Image Map











sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Debate sobre o anjo de Jeová

Fonte: jw.org


Um autor de um site sobre pesquisas bíblicas se empenhou em um breve debate comigo acerca da identidade do anjo de Jeová. Em sua argumentação, o referido autor afirma que a expressão “anjo de Jeová” não pode referir-se ao Filho, Jesus Cristo. Tenho o prazer de postar abaixo o conteúdo integral desse debate, para o benefício de todo estudante da Bíblia.

Autor do site:

O anjo de Jeová muda a promessa que faz: “Enviarei um anjo diante de ti, e lançarei fora os cananeus, e os amorreus, e os heteus, e os perizeus, e os heveus, e os jebuzeus” (Êxodo 33:2). A promessa é repetida em Êxodo 34:11. E no livro de Juízes, o anjo diz que não lançará mais as nações. E diz isso por vingança (Juízes 2:1-3). Jesus age de outra forma: Quando um servo ou discípulo peca, ele intercede junto ao Pai (I João 2:1). Jesus veio a este mundo para salvar, e não para condenar (João 3:16-17).

O Apologista da Verdade:

A promessa que Jeová fez mediante seu anjo, de expulsar as nações diante dos israelitas, era condicional: seu cumprimento dependia da fidelidade de Israel, conforme mostra Juízes 2:1-3. Ademais, a situação de Israel era diferente da dos cristãos. Os primeiros pecaram como nação, coletivamente, ao passo que 1 João 2:1 fala de um cristão individual cometer um pecado. Na sua vinda como humano, Jesus depôs sua vida como sacrifício para a salvação dos que nele exercerem fé. (João 3:16, 36) No entanto, com relação a lidar com os iníquos no fim do sistema de coisas, a Bíblia diz sobre Jesus que ele trará “vingança sobre os que não conhecem a Deus e os que não obedecem às boas novas”. – 2 Tessalonicenses 1:6-9.

Autor do site:

O anjo de Jeová amaldiçoa: “Amaldiçoai a Meroz, diz o anjo de Jeová; acremente amaldiçoai aos seus moradores, porque não vieram em socorro de Jeová, em socorro de Jeová com os seus valorosos” (Juízes 5:23). Mas Jesus, com sua morte nos resgatou de todas as maldições (Gálatas 3:13). E Paulo recomenda aos cristãos dizendo: “Abençoai aos que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis” (Romanos 12:14). Se um cristão não amaldiçoa um perdido, porque precisa de salvação, por que o anjo de Jeová amaldiçoa? Porque não ama. E tem mais: O texto diz que Jeová necessitava o socorro dos homens de Meroz, e Paulo declara que Deus não precisa da ajuda dos homens (Atos 17:24-25).

O Apologista da Verdade:

Como mostrou o artigo Quem é o anjo de Jeová?, nem toda ocorrência da expressão “anjo de Jeová” se aplica ao Lógos (Jesus Cristo na sua existência pré-humana). No entanto, os anjos de Deus, que permaneceram fiéis a ele, são perfeitos. Eles manifestam perfeitamente as qualidades divinas, inclusive o amor. – Veja Lucas 15:10.

Jeová não precisa de ninguém. Ele é completo em si mesmo. O “auxílio” mencionado me Juízes 5:23 diz respeito a ajudar Baraque, o comandante designado por Jeová, na própria luta contra os cananeus sob Sísera. – Juízes 5:5-16.

Com relação ao proferimento de maldições, encontramos na Bíblia o próprio Deus, que é amor, fazendo isso. (Gênesis 3:14, 15; 4:11, 12) A Lei mosaica, que era “santa”, também estabelecia maldições. (Deuteronômio 27:15-26; 28:16-19) Dentro do cristianismo, há também o uso de maldições. Paulo disse: “Quem quer que vos esteja declarando como boas novas algo além daquilo que aceitastes, seja amaldiçoado.” (Gálatas 1:9) A respeito de certas pessoas iníquas, Pedro disse: “São filhos amaldiçoados.” (2 Pedro 2:14) E o próprio Senhor Jesus Cristo também amaldiçoa. Ele retratou a si mesmo dizendo: “‘Afastai-vos de mim, vós os que tendes sido amaldiçoados, para o fogo eterno, preparado para o Diabo e seus anjos.” – Mateus 25:41.

Nos casos acima, a maldição é mencionada com relação a classes ou a pessoas específicas, em plena harmonia com a justiça divina. Mas, no âmbito geral, como não podemos ler corações, o conselho que os servos de Deus seguem é o de Romanos 12:14: Persisti em abençoar os que vos perseguem; abençoai e não amaldiçoeis.”

[Após esta minha última contra-argumentação, o referido autor do site de pesquisas bíblicas não fez mais nenhuma argumentação.]


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site oapologistadaverdade.org





3 comentários:


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *