Image Map











segunda-feira, 16 de março de 2015

A questão do sangue - parte 3



Há base científica para se evitar uma transfusão de sangue de outra pessoa?  


 Fonte da ilustração: http://alternativasemsangue.
blogspot.com.br/

Resposta:

Na realidade, o sangue transfundido cumpre o mero papel de expansor. Clinicamente falando, é um expansor de alto risco, comparado com expansores sintéticos (cristalóides e colóides). Assim sendo, visto que o sangue transfundido apenas supre a necessidade de volemia (volume do sistema circulatório), isso poderia ter sido feito por meio dos expansores sintéticos, e com enormes vantagens: sem risco de contaminação, infecção hospitalar, e imunossupressão.

Por isso, quando buscam tratamento sem sangue, as Testemunhas de Jeová estão buscando o que há de melhor na medicina, o tratamento de ponta, que é o tratamento não transfusional.

Comentarista:

Pense bem: se realmente fosse prejudicial pra saúde humana como vocês dizem, porque o Ministério da Saúde não impede os hospitais e corpos de bombeiros de solicitarem doação de sangue?

Resposta:

Porque, embora não disponha de base científica, a transfusão alogênica de sangue tornou-se uma prática médica, assim como a flebotomia – igualmente sem base científica – manteve-se como prática médica convencional por cerca de 2.500 anos. Os órgãos públicos de saúde tendem a apoiar a prática médica vigente. A mudança tem de ocorrer dentro da ciência médica (como ocorreu com a flebotomia), e como está ocorrendo no caso das transfusões. Os órgãos públicos apoiarão essa nova tendência mundial.

Leve-se também em conta que a mídia distorce os fatos. Isso porque o uso antibíblico do sangue gera uma indústria multimilionária. Tanto que o sangue é chamado de "ouro vermelho". Satanás, que é o governante deste sistema de coisas, faz de tudo para tornar a violação das leis de Deus práticas aceitáveis. (João 12:31; 14:30; 16:11; 1 João 5:19) Mas, como toda mentira não subsiste, hoje a tendência mundial na Medicina está caminhando para as técnicas de gerenciamento e conservação do próprio sangue, algo totalmente eficaz e científico, e que não viola as leis divinas.
  
Comentarista:

E por que eles ainda são leigos sobre esses assuntos que você explicou?
Infelizmente, essa falta de conhecimento do público em geral se deve a que a prática médica tornou as transfusões aceitáveis para a opinião pública não esclarecida, e porque o comércio do sangue tornou-se um grande negócio.

Comentarista:

Quer dizer que Deus vai me castigar se eu doar, caso precisasse, meu sangue para o meu filho? Pense bem: eu jamais negaria tal ajuda. Quer dizer que a morte de Cristo na cruz não significou nada? Quer exemplo maior que o dele?
Resposta:

Primeiro, essa situação não existe. As transfusões de sangue são DESNECESSÁRIAS. Segundo, não seria nenhuma ajuda, pois elas são PREJUDICIAIS. O sangue estocado possui 650 antígenos (substâncias nocivas). Se quer ajudar pessoas, siga a lei divina, que está em plena harmonia com a verdadeira ciência, que caminha sabiamente na promoção das técnicas de gerenciamento e preservação do próprio sangue, ao invés da condenada transfusão alogênica de sangue.

Comentarista:

Quero ver você ter um acidente de trânsito (entre outros de diversas origens) e quase morrer por hemorragia, perdendo litros de sangue. Me explique alguma técnica que faz a transfusão não ser necessária.

Comentarista:

Quando alguém perde muito sangue, o primeiro procedimento é localizar os vasos mutilados e estancar a hemorragia. O segundo procedimento é manter a volemia do sistema circulatório, para impedir a hipóxia. Isso pode ser feito por meio de expansores cristalóides ou colóides. A reposição sanguínea é feita por se administrar no paciente ampolas de eritropoetina, que estimula a medula óssea a produzir eritrócitos. O corpo será ajudado naturalmente pela hematopoese espleno-hepática, fenômeno em que o fígado e o baço se juntam em produzir sangue. Tudo isso gera um superávit.

O que o médico terá de fazer também é aplicar extrato ferroso para amadurecer os eritroblastos (células nucleadas das quais se desenvolvem os eritrócitos, ou glóbulos vermelhos), que estão em formação acelerada. Esses procedimentos, junto a outros, conforme o caso, são eficazes e dispensam uma transfusão alogênica de sangue.

Comentarista:

Quando você compra aquela carne no açougue, ela está encharcada de sangue. Desta forma, você come sangue.

Resposta:

O líquido vermelho que fica na carne é o interstício. Isso não é sangue. Quando Deus ordenou não ingerir sangue, o que ele evidentemente esperava de seus adoradores é que escoassem o sangue que pudesse ser escoado. Do ponto de vista do Criador, esse ato cumpria Sua lei, mostrando respeito pelo fato de que o sangue, por representar a vida, é sagrado e não deve ser introduzido no corpo de forma alguma.

Comentarista:

Isso é demonstração de fé ou ato suicida? Se amanhã tiver uma epidemia e criarem uma vacina imunológica com propriedades sanguíneas, vocês irão se abster?

Resposta:

A posição das Testemunhas de Jeová está bem fundamentada na ciência e na razão, além de nas Escrituras Sagradas. A Bíblia manda 'abster-se de sangue'. (Atos 15:28, 29) Contudo, no sangue existem diversas outras substâncias, tais como proteínas, hormônios, sais, enzimas, anticorpos, etc. Algumas substâncias prestam-se à produção de vacinas; outras atuam como agentes hemostáticos, como, por exemplo, os fatores de coagulação usados em hemofílicos.

A consciência religiosa das Testemunhas de Jeová não é contra o uso de tais substâncias ou de produtos derivados delas. O que as Testemunhas evitam é o sangue total e seus componentes primários – os glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas e plasma. Assim, não haveria nenhum problema em se aceitar vacinas feitas à base de tais substâncias.

Comentarista:

ciência e religião nunca andam juntAs. Ciência é questionamento; religião é aceitação sem questionar. Me responda uma coisa: a lei de Deus  e seus princípios são perfeitos, bons, justos e imutáveis?

Resposta:

Você está equivocado em ambas as afirmações. A verdadeira ciência é aquela que pesquisa e descobre as maravilhas da criação de Deus, do mesmo Deus que forneceu a Bíblia. Os princípios de Deus são, de fato, perfeitos, bons, justos e imutáveis.

“Toda boa dádiva e todo presente perfeito vem de cima, pois desce do Pai das luzes [celestiais], com quem não há variação da virada da sombra.” – Tiago 1:17.

Comentarista:

Bem, escolher tratamento sem transfusão de sangue na Europa e em alguns países da América Latina, tudo bem. Quero ver você escolher outros tratamentos ou levar essas crenças na África ou na Ásia ou em países miseráveis. Ou seja, trazer culturas do passado e primitivas para os dias de hoje sem levar em conta a realidade social de cada país: as pessoas lá vão morrer! 

Resposta:

A situação não é tal qual você expôs.

1) Porque as transfusões sanguíneas só cumprem o papel de expansor. Nesse respeito, até mesmo nações paupérrimas possuem expansores de volume do plasma sintéticos, isentos de sangue;

2) O sangue transfundido perpetua hemorragias, devido ao seu conservante. Em países empobrecidos, isso torna a situação mais crítica ainda;

3) O sangue, que morfologicamente é bicôncavo, quando transfundido torna-se semelhante a uma bola de espinhos, dificultando sua perfusão pelos vasos capilares, tornando maior o débito cardíaco. Nos países com parcos recursos, é mais fácil ainda de uma transfusão sanguínea levar a óbito;

4) Nos tratamentos oncológicos, as transfusões aumentam as metástases, levando à falência dos órgãos;

5) Várias técnicas de gerenciamento e conservação do próprio sangue dependem apenas da perícia (e, portanto, do interesse) dos médicos, podendo ser aplicáveis em praticamente qualquer localidade.

Resumindo: as transfusões de sangue são uma prática ANTICIENTÍFICA e ULTRAPASSADA. Felizmente, a Medicina moderna está caminhando para as técnicas adrede mencionadas.

Além disso, as Testemunhas de Jeová contam com uma equipe de membros treinados que auxiliam os demais membros na comunicação médico/paciente e em encontrar médicos cooperadores, tanto na região como em outros locais. Temos uma infraestrutura bem estabelecida nesse campo.

Comentarista:

Sobre esse tratamento, é muito caro? Ou o sistema único de saúde oferece esse tratamento?

As Testemunhas de Jeová contam com a ajuda da Colih (Comissão de Ligação com Hospitais), que é composta de membros preparados para fazer a intermediação entre o paciente e o médico. O Serviço de Ligação com Hospitais, das Testemunhas de Jeová, pesquisa mais de 4.300 revistas médicas por mês, e veicula as informações para os membros da Colih. Poderá obter informações pormenorizadas sobre tratamento sem sangue contatando a Colih.

Além disso, transfusões de sangue alogênico são desnecessárias quer como expansores, quer como agentes hemostáticos, quer para reposição ou para qualquer outro motivo. O tratamento de ponta na Medicina é o que não usa transfusões alogênicas. Assim, as Testemunhas de Jeová, que NÃO SÃO uma seita, estão bem fundamentadas em sentido bíblico, lógico, linguístico e médico.


Próximo artigo: Compartilhamento natural de sangue - fornece base para transfusões?



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org









3 comentários:

  1. "Quando você compra aquela carne no açougue, ela está encharcada de sangue. Desta forma, você come sangue."

    Outra declaração que se fosse verdade atingiria em cheio aos católicos e evangélicos.

    ResponderExcluir
  2. É verdade Saga, para defender o indefensável, eles mesmos se colocam numa posição contrário ao princípio bíblico de não ingerir sangue.

    ResponderExcluir
  3. Jeová mandou que se derramace o sangue do animal, e não para torcer a carne até a última gota até q a carne ficasse seca.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *