Image Map











domingo, 24 de dezembro de 2017

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (Parte 91)
Fonte da ilustração: jw.org 

Levado a Anás, depois a Caifás; Pedro o nega
 (Unificação de Mat. 26:57-27:1; Mar. 14:53-15:1; Luc. 22:54-71; João 18:13-27)
(Luc. 22:54a)
Prenderam-no então.
(João 18:13-24)
 E levaram-no primeiro a Anás; pois ele era sogro de Caifás, que era sumo sacerdote naquele ano. 14 Caifás era, de fato, quem aconselhara aos judeus que era do seu proveito que um só homem morresse a favor do povo. 19 E o principal sacerdote interrogou assim Jesus sobre os seus discípulos e sobre o seu ensino. 20 Jesus respondeu-lhe: “Falei ao mundo publicamente. Sempre ensinei numa sinagoga e no templo, onde todos os judeus se reúnem; e não falei nada em secreto. 21 Por que me interrogas? Interroga os que ouviram o que lhes falei. Eis que estes sabem o que eu disse.” 22 Depois de ele dizer estas coisas, um dos oficiais parados ali deu uma bofetada em Jesus e disse: “É assim que respondes ao principal sacerdote?” 23 Jesus respondeu-lhe: “Se falei de modo errado, dá testemunho acerca do erro; mas, se [falei] de modo correto, por que me bates?” 24 Anás mandou-o então amarrado a Caifás, o sumo sacerdote.
Os que detiveram Jesus levaram-no então à casa de Caifás, o sumo sacerdote, onde estavam ajuntados todos os principais sacerdotes, e os anciãos, e os escribas. Ora, Simão Pedro, bem como outro discípulo, seguia Jesus duma boa distância, até o pátio do sumo sacerdote. Esse discípulo era conhecido do sumo sacerdote,[1] e ele entrou com Jesus no pátio do sumo sacerdote, mas Pedro estava parado do lado de fora, junto à porta. Portanto, o outro discípulo, que era conhecido do sumo sacerdote, saiu e falou com a porteira e trouxe Pedro para dentro. Ora, quando acenderam um fogo de brasas no meio do pátio, e os escravos e os oficiais [que] estavam parados por ali se assentaram juntos, porque fazia frio, e se aqueciam, Pedro também estava sentado no meio deles e se aquecia.
 No ínterim, os principais sacerdotes e todo o Sinédrio estavam procurando falso testemunho contra Jesus, para o entregarem à morte, mas não encontravam nenhum. Muitos, de fato, davam testemunho falso contra ele, mas os seus testemunhos não estavam em acordo.

Fonte da ilustração: jw.org

Ora, Pedro estava sentado lá fora, embaixo, no pátio. Veio uma das servas do sumo sacerdote, a porteira, e o viu sentado junto ao fogo aceso; e, vendo Pedro aquecer-se, aproximou-se dele então [e] olhou diretamente para ele e o examinou, e disse: “Não és tu também um dos discípulos deste homem? Tu também estavas com o Nazareno, este Jesus, o galileu! Este homem também estava com ele.” Mas ele negou-o perante todos, dizendo: “Nem o conheço nem entendo o que dizes”, e saiu para o vestíbulo.[2]
Tendo saído para a portaria, avistando-o ali a serva, principiou novamente a dizer aos que estavam parados ali: “Este é um deles.” Foi notado por outra moça, e ela disse aos que estavam ali: “Este homem estava com Jesus, o nazareno.” Outra pessoa, vendo-o, disse: “Tu também és um deles.” E ele novamente o negou, com juramento: “Homem, não sou. Não conheço este homem!”
E, depois de passar aproximadamente uma hora, os que estavam parados ali se aproximaram e começaram a dizer a Pedro: “Tu certamente és também um deles, pois, de fato, és galileu; o teu dialeto te trai.” Outro homem começou a insistir fortemente: “Este homem certamente também estava com ele; pois, de fato, é galileu!” Um dos escravos do sumo sacerdote, sendo parente do homem cuja orelha Pedro cortara, disse: “Não te vi no jardim com ele?” Mas ele principiou a praguejar e a jurar: “Não conheço este homem de quem falais.” E, instantaneamente, enquanto ainda falava, cantou um galo, pela segunda vez. E o Senhor voltou-se e olhou para Pedro, e Pedro lembrou-se da declaração do Senhor, quando lhe disse: “Hoje, antes de o galo cantar duas vezes, repudiar-me-ás três vezes.” E ele ficou abatido, e saiu e chorou amargamente.
Mais tarde, apresentaram-se dois e deram testemunho falso contra ele, dizendo: “Nós o ouvimos dizer: ‘Derrubarei o templo de Deus feito por mãos e em três dias construirei outro, não feito por mãos.’” Mas, nem mesmo nesta base estava em acordo o seu testemunho. Por fim se levantou o sumo sacerdote no meio deles e interrogou Jesus, dizendo: “Não tens nenhuma resposta? O que é que estes testificam contra ti?” Mas ele ficou calado e não deu nenhuma resposta.
O sumo sacerdote disse-lhe, por isso: “Pelo Deus vivente, eu te ponho sob juramento para nos dizeres se tu és o Cristo, o Filho de Deus!” Jesus disse-lhe: “Sou; e doravante vós vereis o Filho do homem sentado à destra de poder e vindo com as nuvens do céu.” Em vista disso, o sumo sacerdote rasgou a sua roupagem exterior [junto com] a sua roupa interior e disse: “Ele blasfemou! Que necessidade temos ainda de testemunhas? Vede! Agora ouvistes a blasfêmia. Qual é a vossa opinião? O que vos é evidente?” Todos eles deram a resposta: “Está sujeito à morte.”
Os homens que o tinham em detenção começaram então a divertir-se às custas dele, batendo nele. E alguns principiaram a cuspir no [seu] rosto, e a esmurrá-lo. Outros principiaram a encobrir-lhe o rosto todo, e, depois de o cobrirem, o esbofeteavam e o esmurravam, [e] perguntavam-lhe e diziam: “Profetiza-nos, ó Cristo. Quem te golpeou?” E prosseguiam a dizer muitas outras coisas em blasfêmia contra ele. E os oficiais de justiça levaram-no, esbofeteando-lhe o rosto.

Explicação das siglas usadas:
it: obra Estudo Perspicaz das Escrituras, publicada pelas Testemunhas de JeováO número em sequência indica o volume.
w: revista A Sentinela. Os números em sequência indicam, respectivamente, o ano, o dia e o mês da publicação.

Notas:
[1] O apóstolo João usa o nome “João” com referência a João, o Batizador, mas nunca chama a si mesmo por nome. (João 13:23; 19:26, 27, 35; 21:7, 20, 24) A mesma característica de não mencionar a si mesmo por nome evidencia-se em João 18:15. Além disso, João e Pedro são mencionados juntos no relato após a ressurreição, em João 20:2-8. Estes indícios sugerem que o apóstolo João era “esse discípulo [que] era conhecido do sumo sacerdote”. – w91 1/4 p. 31.
[2] Em algumas ruínas escavadas, o portão da cidade se compõe duma entrada, flanqueada por torres quadradas que dão para um vestíbulo de uns 15 a 20 m de comprimento. – It-3, p. 287.

O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *