEIXAR A PERGUNTA AQUI
    MAIS SE TIVER UM I-MAIL OU O ZAP FICARIA AGRADECIDO
    E UMA PERGUNTA SICERA FICAREI NO AGUARDO DE IMETIADOR AGRADEÇO.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *