Image Map











quinta-feira, 27 de abril de 2017

João Ferreira de Almeida – empreendedor árduo na tradução da Palavra de Deus!



“Todos os povos de língua portuguesa têm, deveras, uma dívida de gratidão para com João Ferreira de Almeida, pelos esforços que fez em disseminar a Palavra escrita de Jeová, o Grande Manancial das puras ‘águas da verdade’. Seu trabalho de tradução, realizado no Ceilão, na Índia e na Indonésia, lá no século 17, tem tido resultados de longo alcance, até mesmo em nossos dias.” – Revista Despertai! de 22 de março de 1985, página 32.

Breve relato histórico da vida de Almeida

Tendo nascido em 1628, Almeida foi criado por seu tio, um sacerdote, em Lisboa, com quem aprendeu latim. Em 1642, já com 14 anos, passou a residir na possessão holandesa de Batávia (agora Jacarta, capital da Indonésia), e se converteu à Igreja Reformada Holandesa local. Entre 1644-45, ainda adolescente, traduziu todas as Escrituras Gregas Cristãs (“Novo Testamento”) do latim para o português.

Após uma obra missionaria como pastor da Igreja Reformada entre 1656-63 no Ceilão (agora Sri-Lanka) e em Tuticorin, sul da Índia, retornou à Batávia, em 1663. Em 1670, com cerca de 42 anos, Almeida terminou a tradução das Escrituras Gregas Cristãs da língua original, utilizando como base o Texto Recebido.       

Almeida passou a dominar as línguas bíblicas, e se empenhou em traduzir as Escrituras Hebraicas (“Velho Testamento”), chegando até os versículos finais de Ezequiel, ocasião em que foi sobrepujado por agudo esgotamento físico, vindo a faleceu em 6 de agosto de 1691, aos 63 anos.

Almeida empregou milhares de vezes o nome divino na forma JEHOVAH.

Trecho de Gênesis, cap. 2, na versão Almeida de 1860.

Tendo em vista o rápido relance histórico apresentado acima sobre a atividade de Almeida, as palavras da revista Despertai!, transcritas no prefácio deste artigo a respeito dele, são deveras meritórias.

Atualmente, todo o ramo protestante (hoje conhecido como evangélicos) de língua portuguesa abraçou a tradução de Almeida como versão usual da Palavra de Deus.

Por que as críticas à tradução de Almeida?

Tendo em vista o apreço das Testemunhas de Jeová pela obra textual de Almeida, por que elas lançam críticas à tradução dele? Por exemplo, este site diversas vezes destacou aspectos negativos da Tradução de João Ferreira de Almeida.

Primeiramente, é necessário asseverar que há uma diferença entre a tradução feita originalmente por Almeida e as traduções que são feitas em nome dele pelas sociedades bíblicas que detêm os direitos autorais de sua tradução.

Não temos motivos para duvidar de que Almeida fez tudo o que pôde para produzir uma tradução fiel da Palavra de Deus dentro das circunstancias em que vivia. Embora tenha usado o Texto Recebido, que foi o resultado de uma produção comercial feita às pressas tendo por base poucos manuscritos bíblicos e que não eram os melhores, Almeida se empenhou em dar o seu melhor no laborioso trabalho de traduzir a Palavra de Deus.

O problema é que as sociedades bíblicas que publicam traduções que levam o nome de João Ferreira de Almeida cometeram duas falhas graves – uma por omissão e outra por ação. Primeiro, deixaram de revisar tal Tradução valendo-se dos manuscritos descobertos após o tempo de Almeida, bem como do progressivo conhecimento das línguas nas quais a Bíblia foi originalmente escrita. As revisões que fizeram, dando à Tradução de Almeida o nome de Revista e Corrigida, Revista e Atualizada no BrasilCorrigida e Revisada  Fiel, infelizmente não melhoraram de modo significativo a erudição da Tradução de Almeida e nem mesmo fizeram uma significativa atualização da língua portuguesa.

Mas o pior foi a ação, por parte da Tradução de João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada no Brasil, que removeu por completo o nome divino de sua versão. A versão Almeida da Editora Vida Nova, presbiteriana, deixou o nome em Deuteronômio 3:24, único local em que pude comprovar a sua existência nessa tradução. Porém, na tradução Almeida século 21 da Vida Nova, essa passagem coloca o título SENHOR (tudo em maiúsculo) e, até onde pude verificar, o nome divino somente aparece incorporado nas expressões “Jeová-Jiré”  (Gênesis 22:14) e “Jeová-Nissi”  (Êxodo 17:15).[1]

Bíblia Almeida Vida Nova

Ademais, a Tradução de João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada no Brasil procurou remover todas as evidências bíblicas que provam que a alma (hebraico néfesh e grego psiqué) se refere a um ser vivo material, e não espiritual. Em tais passagens, tal tradução não usou a palavra “alma”, mas sim “ser vivente” ou outra denominação semelhante. Embora traduzir néfesh por “ser vivente” não seja biblicamente errado, visto que “ser vivente” é um significado básico de néfesh, o problema é que, se a referida versão da Bíblia não explicar numa nota de rodapé que a palavra é néfesh, a mesma traduzida por “alma”, o leitor leigo não saberá que “alma” é um ser vivo material, e continuará enganado pela ideia distorcida que recebeu desde a infância de que alma é um ser espiritual desencarnado.

Bíblia Almeida Revista e Atualizada

Mas, pelo que parece ter ocorrido por descuido, a comissão da Tradução de João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada no Brasil deixou escapar um versículo que prova que alma é um ser material: Levítico 11:46.



Também, uma versão dessa tradução de Almeida possui nas páginas iniciais uma explicação reconhecendo a existência do nome divino:


A versão Almeida da Imprensa Bíblica Brasileira, batista, melhorou a erudição da tradução de Almeida por colocar os versículos espúrios entre colchetes e explicar em nota de rodapé que se trata de um versículo que não se encontra nos melhores textos, conforme exemplificado pelos exemplos abaixo:




Embora use o nome divino, Jeová, em diversas passagens, coloca uma lamentável nota sobre o Nome em Gênesis 2:4, que reza:




Os nomes registrados na Bíblia sofrem ação da transliteração com adaptação fonética para os idiomas em que a Bíblia é traduzida, a fim de permitir sua pronúncia em tais línguas. Além disso, “Jeová” é nome próprio, não aplicado na Bíblia a ninguém mais do que ao Deus Todo-Poderoso, ao passo que “Senhor” é substantivo comum, e aplicado a vários outros personagens bíblicos.

Portanto, todas as justificadas críticas dirigidas às traduções que levam o nome de João Ferreira de Almeida não são dirigidas à pessoa dele, nem ao seu esforço sincero, dentro de suas possibilidades, para traduzir a Palavra de Deus. São críticas justificadas dirigidas aos que deixaram de melhorar a tradução dele e, ao invés disso, ainda a pioraram, por remover dela o nome divino e as alusões que Almeida fez sobre o que a alma realmente é.

Nota:
[1] Disponível em://vidanova.com.br/editora/ 


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






7 comentários:

  1. Esta tradução da foto que usa Javé é qual? Tenho uma ARC (acho que é de 1995) que diz a mesma coisa mas usando "Jeová" ali onde diz Javé

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Trata-se de uma explicação da Almeida Revista e Atualizada no Brasil.

      Excluir
  2. A fim de estudos e consultas tenho todas. Costumo levar a ATUALIZADA no serviço de campo para `sacar` da bolsa na hora que conhecedores ou pastores torcem o nariz. Mas saem correndo.....

    As Almeidas são insuportáveis de ler o Pentateuco. São bem cansativas na hora de ler o Novo Testamento, exceto a Século 21.

    Minha opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo teor do comentário, creio que o irmão "UNKNOWN" aí acima seja o Luciano "Yammazaki"...Estou certo Luciano ??!! rs rs rs ...

      Excluir
  3. Eu mesmo... kkkkkkkkkk...... saio com duas bíblias..... não corrammmmm

    ResponderExcluir
  4. Ademais, a Tradução de João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada no Brasil procurou remover todas as evidências bíblicas que provam que a alma (hebraico néfesh e grego psiqué) se refere a um ser vivo material,...

    Apologista.... Em Jeremias 18:20 fica a pergunta. A Alma (segundo a Almeida Atualizada) pode ser enterrada? Sim.... Então é um ser material.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *