Image Map











sábado, 28 de setembro de 2019

Evangelizando com alegria


Fonte: jw.org

O texto de 2 Coríntios 9:7 diz respeito diretamente a doações feitas em favor dos necessitados, em especial irmãos, mas o princípio serve a qualquer empenho que fazemos na obra de evangelização do Reino de Deus. O texto declara:

“Faça cada um conforme resolveu no coração, não a contragosto nem por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria.”

Quando alguém se sente forçado a fazer algo, acaba fazendo por contragosto ou por obrigação, e não com alegria. A ordem de Jesus em Mateus 28:19, 20 tem a ver com alcançarmos pessoas com as boas novas, e para isso todos os métodos éticos são bem-vindos: nas casas, no comércio, por cartas, telefone, pela internet etc.

Procuremos fazer o melhor que pudermos com alegria. Jeová aprecia esse tipo de esforço – o esforço alegre. Ele leva em conta a individualidade de cada um de nós e as nossas limitações. O importante, primeiro de tudo, são as qualidades cristãs. – Gálatas 5:22, 23.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




sábado, 21 de setembro de 2019

Encorajando um cristão fisicamente doente


Fonte: jw.org


Um leitor escreveu expressando sua situação de estar vivendo com uma terrível enfermidade, nas palavras abaixo:

“Há muito tempo acompanho seu site. Já me ajudou em inúmeras ocasiões no meu ministério. Parabéns pelo excelente trabalho!

“Estou lhe escrevendo, irmão, não por uma pergunta bíblica, mas por uma questão muito pessoal que vem me atormentando.”

Após isso, esse leitor passou a relatar seu sofrimento devido a uma “doença dolorosa”, que o levou a questionar se Jeová realmente se importa com ele, e se o amor e a lealdade dele a Jeová são mais fortes do que a dor.

Resposta do apologista da verdade:

Querido irmão:

Considerei com vivo interesse seu e-mail. Agradeço muito suas expressões de apreço pelos artigos do meu site. Fico radiante de que os artigos lhe têm sido de ajuda. Também, lamento muito seu estado de doença.

Quanto a seus questionamentos nos momentos de dor e exaustão, lembremo-nos de que fiéis servos de Deus no passado também fizeram o mesmo ou tomaram ações irrefletidas que em situação emocional e mental normal jamais fariam. Observe os exemplos disso nos textos abaixo:

“Mas, quando penso: ‘Vou esquecer o SENHOR e não falarei mais em seu nome’, então a tua mensagem fica presa dentro de mim e queima como fogo no meu coração. Estou cansado de guardá-la e não posso mais aguentar.” – Jeremias 20:9, NTLH.

Por encontrar muita resistência, Jeremias ficou temporariamente desanimado.
Fonte: jw.org

“Por isso, não posso ficar calado. Estou aflito, tenho de falar, preciso me queixar, pois o meu coração está cheio de amargura.” – Jó 7:11, NTLH.

“Eu detesto a minha vida! Vou desabafar as minhas queixas. Vou falar na minha amargura. Direi a Deus: ‘Não me declares culpado. Diz-me por que me condenas. Tens alguma vantagem em oprimir, em desprezar o trabalho das tuas mãos, enquanto favoreces os conselhos dos maus?” – Jó 10:1-3.

O sofrimento de Jó o levou a falar irrefletidamente.
Fonte: jw.org

“Pedro estava sentado do lado de fora, no pátio, e uma serva se aproximou dele e disse: ‘Você também estava com Jesus, o galileu!’ Mas ele negou perante todos, dizendo: ‘Não sei do que você está falando.’” – Mateus 26:69, 70.

“Os sentimentos do coração humano, tanto a tristeza quanto a alegria, só são conhecidos por quem sente; ninguém pode ver, conhecer ou sentir as emoções de outra pessoa.” – Provérbios 14:10, ABV.

Jeová não levou em conta tais ações e expressões irrefletidas, pois ele nos conhece no íntimo. Doenças dolorosas muitas vezes distorcem o raciocínio sadio, e podem fazer a pessoa pensar, sentir, dizer ou agir de forma que não faria numa situação normal.

Mas Jeová sabe o que somos na essência. Sua Palavra nos assegura: “Quanto a Jeová, ele vê o que o coração é.” (1 Samuel 16:7) Ele sabe que essas manifestações vêm de um espírito atribulado. Ele é o nosso maior Amigo, e, afinal de contas, um amigo de verdade confia em nós! Ele nos vê como um todo. Ele não isola essas expressões irrefletidas, desconsiderando o todo – o maravilhoso histórico que seus servos têm. Pois isso seria por demais desamoroso, e Deus é amor! – 1 João 4:8.

O mesmo estado emocional e mental que faz uma pessoa agir de forma irrefletida também a faz ficar demasiadamente pesarosa pelo que ela fez, gerando um terrível conflito interno. No entanto, somos assegurados pelas inspiradas palavras do idoso e experiente apóstolo João: “Diante de Deus poderemos tranquilizar nossa consciência; e isso, mesmo que a nossa consciência nos condene, porque Deus é maior do que a nossa consciência, e ele conhece todas as coisas.” – 1 João 3:19, 20, BP.

Assim, Jeová SABE que tais expressões e ações não representam o que realmente somos. O nosso próprio histórico de fé e perseverança é um retumbante testemunho do que realmente somos. Ele vê além da superfície. Ele é inteiramente leal. Jamais nos abandona, muito menos em nossos momentos mais difíceis. Sobre isso, note os textos abaixo:

“Não sobreveio a vocês nenhuma tentação a não ser as que são comuns aos homens. Mas Deus é fiel, e ele não deixará que vocês sejam tentados além do que podem suportar; mas, quando vier a tentação, ele também providenciará a saída, para que a possam suportar.” – 1 Coríntios 10:13.

“Quem realmente não te temerá, Jeová, e não glorificará o teu nome? Pois só tu és leal. Todas as nações virão e adorarão diante de ti, porque os teus justos decretos foram revelados.” – Apocalipse 15:4.

“Ninguém é como tu, ó Jeová. Tu és grande, e o teu nome é grande e poderoso.” – Jeremias 10:6.

Um amoroso enfermeiro que cuida de alguém muito doente entende perfeitamente que as demonstrações de raiva, irritação, palavras duras lançadas contra o próprio enfermeiro não refletem o que o doente realmente é nem o que tal doente faria se estivesse são. Se um mero humano imperfeito consegue ter essa consciência e compreensão, quanto mais o Ser mais Sábio e Amoroso que existe! – Romanos 16:27.

Enfermeira ajudando doente.

Portanto, querido irmão, saiba com certeza que Jeová está contigo o tempo todo, olhando-o com muita afeição e carinho, estendendo-lhe a mão para lhe dar forças para suportar tal provação enquanto ela durar. E, quem sabe, para refiná-lo para maiores atividades espirituais no futuro. Jeová descreve seu retumbante amor nas emocionantes palavras de Isaías 49:15, 16, onde ele declara: “Será que uma mulher pode se esquecer do seu bebê, e não sentir compaixão pelo filho do seu ventre? Mesmo que essas mulheres se esquecessem, eu nunca me esqueceria de você. Veja! Gravei você na palma das minhas mãos!”

O amor de Deus por nós é muito superior ao amor de mãe.
Fonte: jw.org

Estarei orando por ti.

Seu irmão, com profundo afeto,

O apologista da verdade.

Resposta do leitor:

Muito obrigado, amado irmão, por suas palavras de encorajamento! Não tens ideia do quanto me ajudou!

Pois, se um deles cai, o outro pode ajudar seu companheiro a se levantar. Mas o que acontecerá com aquele que cai e não tem ninguém para ajudá-lo a se levantar?” – Eclesiastes 4:10.

“Quem reanima outros será ele mesmo reanimado.” – Provérbios 11:25b.

Recebi sua mensagem como se fora de um anjo de Jeová (Lucas 22:43).

Como eu queria dar-lhe um abraço! Se eu não tiver oportunidade de fazê-lo neste velho sistema, fá-lo-ei no Novo. Lembrei-me de uma música do jw broadcasting: “Mesmo sem te conhecer, te amo de coração.”

Oro para que Jeová o abençoe e a sua família.

“Que Jeová o abençoe e o proteja. Que Jeová faça brilhar a Sua face sobre você e o favoreça. Que Jeová olhe com bondade para você e lhe dê paz.” – Números 6:24-26.

“Amado, oro para que tudo continue correndo bem com você e que tenha boa saúde, assim como você está bem agora.” – 3 João 2.

Resposta do apologista:

Fico muito contente de saber que pude ser usado por Jeová para lhe dar algum encorajamento. Sinta-se à vontade para me escrever quando desejar. Assim, poderemos “nos encorajarmos mutuamente por meio da nossa fé, tanto a sua como a minha.” – Romanos 1:12.

Agradeço muito suas orações a meu favor e a favor de minha família. Pode contar também com as minhas orações a seu favor e a favor de sua família.

Grande abraço e fiquem com Jeová. – Provérbios 10:22.


Explicação das siglas usadas:

ABV: A Bíblia Viva.
BP: Bíblia Pastoral.
NTLH: Nova Tradução na Linguagem de Hoje.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




sábado, 14 de setembro de 2019

“Um deus” ou “divino” em João 1:1 exigiria o adjetivo theîos?



João 1:1-3 - Bíblia Israelita.


Um leitor escreveu:

Bom dia, irmão Apologista!

Apologista, faça por favor um tópico sobre a refutação trinitária de João 1:1 de theós ou theîos. Vou postar exatamente o argumento trinitário para tentar refutar João 1:1 na Tradução do Novo Mundo:

“Se o LOGOS no texto grego fosse apenas ‘um deus’ como afirma a Tradução do Novo Mundo (Jo 1.1), o autor inspirado poderia ter usado a palavra grega theîos (divino) para o LOGOS ou ter usado theiotes (divindade) para se referir ao Verbo como um deus à parte de JEOVÁ. Na verdade, o termo LOGOS está mostrando que o Verbo é mais que divino. Ele é sim DEUS na sua ESSÊNCIA e pureza na frase literal: e DEUS ERA A PALAVRA.”

Aguardo a sua confirmação sobre o novo tópico e desde já estou muito agradecido. Que Jeová te abençoe!

Resposta:

A consideração abaixo é baseada no excelente artigo feito no site “Tradução do Novo Mundo Defendida” sobre o referido assunto.

Se João quisesse dizer que Jesus era “divino”, não teria ele usado o adjetivo grego para “divino” [θεῖος; theîos]?

Certos defensores da trindade argumentam que, “se João quisesse dizer que Jesus tinha qualidades divinas, teria usado o adjetivo para ‘divino’ [theîos] como em Atos 17:29 e 2 Pedro 1:3. Ao invés, João usou a palavra para Deus, ‘theós’.”  É correta tal afirmação?

Por que theós e não theîos em João 1:1

O apóstolo João não empregou θεῖος (“divino”) ao Lógos, visto que contrastou THEÓS (o substantivo “DEUS” anartro, isto é, sem artigo) com TÒN THEÓN (o substantivo “DEUS” articulado, ou seja, com artigo). Um substantivo anartro expressa muito bem um sentido qualitativo, ou seja, destaca a qualidade, tem função de adjetivo. Veja, por exemplo, o texto de Atos 28:6: “Mas esperavam que ele [o apóstolo Paulo] fosse ficar inchado ou cair morto de repente. Depois de esperarem por muito tempo e verem que nada de ruim tinha lhe acontecido, mudaram de ideia e começaram a dizer que ele era um deus.”

Em Atos 28:6 o substantivo THEÓS é anartro e cumpre bem esta função qualitativa. E quase todas as versões pesquisadas, em português, inglês e espanhol traduzem por “um deus” – acrescentando o artigo indefinido “um” (embora o artigo indefinido não exista no grego bíblico) e colocando THEÓS  com inicial minúscula.[1]

Falácia da “definição muito restrita”

A falácia da “definição muito restrita” consiste em definir algo de modo muito restrito, deixando de lado outras possibilidades de definição.

Portanto, afirmar que João deveria empregar θεῖος é enganoso e uma “definição restrita”. Na mente de tais trinitários, é como se θεῖος fosse a única maneira de afirmar que Jesus era “um deus”. Mas, como vimos em Atos 28:6, theós sem artigo definido também pode ser traduzido por “um deus” quando o contexto mostra que THEÓS é indefinido ou qualitativo.

Substantivos com função de adjetivo

Curiosamente, nos livros mais elementares de gramática grega, substantivos anartros cumprem naturalmente uma função qualitativa e ninguém questiona isso. Mas quando o texto é João 1:1, ignora-se o contexto, empregam-se falácias como a da “definição muito restrita” e recorrem-se a filosofias humanas.

Uma versão da Bíblia usada com predileção pelas religiões evangélicas de língua inglesa é a Versão Rei Jaime, e esta verte a palavra Elohim (“deus” ou “deuses”) por “poderoso” em diversos textos. Veja, por exemplo, Gênesis 23:6, onde Abraão é chamado de “príncipe poderoso” (נְשִׂ֨יא אֱלֹהִ֤ים; nə-śî 'ĕ-lō-hîm).

Esta é uma tradução literal do substantivo Elohim. João tinha isto em mente ao empregar THEOS (o equivalente do hebraico Elohim) em seu texto inspirado de João 1:1c. Em parte alguma das Escrituras Jesus é chamado de Todo-Poderoso. Este título é aplicado somente a Jeová, seu Deus e Pai.

O uso de theîos pelos escritores do “Novo Testamento”

Atos 17:29

Lemos em Atos 17:29 as palavras do apóstolo Paulo: “Portanto, visto que somos filhos de Deus, não devemos pensar que o Ser Divino [τ θεον; tò theîon] é semelhante a ouro, prata ou pedra, como algo esculpido pela arte e imaginação do homem.”

Paulo empregou o adjetivo θεῖος (no caso acusativo) ao se dirigir aos gregos. Isto se dá, visto que era popularmente empregado entre os filósofos gregos e politeístas do mundo grego antigo. Como declarou Thayer: “Do único Deus verdadeiro; portanto, mais apropriadamente empregado por Paulo, em consideração ao uso gentio, em Atos 17:29.”

Ademais, Paulo usou tal adjetivo na função de substantivo, o inverso do uso gramatical de theós em Atos 28:6. Ou seja, theîos é precedido de artigo (τὸ θεῖον; tò theîon), tendo o sentido de “Ser Divino”, como tão bem verte a Tradução do Novo Mundo.

Albert Barnes afirmou: “A palavra usada aqui é um adjetivo usado como um substantivo.” E Elicott comentou sobre isso: “A Divindade. – O termo grego é neutro, e corresponde às formas meio-abstratas, meio concretas do ‘Ser Divino’, a ‘Deidade’.” O Léxico do Novo Testamento Grego/Português, de Gingrich e Danker, preferem como primeira definição de tò theîon a expressão “ser divino”.

Assim, neste caso, mesmo as versões bíblicas que preferem o vocábulo “divindade” para traduzir theîos neste versículo deveriam colocar com inicial maiúscula – “Divindade” – para indicar a personalização do adjetivo theîos, como o fazem AKJV, ASV, EMTV, GB, KJA, KJV, MKJV, MNT, NIV, RWV, RYLT, TPS, UKJV, Webster, Wesley’s NT, YLT, LSE, RV e SRV.

Outras traduções vertem por “o Divino” (ACV, Ro, VW); “Deus” (BBE; BWE); “Deidade” (Diaglot, KJ 2000, LO, RSV); “deidade” (TR); “o que é Divino” (EJ 2000); “o ser divino” (ISV, NIV, NSB); “a Natureza Divina” (NHEB; TCE, WEB).

Isto mostra a flexibilidade da língua grega usada no “Novo Testamento”, não exigindo, como pretendem os trinitaristas, um “uso restrito” dos substantivos e adjetivos.

2 Pedro 1:3, 4

2 Pedro 1:3, 4 declara: “Pois o seu poder divino [θείας δυνάμεως; theías dynámeos] nos concedeu tudo que contribui para a vida e a devoção a Deus por meio do conhecimento exato Daquele que nos chamou pela sua própria glória e virtude. Por meio dessas coisas ele nos concedeu as promessas preciosas e muito grandiosas, para que, por meio delas, vocês participassem da natureza divina [“vos tornásseis parceiros na natureza divina”, NM Com Referências; γένησθε θείας κοινωνοὶ φύσεως; génesthe theías koinonoì fýseos], tendo escapado da corrupção do mundo causada pelos desejos errados.”

Theías é o gênero feminino singular no caso genitivo do adjetivo theîos. (Veja The New Analytical Greek Lexicon, de Wesley J. Perschbacher.) Além de serem adjetivos, tais palavras estão na função de adjetivo, pois acompanham, respectivamente, os substantivos δυνάμεως (dynámeos; “poder”) e φύσεως  (fýseos; “natureza”).

Conclusão

Como vimos, não havia necessidade de usar um adjetivo para expressar a qualidade divina do Lógos. Como demonstrado, um substantivo anartro (THEÓS se artigo) expressa muito bem um sentido qualitativo, com função de adjetivo.


Nota: 
[1] As traduções pesquisadas que traduzem por “um deus” são as seguintes: ACF, ARIB, NVI, OL, SBB, AM, ACV, AKJV, ASV, BBE, BWE, Daeby, Diaglot NT 1865, DR, EJ 2000, EMTV, GB, ISV NT, KJ 2000, KJV, LO NT, MKJV, MNT, NHEB, NIV, NSB, Ro, RWV, TCE, TPS, TR, UBV, UKJV, VW, Webster, Wesley’s NT, Weymouth NT, WEB, YLT, LSE, RV, SRV.


Explicação das siglas usadas:

ACV: A Conservative Version.
AKJV: American King James Version.
ASV: American Standard Version.
BBE: Bible in Basic English.
BWE: Bible in Worldwide English NT.
DR: Douay Rheims.
EJ 2000: English Jubilee 2000.
EMTV: English Majority Text Version.
GB: Geneva Bible.
KJA: King James Atualizada 2012.
KJ 2000: King James 2000.
KJV: King James Version.
LO: Living Oracles NT.
LSE: Las Sagradas Escrituras.
MKJV: Modern King James Version 1963.
MNT: Montgomery New Testament.
NHEB: New Heart English Bible.
NIV: New International Version.
NM Com Referências: Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas com Referências, edição de 1986.
NSB: New Simplified Bible.
Ro: Rotherham Version.
RV: Reina-Valera 1989.
RWV: Revised 1833 Webster Version.
RYLT: Revised Young’s Literal Translation NT.
SRV: Spanish Reina-Valera.
TCE: The Common Edition: New Testament.
TPS: The Peschito Syriac New Testament.
TR: The Riverside New Testament.
UBV: Updated Bible Version.
UKJV: Updated King James Version.
VW: A Voice in the Wilderness – Edition 2006.
WEB: World English Bible.
YLT: Young's Literal Translation.


Referências:

Bíblia Comentada. Disponível em: <https://bibliacomentada.com.br/>.

Bíblia hebraica. Disponível em: <http://www.hebraico.pro.br/>.

Bíblia Online. Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/>.

Bíblia Português. Disponível em: <https://bibliaportugues.com/>.

’ĕ·lō·hîm. Bible Hyb. Disponível em: <https://biblehub.com/>.

GINGRICH, F. W.; DANKER, F. W. Léxico do Novo Testamento Grego/Português. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova. São Paulo-SP.

nə · śî. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/>.

______. Disponível em: <https://biblehub.com/hebrew/5387.htm>.

PERSCHBACHER, W. J. The New Analytical Greek Lexicon. 1990. Por Hendrickson Publishers, Inc. Massachusetts, EUA.

Quem é THEÓS em João 1:1 e por que João não empregou THEIOS em João 1:1c? Disponível em: <https://traducaodonovomundodefendida.wordpress.com/>.

Sociedade Bíblica do Brasil. Pesquisa da Bíblia. Disponível em: <http://www.sbb.org.br/conteudo-interativo/pesquisa-da-biblia/>.

Thayer’s Greek Lexicon, Electronic Database.. Copyright © 2002, 2003, 2006, 2011 por Biblesoft, Inc. Disponível em: <https://www.blueletterbible.org/>.
Theîos. θεος. Informação de frequência de palavras para θεος em obras extrabíblicas. Disponível em: <http://www.perseus.tufts.edu/>.


The Online Greek Bible. Disponível em: <http://www.greekbible.com/>.




A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






sábado, 7 de setembro de 2019

Isaías 26:14 – “mortos” ou “sombras”? (Parte 4, final)


Fonte: jw.org

Esta série de artigos está examinando como diversas traduções vertem a palavra hebraica refa·ʼím no texto de Isaías 26:14 e 19.

Para acompanhar o desenvolvimento deste tema, veja os artigos anteriores, clicando nos temas abaixo:


Os artigos anteriores mostraram que a tradução de refa·ʼím no texto de Isaías 26:14 e 19 por “mortos”, por “falecidos” ou por “impotentes na morte” parece encontrar mais respaldo, tendo em vista o contexto em que refa·ʼím ocorre em diversos textos bíblicos neste uso especial do referido termo. Neste último artigo desta série, examinaremos a seguinte questão:

Qual o possível motivo da tradução “sombras” para refa·ʼím?

O Léxico Hebraico-Caldeu de Gesenius comenta sobre o substantivo refa·ʼím nestes contextos:

(1) Flácidos, débeis, fracos, somente no pl[ural], isto é, manes3, sombras vivendo no Hades, de acordo com as opiniões dos antigos hebreus, sem sangue e vida animal, portanto fracos e lânguidos como uma pessoa doente (Isa. 14:10), mas não desprovidos de poderes da mente, como a memória (Isaías 14:9, e seguintes), Salmo 88:11; Provérbios 2:18; 9:18; 21:16; Isaías 26:14, 19. (Negrito acrescentado.)



A respeito do significado da palavra “manes”, temos as seguintes definições:

[Mito.]-Na mitologia romana os Manes eram as almas dos entes queridos falecidos. – Dicionário Informal.[1]

Entre os romanos, almas dos mortos, consideradas como divindades. Divindades infernais que os romanos invocavam sobre os túmulos. – Dicionário Online de Português.[2]

Webster's New World College Dictionary define assim:

1. Na antiga crença romana, as almas deificadas dos mortos, esp[ecialmente] antiga crença romana, as almas deificadas dos mortos, esp[ecialmente] de antepassados mortos; 2. [com sing. v.] a alma ou espírito de uma pessoa morta. (Webster's New World College Dictionary, 4.ª Edição. Copyright© 2010; por Houghton Mifflin Harcourt.)[3]



O Dicionário Bíblico de Wycliffe comenta:

Pelo modo como é utilizado nestas passagens, é um equivalente aproximado dos termos “espíritos”, “sombras” ou “espíritos dos mortos”. Em outras palavras, eles são os habitantes do Seol (q.v.). O termo é encontrado na literatura ugarítica referindo-se aos espíritos dos mortos e deuses menores. Veja Morto, O; Refains, Vale dos. G. A. T. [TURNER, George A., Ph.D., Professor de Literatura Bíblica, Asbury Theological Seminary, Wilmore, Ky] – Verbete REFAINS. Páginas 1656-7. (Negrito acrescentado.)



A respeito do vocábulo ugarítico, lemos no Dicionário Michaelis:

u·ga·rí·ti·co
adj[etivo]
Relativo ou pertencente a Ugarit, antiga cidade da costa leste do Mediterrâneo, hoje atual República Árabe da Síria (Oriente Médio).[4]

A língua ugarítica deve seu nome a Ugarit, cidade outrora situada em um morro conhecido como Ras Xamra, na costa mediterrânea do que atualmente é o norte da Síria. Nessa cidade predominava a adoração pagã, de Baal e de Dagan. Os textos desenterrados evidenciam claramente a depravação da religião ugarítica. 

The Illustrated Bible Dictionary (“Dicionário Bíblico Ilustrado”) afirma sobre tais textos: Os textos, com sua ênfase em guerra, prostituição sagrada, amor erótico e a consequente degeneração social, mostram os resultados degradantes da adoração dessas deidades.[5]



Roland de Vaux, erudito francês e professor da Escola de Estudos Bíblicos de Jerusalém, teceu o seguinte comentário sobre os mesmos textos: Ao se lerem esses poemas, compreende-se a repugnância que os verdadeiros adeptos do javeísmo [os israelitas] e os grandes profetas sentiam por essa adoração.[6] 

Em Jó 26:5, as versões Sociedade Bíblica Britânica e Tradução Brasileira traduzem refa·ʼím por “os manes”, dando margem a uma palavra pagã.

Porém, contrário ao que Gesenius afirmou, os “antigos hebreus” não entendiam que o Seol (traduzido posteriormente para o grego por Hades), era um lugar em que os mortos estavam conscientes, conforme explicou o artigo “Seol e Hades significam o inferno da cristandade?”.

O Dicionário Bíblico Unger discorre o seguinte sobre o verbete “Hades”:

 

Os gregos entendiam o Hades (da mesma forma que os romanos entendiam o Orcus ou Inferna) como o destino de todos os mortos nas profundezas da terra. Trata-se de um lugar escuro, lúgubre, triste, confinado, inacessível a preces e sacrifícios e governado por Plutão, divindade que habitava o local e considerada, tanto pelos deuses como pelos seres humanos, um deus insensível, implacável e inimigo de todas as formas de vida.


Portanto, não eram os israelitas, que seguiam as Escrituras Hebraicas (o “Velho Testamento”), e sim as nações pagãs que tinham o conceito de que o Hades era um local em que residiam os espíritos dos mortos em estado consciente.

Infelizmente, os comentaristas bíblicos dão interpretações pagãs aos termos bíblicos. A Bíblia TEB de Estudo traduz assim Provérbios 2:18: “Vamos engoli-los vivos, como o faz o Sheol, inteiros, como os que descem ao fosso.” A nota de rodapé dessa tradução sobre “Sheol” declara:
  

A concepção da morada dos mortos (o Sheol), presente em todos os livros do AT [Antigo Testamento], é ilustrada por Nm [Números] 16,31-33. Trata-se de um mundo subterrâneo, em que os mortos vivem uma vida apagada, como sombras, “Refaim”, cuja morada é trevas e poeira (cf. Is[aías] 14,9). (Negrito acrescentado.)


 


Assim, a tradução “sombras” para o vocábulo refa·ʼím parece ser influência de conceitos pagãos, originados na adoração falsa.

E, por fim, observe o contraste das duas situações descritas em Isaías, capítulo 26:

Eles estão mortos; não viverão. Refa·ʼím na morte, não se levantarão.” (Versículo 14.)

“Os seus mortos viverão. Os cadáveres do meu povo se levantarão. Acordem e gritem de alegria, vocês que residem no pó! Pois o seu orvalho é como o orvalho da manhã, e a terra deixará que  refa·ʼím voltem a viver.” (Versículo 19.)

O verso 14, ao falar dos inimigos do povo de Deus, fala de refa·ʼím não ser ressuscitado, ao passo que o verso 19, ao falar do povo de Deus, afirma que esses refa·ʼím voltam a viver. Assim, a tradução “mortos”, “falecidos” e “impotentes na morte” para refa·ʼím parece realmente ajustar-se ao real sentido de Isaías 26:14 e 19.


Notas:

[4] Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Disponível em: <https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/>.
[5] Apud Revista A Sentinela de 15 de julho de 2003. Página 24. Ugarit — cidade antiga sob a sombra de Baal.
 [6] Ibidem. 

Explicação das siglas usadas:

ACF: Almeida Corrigida Fiel.
AKJV: American King James Version.
AM: Ave Maria.
ARA: Almeida Revista e Atualizada.
ARC: Almeida Revista e Corrigida.
ARIB: Almeida Revisada Imprensa Bíblica.
ASV: American Standard Version.
BJ: Bíblia de Jerusalém.
BP: Bíblia Pastoral
DR: Douay Rheims
GB: Genebra Bible.
JPS: Jewish Publication Society AT.
LOT: Leeser Old Testament.
NAA: Nova Almeida Atualizada.
NTLH: Nova Tradução na Linguagem de Hoje.
NVI: Nova Versão Internacional.
OL: O Livro.
RV: Reina Valera 1989.
RWV: Revised 1833 Webster Version.
SBB: Sociedade Bíblica Britânica.
VW: A Voice in the Wilderness Bible.
TB: Tradução Brasileira.


Referências:

Bíblia Comentada. Disponível em: <https://bibliacomentada.com.br

Bíblia em Hebraico Transliterado. Disponível em: <http://www.hebraico.pro.br/r/biblia/

Bíblia Online. Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/>.

Bíblia Pastoral. Disponível em: <http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/>.

Bíblia TEB de Estudo. Edições Loyola. Disponível em: <Parte superior do formulário
Parte inferior do formulário

Blue Letter Bible. Disponível em: <https://www.blueletterbible.org/lang/lexicon/>.

Brown-Driver-Briggs. Léxicos da Bíblia. Dicionário lexical hebraico do Antigo Testamento. Disponível em: <https://www.studylight.org/lexicons/hebrew/7496.html>.

______. Brown-Driver-Briggs Hebraico e Inglês Lexicon, Unabridged, banco de dados eletrônico.
Copyright © 2002, 2003, 2006 by Biblesoft, Inc. 

Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Disponível em: <https://www.biblestudytools.com/commentaries/jamieson-fausset-brown/isaiah/isaiah-26.html>.

Dicionário Bíblico de Wycliffe. 2006. Casa Publicadora das Assembleias de Deus. Aprovado pelo Conselho de Doutrina. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. 2.ª Edição: 2007.

Dicionário Bíblico Unger. Merril F. Unger; R. K. Harrison; tradução Vanderlei Ortigoza e Paulo Sérgio Gomes. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil.


John Gill’s Exposition of the Bible.

Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. © 2002 Sociedade Bíblica do Brasil. Barueri, SP. Disponível em: <http://www.sbb.org.br>.

Lueur un Eclairage sur la foi. (“Brilha uma Luz Sobre a Fé”) Disponível em:  <https://www.lueur.org/bible/hebreu-grec/strong/h7496>.

NAS Concordância Exaustiva da Bíblia com Dicionários Hebraico-aramaicos e Gregos. Copyright © 1981, 1998 por The Lockman Foundation. Lockman.org

Rapha. Bible Apps. Disponível em: <http://bibleapps.com/hebrew/7496.htm>.

______. Bíblia Paralela. https://bibliaparalela.com/hebrew/7496.htm>.

Rapha. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/hebrew/7497.htm

Scofield Reference Notes (1917 Edition). Disponível em: <https://www.biblestudytools.com/commentaries/scofield-reference-notes/isaiah/isaiah-26.html>.


Sociedade Bíblica do Brasil. Pesquisa da Bíblia. Disponível em: <http://www.sbb.org.br/conteudo-interativo/pesquisa-da-biblia/>.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org








Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *