Image Map











sábado, 24 de janeiro de 2015

Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 2



Dia 18 de janeiro de 2015 lancei o desafio acima a todos os leitores dos artigos deste blog, e a todos os católicos e evangélicos.

Como expliquei, tal desafio não visa a uma provocação religiosa, e sim intelectual, no sentido de incentivar à pesquisa da Bíblia e de boas traduções bíblicas. Isso é benéfico para todas as pessoas interessadas em entender a Palavra de Deus, independente da religião.


O artigo mostrou que, dentre a expressiva maioria das traduções, somente a Tradução do Novo Mundo verte com coerência esse texto, conforme abaixo:


As demais traduções que pesquisei até a composição deste artigo traduzem “virgindade” (condição ou estado de uma pessoa virgem) simplesmente por “virgem” (pessoa), e algumas ainda acrescentam a palavra “filha”, fazendo o texto rezar “filha virgem”, ao passo que outras traduzem por “noiva”. O resultado é uma confusão que faz promover o machismo e até o incesto!

(Veja o artigo anterior, aqui.)


Como exemplo, veja como a Bíblia Pastoral traduz essa passagem:




O versículo 36 dessa tradução dá a entender que “respeitar a noiva” significaria manter um noivado cristão, casto, sem ir além dos limites bíblicos (evitar impureza, fornicação, devassidão).

Mas, o versículo 37, ao iniciar com a expressão “ao contrário” e mencionar novamente a expressão ‘respeitar a noiva’, mostra que tal respeito seria fazer o contrário de se casar (versículo anterior) – seria permanecer solteiro, ou seja, cancelar o noivado.

Disso a conclusão óbvia seria a de que:

1)    O noivo cristão mostra respeito pela noiva por não fornicar com ela;
2)    O noivo cristão mostra respeito pela noiva por não se casar com ela.

Bem, então, surge a questão: por que, afinal, ele se tornou noivo dela? Apenas para brincar com seus sentimentos?

Outra coisa: é somente ele que decide se deve se casar ou não? Ela não tem nenhum direito de escolha?

Em função de tais traduções erradas, alguns comentaristas da Bíblia, que se baseiam em tais versões, também incorrem em perpetuar esse conceito machista.

Na parte 2 deste tema, trago aos leitores comentários feitos por estudiosos religiosos sobre esse texto.

Veja abaixo:


Veja este outro comentário:



Perceba o leitor como uma tradução mal feita (errada) abre margem para conclusões igualmente erradas.

E não se trata de um assunto trivial. A tradução e consequente interpretação erradas acabam por atribuir à Palavra de Deus conceitos alheios a ela, como a promoção do machismo e até do incesto! Isso certamente é muito sério. Denigre a Bíblia e lança descrédito sobre seu conteúdo, sobre sua inspiração e principalmente sobre seu Autor – o próprio Jeová Deus.

A parte 3 mostrará ainda outros comentários feitos com base na tradução errada de 1 Coríntios 7:36-38.

E você, leitor? Conseguiu encontrar uma tradução da Bíblia que verta essa passagem com coerência, além da Tradução do Novo Mundo?





Os artigos deste blog podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o blog oapologistadaverdade.blogspot.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *