Image Map











sexta-feira, 15 de maio de 2015

A identidade de Jesus Cristo (Parte final)

Fonte da ilustração: http://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/biblia-ensina/quem-e-jesus-cristo/


A doutrina da Trindade tem como uma de suas premissas que as supostas trés Pessoas estão numa relação de coigualdade quanto à eternidade, ao poder e à autoridade. Presume-se que são coiguais e coeternos.

Nesta série de artigos, estamos considerando a relação entre Jeová, o Pai, e seu Filho, nosso Senhor Jesus Cristo.

Vejamos o que a Bíblia tem a dizer sobre a presumida eternidade passada de Jesus Cristo.

Falando do Filho como a Sabedoria personificada, Provérbios 8:22 e 23 declara:

“Jeová me produziu como o princípio do seu caminho, a primeira das suas realizações mais antigas. Fui estabelecida nos tempos antigos, no começo, antes de existir a terra.”

Essa passagem é clara em mostrar que o Filho, mesmo em sua existência pré-humana, teve princípio.

O “Novo Testamento” concorda inteiramente com essa afirmação. Lemos em Colossenses 1:15:

“Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação.”

Encontramos duas grandes verdades nesse texto: primeiro, que Jesus não é o Deus Todo-Poderoso, mas sim a imagem Dele. Segundo, que o Filho é o primeiro ser da criação. Assim, o Filho faz parte da criação, sendo, portanto, uma criatura.

Para unicistas e trinitários, tal afirmação é vista como uma heresia. No entanto, é o que ensina a Palavra de Deus, de forma cristalina, sem as mirabolantes explicações filosóficas dadas por teólogos de mentalidade platônica, que são ilógicas, incoerentes e sem fundamento.

Em consonância com o texto acima, em Apocalipse 3:14 o próprio Jesus Cristo diz acerca de si mesmo:

 “Ao anjo da congregação em Laodiceia escreva: Estas coisas diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus.”

Em termos simples, Jesus é a primeira criação de Deus. Mas, para a filosofia trinitária, princípio significa origem, termo sem conexão nem linguística nem semântica no contexto.

Vida e tudo o mais Jesus recebeu do Pai

Serve os textos abaixo:

 “Tudo me foi entregue por meu Pai.” – Lucas 10:22.

“Ele [Jesus] lhes disse: ‘De fato, vocês beberão o meu cálice, mas sentar-se à minha direita e à minha esquerda não cabe a mim conceder; esses lugares pertencem àqueles para quem o meu Pai os preparou.’” – Mateus 20:23.

6:57: “Eu vivo por causa do Pai.”

“Em vista disso, Jesus lhes disse: “Digo-lhes com toda a certeza: O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente o que ele vê o Pai fazer.  Pois o Pai não julga a ninguém, mas confiou todo o julgamento ao Filho,  Pois assim como o Pai tem vida em si mesmo, assim concedeu também ao Filho ter vida em si mesmo. E deu a ele autoridade para julgar, porque ele é o Filho do Homem.” – João 5:19, 22, 26, 27

“É por isso que o Pai me ama, porque entrego a minha vida, para que eu possa recebê-la de novo. Ninguém a tira de mim, mas eu a entrego de minha própria iniciativa. Tenho o direito de entregá-la e tenho o direito de recebê-la de novo. Recebi esse mandamento do meu Pai.” – João 10:17, 18.

 “Jesus se aproximou e lhes disse: ‘Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra.’” – Mateus 28:18.

 “Por essa razão, Deus o enalteceu a uma posição superior e lhe deu bondosamente o nome que está acima de todo outro nome.” – Filipenses 2:9.

Os textos que descrevem a relação entre o Pai e o Filho estão repletas de alusões à subordinação, à submissão de Jesus a seu Pai, Jeová. Porém, em parte alguma da Bíblia encontramos a situação inversa.

O Filho não tem o mesmo conhecimento que o Pai

“A respeito daquele dia ou daquela hora ninguém sabe, nem os anjos no céu, nem o Filho, mas somente o Pai.”  Marcos 13:32. 

“Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu.” – Apocalipse 1:1.

O Pai é superior ao Filho

“Ao passo que estendes a mão para curar e ao passo que ocorrem sinais e milagres por meio do nome do teu santo servo Jesus.” – Atos 4:30.

“Vocês, por sua vez, pertencem a Cristo; Cristo, por sua vez, pertence a Deus.” – 1 Co 3:23.

Mas quero que saibam que o cabeça de todo homem é o Cristo; o cabeça da mulher é o homem; e o cabeça do Cristo é Deus.

“Pois Deus ‘lhe sujeitou todas as coisas debaixo dos pés’. Mas, quando ele diz que ‘todas as coisas foram sujeitas’, é claro que isso não inclui Aquele que lhe sujeitou todas as coisas.  No entanto, quando todas as coisas lhe tiverem sido sujeitas, então o próprio Filho também se sujeitará Àquele que lhe sujeitou todas as coisas, para que Deus seja todas as coisas para com todos.” – 1 Coríntios 15:27, 28.

O Pai é Deus do Filho

Contudo, a relação do Filho para com seu Pai transcende a subordinação. É uma relação de adoração. O Filho adora seu Pai como sendo seu Deus.

Jesus afirmou a uma samaritana:

Vocês adoram o que não conhecem; nós adoramos o que conhecemos.” – João 4:22.

O próprio Jesus se incluiu como adorador de Deus, o Pai.

“Para que o Deus do nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai glorioso, lhes dê um espírito de sabedoria e de revelação, referente ao conhecimento exato dele.” – Efésios 1:17.

Isso destrói a fórmula trinitária, pois não pode haver coigualdade quando uma das supostas pessoas (o Pai) é DEUS da suposta segunda pessoa (o Filho)!

Em uma só passagem, Jesus se referiu 4 vezes ao seu Pai como sendo seu Deus:

“Aquele que vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e ele de modo algum sairá dali. E escreverei sobre ele o nome do meu Deus e o nome da cidade do meu Deus, a Nova Jerusalém, que desce do céu da parte do meu Deus, e o meu próprio novo nome.” - Apocalipse 3:12.

Diante dessa colossal evidência bíblica que mostra que o Filho Jesus Cristo não é coigual a seu Deus e Pai Jeová, causa profundo espanto que milhões de pessoas tenham sido levadas a acreditar em uma doutrina que foi cuidadosamente construída sem qualquer fundamentação bíblica, montada à base de retalhos textuais isolados e mal interpretados, que só existe na cabeça daqueles que a aceitaram!


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site oapologistadaverdade.org







7 comentários:

  1. Muito bem explanados todos os seus artigos referentes a este tema. Não há mesmo nenhuma base lógica para alguém defender a doutrina da Trindade. É um ensino bobo, ridículo e que desonra a Jeová, dando a impressão que ele é um Deus estranho. A Bíblia é tão clara que parece que os teólogos, não contentes com isso, querem complicá-la. É como alguns dizem: "Pra que facilitar, se podemos complicar?" Felizmente, Jeová nos revelou a verdade sobre esse assunto.

    ResponderExcluir
  2. o primogênito de toda a criação;16 pois por meio dele foram criadas todas as outras coisas nos céus e na terra...... Porque se fala dele sendo o primogênito da criação e no 16 diz (pois)....

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. A trindade é a maior prova do cumprimento de 2 Cor 4:4 onde nos diz que Satanás cega as pessoas. Depois de artigos tão claros como estes, está mais que provado que nosso Senhor Jesus é uma criação do Pai, o agente do Pai, o representante do Pai.

    Isso é mais do que prova clara que o representante não é maior do aquele representado. Mas Satanás cega esse entendimento óbvio das pessoas. Somente através do espírito santo de Jeová, que é a sua força ativa, é que tais pessoas podem retirar o véu das suas mentes e enxergar a verdade pura e simples da palavra de Deus.

    ResponderExcluir
  5. No tempo de Cristo, satanás queria confundir a mente das pessoas tentando dar a entender que o filho era o pai . hoje ele tenta fazer com que o pai seja o filho o Deus-filho. Mais conhecemos as artimanhas do Diabo.

    ResponderExcluir
  6. Por esses dias teve alguma pregação no seio da Babilônia em que um famoso deputado religioso, idolatrado pelos perplexos fiéis, soltou o verbo: 'Filho de peixe é o quê? Peixe!!! Filho de gato é o quê??? Gato!!! - Ele fez essa asserção com base em um texto dos Salmos que fala de Deus e sua supremacia sobre os deuses (vou dar um exemplo muito conhecido, o de Salmo 82:1 que diz: Deus... julga no meio dos deuses"). O ponto é que ele queria dizer que aqueles deuses ali mencionados eram filhos do Deus, deuses, ou seja, eram anjos!!!!! Dãããããããã!!!
    Irmãos, digo isso, não porque assisti essa "pregação", mas porque os vislumbrados assistiram e ficam repetindo nos corredores esse mesmo assunto. O ponto é o seguinte: É claro que os deuses ali mencionados são os anjos. Não há dúvidas. A questão é que nós já sabemos disso há anos. Minha filha de 17 anos já sabe disso há anos. Os filhos do verdadeiro Deus são deuses assim como os filhos dos homens são homens. O problema é que um ensino tão básico, rudimentar, precisa ser falado por um deles para se tornar uma verdade absoluta. Ora, há mais de uma centena de anos nós falamos isso nas portas, nas ruas, nas estradas, e essas pessoas relutaram em crer, em enxergar claramente isso. Aí vem alguém, se arrogando como instrutor de cegos e repete essa ideia para ser enaltecido e bajulado, clamado como sábio, para um monte de gente ficar encantada. Quanta sabedoria!!!!! Ohhhhhh, quanta estupidez!!!
    Aí que está também a grande questão: Ótimo!!! descobriram isso. Só falta entenderem que nosso Senhor Jesus é deus nesse sentido, afinal ele é Filho de Deus. Se filho de peixe é peixe, se filho de gato é gato, então filho de Deus é deus!
    Será que vai ser preciso desenhar????? Espero definitivamente que não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexei.. Ótimo mesmo. Mais nem desenhando eles entendem. Se desenharmos 3 tomates iguais idênticos e do mesmo tamanho e cor, ainda assim são 3 tomates e não 1. Não há como explicar nem desenhar essa doutrina da trindade ela é um MISTÉRIO . KKKKK

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *