Image Map











terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Conversa com um trinitário sobre Jesus Ser o Criador e sobre a divindade de Cristo – Parte 4 (Final)


Fonte: jw.org 

Trinitário:

Prezado Apologista Da Verdade:

Eu fico admirado o malabarismo teológico que você faz pra chegar na SUA verdade. O verso de Colossenses fica claro que Jesus é o criador; pois, por meio dele, tudo foi feito. Agora reflita: Por que um Deus Todo Poderoso precisou de uma criatura para trazer tudo à vida, sendo Ele detentor de todo poder? A Bíblia é clara em dizer que sem Cristo nada do que foi feito se fez. (João 1:3)

Depois de toda esta nossa conversa, eu saio deste debate mais feliz e fortalecido no que creio, pois você não conseguiu derrubar a verdade expressa na Bíblia acerca de quem Cristo É. Fazendo um resumo de tudo, você não crê em Jesus como criador. A sua versão bíblica (TNM) é uma das poucas, contra uma maioria esmagadora, que escreve “deus” em João 1:1, quando na verdade é “Deus”. Você é politeísta, pois crê em um Deus maior e um menor.

De todos os artigos que você postou – e eu li todos –, o maior malabarismo bíblico que você fez foi em explicar Isaías vendo a glória do Senhor, que foi mostrado por João em seu Evangelho, dizendo que ele viu a glória de um deus menor. Isaías, um judeu monoteísta, vendo a glória de um outro deus... Fico imaginando ... por que será que ele não escreveu que, além de ver a glória de Deus, também viu a glória de um deus menor? Mas a resposta vem de imediato – ELE SÓ VIU UM DEUS!!!

Você e muitos que não honram a Cristo como se deve ainda não conseguiram ver com os olhos espirituais o mistério de Deus, Cristo (Colossenses 2:2).

Me despeço de você, dizendo outra vez que saio mais fortalecido no que creio e pedindo a Deus que abra teus olhos para que veja a verdade, pois só nos salvaremos através da verdade que é Cristo. Lembre-se sempre de que você deve honrar o Filho assim como honra o Pai; pois, se você não honrar o Filho como se deve, você não honra o Pai que o enviou (João 5:23).

Que Deus te abençoe e quem sabe em outra oportunidade possamos conversar novamente.

Abraços. 

Resposta:

Prezado Carlos:

Fico contente pela forma respeitosa em que você expôs suas crenças, embora em seu último comentário você tenha permitido que suas emoções aflorassem um pouco. Mas, deixando de lado as emoções, as quais podem obscurecer o raciocínio lógico, vejamos o que realmente ficou comprovado:

Criar e fazer

Você afirmou: “Se é ‘façamos’ [Gênesis 1:26], é plural. E vemos Jesus atuando na criação do homem; portanto, um com Deus.”

Eu contra-afirmei: “Em hebraico ‘fazer’ (ʽa·sáh) é diferente de ‘criar’ (ba·ráʼ). Portanto, o ato de criação é atribuído somente a Jeová.” Citei Mateus 19:4.

Você não contra-argumentou.

A expressão “nossa semelhança”

Você afirmou: “Jesus é Deus. E vemos isso nas palavras ‘NOSSA SEMELHANÇA’. Ou será que temos imagem de uma criatura e não de Deus?”

Eu contra-afirmei: “Ter o Filho a imagem e a semelhança de Deus não o faz ser o próprio Deus Criador e Todo-Poderoso, assim como o ser humano ter sido feito à imagem e semelhança de ambos não o torna igual ao Deus Criador nem ao Seu Filho Jesus Cristo na questão de poder e autoridade.”

Você não contra-argumentou.

O Pai é Deus do Filho

Você afirmou: “Jesus reconheceu o Pai como Deus em várias situações, isso na condição de servo.” Citou Filipenses 2:1-7.

Eu contra-afirmei: “Jesus chamou seu Pai de ‘meu Deus’ também após ter sido ressuscitado e ter ido para o céu, não apenas quando era homem na Terra. (Apocalipse 3:2, 12).”

Você contra-afirmou: “Chamar o Pai de Deus mesmo depois de ressuscitado não diminui a deidade de Cristo, pois o Pai chama o Filho (Jesus) de Deus, em Hebreus 1:8.”

Eu contra-afirmei: “Mesmo que, em Hebreus 1:8, o Pai chamasse o Filho de Deus, isso não implicaria em coigualdade, pois o termo ‘Deus’ também é referido na Bíblia aos anjos. Contudo, o Filho no céu chama seu Pai de ‘MEU Deus’. (Apocalipse 3:2, 12) Isso torna claro que o Pai é Deus do Filho. Óbvio que não são coiguais.”

Você não contra-argumentou.

A divindade de Jesus Cristo

Você afirmou: “Se [o termo ‘Deus’ para Jesus] for minúsculo, você está dizendo que Jesus é um deus falso.”

Eu contra-afirmei: “A Bíblia aplica o termo ‘Deus’ (Elohim) aos anjos no Salmo 8:5, conforme explica Hebreus 2:7, por serem ‘filhos de Deus’ (Jó 1:6; 2:1; 38:7; Salmo 89:5, 6.) Embora os judeus reconhecessem isso, eles eram monoteístas, pois adoravam somente a Jeová. Assim, Jesus pode ter o título de ‘Deus Poderoso’ (Isaías 9:6) e ser ‘um deus’ (João 1:1) por ser Filho de Deus e ter natureza divina, assim como o filho de um homem é também chamado de homem por ter natureza humana. Porém, a divindade de Jesus não implica em coigualdade, do mesmo modo como a humanidade de um homem não implica em coigualdade com o pai dele.”

Você contra-afirmou: “Onde em Salmo 8:5 e Hebreus 2:7 a Bíblia chama anjo de deus?”

Eu contra-afirmei: “Sobre os anjos serem chamados de elohim, parece que você não leu os artigos que citei acima.”

Você não contra-argumentou.

A questão da adoração

Eu afirmei: “A Bíblia mostra que há um só Deus a quem devemos adorar, que é o Pai.” Citei Mateus 4:10 e João 4:23, 24.

Você não contra-argumentou.

Sobre a suposta coigualdade entre Deus e Cristo

Você citou Colossenses 2:9, João 20:28, Isaías 6:1, João 12:41, 1 João 5:20 e Apocalipse 22:13.

Citei vários artigos refutando o entendimento incorreto desses textos; e, embora você tenha afirmado que tais artigos não o convenceram, você não fez nenhuma contra-argumentação. Em vez disso, pulou para outro texto – de Colossenses 1:16.

Diante disso, expliquei que a expressão “por meio dele” nesta parte do texto significa que Jesus é meio ou instrumento para a realização da criação. Provei isso fazendo referência à expressão usada em grego, citei um respeitado dicionário de grego e até uma tradução que esclarece o sentido, e citei um artigo sobre isso.

Você sequer tentou fazer uma refutação. Apenas afirmou que eu faço “malabarismo teológico”.

Mas, se recorrer à língua original e aos dicionários bíblicos, e à comparação entre traduções da Bíblia para você é “malabarismo”, o que seria para você um estudo sério? Não seria malabarismo o que você fez? Ao afirmar que “fazer” é o mesmo que “criar”, quando a primeira língua em que a Bíblia foi escrita mostra o contrário; ao afirmar que Jesus é o Deus supremo por termos sido feitos à imagem de Deus, ao passo que desconsidera que o próprio Jesus foi criado à “imagem de Deus” (2 Coríntios 4:4; Colossenses 1:15); ao desconsiderar que o Pai é Deus do Filho, sendo que o Filho não é Deus do Pai (Apocalipse 3:2, 12); ao desconsiderar que o termo “Deus” é aplicado a outros de modo positivo na Bíblia e que isto não constitui politeísmo; ao afirmar que a expressão “por meio dele” significa “por ele”, quando a língua grega – e a própria língua portuguesa – mostram o contrário; ao não refutar meus comentários sobre os textos que você citou para tentar provar a coigualdade de Jesus com seu Deus e Pai (Colossenses 2:9, João 20:28, Isaías 6:1, João 12:41, 1 João 5:20 e Apocalipse 22:13), mas, em vez disso, pular para outro texto. Não seria isso prova de “malabarismo”?

Quanto a você afirmar que, em João 1:1, o substantivo theós aplicado ao Lógos “na verdade é ‘Deus’”, você não conta com a linguística a seu favor, pois os manuscritos gregos não fizeram essa diferenciação; nem conta com a gramática a seu favor, a qual permite ambas as traduções – “Deus” e “deus”; também não conta com o contexto, pois, se o Verbo estava com Deus, ele obviamente não poderia ser o mesmo Deus com quem ele estava!

Por afirmar que sou politeísta, você mostra desconhecer o que é o unitarismo, e pior – afirma indiretamente que os escritores do Velho Testamento eram politeístas, pois foram eles que aplicaram o termo “Deus” a anjos, a Moisés, e a juízes humanos. (Salmo 8:5; Êxodo 4:16; 7:1; Salmo 82:1-6) Pior ainda – afirma que o próprio Jesus Cristo era politeísta, pois ele citou um desses usos do termo “Deus” em João 10:34-36.

Seus conceitos preconcebidos não lhe permitiram entender que nem Isaías 6:1 nem qualquer outro texto identificam Jesus com Jeová. Pelo contrário, são muitos os textos que os diferenciam, mas, pelo que parece, você pretende desconsiderá-los. Como eu disse acima, é um direito que lhe assiste.

Você afirma que eu ‘não honro a Cristo como se deve’; mas, não seria o caso de você não o honrar como se deve? Por colocar a Cristo numa posição que ele nunca quis para si, que pertence somente ao Deus dele! E vale dizer que nenhum trinitário consegue explicar por que o Pai é DEUS do Filho.

Você menciona “o mistério de Deus, Cristo”, quando o próprio Cristo afirma que a vida eterna depende de se CONHECER o único Deus verdadeiro e ao enviado dele (o Senhor Jesus Cristo)! – João 17:3.

Você afirmou que ‘sai de nossa conversa mais fortalecido no que crê’. Isto se dá porque você prefere desconsiderar todas as evidências contrárias ao seu modo de pensar, e prefere crer no que quer crer.

Mas, respeito sua decisão nesse sentido, e expresso meu sincero desejo de que você tire tempo para refletir em nossa conversa com mente aberta. Grande abraço.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




3 comentários:

  1. O trinitário demonstrou na prática como eles são tolos e desonestos. Distorcem a Bíblia e depois acusam o oponente de "malabarismo teológico"! O mais triste é ver o sujeito trinitário cometer BLASFÊMIA contra as Sagradas Escrituras ao indiretamente afirmar que os israelitas e Jesus eram políteistas. E pior: no final, o sujeito trinitário ainda esbanja sua arrogância e prepotência ao dizer que saiu do debate ainda MAIS convencido desta doutrina anticristã criada no Império pagão de Constantino! No final, pôde se comprovar que o sujeito trinitário nada mais é que um fanático religioso. Parabéns por refutar todos argumentos falaciosos do trinitário, apologista!

    ResponderExcluir
  2. Ser trinitário do tamanho desse apologista Carlos, é ser um doente espiritual crônico, pois não consegue enxergar, que a própria tradução que ele usa, - e não procura fazer comparações com outras,- faz de tudo para esconder que Jesus afirmou ter um Deus sobre Si, e que essa afirmação, por si só já o torna submisso a Deus, e sendo submisso a Deus não pode ser o Deus absoluto supremo e único.Vejam como as traduções Almeida vertem Ap.3:2:
    ARA=>Sê vigilante e consolida o resto que estava para morrer, porque não tenho achado íntegras as tuas obras na presença DO MEU Deus.

    ARC=>Sê vigilante e confirma o restante que estava para morrer, porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus.

    Surrupiaram da ARC "DO MEU" que a ARA mantem, e não conseguem ver que isso é que é malabarismo para esconder que Jesus tem um Deus sobre si e que Esse é que o verdadeiro Deus da Bíblia, não um deus trino inventado pelos filósofos romanos.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns apologista da verdade.
    Muito bem esmilçado .

    Ótimo comentário Vykthor.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *