Image Map











domingo, 29 de abril de 2012

“Tempos dos gentios” – quando começam e quando terminam? (Parte 2)

Fonte da figura: 
https://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/biblia-ensina/1914-ano-significativo-profecia-biblica/


“O reino do mundo tornou-se o reino de nosso Senhor e do seu Cristo.” – Apocalipse 11:15.


A primeira parte deste artigo apresentou um estudo dos elementos envolvidos na expressão “tempos designados das nações” – ou “tempos dos gentios” (Almeida), a saber: a representatividade de Jerusalém no texto de Lucas 21:24, que usa essa expressão; as “nações” mencionadas nesse texto; o que significa o referido ‘pisoteio’ de Jerusalém por parte das “nações”; e quando começou tal ‘pisoteio’.

À base das evidências da Bíblia como um todo, pudemos identificar a representatividade de cada um desses elementos, a qual é descrita abaixo:

Jerusalém: centro religioso da nação de Israel e capital do governo teocrático da dinastia de reis descendentes de Davi, em cumprimento do pacto davídico. (2 Samuel 7:12-16) Por metonímia, representa uma expressão ou ramificação da Soberania de Jeová exercida pelos reis davídicos.

As “nações”: grupos nacionais com território geográfico definido (países) e com características comuns em sua totalidade ou majoritariamente quanto à língua, costumes, leis, sistema de governo e religião. Visto que Lucas 21:24 coloca Jerusalém (com toda a sua representatividade) como não fazendo parte das “nações”, as quais se contrapõem a ela, tais “nações” são parte do “mundo” do qual Satanás é governante, sendo governamentalmente satânicas e religiosamente pagãs ou idólatras.[1]

O ‘pisoteio’ de Jerusalém – e, por metonímia, de sua representatividade – refere-se à subjugação do governo teocrático de Israel expresso pelos reis davídicos.  Isso se deu em 607 AEC. (Ezequiel 21:25-27) O período em que as “nações” ‘pisariam’ “Jerusalém” é descrito na Bíblia como “os tempos dos gentios” ou “os tempos designados das nações”. (Lucas 21:24) Esse período terminaria quando Jeová empossasse o Senhor Jesus Cristo, o “descendente de Davi”, qual Rei do Reino messiânico de Deus, cumprindo assim o pacto davídico. – 2 Timóteo 2:8; Daniel 7:13, 14; Lucas 1:30-33; Hebreus 10:12, 13; Salmo 110:1, 2; Apocalipse 11:15, 17.

Em vista de todo o resultado obtido nesta pesquisa, surge a pergunta: Seria possível determinar a quantidade de tempo envolvido nos tempos dos gentios? Se for, então será possível determinar quando Jesus Cristo seria empossado como Rei. (Daniel 7:13, 14) Visto que sua parousia (“presença” como Rei) começa a partir desse evento, estaríamos ao mesmo tempo determinando quando ocorreria esse acontecimento.[2] (Mateus 24:3) Ao mesmo tempo, seria possível identificar sem qualquer sombra de dúvida os acontecimentos que Jesus predisse como sendo o “sinal” ou a indicação do início de sua “presença” régia e da “terminação do sistema de coisas”, ou seja, dos “últimos dias”. – Mateus 24:4-14; 2 Timóteo 3:1-5. 

Como se pode ver, eventos de abalar o mundo estão ligados ao estudo dos “tempos dos gentios”. (Lucas 21:24) Com base nisso, não é desarrazoado esperar que a Palavra de Deus fornecesse a sinceros estudantes da Bíblia os elementos, ou indícios, para poder calcular a quantia de tempo envolvida nos “tempos dos gentios”. Afinal, uma das profecias bíblicas forneceu o cálculo do ano em que apareceria na Terra o Messias, Jesus Cristo, (quando Jesus seria ungido pelo espírito santo de Deus e se tornaria o Cristo, ou Messias, palavras que significam “ungido”,) Aquele que seria o Rei do Reino messiânico. Está no livro de Daniel, capítulo 9, versículos 24 a 27, na profecia das Setenta Semanas de Anos. Prova de que os judeus nos dias de Jesus puderam entender o significado dessa profecia reside no fato de que, justamente no ano indicado pela respectiva profecia, o povo judaico “estava em expectativa” quanto a quem seria o prometido Messias. – Lucas 3:15.


“Tempos dos gentios” – quantos   tempos  ?

Em sua profecia sobre “o sinal da [Sua] presença e da terminação do sistema de coisas”, o Senhor Jesus Cristo citou a profecia de Daniel das Setenta Semanas, mostrando que a parte final dessa profecia se cumpriria em breve. (Mateus 24:3, 15; Daniel 9:27) E diversos estudiosos da Bíblia encontraram em Daniel, em uma outra profecia, informações sobre a duração dos “tempos dos gentios”. – Lucas 21:24.

Nessa profecia encontramos o uso da palavra “tempos” com referência às nações ou potências gentias. Trata-se do sonho profético do Rei Nabucodonosor, de Babilônia – o rei a quem Jeová permitiu que destruísse Jerusalém e interrompesse o governo teocrático na dinastia dos reis davídicos. A visão ou sonho encontra-se em Daniel 4:10-17, o significado nos versículos 20-26 e o cumprimento nos versículos 29-37. (Queira ler.) O sonho retrata uma grande árvore que foi derrubada e cujo toco foi impedido de crescer por “sete tempos”.

Por inspiração, Daniel mostrou que a aplicação da visão naquela época dizia respeito ao próprio Rei Nabucodonosor, que posteriormente perdeu sua sanidade por sete anos, após o que sua faculdade de raciocínio foi restaurada. Isso ocorreu para que ele reconhecesse que “o Altíssimo é Governante no reino da humanidade e que ele o dá a quem quiser” e que Jeová “é capaz de humilhar os que andam em orgulho”. (Daniel 4:31, 32, 37) Mas, limita-se o cumprimento desse sonho àquele antigo cumprimento na pessoa de um só homem, para que aprendesse uma lição a respeito de governo e de humildade?

Observemos, abaixo, as razões bíblicas para um cumprimento maior:

1)   A época da visão: ela foi dada após Jerusalém, com toda a sua representatividade, ter começado a ser “pisada pelas nações”, e quando o reino davídico – como expressão da Soberania Universal de Jeová – havia sido interrompido. – Lucas 21:24.

2)   A pessoa a quem foi revelada a visão: o monarca a quem se havia permitido subjugar o reino teocrático.

3)   O tema ou lição da visão: “que o Altíssimo é Governante no reino da humanidade e que ele o dá a quem quiser.” (Daniel 4:17) O tema da Soberania Universal de Jeová, expressa num reino sobre a humanidade, foi ressaltado.

4)   A expressão “reino da humanidade”. (Daniel 4:17) Diz o texto que Jeová, qual Soberano Universal, dá esse reino “a quem [ele] quiser”. E a quem ele quer dar o domínio sobre a humanidade? Daniel 7:13, 14 revela que ele o dá a Seu Filho, Jesus Cristo. Revelação (Apocalipse) 11:15 anuncia que, no fim dos tempos dos gentios, “o reino do mundo [da humanidade] tornou-se o reino de nosso Senhor e do seu Cristo”.

5)   A expressão “o mais humilde da humanidade”. Quem é esse – Nabucodonosor ou Jesus Cristo? Nabucodonosor, em sua condição insana, foi humilhado e agiu como um animal irracional. (Daniel 4:33) Por outro lado, Jesus, de sua própria disposição, “se esvaziou [de sua condição celestial] e assumiu a forma de escravo, vindo a ser na semelhança dos homens. Mais do que isso, quando se achou na feição de homem, humilhou-se e tornou-se obediente até à morte, sim, morte numa estaca de tortura”. – Filipenses 2:5-7; veja também Zacarias 9:9; Mateus 11:28-30.

Obviamente, tal sonho profético teria seu cumprimento total, ou final, na pessoa de Jesus Cristo, qual Rei do Reino messiânico.


O significado da “árvore” simbólica

Mas, o que realmente representa a “árvore” do sonho profético de Nabucodonosor? Quando Daniel aplicou o significado da “árvore” simbólica ao Rei Nabucodonosor, ele explicou o motivo disso, dizendo: “Porque te tornaste grande e ficaste forte, e tua grandiosidade cresceu e atingiu os céus, e teu domínio, a extremidade da terra.” (Daniel 4:20, 22) Portanto, não era a pessoa de Nabucodonosor em si, mas sua condição de governante mundial é que foi simbolizada pela “árvore”.[3] A simbólica “árvore”, portanto, é o “reino da [ou: sobre a] humanidade”, o qual pertence ao “Altíssimo”, e que seria dado a Jesus Cristo. – Daniel 4:17; Apocalipse 11:15, 17; Salmo 2:6, 8; 72:8.

Até que isso acontecesse, os termos do pacto davídico estabeleciam que os reis dessa dinastia deveriam governar ininterruptamente. (1 Crônicas 17:11-14; Gênesis 49:10; Salmo 89:3, 4, 28-37; 132:11-15) [4] Visto que o reino terrestre de Israel nas mãos da dinastia davídica era a expressão ou representação da Soberania de Jeová, o “Governante no reino da humanidade”, que culminaria  no governo de Cristo sobre a humanidade, a simbólica “arvore”, por extensão, aplica-se ao governo divino nas mãos dos reis davídicos.

Isso explica como tal “arvore” foi ‘derrubada’: pela interrupção violenta da dinastia de reis da linhagem de Davi em 607 AEC. (Daniel 4:14; Ezequiel 21:25-27) Mas, como o “toco” foi deixado, a linhagem dos descendentes de Davi foi preservada, conduzindo ao principal Herdeiro de seu trono – o Senhor Jesus Cristo. (Daniel 4:15; Lucas 1:31, 32) No tempo devido, a “árvore” voltaria a crescer, quando Jesus recebesse o Reino. (Daniel 7:13, 14) Enquanto isso, não havendo uma expressão, nos termos do pacto davídico, do governo de Jeová na Terra, O qual fez o homem à Sua “imagem”, as nações governariam de modo animalesco e selvagem sem impedimento. (Daniel 4:16) Mas isso ocorreria até que tivessem passado “sete tempos” [“sete anos”, A Nova Bíblia Americana.] – Daniel 4:16.


Como calcular os “sete tempos” simbólicos

Um ‘tempo’ ou ano profético equivale a 360 dias.[5] “Sete tempos”, portanto, equivalem a 2520 dias. Naturalmente, o reino davídico não foi restabelecido ao principal Herdeiro dele sete anos, ou 2520 dias, depois de sua interrupção, em 600 AEC. O homem Jesus Cristo, Herdeiro do trono de Davi, haveria de nascer mais de 600 anos depois disso. Mas, a Bíblia contém uma regra de “um dia por um ano” – ou seja, de um dia equivalendo a um ano. (Números 14:34; Ezequiel 4:6) Seguindo essa regra, os 2520 dias tornam-se 2520 anos.

Temos o ponto de partida dos “sete tempos” dos gentios: 607 AEC. Temos agora o espaço de tempo ou período que compõe “os tempos dos gentios”, e que deve ser contado a partir de 607 AEC – ou seja, 2520 anos. Mas, visto que não há ano zero, os anos começam com 1. Isso modifica a forma de calcular. As calculadoras incluem o zero e, por isso, o uso delas para calcular quando terminam os “tempos dos gentios” não daria o resultado certo. Utilizando o exemplo de uma régua, podemos ilustrar como calcular sem o zero: do centímetro 1 até o centímetro 4 são 3 centímetros, e não 4:

Assim, temos o cálculo abaixo:
                                         
607 AEC
1AEC
1EC
1914 EC
      [---606 anos --][        1 ano       ][-------1913 anos------------]

 De 607 AEC a 1 AEC =    606 anos
De 1 AEC a 1 EC        =        1 ano
De 1 EC a 1914 EC     = 1913 anos
                                                 2520 anos

Com o fim dos “tempos dos gentios” em 1914, Jesus Cristo, como o principal Herdeiro de Davi, recebeu o “reino”. (Daniel 7:13, 14; Apocalipse 11:15, 17) Esse evento momentoso marcou o início de sua parousia (“presença”) régia e o sistema satânico entrou em sua “terminação” ou “últimos dias”. (Mateus 24:3; 2 Timóteo 3:1-5) Dessa forma, o pacto do Reino feito com Davi teve seu cumprimento por prover a entronização do Herdeiro permanente de Davi. (Isaías 9:7; 2 Pedro 1:11) A partir de então, o Senhor Jesus Cristo tem agido de múltiplas formas, promovendo e dirigindo uma campanha mundial de pregação das boas novas de seu Reino messiânico, unindo todas as pessoas sinceras e amantes da justiça na adoração do único Deus verdadeiro, Jeová, e esclarecendo e refinando progressivamente seus discípulos, para se amoldarem cada vez mais às normas divinas, visando a "salvação eterna" deles. – Mateus 24:14; Isaías 2:2-4; Salmo 83:18; João 17:3; Provérbios 4:18; Isaías 60:17; Daniel 12:4, 10; Hebreus 5:9.

Você está se beneficiando dessa colossal atividade de educação bíblica? Poderá se beneficiar, por solicitar às Testemunhas de Jeová um estudo bíblico gratuito, que poderá ser realizado em seu domicílio. Esse estudo sem compromisso lhe proporcionará obter o conhecimento exato das “coisas magníficas de Deus”.    Atos 2:11.


Notas:
            
[1] Obviamente, nem todas as pessoas que vivem no território de tais nações são idólatras e governadas por Satanás. Como disse Jesus, Seus verdadeiros seguidores “não fazem parte do mundo” alienado de Deus, mas, em vez disso, aceitam a Soberania de Jeová e se esforçam em viver segundo ela. – João 17:14.
[3] Na Bíblia, “árvores” podem representar, entre outras coisas, governos e governantes, inclusive o Reino messiânico. Ezequiel 31:3; Lucas 13:18, 19.
[4] O pacto que Jeová fez com Davi era bilateral. Assim, para que essa dinastia continuasse ininterrupta até o Messias, seus reis teriam de permanecer leais a Jeová, o Grande Teocrata. – Salmo 89: 89:3, 4, 28-37; 132:11-15.
[5] Revelação (Apocalipse) mostra que 1260 dias equivalem a três anos [“tempos] e meio, ou a 42 meses de 30 dias cada um. (Apocalipse 12:6, 14; 11:2, 3) Assim, um ano (“tempo”) profético de 12 meses de 30 dias equivale a 360 dias.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





20 comentários:

  1. Sugiro ao Apologista fazer séries de artigos similares aos de TJ7 tratando nominalmente dos "grandes apologistas" que se intitulam especialistas anti-tj. Penso que ajudaria ao público muito na questão dos SITES DE BUSCA, onde o artigo antitj de "pastor fulano" estaria acompanhado de sua réplica. As pessoas independente de suas religiões, sejam TJ ou não, poderiam comparar os argumentos e contra-argumentos de ambas partes. Pois a internet costuma ser um território hostil onde as pessoas em geral só veem palavras depreciativas quanto a doutrina das TJ.

    É isso.
    Eu andei lendo alguns artigos de pastores trinitaristas desde naipe estes dias e, é tudo muito REPETITIVO, me arrisco a dizer que focando em no máximo 6, tendo êxito em refutar esta meia dúzia se refuta praticamente todos pretensos especialistas apologistas da internet, pois tem muito CONTROL C - CONTROL V (existe tanta falta de competencia no meio evangelico da net brasileira que o copiar ou colar chega a plagiar até mesmo artigos da TDV como "Estudo Pespicaz" e "Toda Escritura")

    Trocam os nomes, troca o nome do "Instituto", muda-se um pouco as palavras aqui e ali, muda a igreja do pastor e as "refutações" são sempre as mesmas, com variação quase nula.

    Por exemplo, a "refutação" de 1 COR 8:5,6 sobre "Um só Deus, o Pai" é frisar no resto do texto "e um só Senhor, Jesus Cristo". (O que não responde a questão nem prova a Trindade, é apenas uma evasiva onde se tenta CONFUNDIR o leitor afim de negar dar a explicação do sentido do texto...se parece mais é com a forma como os ateus citam e analisam a Bíblia.)

    Agora a pouco estava passando olhos em um livro trinitarista online de um tal de "Pastor Joel Santana" . E ele se sai de MT 24:36 com essa:

    `` “somente o Pai.” Mas as TJ precisam saber, que à luz da Bíblia, na frase, “somente o Pai”, está implícita a presença do Espírito Santo [..]a expressão “só o Pai” não exclui nem mesmo o Filho. O Filho não sabia, como homem; mas sabia, sabe e saberá, como Deus``

    LEU? Rs. Assim fica fácil .... kkk
    Pois bem, até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Saga:
      Obrigado pelas sugestões. São muito boas. O problema é que meu tempo é muito curto. Por isso, fico feliz de saber que existem sites e blogs que já possuem um bom acervo de material de pesquisa com refutação dos falsos ensinos. Mas, conforme o tempo me permite, procuro postar artigos oportunos. Mais uma vez, obrigado pelas sugestões. Farei o possível para colocá-las em prática. Abraços.

      Excluir
  2. Ficou legal a nova cara do site,valeu! tô sempre acompanhando,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso eu devo ao autor do site Pedras Que Clamam, que produziu essa inovação no blog. Mas não posso deixar de agradecer também ao meu estimado ajudante (cujo nome ele prefere não revelar), que inicialmente montou o blog para mim. É um privilégio poder contar com a ajuda de vários colaboradores que, junto conosco, trabalham arduamente, de todos os modos possíveis, na promoção das boas novas do Reino. Um grande abraço!

      Excluir
  3. Se me permite, vejam só, vou por trechos aqui Comentarei a introdução do livro do pastor Joel :


    Análise da Cristologia das Testemunhas de Jeová - de autoria do Pastor Joel Santana. MAB Ministério Apologético [Não, não é o técnico do Flamengo! Rs]

    INTRODUÇÃO [..] Por causa dessa premissa errada, concluíram que [..]

    [Não seriam as premissas DELES que seriam erradas??? -Eles leem a bíblia cheia de paradigmas de credos e concilios humanos, premissas vindas doutrinas filosoficas formuladas pela igreja de constantino do século 4 em diante -. Ele continua...]

    Para reduzirmos essa postura a frangalhos, bastaria citarmos Jo. 5.23, onde Jesus reivindica para si a mesma honra devida a Deus, nestes termos: “a fim de que todos honrem o Filho, do modo porque honram o Pai...” Este texto, por si só desmorona a cidadela dos * russelitas [..] Ele não poderia se expressar assim. Ao falar desta maneira, Jesus teria usurpado a igualdade com Deus [..] se ele não fosse Deus [...] na verdadeira concepção do termo. [..]

    [Eu penso assim:
    Para reduzirmos essa postura a frangalhos, bastaria citarmos MT 24.36, onde Jesus reivindica apenas para seu Pai a onisciência devida a Deus, nestes termos: “ninguém sabe...nem o Filho, somente o Pai". Este texto, por si só desmorona a cidadela dos Atanasianos...Ele não poderia se expressar assim...ao falar desta maneira, Jesus teria rejeitado a co-igualdade das Pessoas da Trindade em Deus [..] ele e o Espírito Santo não poderiam ser Deus...na verdadeira concepção do termo. ]

    Conseqüentemente, mais nada precisamos dizer para provarmos que os jeovistas (são assim chamados por causa da ênfase que dão à pronúncia Jeová, substimando o nome de Jesus) estão equivocados.

    [Ao usarmos o nome de Jeová SUBSTIMAMOS o nome de JESUS? Olha que comentário infeliz! ]

    Por conseguinte, os muitos argumentos refutatórios às suas crenças a respeito de Jesus, contidos neste livro, não têm por objetivo provar que as TJ estão erradas, visto que já provamos isto ao citarmos Jo5.23

    [Ele coitado, acha mesmo que Jo 5:23 nega Marcos 13:32, Rev 1:1,Mt 20:23, 24:36 28:18 Atos 1:7 Fil 2:9 Col 1:19 João 4:23 1 Cor 8:5,6 11:3 e 15:27 etc. Ele confunde "Honrar" com Adorar" e a pobreza do grego dele não o permite ver que o termo "assim como" não significa uma absoluta igualdade a não ser que pense que em (João 17:11, 22) os discipulos ao "se tornarem um ASSIM COMO nós somos um", queira dizer que esses cristãos se tornarão várias pessoas em um só Deus, como creem que o Pai e o Filho são.]

    Os argumentos contidos neste livro em defesa da Deidade de Cristo, são fortíssimos. Porém, leia-os sabendo que o nosso cavalo de batalha é Jo 5.23; e que portanto, embora saibamos que não precisamos deles para provarmos que as TJ estão equivocadas, pois para tanto basta-nos Jo 5.23

    [Se Jo 5:23 é o MELHOR E MAIS PODEROSO TEXTO TRINITARISTA que os discipulos de Atanasio tem a oferecer a situação é critica para "os apologistas" provarem a doutrina de Constantino. Ele diz que são "Fortissimos" mas...só vendo...]

    Chamamos Jo 5.23 de nosso “cavalo de batalha”, não porque pretendamos tecer longos comentários sobre este texto bíblico, mas sim, porque o mesmo é tão forte que por si só constitui prova cabal de que Jesus é Deus, dispensando, portanto, maiores considerações. [..] O caro leitor verá que embora Jo 5.23 bastasse para provarmos que as TJ estão equivocadas

    [Ele insiste em repetir um isolado texto insuficiente e mirrado para provar o que propõe. Se aceitarmos o argumento dele neste texto e aplicarmos a mesma REGRA em Jo 17:22 derrubamos a doutrina da Trindade e inauguramos o panteísmo cristão]

    ResponderExcluir
  4. [Continuando a Introdução porque não coube...]

    Portanto, quando uma Tj nos disser que Jesus não é Deus [..] , podemos perguntar-lhe: será que você não está transgredindo Jo 5.23? Será que você está dando ao filho a mesma honra devida a Deus, quando diz que Pai é Deus e o Filho um deus? Será que o Filho está sendo honrado por você, tal qual se deve honrar o Pai, quando você diz que o Filho não pode ser adorado, mas apenas homenageado?

    [Eu digo:

    Portanto, quando um membro da Cristandade nos disser que Jesus é o Onisciente Deus que tudo sabe junto ao Pai e ao Espírito Santo e que deve ser adorado junto a Trindade [..] , podemos perguntar-lhe: será que você não está transgredindo as palavras de Mt 24:36 e Jo 4:23? Será que você certo ao dar ao Filho de Deus o mesmo conhecimento devido a Deus, Seu Pai, quando diz que o Filho e o Espírito Santo são pessoas divinas oguais à Deus com a mesma Onisciência do Pai? Será que esta adoração falada por você, quando diz que os verdadeiros adoradores cristãos devem adorar a um Deus que é o Pai, Filho e o Espírito Santo concorda com que Jesus disse que os verdadeiros adoradores adorarão AO PAI? ]

    E assim sucessivamente. E, após argumentarmos à base de Jo 5.23, apresentarmos a ela os demais textos bíblicos por ela desconsiderados, bem como os que têm sido distorcidos

    [Eu também digo:
    E assim sucessivamente. E, após argumentarmos à base de Jo 4:23 e Mt 24:36, apresentarmos a eles os demais textos bíblicos por eles desconsiderados - por ex eles desconsideram Jo 17:11, 22- , bem como os que têm sido distorcidos - como esse próprio Jo 5:23 foi torcido ao extremo!! -]

    [Esta foi a introdução de mais um genial livro anti-TJs, feito por um sabichão da cristandade chefe de mais um magnifico instituto apologético evangelico...]

    ResponderExcluir
  5. [Olha essas contradições do Capitulo 1...]

    1.3.1.“Não era onisciente” [..] Mas as TJ precisam saber, que à luz da Bíblia, na frase, “somente o Pai”, está implícita a presença do Espírito Santo, porquanto é comum encontrarmos na Bíblia afirmações como as que se seguem: “ [...] Mt. 11.27, só Jesus “conhece plenamente o Pai”; mas, segundo ICo. 2.10,11, só o Espírito Santo esquadrinha as profundezas de Deus, isto é, só Ele conhece a Deus plenamente. Ap. 19.12 fala de um nome conhecido só por Jesus. Isto constitui prova de que o Pai não o conheça também? [..] Segundo a Teologia clássica, o Filho se fez homem sem deixar de ser Deus. Assim sendo, Ele não perdeu, quando da humanização, nenhum dos atributos próprios da Divindade, como onipotência (Jo. 5.18; 10.30), onisciência (Jo. 16.30), onipresença (Mt. 18.20), etc.. Deste modo, a expressão “só o Pai” não exclui nem mesmo o Filho.

    1.3.2.“Disse que o Pai era maior do que Ele” O fato de Jesus afirmar que o Pai era maior do que Ele (Jo. 14.28), não constitui uma negação de Sua Deidade [..] o Pai é maior do Ele, embora Ele seja igual ao Pai (Jo. 5.18)

    [Veja como funciona a "Doutrina da Trindade" e sua filha irmã da "Doutrina da Encarnação e das Duas Naturezas de Cristo, o Deus-Homem", funciona a base de frases e termos contraditórios e de afirmações opostas as calaras palavras bíblicas. Dizer que Deus é um que dizer que Deus é três. Que o Pai é maior, quer dizer que é igual, Nem o Filho sabe, só o Pai sabe, quer dizer que o Filho e o Espírito santo também sabem, dizer que temos um só Deus o Pai, também inclui o Filho e o Espírito Santo, Jesus é Deus e morreu, mas Deus não morreu essas coisas ]


    1.1. Só há um Deus (Com “D” maiúsculo). [..] O próprio Jesus disse que Seu Pai é o único Deus verdadeiro (Jo 17.3). [..] È que cada membro da Trindade é o nosso único Deus, bem como o nosso único Senhor. E o que dizemos de cada componente da Trindade [..] isto é, a Trindade é o nosso único Deus, bem como o nosso único Senhor.

    [Viu? O livro inteiro existe online na net, não separo mais trechos para não floodar os comentários...pois tem muito mais perolas, distorções, paradoxos e contradições grato pela atenção]

    [OPA NÂO, lembrei ...não podia esquecer disso..foi um FAIL feio..]

    CAPÍTULO 11 __O SENHORIO DE JESUS 11.3.

    Segundo o Salmista Davi Cerca de 1000 anos antes de Jesus nascer, Davi reconheceu que Jesus era o seu Senhor [..] “Disse Jeová ao meu Adonai”
    Adonai [..] nunca é usado na Bíblia como pronome de tratamento, mas sim, como um substantivo próprio, exclusivo de Deus. “Senhor”, como pronome de tratamento é [..]adoni. [..] só Jeová é Adonai.

    [Só que no Salmo 110, Jesus é chamado de ADONI não de Adonai, TIRO NO PROPRIO PÉ! [Adoni nunca é usado para Deus, ou seja o argumento INVERTE]

    [Agora sim ... fui]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Saga:
      Muito obrigado por suas observações e seus comentários em defesa da verdade bíblica. Por fazer isso, você estará alegrando o coração de nosso maravilhoso Deus, Jeová, e o coração de Seu Filho, o nosso Senhor Jesus Cristo, além de servir de instrumento deles em ajudar pessoas sinceras, que amam a verdade. Parabéns pelo seu zelo! - Prov. 27:11; 1 Ped. 3:15.

      Excluir
  6. Meu prezado você sabe que eu givanilson Rocha tenho uma imensa adimiração pelo trabalho de vocês.Só uma duvida:O centurião não tem um site não né? ele só colabora com o de vocês é isso? São muito bons os artigos dele.Um abraço carinhos para o centurião!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho conhecimento de que esse irmão possua um site ou blog no qual poste suas matérias. Mas fico muito contente de que vários de nossos irmãos se dedicam a publicar artigos bíblicos para ajudar os que estão na fé cristã bem como os que a estão procurando. Agradeço a você, prezado Givanilson, pelo apoio que nos dá. Um grande abraço.

      Excluir
  7. As TESTEMUNHAS DE JEOVÁ ensinaram com muita paciencia o que eu sei da bíblia, em um longo período,...foi então que descobri que viví vários anos enganada por pessoas que se diziam ministros de DEUS,e sempre faziam questão de falar mal das T. DE jeova.Agradeço a JEOVÁ ter continuado a estudar a biblia e descobrir mais a fundo que a verdade pode ser distorcidas em vários níveis.

    ResponderExcluir
  8. Obrigado pelo seu sincero depoimento. Uma vez que descobriu a verdade da Palavra de Deus, continue constante em sua amizade com Jeová, por meio de Cristo, seguindo o sábio conselho inspirado: "Portanto, visto que aceitastes a Cristo Jesus, o Senhor, prossegui andando em união com ele, arraigados, e sendo edificados nele e estabilizados na fé, assim como fostes ensinados, transbordando em agradecimentos com fé." - Col. 2:6, 7.

    ResponderExcluir
  9. " Epifania está relacionada com o verbo έπιφαίνω (epifaíno), que significa “alumiar”, “aparecer”, “manifestar(-se)”, “mostrar-se”. (Taylor, G.D.[3]) "

    Epifaíno - "Alumiar"

    Deve ser por isso que vimos aquelas traduções usando "resplendor" e "esplendor" (Corrigida Fiel e Ave Maria)em II Tessalonicenses 2:8


    "Um adjetivo relacionado com epifáneia é epifanés (επιφανής), que significa “explêndido”, “glorioso”, “ilustre”, usado em Atos 2:20 com referência ao “dia de Jeová”. A palavra “dia” também é abstrata, indicando um período de tempo. De modo que o adjetivo epifanés expressa uma ‘glória’ ou ‘brilho’ também discernível, e não visível"

    Epifanés - "Brilho".

    "O verbo epifaíno é derivado de φαίνω (faíno), que significa “brilhar”, “iluminar”, “aparecer”, “ser ou tornar-se visível”, “ser revelado”, “ser reconhecido”. (G.D.) Como essa definição mostrou, esse verbo também possui um sentido figurado de tornar-se discernível à mente."

    Faino - "Brilhar", "Iluminar".

    Muito interessantes seu estudos, irmão. Muita matéria nova, ainda inédita aos nossos ouvidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Saga, pela expressão de apreço. Receber depoimentos como o seu, de que os artigos que posto estão sendo informativos e benéficos, me incentiva neste empreendimento de divulgar a verdade pela internet. Abraços, estimado irmão.

      Excluir
    2. Agora que vi, que sem querer....postei no artigo errado T_T

      Obvio que esse comentário era pra outro post

      Excluir
  10. Esta postagem é referente ao vídeo de estudo gramatical de João 1:1 no cabeçalho desta página.
    Engraçado como a gramática e o estudo da letra se tornam incapazes de definir por si mesmo, no seu estudo um assunto que é de alcance única e exclusivamente da fé; e ainda por cima torna uma expressão bíblica totalmente incoerente com todo o escopo bíblico bem como o contexto geral ensinado pelas Escrituras como um todo: não existe Deus + um Deus; só existe Deus, ou Um Deus; logicamente que João 1:1 seria uma aberração da palavra de Deus em estabelecer a Cristo como "um Deus".
    Realmente, como ensinam as Escrituras, é somente pela fé que entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados.
    E também é unicamente pela fé que se define e se entende o que a Palavra de Deus queira dizer, e diz.
    Cristo é Deus (não que seja o Pai) mas porque é o Unigênito Filho de Deus que está no Seio do Pai; um c/ Ele; de tal maneira, que quem o viu durante o evangelho, estava vendo o Pai; porquanto o mesmo Jesus assim o disse a Felipe, quando este lhe rogou: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta. E o Senhor não titubeou a lhe afirmar: Já estou há tanto tempo convosco e não me tendes conhecido, Felipe. Quem me vê a mim, vê o Pai, e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês que eu o Pai está em mim e que eu estou no Pai?
    As palavras que eu vos digo, não as digo de mim mesmo, mas o Pai que está em mim, é quem faz as obras.
    João 14.
    Realmente, todos aqueles que preferem estudar as escrituras pela letra sobrepondo-se a fé, ficarão desamparados e órfãos, porque sem a fé inteira na Pedra de Esquina, a qual todos os que nela crerem, não serão confundidos, já o estão, por não a terem como fundamento em todos os aspectos, principalmente no da fé.
    E mais: Jesus é a verdade. Como pode ser Ele a verdade, se o Deus Altíssimo estava no trono?
    Há; porque disse Jesus: Eu e o Pai somos um.
    Esta é uma boa frase para se analisar, os que amam a gramática.
    O sujeito composto na frase é um; mas somente a fé, e o Espírito Santo é que podem definir, e o capacitar para entender; porque no reino de Deus a gramática não sonda, só aquilo que de Deus vem, ou seja, a fé.
    Paz
    Jefté

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Jefté:

      Você está certo quando afirma que a gramática e o estudo da letra são incapazes, por si sós, de definir verdades espirituais. Como você mesmo admite, é necessária a qualidade da fé. E, sobre a fé, a Bíblia declara: “A fé segue à coisa ouvida. Por sua vez, a coisa ouvida vem por intermédio da palavra acerca de Cristo.” (Romanos 10:17) Assim, a fé tem que ser construída com base no conhecimento da “palavra acerca de Cristo”, que se encontra na Bíblia.
      E a Bíblia é clara em mostrar que Jesus Cristo não é o Deus Todo-Poderoso, e sim o Filho de Deus. Por ser Filho de Deus, ele possui divindade, ou natureza divina, assim como um filho de um homem possui humanidade, ou natureza humana. Jesus e seu Pai são um no sentido de união, não igualdade. (Veja João 17:21-23) Jesus não é o Deus Todo-Poderoso, e sim “a imagem do Deus invisível”. (Col 1:15) Desse modo, Jesus imita o Pai de modo perfeito, e é o meio para nos achegarmos ao Pai. Como o próprio Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.” — João 14:6.
      Acredito que os seguintes artigos poderão ser-lhe de ajuda em examinar pelas Escrituras Sagradas esse tema:
      http://oapologistadaverdade.blogspot.com.br/2011/09/e-trindade-uma-doutrina-biblica_23.html
      http://oapologistadaverdade.blogspot.com.br/2011/09/trindade-eensinada-no-novo-testamento-o.html
      Grande abraço, e que possamos todos usufruir a paz do Senhor Jesus Cristo!

      Excluir
  11. PARABENS POR ESTE ESPAÇO, ESTOU CONHECENDO HOJE E GOSTEI MUITO, OBRIGADA

    ResponderExcluir
  12. Olá, boa noite! Sou simpatizantes dos TJs e um amigo de escola que é evangélico me perguntou o que significa essa frase no texto de Lucas 21:8, ‘Aproximou-se o tempo devido. Eu não entendo esse texto e não sei o significado dessa frase. Se puder me ajudar agradeço. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O contexto fala da destruição de Jerusalém com seu templo.
      “Mais tarde, visto que havia certos falando sobre o templo, que este estava adornado com pedras excelentes e com coisas dedicadas, ele disse: “Quanto a estas coisas que estais observando, VIRÃO OS DIAS em que não ficará aqui pedra sobre pedra sem ser derrubada.” Interrogaram-no então, dizendo: “Instrutor, QUANDO SERÃO REALMENTE ESTAS COISAS e qual será o sinal quando estas coisas estão destinadas a ocorrer?” Ele disse: ‘Acautelai-vos de que ninguém vos desencaminhe; porque muitos virão à base do meu nome, dizendo: “Sou eu”, e: “Aproximou-se o tempo devido.” Não vades após eles. Além disso, quando ouvirdes falar de guerras e desordens, não fiqueis apavorados. Porque estas coisas têm de ocorrer primeiro, mas O FIM NÃO OCORRE IMEDIATAMENTE.” – Lucas 21:5-9.
      Jesus mostrou que “guerras e desordens” ocorreriam antes disso (“primeiro”), “mas O FIM NÃO OCORRE IMEDIATAMENTE”. Acontece que falsos cristos desencaminhariam a muitos, afirmando que o fim já havia chegado, ou que estava às portas. O discípulos não deveriam deixar-se enganar, visto que Jesus fez uma profecia minuciosa sobre a terminação do sistema (tanto judaico quanto o atual) em Mateus capítulos 24, 25; Marcos capítulo 13 e Lucas capítulo 21.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *