Image Map











domingo, 15 de dezembro de 2019

Como Jesus apareceu aos doze apóstolos, se havia apenas 11 na ocasião? (1 Coríntios 15:5)


Fonte: jw.org

Um leitor escreveu:

Olá, prezado Apologista, bom dia!! Espero eu que você esteja bem, na graça de Jeová! Venho mais uma vez te pedir, caso você tenha um tempinho, para que possa me ajudar nesta questão que tenho.

A Bíblia relata que o nosso Senhor Jesus Cristo tinha 12 Apóstolos. (Mateus 10:2-5) Mas, nestes 12 Apóstolos, Judas por ter sido um traidor não teve longa duração de vida. (Mateus 27:3-5; o versículo 5 relata que ele se enforcou.) Com isso eu vejo que só haviam ficado 11 Apóstolos.

Então, de que modo Cristo apareceu aos 12 Apóstolos, visto que Judas já havia morrido nesta época? (1 Coríntios 15:5).

Resposta:

Vejamos os textos envolvidos:

Os nomes dos 12 apóstolos são estes: primeiro, Simão, o chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão; Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu; e Tadeu; Simão, o Cananita; e Judas Iscariotes, que mais tarde o traiu.” – Mateus 10:2-4.

“Então [Judas Iscariotes] foi se enforcar.” – Mateus 27:5b. 

“Depois de dizer isso, ele [Jesus Cristo] foi levado para cima enquanto eles olhavam, e uma nuvem o encobriu de modo que não puderam mais vê-lo. Então eles voltaram a Jerusalém, saindo do chamado monte das Oliveiras, que fica perto de Jerusalém, à distância de apenas uma jornada de sábado. Quando chegaram, subiram para a sala do andar de cima, onde estavam hospedados. Achavam-se presentes Pedro e também João, Tiago e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zeloso, e Judas, filho de Tiago. [11 apóstolos] Naqueles dias, Pedro se levantou no meio dos irmãos (os presentes ali somavam cerca de 120 pessoas), e disse: Portanto, é necessário que um dos homens que nos acompanharam durante todo o tempo em que o Senhor Jesus realizou suas atividades entre nós (desde o seu batismo por João até o dia em que do nosso meio foi levado para cima) se torne testemunha conosco da sua ressurreição.’ Assim, indicaram dois: José, chamado Barsabás, que também era conhecido como Justo, e Matias. Então, lançaram sortes para decidir entre os dois, e a sorte caiu para Matias, e ele foi contado com os 11 apóstolos.” – Atos 1:9, 11, 13, 15, 21-23, 26.

 “E que apareceu a Cefas [Pedro], depois aos Doze.” – 1 Coríntios 15:5.
  
O aparecimento a que Paulo faz referência em 1 Coríntios 15:5 parece ser o registrado em João 20:26-29, que envolvia o apóstolo Tomé.

A expressão “os Doze” refere-se aos apóstolos como grupo

A expressão “os Doze” parece referir-se aos apóstolos como grupo, independentemente da quantidade.  Podemos ver isso em João 20:24, onde lemos: “Mas Tomé, um dos Doze, que era chamado Gêmeo, não estava com eles quando Jesus apareceu.” Nessa ocasião, Judas já havia morrido. Mesmo assim, o relato evangélico fala dos 11 apóstolos usando o termo ‘os Doze’.

Sobre isso, o periódico A Sentinela tece o seguinte comentário:

É comum referir-se a um grupo coletivamente, mesmo que um membro dele esteja ausente. (“A diretoria decidiu. . .” “O corpo de anciãos se reuniu. . .”) Assim, a expressão “os doze” pode muito bem ter sido usada com relação ao inteiro grupo de apóstolos, mesmo se um ou dois deles estivessem ausentes numa determinada ocasião. (Compare com Atos 6:1-6.)[1]

Outra possibilidade, aventada por alguns comentaristas bíblicos, é a de que a alusão a ‘os Doze’ em 1 Coríntios 15:5 inclui o apóstolo Matias, o qual, embora ainda não fosse um dos 12 apóstolos na ocasião mencionada no texto, já convivia com os apóstolos. Sobre isso, veja os comentários abaixo:

Em 1 Coríntios 15:5, a referência ‘os doze’ se refere aos apóstolos num tempo anterior à seleção de Matias, mas, segundo Atos 1:21, 22, incluiria a Matias, que então se associava com os onze.[2]

Embora Matias ainda não tivesse sido então designado para substituir a Judas, ele era um discípulo veterano. (Atos 1:21, 22) Visto que ele se associava intimamente com os apóstolos originais e pouco depois foi “contado com” eles, o comentário retrospectivo a respeito do aparecimento de Jesus aos “doze” provavelmente incluía Matias.[3]

Sem dúvida tendo presente Provérbios 16:33, lançaram-se sortes, e Matias foi escolhido, e, depois disso, “foi contado com os onze apóstolos”. (At 1:23-26) Ele acha-se assim incluído entre “os doze” que resolveram o problema a respeito dos discípulos de língua grega (At 6:1, 2), e, evidentemente, Paulo o inclui ao referir-se “aos doze”, ao falar das aparições pós-ressurreição de Jesus, em 1 Coríntios 15:4-8.[4]

Vejamos como diversos comentaristas bíblicos analisam o assunto.

Elicott:


Que ele foi visto por Cephas. - A partir das indicações de sequência aqui, podemos concluir que as aparições aqui agrupadas estão dispostas em ordem cronológica. Nós temos essas aparições: (1) A Cephas (veja Luc. 24:34). (2) Aos Doze – a frase “os Doze” sendo usada para indicar, não o número de presentes, mas o grupo ao qual eles pertenciam, como Decemviri pode ser usado, ou Conselho Hebdomadal, não para expressar o número exato, mas o corpo corporativo - (veja Luc. 24:36; Jo 20:19). 

Na antiga Roma, Decemviri era um termo técnico latino que significava “dez homens”, e era aplicado a um membro de colégios compostos por dez magistrados.[5] Segundo o livro “História do povo romano, desde a fundação de Roma até ao fim da República” (de José Tomaz de Aquino Barradas), “o número destes oficiais aumentou pela sucessão dos anos: houve tempo que chegaram a dez, e depois a quinze”[6].

Albert Barnes:

Então aos doze – Os apóstolos; ainda chamados “os doze”, embora Judas não fosse um deles. Era comum chamar os apóstolos de “os doze”; Jesus apareceu aos apóstolos de uma só vez na ausência de Tomé (João 20:19, 24); e também para eles quando Tomé estava presente (João 20: 24-29). Provavelmente Paulo aqui se refere à última ocasião, quando todos os apóstolos sobreviventes estavam presentes.

Joseph Benson:

Então aos doze — Aquela companhia de apóstolos assim chamada, embora vários do número não estivessem presentes quando ele apareceu.

João Calvino:

Mas como é que ele diz que apareceu aos doze, quando, após a morte de Judas, restaram apenas onze? […] Como sabemos, havia doze em número que foram separados pela nomeação de Cristo, embora um deles tivesse sido expurgado do rol, não há absurdo em supor que o nome foi mantido. Neste princípio, havia um corpo de homens em Roma que eram chamados Centumviri(16) enquanto eles estavam em número 102. (17) Os doze, portanto, você deve simplesmente entender os Apóstolos escolhidos.

Adam Clarke:

Então aos doze - Em vez de δωδεκα (doze), ενδεκα (onze), é a leitura de D * EFG, siríaco na margem, alguns dos eslavos, armênios, Vulgata, Itala e vários dos pais; e esta leitura é suportada por Marcos 16:14. Talvez o termo doze seja usado aqui apenas para indicar a sociedade dos apóstolos, que, embora tivessem apenas onze membros, ainda eram chamados de doze, porque esse era o número original deles e um número que depois foi preenchido. Veja João 20:24.

Thomas Coke:

1 Coríntios 15: 5. Depois aos doze É certo que nem Judas nem Tomé estavam lá, e provavelmente Tiago pode ter estado ausente, (veja em 1 Coríntios 15:7). Mas como o conselho de vinte e três membros entre os judeus poderia ser mencionado para ser constituído, se a maior parte estivesse presente, embora o número não estivesse completo, do mesmo modo o grupo [dos apóstolos] pode ser chamado de doze, ainda que supostamente uma quarta parte estivesse ausente. Veja Marcos 16:14; Lucas 24:36; João 20:26.

Sobre o referido conselho judaico de vinte e três membros, lemos o seguinte na obra Estudo Perspicaz das Escrituras:

[…] havia em Jerusalém tribunais inferiores, cada um composto de 23 membros. Segundo a Míxena (Sanhedrin 1:6), havia desses tribunais menores também em outras cidades de tamanho suficiente em toda a Palestina. O pleno número de juízes que compunham o tribunal não se reunia em todos os casos. Esse número variava de acordo com a gravidade do assunto a ser julgado e com a dificuldade em chegar a um veredicto. (Volume 3, p. 742, verbete “Tribunal de justiça”.)



John Wesley:

 Aos doze – Esta era a sua denominação permanente; mas o seu número completo não estava então presente. 


Os doze - O número redondo para “os onze” (Lucas 24:33; Lucas 24:36). ”Os Doze” era a denominação comum, mesmo quando o número deles não estava completo. No entanto, muito possivelmente, Matias estava presente (Atos 1:22, Atos 1:23). Alguns dos mais antigos manuscritos e versões leram “os Onze”; mas os melhores, no geral, “os Doze”.




Depois aos doze; embora houvesse então onze deles (Judas se foi deles e se destruiu); e no primeiro aparecimento de Cristo para eles, havia apenas dez presentes, estando Tomé ausente; e devido a que seu número original, quando eleitos e chamados pela primeira vez, era doze, eles ainda seguiam o mesmo nome; veja João 20:24; Gênesis 42:13. Os aparecimentos ou aparições aqui referidos são aqueles em João 20:19 e em João 20:26. A Vulgata Latina lê “os onze”; e assim o exemplar claromontano[7].


Aos doze – Esta era sua denominação permanente; mas o seu número completo não estava então presente.


Aos doze (τοῖς δώδεκα). O nome técnico. Apenas dez estavam presentes, pois Judas estava morto e Tomé estava ausente (João 20:24).



Considerações finais

Portanto, tendo em vista os comentários acima, a referência que Paulo fez aos “Doze” em 1 Coríntios 15:5 não é um anacronismo, mas se refere aos apóstolos como grupo, independentemente da quantidade deles.


Notas: 

[1] Periódico A Sentinela de 15 de janeiro de 1988, p. 30, sob “Perguntas dos Leitores”, com o tema “Quem eram os “doze” a quem Jesus apareceu, conforme mencionado em 1 Coríntios 15:5?”
[2] Periódico A Sentinela de 15 de novembro de 1971, p. 703, sob “Perguntas dos Leitores”.
[3] Periódico A Sentinela de 15 de janeiro de 1988, p. 30, sob “Perguntas dos Leitores”, com o tema “Quem eram os “doze” a quem Jesus apareceu, conforme mencionado em 1 Coríntios 15:5?”
[4] Obra Estudo Perspicaz das Escrituras, volume 1, p. 161, verbete “Apóstolo”.
[5] Decênviro. Corriere della Sera. Dicionário da Língua Italiana. Disponível em: <https://dizionari.corriere.it/dizionario_italiano/D/decemviro.shtml?refresh_ce-cp>. Decemviri. Educalingo. Disponível em: <https://educalingo.com/es/dic-en/decemviri>. “Decênviro”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013. Disponível em: <https://dicionario.priberam.org/dec%C3%AAnviro>.
[6] BARRADAS, Tomaz de AquinoHistória do povo romano, desde a fundação de Roma até ao fim da República”. Disponível em: <https://books.google.com.br/>.
 [7] “O Códice Claromontano (D2) também está escrito em grego e em latim em páginas opostas, o grego à esquerda e o latim à direita. Contém as cartas canônicas de Paulo, inclusive Hebreus, e é considerado ser do sexto século. Foi supostamente encontrado no mosteiro de Clermont, na França, e foi adquirido por Theodore Beza, mas é agora preservado na Bibliothèque Nationale em Paris.” – Estudo Perspicaz das Escrituras (volume-2, p. 759, verbete “Manuscritos da Bíblia”.
  

Referências

Bible Study Tools (“Ferramentas de Estudo da Bíblia”). Disponível em: <https://www.biblestudytools.com/aa/1-corintios/passage/?q=1-corintios+15:5-15>.


Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible (“Comentário Crítico e Explicativo sobre a Bíblia Inteira”). Disponível em: <https://www.biblestudytools.com/commentaries/jamieson-fausset-brown/1-corinthians/1-corinthians-15.html>.





A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org








Um comentário:


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *