Image Map











quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

debate online sobre a permanência dos Dez Mandamentos - Parte 4

Andreas:

[O texto foi reproduzido exatamente como escrito pelo argumentador]

Olá, irmão. Vim fazer algumas considerações.


-Sem lei, não há pecado. (1 João 3:4).
-E sem pecado, não há necessidade de arrependimento.
-Mas é dito que "aquele que diz que não tem pecado é mentiroso", até mesmo porque o Espírito Santo "vem nos convencer do nosso pecado", ou seja, das nossas transgressões a Lei.



-Ou seja, ainda existe uma Lei que nos julga, para nos arrependermos. POIS AINDA EXISTE PECADO. E não há pecado sem Lei.



Sobre Mateus 5:17 ao 19, você distorceu o texto, porque Jesus diz que "até que o céu e a terra passem não passará UM TIL DA LEI". 


E o céu e a terra não passaram. Até mesmo a lei cerimonial do santuário não foi abolida, porque Jesus passa a interceder no Santuário CELESTIAL. Ora, se ele ministra o santuário é porque ELE NÃO FOI ABOLIDO (Hebreus 8:1,2). Mas o ssistema TERRESTRE foi ABOLIDO, para que o sistema CELESTIAL começasse. Isso está em Hebreus, fácil fácil de entender, mas ninguém estuda o santuário.


Cristo ainda disse que o "menor dos mandamentos" deveria ser guardado até que "a terra e o céu passem". E a terra e o céu ainda não passaram! Ou seja, Obedeça!


No Antigo Israel, havia um santuário que simbolizava as coisas que acontecem no céu. O Plano de Salvação.


Hebreus deixa claro que TODO o santuário terrestre era "sombra" das coisas celestiais. (Hebreus 8:4,5)



Então existia uma ARCA DA ALIANÇA, com os 10 mandamentos, pelos quais eles eram julgados.



E todo o cerimonialismo para se reconciliarem com Deus.



Em Apocalipse 11:18,19 vemos um julgamento no Céu "chegou o tempo determinado para serem julgados os mortos"... ..."E abriu-se a ARCA DA ALIANÇA, que SE ACHA NO CÉU".


Fica claríssimo que para que haja um julgamento é necessário de um Lei. E qual é a Lei do Céu que julgará? 


Tire suas próprias conclusões...



Sabendo que o santuário terrestre era um "tipo" do celestial, fica fácil entender...



É óbvio que ninguém será salvo pela obediência a Lei (e nem por se filiar aos testemunhas de Jeová), mas serão pela graça, através do sangue de Cristo, SE HOUVER arrependimento...



-Não estamos mais "debaixo da Lei", pois Cristo morreu e estamos livres da CONDENAÇÃO. Mas o apóstolo Paulo diz "Devemos transgredir a Lei (ou seja, pecar 1 João 3:4) por que nao estamos debaixo da Lei. DE MANEIRA NENHUMA."


Pois, como poder haver trevas naquele que está salvo?


Ele ainda diz que "somos servos da OBEDIENCIA" e que o 'pecado (transgressão da lei) gera MORTE e a obediência, justiça".



"Romanos 8:7,8 "Porquanto a inclinação da carne é INIMIZADE CONTRA DEUS, pois a carne NÃO É SUJEITA A LEI DE DEUS... ...Portanto, os que estão na carne (e não estão sujeitos a LEI de DEUS), NÃO PODEM AGRADAR A DEUS".


"Vós porém NÃO ESTAIS NA CARNE". Ou seja, estamos sujeitos a Lei de Deus (não matamos, nem roubamos, nem transgredimos nada) vivendo pelo Espírito.


"Porque se viverdes segundo a carne, MORREREIS".



E ele diz que aquele que vive segundo a carne, NÃO ESTÁ SUJEITO A LEI (Romanos 8:7,8).


O Apologista da Verdade:

          Você afirmou: “ainda existe uma Lei que nos julga, para nos arrependermos. POIS AINDA EXISTE PECADO. E não há pecado sem Lei.”


      Já concordamos sobre isso. Contudo, o Novo Testamento é claro em mostrar que se trata da “lei do Cristo”. – Gál. 6:2.


              Quanto a Mates 5:17 e 18, eu não distorci o texto. A expressão “até que o céu e a terra passem” é uma hipérbole, visando provar a certeza do CUMPRIMENTO da Lei como um todo.


       Afinal, céu e Terra não irão passar mesmo. – Eclesiastes 1:4; Salmo 148:3-6.

               O sentido é tornado claro me Lucas 16:17:

             “Deveras, mais fácil é passarem céu e terra do que passar sem cumprimento uma só partícula duma letra da Lei.”


              Note que o texto não diz que a Lei não iria passar, mas sim que não iria “passar SEM CUMPRIMENTO”.

              A mesma ideia é expressa em Mateus 5:18: “nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.” - Almeida Atualizada.

             E Jesus ‘cumpriu’ a Lei, não apenas no sentido de obedecê-la, pois o verbo grego usado em Mateus 5:17 não indica obedecer, e sim “terminar” (algo iniciado), “levar ao fim”. – Veja o artigo “Mateus 5:17 indica que a Lei dada à Israel continuaria no cristianismo?”

        Quanto à Lei servir de sombra para o santuário celestial, não estou questionando. (He 10:1) O ponto é que isso não prova que a Lei – principalmente a parte chamada “cerimonial” – permaneça para os cristãos.

         Também, ressalto aqui os comentários que fiz no debate online que tive com o adventista Azenilto:


Uma 2ª pergunta seria: como Cristo cumpriu TODA a Lei? O verbo grego usado é pleróo, que significa “completar”, “terminar” alguma coisa já iniciada, “levar ao fim”. (Léxico do NT Grego/Português de Gingrich e Danker.) Assim, Cristo não ‘destruiu’ a Lei por violá-la, mas a cumpriu por levá-la ao fim. Isso se torna claro pelas palavras seguintes de Jesus: “Antes passariam o céu e a terra, do que passaria uma só letra menor ou uma só partícula duma letra da Lei sem que tudo SE CUMPRISSE”, ou seja, SE COMPLETASSE, finalizando. (Mt 5:18) Além disso, esse significado se torna evidente porque o texto diz que Cristo veio cumprir também “os Profetas” – as profecias escritas que diziam respeito a ele. Uma 3.ª pergunta seria: o que aconteceria com TODA a Lei depois que Cristo a completasse (a levasse ao fim)? O mesmo que aconteceria com as profecias cumpridas por ele. Tais profecias ficariam apenas registradas para o nosso conhecimento. Se alguém tentasse cumprir novamente tais profecias seria o mesmo que dizer que Jesus não as cumpriu direito. Isso implicaria em dizer que ele não era o Messias (Cristo), e que, portanto, sua morte não teve valor algum! O mesmo se pode dizer da Lei. (O verbo “cumprir” foi usado uma única vez para se referir à Lei e aos Profetas.) Se alguém tentasse cumprir toda a Lei ou parte dela (como os Dez Mandamentos), ou apenas uma lei dela (como a do sábado semanal) seria o mesmo que dizer que Cristo não a cumpriu direito, desqualificando-o de ser o Messias e, por conseguinte, de ser o nosso Salvador. ISSO SERIA NEGAR O RESGATE QUE ELE PROVEU PARA A NOSSA SALVAÇÃO! E o resgate é a doutrina central do cristianismo – a doutrina de que Jesus Cristo veio para dar sua vida para a salvação da humanidade. Assim, observe o leitor a seriedade de se insistir na guarda do sábado semanal ou de qualquer outra lei do código de leis dado a Israel!


(Veja o inteiro debate em: https://traducaodonovomundodefendida.wordpress.com/2014/02/05/debate-on-line-entre-adventista-do-setimo-dia-e-testemunha-de-jeova-voce-esta-convidado/) 
           Quanto à arca da aliança, já expliquei usando o contexto bíblico.

             Curiosamente, você admite que os cristãos não estão debaixo da Lei. Assim, qualquer argumentação sua a favor da continuidade da Lei se torna contraditória.

               Você afirmou: “Mas o apóstolo Paulo diz "Devemos transgredir a Lei (ou seja, pecar 1 João 3:4) por que nao estamos debaixo da Lei. DE MANEIRA NENHUMA."

             Talvez sua afirmação acima explique o seu equívoco sobre o assunto. O problema é que você enxerga o que não está no texto, mas sim o que está em sua mente.

         Pois o texto de Romanos 6:15 não diz o que você afirmou.

            Paulo não disse: ‘"Devemos transgredir a Lei por que não estamos debaixo da Lei?”


       Antes, ele disse: “Cometeremos pecado porque não estamos debaixo de lei …?”


        Não é a Lei mosaica que define a existência do pecado; ela apenas definiu plenamente o que é pecado. Mas o pecado já existia e era reconhecido ANTES da existência da Lei.

        Romanos 5:13: “Antes de a lei ser dada, já existia o pecado no mundo.” – Nova Tradução na Linguagem de Hoje.

        Comparando a si mesmo com o povo israelita, Paulo explicou:

         “De fato, eu estava uma vez vivo à parte da lei; mas, AO CHEGAR o mandamento, o pecado passou a viver novamente, mas eu morri.” – Romanos 7: 9.

            Como seria possível o pecado existir ANTES da Lei?

        Porque havia princípios morais e as leis patriarcais, derivadas deles.

       O que a Lei mosaica fez foi definir o pecado cabalmente.

         Assim, quando Paulo perguntou “Cometeremos pecado porque não estamos debaixo de lei …?”, ele não estava afirmando que a Lei continuava (pois ele argumenta o contrário em Romanos 7:6), e sim que, embora a Lei tivesse acabado, por ter sido cumprida por Cristo, ainda havia LEIS – as leis cristãs, a “lei do Cristo”. – Gál 6:2.

         Você afirmou: “Ele [Paulo] ainda diz que "somos servos da OBEDIENCIA" e que o 'pecado (transgressão da lei) gera MORTE e a obediência, justiça".

         Esse texto (Romanos 6:16, 17) é outra PROVA de que a Lei deixou de vigorar. O texto diz:

       “Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça? Mas graças a Deus porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de coração À FORMA DE DOUTRINA A QUE FOSTES ENTREGUES.”

        Portanto, ao invés de permanecer na Lei mosaica, os cristãos obedecem à “lei do Cristo”, referida aqui como ‘a forma de doutrina a que foram entregues’.

       A “lei de Deus” referida em Romanos 8:7 deve ser definida à base do contexto. O versículo 1 diz que “os em união com Cristo Jesus não têm nenhuma condenação”. Acontece que a Lei mosaica CONDENAVA. A Lei ‘GRAVADA COM LETRAS EM PEDRAS’ foi chamada de “ministério da condenação”. (2Co 3:7-9) Veja o artigo Os Dez Mandamentos foram abolidos? – Um exame de 2 Coríntios 3:6-14.

         Romanos 8:15 diz que os cristãos “são conduzidos pelo espírito de Deus”. E Paulo afirma em Gálatas 5:18: “Mas, se sois guiados pelo Espírito, NÃO ESTAIS DEBAIXO DA LEI.” Ou seja, é claríssimo: os cristãos não estão sob a obrigação de cumprir a Lei mosaica.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







4 comentários:

  1. Apologista, esses artigos não são excepcionais?

    http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/2014763
    http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/2014764

    E são precisamente o que falta nos legalistas.


    No caso do adventista Victor Santos ele citou uma fonte sabatista(http://biblia.com.br/perguntas-biblicas/nova-alianca/o-que-a-biblia-diz-sobre-a-nova-alianca/) em que o comentário dizia assim: ``Na Bíblia aparecem dois pactos: um ‘antigo’ e outro ‘novo’" [...] Na realidade, não há mais que um pacto: existe apenas um plano de salvação, que é um ‘pacto eterno’ por meio de Jesus (Apocalipse 13:8). O que se fala de um ‘pacto antigo’ – o que foi confirmado no Sinai – e um ‘pacto novo’ – o que foi confirmado no calvário – pode contribuir para uma confusão``. Ou seja, existe uma grande confusão devido a ignorância sobre essa questão dos pactos.

    É divertido ver a Assembleia de Deus e a IASD discutindo: http://escoladominical.assembleia.org.br/licao-6-santificaras-o-sabado/ x http://www.criacionismo.com.br/2015/02/escola-dominical-ataca-o-quarto.html
    De fato, e já vi o famoso Azenilton usando deste expediente diversas vezes => As igrejas protestantes ficam em desvantagem ao tentar debater com os adventistas, pois historicamente faz parte dos seus credos e declarações de seus nomes famosos que os dez mandamentos são obrigatórios aos cristãos (como uma eterna "LEI MORAL"), mas que no caso o sábado foi substituído pelo domingo, as religiões evangélicos estão desde o berço compromissadas com essas ideias. E com a aceitação desta divisão de lei cerimonial e lei moral os adventistas saem com muita vantagem, e fica fácil demonstrar que não há fundamento bíblico para a guarda do domingo como um novo dia sabático.
    RESULTADO: No fim como as igrejas historicamente são comprometidas com os chamados dez mandamentos, a argumentação sabatista os acusa de querem guardar "apenas 9 mandamentos".

    Eles ficam um pouco mais irritados conosco, pois cortamos pela raiz essa divisão que isola o decálogo como uma lei moral eterna e separada que se manteve mandatória pra os cristãos, aí eles ficam tentando dar voltas para tentar colocar o Povo de Jeová numa posição tal como se encontra a maioria das igrejas da Cristandade, nosso entendimento é muito mais dificil pois falamos uma lingua muito estranha um pro outro, nem ao menos usamos aquela desgastada divisão de "Antigo Testamento" e "Novo Testamento" pois entendemos que esta é errônea, é fácil para um adventista abrir num dos evangelhos e mostrar que o sábado era guardado mesmo no "NT", por Jesus e seus seguidores, mais uma forma de pegar algum crente desavisado que não compreenda a questão dos Pactos.

    ResponderExcluir
  2. Já que segundo ele Jesus cumpre a lei cerimonial que segundo ele não foi abolida ele cumpre toda ela ou só uma parte?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. jesus cumpriu todas as leis descritas nas lei: a lei do sacrificio,circuciçao8 dia ,sabado, oferta,tudo de modo correto e nao do jeito dos farizeus daquela epoca

      Excluir
  3. textos difiçel de compriender ? nao é , só voce ler ezequiel 20 :12 e oseias 2: 11 e se perguntar os sabados menseonados aqui nesses txtos sao os mesmo sabados ? claro que sim porque o siguinificado da palavra sabado é descanso . em volvi todos os sabados obs que estao no plural que endica que sao todos ,portanto colosenses 2 :16 fala tambem que os sabados nao é mais obrigatorio .

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *