Image Map











terça-feira, 2 de agosto de 2016

O que Hebreus 4:12 e 1 Tessalonicenses 5:23 ensinam sobre alma e espírito? (Parte 1)



Certo leitor deste site perguntou:

O que Paulo quis dizer em Hebreus 4:12, quando ele fala que a palavra de Deus penetra mais fundo e faz a divisão entre a "alma e espírito"?? E em Tessalonicenses, quando ele diz: "corpo, alma e espírito"??

Resposta:

Os textos acima têm sido usados erroneamente, quer para tentar provar a doutrina da imortalidade da alma quer para tentar provar a doutrina da Trindade. Vamos considerar cada um desses textos.

Hebreus 4:12 declara: “Porque a palavra de Deus é viva e exerce poder, e é mais afiada do que qualquer espada de dois gumes, e penetra a ponto de fazer divisão entre a alma e o espírito, e entre as juntas e a medula, e é capaz de discernir os pensamentos e as intenções do coração.”

Alguns concluem do texto que temos dentro de nós uma alma ou espírito que sobrevive à morte do corpo físico. Mas o texto não diz isso, nem permite essa conclusão.

O apóstolo Paulo descreve em linguagem vívida a profunda influência da “palavra”, ou mensagem, de Deus, contida na Bíblia, sobre pessoas sinceras.

A chave do entendimento se encontra na continuação do texto: “é capaz de discernir os pensamentos e as intenções do coração”.

Exemplificando o poder da “palavra de Deus”, Paulo escreveu:

“Ou será que vocês não sabem que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não se enganem. Os que praticam imoralidade sexual, os idólatras, os adúlteros, os homens que se submetem a atos homossexuais, os homens que praticam o homossexualismo, os ladrões, os gananciosos, os beberrões, os injuriadores e os extorsores não herdarão o Reino de Deus. E, no entanto, isso é o que alguns de vocês foram. Mas vocês foram lavados; vocês foram santificados; vocês foram declarados justos no nome do Senhor Jesus Cristo e com o espírito do nosso Deus.” – 1 Coríntios 6:9-11.

Isso indica que a “palavra de Deus” penetra fundo na pessoa, extraindo o que a pessoa tem no mais íntimo. De modo que o uso das palavras “alma”, “espírito”, “juntas” e “medula” têm por objetivo provar isso. Todas essas expressões representam o íntimo da pessoa. A medula encontra-se na parte mais interna dos ossos.

“Alma” no “Novo Testamento” é usada para significar a vida que se usufrui como criatura. Encontramos exemplos disso nos textos abaixo:

Mateus 16:25, 26: “Pois quem quiser salvar a sua vida [“Ou: ‘alma’”, nota] a perderá, mas quem perder a sua vida [“Ou: ‘alma’”, nota] por minha causa a achará. Realmente, de que adianta o homem ganhar o mundo inteiro, se ele perder a sua vida [“Ou: ‘alma’”, nota]? Ou o que o homem dará em trocada sua vida [“Ou: ‘alma’”, nota]?”

Na Bíblia como um todo, significa a inteira pessoa, com suas características físicas e mentais.

Já o “espírito” neste contexto tem o sentido de íntimo, como em Romanos 8:16: “O próprio espírito dá testemunho com o nosso espírito [nosso íntimo] de que somos filhos de Deus.”

Assim, reunindo os sentidos contextuais das palavras “alma” e “espírito”, fica claro o sentido: a “palavra de Deus” traz à tona o que a pessoa é no seu inteiro modo de vida— toda a sua “alma”, ou vida, como criatura humana; e o que é no seu “espírito” – seu íntimo, seus pensamentos e reais intenções.

Mas o texto NÃO ensina que os humanos possuem dentro de si alguém consciente que sobrevive à morte do corpo físico.

Lemos no Salmo 146:4: “Seu espírito sai, e eles [não apenas seus corpos] voltam ao solo; nesse mesmo dia os seus pensamentos se acabam.”

Note que não há nenhuma dicotomia de corpo e espírito na Bíblia, de modo a um deles continuar uma vida consciente. Com a morte, cessam os pensamentos, função vital para uma existência consciente. É por isso que, junto com os cadáveres, os próprios indivíduos (“eles”) “voltam ao solo”. Não continuam qualquer existência pós-morte do corpo.

O texto de 1 Tessalonicenses 5:23 será considerado no próximo artigo.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




5 comentários:

  1. Apologista.

    Eu vi eum discurso público onde tratou de Hebreus 4:12, e a explicação era mais ou menos assim alma era tomada como a pessoa física e espírito como a espitualidade dela, ou seja, a vontade da carne e o desejo do espírito, a Palavra de Deus expõe nossa natureza separando em nosso eu nossas necessidades espirituais e nossas ambições físicas e materiais (satisfação da alma). É como o Senhor disse quanto ao sono de seus discípulos: o espirito está ansioso mas a carne é fraca.

    ResponderExcluir
  2. Apolo, quanto ao uso de "alma" nesse contexto, não se refere ela ao que a pessoa "aparenta ser por fora" e "espírito" se refere ao que a "pessoa realmente é no íntimo" uma vez que HEBREUS 4:12 foi ajustado na TNM 2013 no que se refere a Palavra de Deus em ela "penetra[r] a ponto de fazer DIVISÃO ENTRE a alma e o espírito", mostrando assim um significado oposto entre as duas expressões?

    ALMA e ESPÍRITO
    ALMA = O que aparentamos ser (Por fora)
    ESPÍRITO = O que realmente somos (No íntimo)

    “A palavra viva que promete a entrada no descanso de Deus é mais afiada do que uma espada, dividindo (pela reação da pessoa a ela) o que a pessoa parece ser como alma e o que realmente é quanto ao seu espírito.” – it 2, 307.

    “Na sua carta aos hebreus, Paulo escreveu também que a palavra de Deus “penetra até a divisão da alma e do espírito, e das juntas e da sua medula, e é capaz de discernir os pensamentos e as intenções do coração”. (Heb. 4:12) Em outras palavras, quando entendemos bem o propósito de Deus para nós, a nossa reação revela o que somos no íntimo. Será que existe às vezes uma diferença entre o que aparentamos ser (a “alma”) e o que realmente somos (o “espírito”)? (Leia Mateus 23:27, 28.)” – w11 15/07, 29.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ao compor o artigo, analisei essas publicações que expõem esse sentido. Já outras publicações caminham mais para o sentido que expressei no artigo. O ponto foi mostrar que tais expressões (alma e espírito) não provam a falsa doutrina da vida consciente após a morte.

      Excluir
  3. Interessante,gostei,parabéns pela explicação

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *