Image Map











domingo, 22 de julho de 2018

O conceito cristão sobre a filosofia


Fonte: jw.org

Certo leitor fez a seguinte indagação:

Boa noite! Eu sou estudante da Bíblia e estou com uma dúvida em relação ao texto de Colossenses 2:8, pois fala sobre filosofias vãs.

Mas qual a relação da filosofia com a Bíblia? Eu estou no segundo ano do ensino médio e estou tendo aula de Biologia, Física, Matemática e, sobretudo, Filosofia. No entanto, eu sou cristão e estudante da Bíblia. E ela diz, neste versículo, que devemos ter cuidado com filosofias vãs. E sinto algo bem esquisito, pois a filosofia parece me sugar de uma certa forma. Eu estudava muito sobre filosofia, mas vi que a Bíblia condenava; então resolvi obedecer a Deus, embora não entendendo o que realmente tal versículo quer dizer, ou explicar, sobre isso.

Resposta:

O texto de Colossenses 2:8 reza: “Tenham cuidado para que ninguém os escravize por meio de filosofia e vão engano, que são baseados em tradições humanas, nas coisas elementares do mundo, e não em Cristo.”

Com relação ao texto de Colossenses 2:8, observe o comentário da enciclopédia bíblica Estudo Perspicaz das Escrituras (volume 2, pp. 145-146)[1]:

[…] o contexto de Colossenses 2:8 mostra que Paulo estava especialmente preocupado com os judaizantes, que tentavam trazer os cristãos de volta para a observância da Lei mosaica, com suas exigências de circuncisão, de dias festivos e da abstinência de certos alimentos. (Col 2:11, 16, 17) Paulo não se opunha ao conhecimento, pois orava para que os cristãos ficassem cheios dele. Mas, conforme mostrou, é preciso reconhecer o papel de Jesus Cristo na realização do propósito de Deus, para obter verdadeira sabedoria e conhecimento exato. (Col 1:9, 10; 2:2, 3) Os colossenses deviam acautelar-se para evitar que alguém, com argumentos persuasivos, os levasse como presa sua, por meio de raciocínios ou conceitos humanos. Tal filosofia seria parte das “coisas elementares [stoi·kheí·a] do mundo”, isto é, dos princípios ou componentes básicos e dos fatores motivadores do mundo, “e não segundo Cristo”. — Col 2:4, 8.

Note que Colossenses 2:8 diz respeito a uma filosofia específica – a dos judaizantes, que insistiam na observância da então abolida Lei mosaica, tentando levar os cristãos a um retrocesso espiritual. “Tal filosofia”, conforme menciona a obra supracitada, era condenada do ponto de vista cristão.

Outros movimentos filosóficos – o epicurismo e o estoicismo – também são diretamente mencionados no “Novo Testamento”, e os conceitos de tais filosofias conflitavam com o cristianismo (Atos 17:18), fazendo com que as pessoas engodadas por essas filosofias entendessem a mensagem cristã como “tolice”. – 1 Coríntios 1:22, 23.

Epicuro (341-270 a.C)

A natureza da filosofia

A palavra “filosofia” vem do grego e significa, literalmente, “amor à sabedoria”. A filosofia tem sua natureza composta em um tripé muito conhecido:
1) Visão de totalidade: tende para a universalização;
2) Visão radical: busca pela raiz, pela origem;
3) Atitude rigorosa: sistematização criteriosa, organizada.

O valor da filosofia

Bertrand Russell, matemático e filósofo do século XX, em seu texto intitulado “O Valor da Filosofia”, mostra que a filosofia, sendo um esforço de questionar conceitos enraizados e aceitos, liberta de preconceitos, de paradigmas, remove o dogmatismo. A filosofia reside no campo da dúvida, provocando o homem a olhar para outras possibilidades. A partir do momento que algo se torna certeza, sai do campo da filosofia e torna-se ciência. Assim, a filosofia contribuiu para o conhecimento científico.

Bertrand Arthur William Russell (1872-1970)

Porém, tal qual uma ferramenta, a filosofia também pode ser usada para o mal. Por exemplo, a filosofia política constitui uma ideologia para justificar interesses da classe dominante. Nem toda filosofia está focada em transformar beneficamente a sociedade.

De acordo com educadores, em especial os licenciados em Filosofia, o objetivo da referida disciplina nas escolas visa levar os alunos a refletir sobre as coisas, a questionar a moda, a veracidade das notícias, formando pessoas conscientes da realidade. Olhando desse ângulo, e dentro desse contexto, a disciplina teria um benefício.

As limitações da Filosofia

Como qualquer empenho humano, a Filosofia tem suas limitações. Pode ser esclarecedora ou desencaminhante. Portanto, o aluno cristão deve encará-la dentro dessa verdade, recusando conceitos filosóficos que conflitam com a verdade cristã, ao passo que se beneficia do aparente lado positivo dela.

Nota:
[1] Publicada pelas Testemunhas de Jeová.

Referências:
RUSSELL, Bertrand. “O valor da filosofia In: Os Problemas da Filosofia. Tradução de Jaimir Conte. Oxford University Press. Reimpresso em 1971-2.  Disponível em: <http://conte.prof.ufsc.br/txt-russell.pdf>. 


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







4 comentários:

  1. Parabéns apolo, mais um excelente artigo!
    Me recordo de ter lido um artigo muito razoável, no jw.
    Se chama: Taciano apologista ou herege?
    Discorre também sobre a filosofia.
    Muito equilibrado.

    ResponderExcluir
  2. Hoje nas universidades a área de humanas, Filosofia é uma delas. Estas áreas são fábrica de ateus. Como os professores não tem crença em um Criador logo vão encutir isso nos alunos.
    Realmente Filosofia tem pontos positivos, mas como uma faca se estiver na mão de um cozinheiro será usada pelo bem, mas será usado para o mal se estiver na posse de alguém mal intencionado. A Filosofia do mesmo modo vai depender muito do professor.

    ResponderExcluir
  3. A filosofia, assim como a ciência, são coisas boas da vida. Porém, caso usadas com má índole, podem ser destrutivas. Tudo vai de como se usa.

    Evitar ter contato com filosofias por causa dos danos que ela potencialmente pode causar não é uma atitude madura. O cristão pode muito bem conhecer as filosofias errada e saber rebatê-las.

    Paulo era um filósofo de primeira. Talvez um dos maiores filósofos que já existiram.

    Belo artigo.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *