Image Map











quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022

A filha de Jefté foi oferecida em sacrifício?

Fonte: jw.org

 Um leitor escreveu:

Gostaria de saber sobre o caso da filha de Jefté. A nova versão da bíblia dos tj [Testemunhas de Jeová] diz que ela foi servir ao templo, mas na versão antiga diz que ela foi sacrificada, e no site em inglês jw a King James também diz que ela foi sacrificada. Mas nas publicações do jw diz que ela foi servir ao templo! 

No tempo dos juízes a bíblia diz que eles faziam o que eles queriam e não o que Jeová queria.

Então, eis a pergunta: por que nas publicações [das Testemunhas de Jeová] diz que a filha foi servir ao templo, sendo que a bíblia diz que ela foi sacrificada?

Por favor, me responda; desde já agradeço!!

 

Resposta:

Vejamos como as duas traduções da Bíblia citadas pelo leitor acima traduzem Juízes 11:30, 31:

“Então Jefté fez um voto a Jeová, dizendo: ‘Se entregares os amonitas nas minhas mãos, então aquele que sair da porta da minha casa ao meu encontro, quando eu voltar em paz da guerra contra os amonitas, se tornará de Jeová, e eu o oferecerei como oferta queimada.’” – Tradução do Novo Mundo Revisada 2015.

“Jefté fez então um voto a Jeová e disse: ‘Se tu, sem falta, me entregares os filhos de Amom na mão, 31 então terá de dar-se que aquele que sair, quem sair da porta da minha casa ao meu encontro, quando eu voltar em paz dos filhos de Amom, terá de tornar-se então de Jeová, e eu terei de oferecer a tal como oferta queimada.’” – Tradução do Novo Mundo Com Referências 1986.


Portanto, as duas traduções dizem a mesma coisa. Sobre o voto de Jefté, precisamos ter em mente que o sacrifício de crianças era expressamente proibido na Lei mosaica, conforme se observa nos textos abaixo:

“Não permita que um dos seus descendentes seja oferecido a Moloque. Não profane assim o nome do seu Deus. Eu sou Jeová.” – Levítico 18:21.

“Você deve dizer aos israelitas: ‘Qualquer homem de Israel ou qualquer estrangeiro que mora em Israel que der um dos seus descendentes a Moloque sem falta deve ser morto. O povo da terra deve apedrejá-lo até a morte. Eu mesmo me voltarei contra esse homem, e vou eliminá-lo dentre seu povo, porque ele deu um dos seus descendentes a Moloque, profanou meu lugar santo e profanou meu santo nome.’” – Levítico 20:2, 3.

“Não façam essas coisas a Jeová, seu Deus, pois as nações fazem pelos seus deuses tudo o que é detestável para Jeová, o que ele odeia; até mesmo queimam seus filhos e suas filhas no fogo para os seus deuses.” – Deuteronômio 12:31.

“Quando você tiver entrado na terra que Jeová, seu Deus, lhe dá, não aprenda a imitar as práticas detestáveis destas nações. Não se deve encontrar em seu meio alguém que queime seu filho ou sua filha no fogo, ou que use de adivinhação, ou que pratique magia, ou que procure presságios, ou um feiticeiro, ou alguém que prenda outros com encantamento, ou que consulte quem invoca espíritos, ou um adivinho, ou alguém que consulte os mortos. Pois quem faz essas coisas é detestável para Jeová, e é por causa dessas práticas detestáveis que Jeová, seu Deus, expulsa estas nações de diante de você.” – Deuteronômio 18:9-12.

Outro fator a se levar em consideração é que nenhum pai tinha autoridade para matar seu filho, mesmo se este estivesse em falta. Em vez disso, deveria entregá-lo ao sistema judicial estabelecido pela Lei mosaica, composto pelos anciãos locais, que aplicariam a punição necessária. Sobre isso, lemos em Deuteronômio 21:18-21: “Se um homem tiver um filho obstinado e rebelde, que não obedece ao seu pai nem à sua mãe, e eles tentaram corrigi-lo, mas ele se recusa a ouvi-los, seu pai e sua mãe devem pegá-lo e levá-lo para fora aos anciãos, no portão da cidade, e dizer aos anciãos da cidade: ‘Este nosso filho é obstinado e rebelde; ele se recusa a nos obedecer. É glutão e beberrão.’ Então todos os homens da cidade devem apedrejá-lo até a morte. Assim, elimine o mal do seu meio; e todo o Israel ouvirá a respeito disso e ficará com medo.”

Jefté era um homem temente a Deus, e foi lembrado como homem fiel, conforme podemos depreender dos textos bíblicos abaixo:

“O espírito de Jeová veio sobre Jefté.” –Juízes 11:29.

“Então Jeová enviou Jerubaal, Bedã, Jefté e Samuel, e livrou vocês das mãos dos inimigos em todo o redor, para que vocês pudessem viver em segurança.” – 1 Samuel 12:11.

“E o que mais direi? Pois me faltaria tempo se eu falasse também sobre Gideão, Baraque, Sansão, Jefté, Davi, bem como Samuel e os outros profetas.” – Hebreus 11:32.

Como podemos entender o voto de Jefté?

A obra Estudo Perspicaz das Escrituras (volume 2, pp. 26-27, verbete “Jefté”, publicada pelas Testemunhas de Jeová) teceu o seguinte comentário:

Pensava Jefté num sacrifício humano, quando votou apresentar como oferta queimada o primeiro que saísse da sua casa?

[…]

Como, então, ‘tornar-se-ia de Jeová’ a pessoa que saísse ao encontro de Jefté para congratulá-lo por sua vitória, e seria oferecida como “oferta queimada”? — Jz 11:31.

Era possível devotar pessoas ao serviço exclusivo de Jeová relacionado com o santuário. Era um direito que os pais podiam exercer. Samuel foi uma de tais pessoas, prometido ao serviço no tabernáculo por um voto de Ana, sua mãe, antes de ele nascer. Este voto foi aprovado pelo marido dela, Elcana. Logo que Samuel foi desmamado, Ana o ofereceu no santuário. Junto com ele, Ana trouxe um sacrifício animal. (1Sa 1:11, 22-28; 2:11) […]

Era um verdadeiro sacrifício da parte tanto de Jefté como da sua filha, pois ele não possuía outros filhos. (Jz 11:34) Assim, não haveria descendente para perpetuar seu nome e sua herança em Israel. A filha de Jefté era sua única esperança neste sentido. Ela chorou, não porque tivesse de morrer, mas pela sua “virgindade”, pois todo homem e toda mulher israelita desejava ter filhos e manter vivos o nome e a herança da família. (Jz 11:37, 38) A esterilidade era uma calamidade. Mas a filha de Jefté “nunca teve relações sexuais com qualquer homem”. Se estas palavras se aplicassem apenas à época anterior ao cumprimento do voto, teriam sido supérfluas, pois se diz especificamente que ela era virgem. Que a declaração se refere ao cumprimento do voto é indicado por vir depois da expressão: “Ele cumpriu seu voto que fizera referente a ela.” Na realidade, o registro indica que também depois de o voto ser cumprido, ela manteve sua virgindade. — Jz 11:39; veja as traduções de Al; ALA; BV; NM.

Ademais, a filha de Jefté recebia visitas “de ano em ano” de suas companheiras, para ‘elogiá-la’. (Jz 11:40) – Negrito acrescentado nos parágrafos. 

De modo similar ao comentário da obra acima, temos as considerações do Professor de Teologia Leonardo Dâmaso, que declarou: 

[…] seria estranho um pecado grave como o sacrifício humano, condenado pela Escritura, acontecer naquela época, uma vez que Juízes 11 está em um contexto de reforma espiritual. Israel, incluindo Jefté, tinha se arrependido e voltado para os caminhos do Senhor, após muitos desvios para adorar outros deuses (Juízes 2.11-13; 3.5-7, 12, 15; 4.1; 6.1; 10.6…).

[…]

No Antigo Testamento, sempre que o Espírito capacitava e/ou direcionava alguém para cumprir uma tarefa importante, como foi com Gideão (Juízes 6.25-40), Sansão (Juízes 14.1-7; 10-20; 15.14-20), entre outros, não significa que eles não pecavam, mas que não pecavam “durante” ou ”no” serviço a Deus. Também é pouco provável que Israel seguisse a Jefté como um líder se ele tivesse desobedecido a Escritura de forma tão notória, sacrificando inexoravelmente sua filha.

[…]

Mesmo se o voto de Jefté tivesse sido imprudente, Levítico 5.4-5 lhe oferecia a possibilidade de se arrepender, e Levítico 27 a possibilidade de redimir sua filha mediante o pagamento de um resgate.

Jefté não recorreu a essas alternativas porque não pensou em tirar a vida de sua única filha.

[…]

Jefté é bem lembrado em vez de ser tido como um exemplo negativo na Escritura.

Ele governou Israel por seis anos. 1 Samuel 12.11 menciona Jefté como um dos juízes que livrou Israel de seus inimigos. Samuel não teria endossado Jefté se ele tivesse sacrificado a própria filha. Mais importante ainda, Hebreus 11.32 menciona Jefté como um herói da fé em vez de um exemplo adverso. 

[…] a palavra “holocausto” olah (עלה), no hebraico, nem sempre denota sacrifício. Esta palavra também traz a ideia, dependendo do contexto em que está inserida, de “completa dedicação”. Neste caso, o versículo 31 pode ser traduzido assim: quem sair da porta da minha casa ao meu encontro, quando eu retornar da vitória sobre os amonitas, “será do SENHOR. E eu o oferecerei para se dedicar completamente a Ele.

[…]

A palavra hebraica לְתַנּ֕וֹת [tanah] foi traduzida ambiguamente por lamentar pela a ARC [Almeida Revista e Corrigida] Almeida Século 21, que destoa completamente do seu verdadeiro significado. לְתַנּ֕וֹת [tanah] não é traduzida com o sentido de pranto em nenhum outro lugar na Bíblia. Em vez disso, essa palavra significa celebrar (conforme traduziu a NVI [Nova Versão Internacional] , a Bíblia de Jerusalém e a American Standard Version) ou “comemorar” (conforme traduziu a New American Standard Bible e a Holman Christian Standard Bible).

As filhas de Israel, com efeito, não lamentaram a morte da filha de Jefté; pelo contrário, elas festejaram e enalteceram sua decisão de viver para servir a Deus, a qual envolvia devoção total.[1] 

No tempo dos juízes as pessoas faziam o que bem entendessem?

Quanto à afirmação do leitor acima, de que “no tempo dos juízes a bíblia diz que eles faziam o que eles queriam e não o que Jeová queria”, temos o seguinte comentário da obra Estudo Perspicaz das Escrituras:

Faz-se o seguinte comentário sobre esse período geral dos juízes: “Naqueles dias não havia rei em Israel. No que se referia a cada um, fazia o que era direito aos seus próprios olhos.” (Jz 17:6; 21:25) Isto não quer dizer que não houvesse restrição judicial alguma. Toda cidade tinha juízes, anciãos, para tratar de questões e problemas legais, e para executar a justiça. (De 16:18-20; veja TRIBUNAL DE JUSTIÇA.) O sacerdócio levítico funcionava como força orientadora superior, instruindo o povo na lei de Deus, sendo que o sumo sacerdote possuía o Urim e o Tumim para por meio deles consultar a Deus no caso de assuntos difíceis. (Veja SACERDOTE; SUMO SACERDOTE; URIM E TUMIM.) Portanto, a pessoa que se aproveitava de tais provisões, que adquiria conhecimento da lei de Deus e a aplicava, possuía um sólido guia para sua consciência. Fazer ela “o que era direito aos seus próprios olhos”, nesse caso não resultava em mal. Jeová permitiu que o povo manifestasse uma atitude e um proceder quer disposto, quer de má vontade. Não havia nenhum monarca humano sobre a nação, supervisionando o trabalho dos juízes das cidades ou ordenando os cidadãos a empenhar-se em projetos específicos, ou organizando-os para defender a nação. (Veja Jz 5:1-18.) Portanto, as más condições que se desenvolveram eram atribuíveis à relutância por parte da maioria em acatar a palavra e a lei de seu Rei celestial, e em aproveitar-se de Suas provisões. — Jz 2:11-23. (Volume 2, pp. 812-813, verbete “Reino de Deus”, Negrito acrescentado.)

O clérigo anglicano e professor de estudos bíblicos E. W. Bullinger era da opinião de que o vau, comumente traduzido por “e” na declaração de Jefté “se tornará de Jeová, e eu o oferecerei como oferta queimada”, é frequentemente usado como disjuntivo e, portanto, deveria ter sido traduzido como “OU” em vez de “E”. Assim, de acordo com o eminente erudito, o texto de Juízes 11:31 deveria rezar: “Se tornará de Jeová, ou eu o oferecerei como oferta queimada”.

Os textos abaixo são citados, além de outros, como exemplos do vau disjuntivo:

“Faraó disse mais a José: ‘Eu sou Faraó, mas sem a sua autorização ninguém poderá fazer absolutamente nada [nota: Lit.: ‘erguer a mão ou o pé’”] em toda a terra do Egito.” – Gênesis 41:44.

“Quem agredir seu pai ou sua mãe será morto. – Êxodo 21:15.

“Quem amaldiçoar seu pai ou sua mãe será morto.” – Êxodo 21:17.

“Isto é o que deve acontecer quando dois homens brigam, e um fere o outro com uma pedra ou com o punho, e este não morre, mas fica de cama.” – Êxodo 21:18.

“Ó Soberano Senhor Jeová, tu começaste a mostrar ao teu servo a tua grandeza e o teu poderoso braço, pois que deus há nos céus ou na terra que realize atos poderosos como tu?” – Deuteronômio 3:24.

“Que a culpa de sangue recaia sobre a cabeça de Joabe e sobre toda a casa de seu pai. Que nunca falte na casa de Joabe homem que tenha um corrimento, ou leproso, ou homem que trabalhe numa roda de fiar, ou alguém que seja morto à espada, ou alguém que passe fome!” – 2 Samuel 3:29.

“Por volta do meio-dia, Elias começou a zombar deles e a dizer: ‘Gritem o mais que puderem! Afinal, ele é um deus! Talvez ele esteja entretido em seus pensamentos ou tenha ido fazer necessidades. Ou talvez esteja dormindo e alguém precisa acordá-lo!” – 1 Reis 18:27.

Independente dessa análise linguística, o inteiro contexto da Bíblia mostra que Jefté não ofereceu sua filha em sacrifício.

 

Nota:

[1] DÂMASO, Leonardo. 8 Fatos que Provam que Jefté não Sacrificou sua Filha. Reformados 21. 14 jul 2018, às 19:22. Disponível em: <https://reformados21.com.br/2018/07/14/8-fatos-que-provam-que-jefte-nao-sacrificou-sua-filha/>.

Referências: 

Clarke, Adam. Commentary on Judges. Disponível em: <https://www.studylight.org/commentaries/acc/judges-11.html. 1832>.

David Murray em Jephthah’s Perfect Vow. Disponível em: <http://headhearthand.org/blog/2014/02/24/jephthahs-perfect-vow/>.

Jamieson, Robert, D.D; Fausset, A. R.; Brown, David. Commentary on Judges in Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible – Unabridged. Disponível em: <https://www.studylight.org/commentaries/jfu/judges-11.html. 1871-8>.

Jefté na verdade sacrificou sua filha? Uma análise de Juízes 11:31. Verdades Bíblicas. Disponível em: <http://www.jba.gr/Portuguese/Jeft%C3%A9-na-verdade-sacrificou-sua-filha-Uma-an%C3%A1lise-de-Ju%C3%ADzes-11-31.htm>.

Jefté não imolou sua filha (Jz 11). Cacp Ministério Apologético. Disponível em: <http://www.cacp.org.br/jefte-nao-imolou-sua-filha-jz-11/>.

Santos, Vagner.  Por Alan Rennê. Teria Jefté Sacrificado A Própria Filha? Igreja Presbiteriana Filadélfia de Franca. 13/07/2021. Disponível em: <https://filadelfiafranca.com.br/teria-jefte-sacrificado-a-propria-filha/>.

 

 

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

 

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 



 


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *