Image Map











quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Diferença entre "justo", "injusto" e "iníquo"

Um leitor escreveu:

Boa noite, meus irmão.

 Em primeiro lugar, agradeço  a Jeová da  maneira como tem nos ajudado por vos usar da maneira como vos tem usado. Em segundo lugar, agradeço  a você por aceitar   ser instrumento na mão de Jeová.

Tenho apreciado bastante os vossos  trabalhos. Por essa razão, eu gostaria que um dia desses, se puder, falasse da diferença  que existe entre “justo”, “injusto” e “iníquo”. Peço com todo respeito e confiança  em você, meu amado irmão.          

Obs: Sou um testemunha de Jeová batizado e dedicado aqui em Angola.

Por isso é que vos acompanho milimetricamente, porque prezo as coisas espiritualmente profundas. Boa noite e muito obrigado.

Luanda, aos 16 de Março  de 2016.
            [Nome mantido em sigilo.]

Resposta:

Olá, estimado irmão!

Saudações a você e a todos os nossos queridos irmãos aí em Luanda!

É um prazer imenso poder saber que minha humilde participação na obra do Reino pela internet tem sido de ajuda.

Com relação à sua pergunta - a diferença entre “justo”, “injusto” e “iníquo”:

Essas palavras precisam ser entendidas dentro do CONTEXTO em que são usadas. O contexto é que determina o GRAU em que essas palavras são usadas na Bíblia.

Por exemplo, a palavra “justo”, no sentido mais pleno de alguém incapaz de errar (de cometer injustiça), aplica-se a Jeová Deus. Lemos em Deuteronômio 32:4:

“A Rocha [Jeová] — perfeito é tudo o que ele faz, pois todos os seus caminhos são justos. Deus de fidelidade, que nunca é injusto; justo e reto é ele.”

Pessoas perfeitas, como o Filho de Deus, também são justas no sentido de não cometerem pecado. Atos 7:52, que chama Jesus de 'o Justo':

“A qual dos profetas os seus antepassados não perseguiram? Sim, mataram os que anunciaram antecipadamente a vinda do Justo, cujos traidores e assassinos vocês se tornaram agora.”

Mas, a palavra também se aplica a humanos imperfeitos que se esforçam a agradar a Jeová por exercer fé no sacrifício de Cristo e seguir suas normas bíblicas. Romanos 1:17 declara:

“Pois nelas a justiça de Deus é revelada pela fé e para a fé, assim como está escrito: ‘Mas o justo viverá em razão da fé.’”

As palavras “injusto” e “iníquo” também precisam ser entendidas dentro do  contexto bíblico em que elas ocorrem.

Por exemplo, lemos que “os injustos não herdarão o reino de Deus” (1 Coríntios 6:9) O contexto diz respeito a pessoas que praticam coisas que Jeová odeia e, evidentemente, não querem de jeito nenhum fazer mudanças. É claro que o julgamento de quem se encontra nessa situação compete a Deus por meio de Cristo, conforme lemos nos textos abaixo:

Romanos 14:12: “Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.”

2 Coríntios 5:10: “Pois todos nós compareceremos perante o tribunal do Cristo, para que cada um receba a sua retribuição de acordo com as coisas que fez enquanto no corpo, sejam boas sejam más.”

Por outro lado, lemos que haverá “uma ressurreição tanto de justos como de injustos”. (Atos 24:15) Esse “injustos” não são pessoas incorrigíveis, embora tenham praticado injustiça neste sistema de coisas.

Sobre a palavra “iníquo”, lemos em Mateus 7:11: “Portanto, se vocês, embora maus [“iníquos”; NM, 1992; grego: ponerós], sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o seu Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem!”

No caso acima, “iníquos” tem o sentido de pessoas imperfeitas, com predisposição para fazer o que é errado, ou seja, todos os seres humanos imperfeitos.

Mas a palavra “iníquo” também pode se aplicar a alguém que ESCOLHE praticar o mal. Lemos em Ezequiel 33:11:

“Diga a eles: ‘Tão certo como eu vivo’, diz o Soberano Senhor Jeová, ‘não tenho prazer na morte de quem é mau [“iníquo”; NM, 1992], mas sim em que a pessoa má mude seu caminho e continue viva. Recuem, recuem dos seus maus caminhos. Afinal, por que vocês deveriam morrer, ó casa de Israel?’”

Há também o “iníquo” que DECIDE CONTINUAR NA MALDADE A PONTO DE SE TORNAR INCORRIGÍVEL, perdendo a chance de ter vida eterna. Isaías 26:10 e 14 reza:

“Mesmo que se mostre favor a quem é mau [“iníquo”; NM, 1992], ele não aprenderá a justiça. Mesmo na terra da retidão ele fará o que é mau, e não verá a glória de Jeová. Eles estão mortos; não viverão. Impotentes na morte, não se levantarão. Pois voltaste a tua atenção para eles, a fim de os exterminares e apagares qualquer lembrança deles.”

Naturalmente, como dito acima, somente Jeová, por meio de Cristo, decide quem chegou nesse grau de iniquidade.

A palavra “iníquo” é também usada para descrever Satanás, o Diabo, que foi perfeito e decidiu desobedecer a Jeová, recebendo o julgamento da destruição eterna. Lemos em 1 João 5:19:

“Sabemos que nos originamos de Deus, mas o mundo inteiro está no poder do Maligno [“iníquo”; NM, 1992].”

Espero que os comentários acima possam lhe servir de ajuda no entendimento dessas palavras.

Oro para que Jeová continue abençoando a todos vocês aí em Luanda, e a toda a nossa fraternidade mundial.


 Não fiquem ansiosos por causa de coisa alguma, mas em tudo, por orações e súplicas, junto com agradecimentos, tornem os seus pedidos conhecidos a Deus; e a paz de Deus, que está além de toda compreensão, guardará o seu coração e a sua mente por meio de Cristo Jesus.” – Filipenses 4:6, 7.

Explicação de abreviação usada:

NM, 1992: Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová, revisada em 1992.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová, revisada em 2015.





Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




4 comentários:

  1. Olá irmão Apologista, eu tenho uma dúvida em relação ao uso da palavra iníquo em Ezequilel cap.3.

    Diz que se voce nao avisar o iniquo, ele morrerá pelo seu erro.. mas entendo que Deus julga cada um pela informaçao que recebeu, ou seja, os injustos seriam aqueles que nao conheceram Jeová. E este texto pode dar a entender que Jeová destruiria alguem que nao tem informaçao sobre seus propositos, entende?

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Obviamente, a passagem não está considerando o julgamento eterno de Jeová, visto que Ele é imparcial e dá toda a oportunidade necessária para uma pessoa poder decidir servir a Ele. – Atos 17:30, 31; 24:15.
    Por outro lado, tal passagem de Ezequiel enfatiza a responsabilidade de quem conhecimento bíblico, de ajudar, conforme possível, as pessoas sem conhecimento a escolher o melhor modo de vida, que é servir a Jeová.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Apologista da Verdade, na passagem que o irmão mencionou, eu entendo que o iníquo ali é aquele que já tinha sido avisado e que persiste em cometer pecados e não aquele que não sabia nada, conforme o irmão mencionou. Me apóio nisso devido o texto relacionado rezar que Se alguém ouve o som da buzina, mas não acata o aviso, e a espada vem e lhe tira a vida, ou seja, subentende que a pessoa ali já sabia do seus pecados e permanceu no erro após avisos. Está errado este pensamento? Obrigado, Carlos.

      Excluir
  3. Os exemplos de destruição causadas por Deus (Dilúvio, destruição de Sodoma e Gomorra, destruição de Jerusalém pré-cristã e no primeiro século) mostram que sempre houve aviso antecipado, de alguma forma.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *