Image Map











sábado, 22 de junho de 2019

Existem provas históricas de que Jerusalém foi destruída em 607 AEC?

Fonte: jw.org


Contribuído por Historiador TJ.


Relacionado com este tema,  considere inicialmente o seguinte:

Os historiadores insistem em dizer que Jerusalém foi destruída em 587 AEC (Antes da Era Comum);

Geralmente, tais eruditos se apoiam nos escritos de historiadores clássicos e no Cânon de Ptolomeu;

▪ Tanto o Cânon de Ptolomeu quanto os historiadores clássicos não são infalíveis e possuem alguns erros flagrantes em seus registros, sendo passíveis de subjugação;

A cronologia da Bíblia, porém, aponta que a destruição ocorreu em 607 AEC; e é simples chegar a essa conclusão usando a própria cronologia histórica amplamente aceita.

Quando Babilônia foi derrotada?

No “primeiro ano [de reinado] de Ciro, rei da Pérsia”. – 2 Crônicas 36:21, 22, Nova Versão Internacional.

Isso foi em 539 AEC, quando Ciro invadiu Babilônia.

O ‘Cilindro de Ciro’ é uma prova histórica e arqueológica.


É um cilindro de barro que registra o importante decreto de Ciro II da Pérsia. Encontra-se exposto no Museu Britânico, em Londres. Ciro II adotou a política de autorizar os povos exilados a retornarem às suas terras de origem. – Veja Esdras 1:2-4.



Este decreto foi emitido no seu 1.º ano após a conquista de Babilônia, isto é, no ano 538 A.C. a 537 A.C., segundo diversas tabuinhas astronômicas.[1]

Dicionário bíblico Wycliffe, da CPAD (p. 499) declara:

“O primeiro ano de reinado de Ciro, de acordo com os cálculos persas, durou desde a primavera de 538 a.C. até a primavera de 537 a.C. . . pode-se concluir que o decreto de Ciro foi publicado em 537 a.C. e que o retorno dos judeus ocorreu durante o ano seguinte, que foi o 70º ano após o início do primeiro cativeiro . . .” (Negrito acrescentado.)



PORTANTO, 537 AEC foi o ano em que o rei Persa emitiu o decreto para que o povo judeu fosse liberto e reconstruísse o templo e restabelecesse a sua adoração. Até aqui há um consenso entre os historiadores? Sim, existe!

Logo, contando para trás, de 537 AEC, ano da libertação dos judeus para voltarem a Jerusalém, com uma contagem plena de setenta anos LITERAIS de exílio dos judeus, chegamos ao ano de 607 AEC, ano em que Jerusalém foi destruída.

“Toda esta terra virá a ser uma desolação e um espanto; estas nações servirão ao rei de Babilônia setenta anos.” – Jeremias 25:1, 2, 11, Tradução Brasileira.

“Quando se completarem os setenta anos . . . cumprirei a minha promessa . . . de trazê-los de volta para este lugar” — Judá e Jerusalém. – Jeremias 29:10, NVI.

As Testemunhas de Jeová não aceitarão cronologia secular passível de erros quando esta contradiz a Bíblia.

Esse ano de 607 AEC é uma data muito importante na cronologia bíblica, o que nos faz entender algumas profecias e nos leva a um ano muito importante na cronologia bíblica, a saber, o ano de 1914.


Fontes adicionais:

O Novo Dicionário Bíblico de Russel Norman Champlin (editora Hagnos,páginas 285 e 1851):

“Cerca de 42 mil judeus retornaram à Judeia, em 538 a.C. e aqueles que permaneceram na Babilônia formaram o núcleo de uma comunidade que, séculos mais tarde, tornou-se um importante centro da erudição e das tradições judaicas. . .

. . .Quarenta anos depois da queda de Jerusalém (596ª.C.), a Babilônia foi capturada por Ciro, rei da Pérsia, e Judá tornou-se uma província persa (537 a.C.). No ano seguinte, Ciro emitiu um edital que permitia que Judá voltasse a Jerusalém, se desejasse.”

O ano de 537 AEC foi “o começo da reconstrução do tempo”. (Negrito acrescentado.)






O Novo Dicionário da Bíblia de J. D. Douglas (editora Vida Nova, revisão 2006; páginas 235, 1305 e 1396):

“Durante seu primeiro ano de reinado sobre Babilônia, após a captura desta, em 539 a.C., Ciro deu ordens para a reedificação. . .

Os exilados que retornaram (537 a.C.) levaram consigo os vasos que haviam sido tomados . . .”

A “reconstrução do templo” em Jerusalém foi iniciada em 537 AEC.

. . . Zorobabel retornou com o grupo principal de exilados, sob Sesbazar, no ano de 537 a.C. e lançou os fundamentos do templo.”





O Comentário Histórico-Cultural da Bíblia (Editora Vida Nova, página 858) confirma o ano da queda de Babilônia como sendo 539 a.C. e o ano do decreto de liberação dos judeus como sendo 538 a.C., ano do primeiro reinado de Ciro (538-537 a.C.).



O Novo Dicionário da Bíblia de John Davis (edição ampliado e atualizado 2005, da editora Hagnos) aponta para o ano de 539 AEC como sendo o ano da conquista de Babilônia por Ciro e mostra o ano de 538/537 AEC como sendo o decreto e o início da reconstrução do templo em Jerusalém.



O Dicionário Bíblico Ilustrado VIDA NOVA, (editora Vida, pág 865):

“O período pós-exílico. Logo após a queda da Babilônia, o rei persa Ciro, o Grande, permitiu aos povos conquistados retornar às terras originárias (Ed 1.2-4). Os judeus começaram a retornar a Judá por volta de 537 a.C.. . .”



Nota da Bíblia Tradução Brasileira, Salmo 126:4:

“Entre os Salmos sem título e anônimos poucos se originaram do exílio (137), do retorno de Judá em 537 a. C. (107.2,3; 126.1) . . .” 



Dicionário Cultura Cristã (volume 5, tópico Salmos):

“. . . no período da reconstrução pós exílica em 537 a. C. os alegres ex-cativos são descritos como “os que voltara a Sião” (Sl 126.1a ACR). . .

Foi Yahweh quem trouxe de volta os repatriados de Sião em 537 . . .” (Negrito acrescentado.)



O Novo Dicionário de Teologia Bíblica, de T. Desmond Alexander e Brian S. Rosner (editora Vida, página 374):

“O exército babilônico destruiu Jerusalém em 586 a.C. e levou para o exílio muitos habitantes. Jerusalém permaneceu em ruínas até a queda da Babilônia em 539 a.C. Ciro, o rei persa, permitiu aos exilados retornarem a sua terra de origem, então um pequeno grupo de judeus fez a viagem de 1.400 quilômetros para Jerusalém em 538 a.C. Com o objetivo de reconstruir o templo, esses judeus lançaram os alicerces em 537 a.C.” (Negrito acrescentado.)


Embora essa obra mencione a data da destruição de Jerusalém como sendo 586 a.C., ela reconhece que a reconstrução do templo de Jerusalém foi iniciada em 537 a.C. Contando para trás setenta anos de desolação de Jerusalém, chegamos, não a 586 a.C., mas a 607 a.C.

Veja também os artigos:

O PARADIGMA CRONOLÓGICO BÍBLICO X A CRONOLOGIA SECULAR (Parte 1)





[1] Veja o CILINDRO DE CIRO. Disponível em: <http://www.dhnet.org.br/>.






A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







sábado, 15 de junho de 2019

Em que sentido ninguém vem ao Pai senão por meio de Cristo? (João 14:6) Parte Final


Fonte: jw.org

Os dois primeiros artigos deste tema analisaram, respectivamente, o sentido amplo do verbo grego érkhetai, traduzido “vem” no texto de João 14:6, bem como o seu uso figurado no texto grego bíblico. Este artigo se propõe a responder por que motivo Jesus Cristo afirmou “ninguém vem ao Pai senão por mim”.

‘Vir a Cristo’ em sentido figurado

Jesus declarou a certos judeus: “Contudo, vocês não querem vir [ἐλθεῖν; éltheîn; 2.º aoristo infinitivo ativo de érkhomai] a mim para que possam ter vida.” – João 5:40.

No caso em pauta, ‘vir a Jesus’ não significava meramente um movimento físico em direção a Jesus. Afinal, muitos dos que se aproximaram fisicamente de Jesus e tiveram conversas com ele não se beneficiaram dos ensinos dele. Assim, a ideia de ‘vir a Jesus’ inclui a aceitação de seus ensinos. Os textos abaixo comprovam isso.

“Jesus lhes disse: ‘Eu sou o pão da vida. Quem vem [ἐρχόμενος; erkhómenos; particípio presente médio/passivo depoente nominativo de érkhomai] a mim não terá mais fome, e quem exerce fé em mim nunca mais terá sede.’” (João 6:35) Observe que Jesus fez um paralelo entre ‘vir’ a ele e ‘exercer fé’ nele.

Nas passagens seguintes, Jesus mostrou que vir a ele envolve primeiro ter a aceitação de seu Pai.

“Todos os que o Pai me dá virão a mim, e eu nunca rejeitarei aquele que vem [ρχμενον; erkhómenon; particípio presente médio/passivo depoente acusativo de érkhomai] a mim.” – João 6:37.

“Ninguém pode vir [ἐλθεῖν; éltheîn; 2.º aoristo infinitivo ativo de érkhomai] a mim, a menos que o Pai, que me enviou, o atraia, e eu o ressuscitarei no último dia. Está escrito nos Profetas: ‘Todos eles serão ensinados por Jeová.’ Todo aquele que ouve o Pai e aprende vem [ἔρχεται; érkhetai; presente médio/passivo depoente do indicativo de érkhomai] a mim.” – João 6:44, 45.

“Ele acrescentou: ‘É por isso que eu lhes disse: Ninguém pode vir [ἐλθεῖν; éltheîn; 2.º aoristo infinitivo ativo de érkhomai] a mim, a menos que isso lhe seja concedido pelo Pai.’” – João 6:65.

“Porquanto todo aquele que faz o mal odeia a luz e não vem [ρχεται; érkhetai; presente médio/passivo depoente do indicativo de érkhomai] para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas aquele que pratica a verdade, vem [ρχεται] para a luz. Torna-se assim claro que as suas obras são feitas em Deus.” – João 3:20, 21, Bíblia Ave Maria.

 Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo.” (João 8:12) Portanto, seria natural Jesus ter usado o verbo érkhomai no sentido de ‘vinda’ a ele – a figurativa luz, ou exposição da verdade. Porém, conforme já exposto, o verbo “vir” não diz respeito a um ato físico de aproximação a Jesus. Afinal, muitos que se aproximaram de Cristo e conversaram com ele não se beneficiaram da figurativa “luz”, a exemplo dos líderes religiosos judaicos. Este ‘vir’, portanto, diz respeito a um ato mental, de se colocar humildemente na condição de analisar e aceitar os ensinos de Cristo.

Então, em que sentido as pessoas ‘vêm ao Pai’ por meio de Cristo?

O extensivo estudo deste tema nesta série de artigos dos usos figurados do verbo érkhomai (verbo usado em João 14:6) mostrou que tal verbo não subentende apenas movimento topográfico. Assim sendo, não inclui apenas a ideia de distância física, ou métrica. Especialmente em seu uso referente ao ato de ‘vir a Cristo’, percebemos um significado de aceitação mental; de atração, ou simpatia, por seus ensinos.

Na questão de proximidade ao Pai – não física, mas por afinidade, por vínculo – Jesus, obviamente, ocupa o primeiro lugar. O próprio Jesus declarou: “Ninguém conhece plenamente o Filho, exceto o Pai; e ninguém conhece plenamente o Pai, exceto o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelá-lo.” (Mateus 11:27) Assim, as pessoas ‘vêm ao Pai’, quer dizer, achegam-se ao Pai, por meio de Cristo. Ou seja, por aceitarem a Jesus, e por virem a conhecê-lo mais intimamente, tais pessoas se aproximam do Pai, achegam-se a Ele, estabelecem e estreitam relação com o Pai.

Como Jesus Cristo é a pessoa mais próxima do Pai em união, em afinidade, seria somente natural que ele usasse o verbo érkhomai no sentido de “vir” ao Pai por meio dele.


Referências:


Bíblia online. Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/>.

Erchomai. Blue Letter Bible. Disponível em:

______. Definição. Disponível em: <http://www.greekbible.com/>.

______. Enseignements bibliques gratuits. Disponível em: <https://www.messie2vie.fr/bible/strongs/>.

______. Léxico Grego de Thayer. Banco de Dados Eletrônico. Copyright © 2002, 2003, 2006, 2011 pela Biblesoft, Inc. Disponível em: <https://biblehub.com/greek/2064.htm>.

“Ninguém ‘vem’ ao Pai OU ninguém ‘vai’ ao Pai (João 14:6).” Disponível em: <https://traducaodonovomundodefendida.wordpress.com/>.

Septuaginta. The Scholarly Bible Portal of the German Bible Society. Disponível em: <https://www.academic-bible.com/>.

Sociedade Bíblica do Brasil. Pesquisa da Bíblia. Disponível em: <http://www.sbb.org.br/>.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





sábado, 8 de junho de 2019

Em que sentido ninguém vem ao Pai senão por meio de Cristo? (João 14:6) Parte 2

Fonte: jw.org


O primeiro artigo deste tema analisou o sentido amplo do verbo grego érkhetai, traduzido “vem” no texto de João 14:6. (Leia o primeiro artigo clicando aqui.)

Tendo em vista que Jesus estava na Terra quando fez essa declaração, e que as pessoas que se chegam ao Pai por meio de Jesus também estavam e estão na Terra, muitos tenderiam a concluir que a tradução do verbo érkhomai nessa passagem deveria ser “vai ao Pai”. Mas, esta conclusão tem como pressuposto um entendimento restritivo do ver “vir”, como significando um literal movimento geográfico, ou topográfico.

Contudo, tanto o verbo “vir” em português quanto o verbo érkhomai em grego também podem ter um sentido figurado. Strong traduz érkhomai como “ir ou vir (em uma grande variedade de aplicações, literal e figurativamente)”. Podemos analisar o sentido figurativo do verbo érkhomai por meio do Léxico grego de Thayer, conforme exposto abaixo:

Metaforicamente,

a. do retorno invisível de Cristo do céu, isto é, do poder que, através do Espírito Santo, ele exercerá nas almas de seus discípulos: João 14:18, 23; do seu advento invisível na morte dos crentes, pelo que os leva para o céu, João 14:3.

b. equivalente a surgir, aparecer, mostrar-se, encontrar lugar ou influênciaτά σκάνδαλα [as pedras de tropeço], Mateus 18:7; Lucas 17:1; τά γαθά [coisas boas], Romanos 3:8; (Jeremias 17:6); τό τέλειον [o que é completo, perfeito], 1 Coríntios 13:10 ;  πίστις [a fé], Gálatas 3:23, 25;  ποστασία [a apostasia], 2 Tessalonicenses 2: 3;  βασιλεία το Θεο [o reino de Deus], equivalente a ser estabelecido, Mateus 6:10Lucas 11:2Lucas 17:20, etc.; τς ντολή [o mandamento], equivalente a tornou-se conhecido, Romanos 7:9.




Observe os usos de érkhomai em diversos sentidos figurados nas passagens abaixo:

“Ai do mundo por causa das suas pedras de tropeço! Claro, é inevitável que venham [ἐλθεῖν; éltheîn; 2.º aoristo infinitivo ativo de érkhomai] as pedras de tropeço, mas ai do homem por meio de quem vem a pedra de tropeço!” – Mateus 18:7.

“Então ele disse aos seus discípulos: ‘É inevitável que surjam [ἐλθεῖν; éltheîn; 2.º aoristo infinitivo ativo de érkhomai] motivos para tropeço. Contudo, ai daquele por meio de quem eles surgem!’” – Lucas 17:1.

As figurativas “pedras de tropeço”, os “motivos para tropeço”, não saem de um lugar em direção a outro; eles simplesmente ‘surgem’, ‘aparecem’. Podemos ver abaixo outros exemplos de érkhomai no sentido de surgimento.

“E por que não dizer, assim como alguns falsamente afirmam que dizemos: ‘Façamos coisas más, para que venham [ἔλθῃ; elthei; 2.º aoristo subjuntivo ativo de érkhomai] coisas boas’? A condenação desses homens está de acordo com a justiça.” – Romanos 3:8.

“Ele se tornará como uma árvore solitária no deserto. Não verá quando vier [ἔλθῃ; élthei; 2.º aoristo subjuntivo ativo de érkhomai; LXX] o que é bom, mas morará em lugares áridos no ermo, numa terra salgada, onde ninguém pode viver.” – Jeremias 17:6.

As duas passagens acima dizem respeito ao ‘surgimento’ de coisas boas, e não a um movimento geográfico de um lugar para outro.

“Mas, quando vier [ἔλθῃ; élthei; 2.º aoristo subjuntivo ativo de érkhomai] o que é completo, será eliminado o que é parcial.” – 1 Coríntios 13:10.

“No entanto, antes de chegar [ἐλθεῖν; éltheîn; 2.º aoristo infinitivo ativo de érkhomai] a fé, estávamos sendo guardados debaixo de lei, entregues à custódia, aguardando a fé que estava para ser revelada. Mas, agora que chegou [ἐλθούσης; elthoúses; 2.º aoristo particípio ativo genitivo de érkhomai] a fé, não estamos mais debaixo de um tutor.” – Gálatas 3:23, 25.

“Que ninguém os desencaminhe, de maneira alguma, porque esse dia não virá sem que venha [ἔλθῃ; élthei; 2.º aoristo subjuntivo ativo de érkhomai] primeiro a apostasia e seja revelado o homem que viola a lei, o filho da destruição.” – 2 Tessalonicenses 2:3.

“De fato, antes, sem lei, eu estava vivo. No entanto, ao chegar [ἐλθούσης; elthoúses; 2.º aoristo particípio ativo genitivo de érkhomai] o mandamento, o pecado voltou a viver, mas eu morri.” – Romanos 7:9.


Os quatro textos acima dizem respeito a conceitos, tais como a fé, a apostasia e o mandamento. Tais coisas não se deslocam de um lugar para outro, mas surgem num dado momento.  

Continuemos observando a explicação de Thayer:

c. com preposições: 
κ τς (Lachmann πόθλίψεως [da tribulação], sofreu tribulação, Apocalipse 07:14. Seguido por εςpara entrar (cair) em ou atéες τό χερον, em uma condição pior, Marcos 5:26; ες πειρασμόν [em tentação], Marcos 14:38 T WH
ες πελεγμόν (veja πελεγμός [descrédito, reprovação]), Atos 19:27; 
ες τήν ραν ταύτην [para esta hora], João 12:27; ες κρίσιν [para julgamento], para se tornar sujeito ao juízo, João 5:24; ες πίγνωσιν [para conhecimento exato], para alcançar o conhecimento, 1 Timóteo 2:4; 2 Timóteo 3:7; ες τό φανερόν, para vir à luz, Marcos 4:22; ες προκοπήν λήλυθε, resultou para o avanço, Filipenses 1:12; 
ρχεσθαι ες τίpara chegar a uma coisa, é usado de um escritor que, depois de discutir outros assuntos, passa para um novo tópico, 2 Coríntios 12:1; ες αυτόν, para chegar a nossos sentidos, retornar a um estado mental saudável, Lucas 15:17 (Epicteto diss. 3, 1, 15; Test xii. Patr., test. Jos. § 3, p. 702, edição Fabric.) ρχεσθαι πί τινα para encontrar algo: no mau sentido, de calamidades, João 18: 4; no bom sentido, do Espírito Santo, Mateus 3:16; Atos 19:6; para recair sobre alguém, da culpa e punição do assassinato, Mateus 23:35. 
ρχεσθαι πρός τον ησον [vir a Jesus], comprometer-se à instrução de Jesus e entrar em comunhão com ele, João 5:40; João 6:35, 37, 44, 45, 65; πρός τό φς [para a luz], submeter-se ao poder da luz, João 3:20 f.


Os textos citados acima nesta exposição de Thayer mostram outros usos figurados do verbo érkhomai. Veja os exemplos abaixo:

“Vir” no sentido de mudar de situação

“Assim, eu lhe disse imediatamente: ‘Meu senhor, é o senhor quem sabe.’ Ele me disse: ‘Esses são os que saem [ἐρχόμενοι; erkhómenoi; particípio presente médio/passivo depoente nominativo de érkhomai] da grande tribulação; eles lavaram suas vestes compridas e as embranqueceram no sangue do Cordeiro.” – Apocalipse 7:14.

Obviamente, a grande tribulação é uma situação. Sair dela envolve, não um movimento físico, e sim uma mudança de situação. Os demais exemplos abaixo alistados mostram similarmente uma mudança de situação, ou de condição.

“Ela havia sofrido muito às mãos de muitos médicos, e tinha gastado todos os seus recursos, sem ter melhorado, mas, em vez disso, tinha ficado [ἐλθοῦσα; elthoûsa; 2.º aoristo do particípio ativo nominativo de érkhomai] pior.” – Marcos 5:26.

“Mantenham-se vigilantes e orem continuamente, para que não caiam [ἔλθητε; élthete; 2.º aoristo subjuntivo ativo de érkhomai] em tentação [“para que não entreis em tentação”; ACF, ARAARCARIB, SBB, TB, AM]. Naturalmente, o espírito está disposto, mas a carne é fraca.” – Marcos 14:38.

“Além disso, não somente há o perigo de que o nosso negócio caia em [ἐλθεῖν; éltheîn; 2.º aoristo infinitivo ativo de érkhomai] descrédito, mas também de que o templo da grande deusa Ártemis passe a ser considerado sem valor, e de que aquela que é adorada em toda a província da Ásia e na terra habitada seja destituída de seu esplendor.” – Atos 19:27.

“Agora eu estou aflito, e o que direi? Pai, salva-me desta hora. Contudo, foi para isto que eu vim [ἦλθονêlthon; 2.º aoristo indicativo ativo de érkhomai] para esta hora.”  (João 12:27) ‘Vir para uma hora específica’ não significa apenas avançar no tempo; significa, antes, vir para uma situação específica. De modo semelhante, a declaração de Jesus em João 4:23 – “vem [ἔρχεται] a hora, e agora é, quando os verdadeiros adoradores adorarão o Pai com espírito e verdade” – também não indica um movimento topográfico de um lugar para outro, e sim o surgimento de um evento específico.

“Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra [ἔρχεται; érkhetai; presente médio/passivo depoente do indicativo de érkhomai] em juízo [julgamento], mas passou da morte para a vida.” – João 5:24, ARA.

“Que quer que todos os homens se salvem e venham [ἐλθεῖν; éltheîn; 2.º aoristo infinitivo ativo de érkhomai] ao conhecimento da verdade.” – 1 Timóteo 2:4, ARC.

“As quais estão sempre aprendendo, sem nunca conseguir chegar [ἐλθεῖν; éltheîn] a um conhecimento exato da verdade.” – 2 Timóteo 3:7.

“Pois não há nada escondido que não venha a ser exposto; nada cuidadosamente oculto que não venha [ἔλθῃ; élthei; 2.º aoristo subjuntivo ativo de érkhomai] à tona.” – Marcos 4:22.

Quero que vocês saibam, irmãos, que a minha situação tem, na verdade, resultado [ἐλήλυθεν; elélythen; 2.º perfeito indicativo ativo de érkhomai] no progresso das boas novas.” – Filipenses 1:12.

 Tenho de me gabar. Não há nada a ganhar com isso, mas passarei [ἐλεύσομαι; eleúsomai; futuro do indicativo médio depoente de érkhomai] às visões sobrenaturais e revelações da parte do Senhor.” (2 Coríntios 12:1) Este texto mostra uma mudança de assunto, o que não envolve, naturalmente, um movimento físico, e sim uma mudança de foco.

“Quando caiu [ἐλθὼνelthòn; 2.º aoristo do particípio ativo nominativo de érkhomai] em si [“entrou então em si”, AM; “tornando em si”, ACF], ele disse: ‘Quantos empregados do meu pai têm fartura de pão, enquanto eu estou aqui morrendo de fome!” (Lucas 15:17) O filho pródigo ‘caiu em si’ (literalmente: ‘para ele mesmo tendo vindo’). Tal expressão não subentende movimento físico, mas sim uma ação mental, uma conscientização.

“Sabendo, pois, Jesus todas as coisas que sobre ele haviam de vir [ἐρχόμενα; erkhómena; particípio presente médio/passivo depoente acusativo de érkhomai], adiantou-se e perguntou-lhes: A quem buscais?” (João 18:4, ARA) As coisas ‘vêm’ no sentido de surgirem, constituindo uma mudança de situação.

 “Para que venha [ἔλθῃ; élthei; 2.º aoristo subjuntivo ativo de érkhomai] sobre vocês todo o sangue justo derramado na terra, desde o sangue do justo Abel até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem vocês assassinaram entre o santuário e o altar.” (Mateus 23:35) O sangue dos justos ‘vêm sobre’, ou recaem sobre, no sentido de que o assassinato de pessoas justas seria exigido, ou cobrado, daquela geração.


Todos os exemplos acima lançam luz sobre o amplo uso figurado do verbo érkhomai no texto grego bíblico. Com base no esclarecimento dado nestes dois artigos, o terceiro e último artigo desta série irá considerar por que Jesus disse “ninguém vem ao Pai senão por mim”.


Explicação das siglas usadas:

ACF: Almeida Corrigida Fiel.
AM: Bíblia Ave Maria.
ARA: Almeida Revista e Atualizada.
ARC: Almeida Revista e Corrigida.
ARIB: Almeida Revisada Imprensa Bíblica.
LXX: Septuaginta grega, c. 280 a.C.
NAA: Nova Almeida Atualizada.
NTLH: Nova Tradução na Linguagem de Hoje.
SBB: Sociedade Bíblica Britânica.
TB: Tradução Brasileira.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *