Image Map











segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Duas regras – uma falsa e uma verdadeira




Fonte da ilustração: http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1102002031

     
É muito comum, já por muito tempo, os trinitaristas citarem textos bíblicos que usam o mesmo título ou expressão tanto para Jeová como para Jesus Cristo como alegada indicação de que ambos sejam a mesma pessoa. Por exemplo, o fato de Jeová e de Cristo serem chamados de “pastor”, “rocha” e “salvador” é tido pelos expositores dessa doutrina como “prova” de que possuem a mesma identidade. (Salmo 23:1; João 10:11;  Salmo 18:2; 1 Coríntios 10:4; Isaías 43:11; Lucas 2:11) Com isso, os trinitaristas estão estabelecendo uma regra. Essa regra poderia ser expressa assim: ‘Quando o mesmo título, a mesma expressão ou a mesma ação são atribuídos a seres chamados por nomes diferentes, isso indica que são a mesma pessoa, ou o mesmo ser.’ Será que tal regra tem validade? Sobrevive ela a um escrutínio bíblico? Vejamos.

Uma regra falsa elaborada pelos trinitaristas

Em João 8:44, Jesus declarou aos judeus de seus dias: “Vós sois de vosso pai, o Diabo.” Em João 8:56, ele se expressou ao mesmo grupo com as palavras: “Abraão, vosso pai.” Se a regra trinitarista fosse verdadeira, chegaríamos à absurda conclusão que o Diabo e Abraão são a mesma pessoa! É óbvio que o Diabo era o pai deles porque eles o imitavam, ao passo que Abraão era seu pai por serem descendentes dele.

Vejamos outro exemplo. 2 Samuel 8:13 declara: “E Davi passou a ganhar fama quando voltou de golpear os edomitas no Vale do Salmo” O cabeçalho do Salmo 60 diz que “Joabe passou a retornar e a golpear Edom no Vale do Salmo” E 1 Crônicas 18:12 diz: “Quanto a Abisai, filho de Zeruia, golpeou ele os edomitas no Vale do Salmo” Será que tais textos indicam que Davi, Joabe e Abisai são a mesma pessoa? Afinal, a mesma ação foi atribuída a cada um deles! Na realidade, o crédito pela vitória foi atribuído a Davi por ele ser o comandante-chefe; a Joabe, por este ser seu principal general; e a Abisai, por ser um comandante divisionário sob Joabe.[1] Portanto, esses dois exemplos não deixam dúvida de que a subliminar regra trinitarista não é verdadeira. Ela não subsiste ao exame honesto das Escrituras.

Uma verdadeira regra bíblica

Mas, como podemos explicar textos bíblicos que atribuem os mesmos termos tanto a Jeová como a Cristo? Para isso, vamos agora focalizar uma verdadeira regra bíblica. Ela se encontra em 1 Coríntios 8:6, que declara: “Para nós há realmente um só Deus, o Pai, de quem procedem todas as coisas, e nós para ele; e há um só Senhor, Jesus Cristo, por intermédio de quem são todas as coisas, e nós por intermédio dele.” Note que Paulo diz que do Pai “procedem todas as coisas”, ao passo que Jesus é aquele “por intermédio de quem são todas as coisas”. Embora Jesus seja aludido como “deus” na Bíblia, somente “Deus, o Pai” é a Procedência, Origem ou Fonte das coisas. (João 1:1) Por outro lado, embora Jeová seja referido como “Senhor” na Bíblia, somente Jesus é Senhor como Canal, ou Intermediário, de todas as coisas. (Salmo 8:1) Tendo presente esta clara regra estabelecida pela Bíblia, podemos entender facilmente textos que usam as mesmas expressões tanto para Jeová como para Jesus.

Por exemplo, Jeová disse: “Além de mim não há salvador.” (Isaías 43:11; veja também Salmo 106:21.) Outros textos falam de Jesus Cristo como “Salvador”. (2 Timóteo 1:10; 2 Pedro 1:11) Mas Judas, versículo 25, equaciona o problema aplicando a regra bíblica acima. O texto diz: “Ao único Deus, nosso Salvador, por intermédio de Jesus Cristo, nosso Senhor.” O entendimento é claro: Jeová é chamado de Salvador por ser a Procedência, o Autor e a Fonte da salvação, ao passo que Jesus é referido como Salvador por ser o Agente, o Canal, ou meio, pelo qual ela é realizada. Isto é confirmado pela declaração de Atos 13:23, que reza: “Deus trouxe a Israel um salvador, Jesus.” – Veja também Lucas 2:30.

Vejamos outro exemplo. Romanos 14:12 diz que “cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus”, ao passo que 2 Coríntios 5:10 afirma que “todos nós temos de ser manifestados perante a cadeira de juiz do Cristo”. Dada a similaridade das expressões, os trinitaristas apressam-se a concluir disso que Deus e Cristo são a mesma pessoa. Mas, como já explicado, seguir essa regra levaria a grandes equívocos. Por outro lado, a regra exposta em 1 Coríntios 8:6 explica coerentemente tais passagens. Aplicando tal regra, Romanos 2:16 fala de “Deus, por intermédio de Cristo Jesus, julgar as coisas secretas da humanidade”. Adicionalmente, Atos 10:42 descreve Jesus como “o decretado por Deus para ser juiz.” Como Fonte do julgamento e em cujas leis ele se baseia, Jeová é o Juiz supremo. (Salmo 50:6) Como Agente e Executor do julgamento, Jesus também pode ser mencionado como “juiz”.

Embora o título de “pastor” seja utilizado tanto para Jeová como para Cristo, encontramos a explicação que mostra a relação entre esses dois Pastores em Gênesis 49:24, 25: “Das mãos do Potentado de Jacó, dali provém o Pastor, a Pedra de Israel. Ele provém do Deus de teu pai.” Portanto, o texto mostra que Jesus, como “Pastor” e “Pedra de Israel”, provém de Jeová, o “Potentado de Jacó”. Isso concorda com o que diz a primeira parte de 1 Coríntios 8:6, a saber, que de “Deus, o Pai”, “procedem todas as coisas”, inclusive o próprio Filho, Jesus Cristo. Assim sendo, Jesus é o Pastor proveniente do Deus Todo-Poderoso, Jeová.

Como vimos, a hermenêutica, ou interpretação dos textos bíblicos, seguida pela cristandade, segue fórmulas equivocadas, superficiais e tendenciosas. (Marcos 7:13) Num sentido diametralmente oposto, a organização de Jeová mostra total respeito pela Palavra de Deus por aplicar a ela somente as regras que dela procedem. – João 17:17; 1 Tessalonicenses 2:13.



Referências

[1] Veja a obra Estudo Perspicaz das Escrituras, (volume 1, p. 754) publicado pelas Testemunhas de Jeová.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org















14 comentários:

  1. CeLow²
    Curti seu blog apologista, muito bom, bem apologista tbm rs

    (Comentário extraído do orkut)

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o raciocinio usado,continue publicando artigos interessantes como esse,abraço...

    ResponderExcluir
  3. Isto não é racicionio, é falta de fé em Jesus Cristo!
    Confia em seus raciocinios mas não cinfia em Jesus como seu salvador...
    Se é para usar o raciocinio responda:
    Jeová deu autoridade a um homem que não é Deus mas é o "anjo Miguel" para tirar o pecado do mundo? Que Deus é este que divide sua glória na obra da salvação com um ser criado? Deus não divide gloria com ninguem!!! Por isso o Filho glorifica o Pai e o Pai o Filho e o Espirito Santo o Pai e o Filho, pois, a gloria está somente em Deus.
    O que a biblia nos diz é: o Pai elege, o Filho paga o preço e o Espirito Santo converte os corações e isto é obra de um só "Deus".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reconhecer e adotar a posição bíblica sobre o Senhor Jesus Cristo – de que ele é o Filho de Deus e não Deus-Filho (expressão que nem aparece na Bíblia) – não é falta de fé em Jesus. A Bíblia declara que “a fé segue à coisa ouvida”. (Ro 1017) De modo que a fé se fundamenta em conhecimento exato da Palavra de Deus. E a Bíblia como um todo apresenta Jesus, não como o Deus Todo-Poderoso, mas sim como o Filho de Deus. (Mt 16:16) Para tirar o pecado do mundo Jesus não poderia ser Deus-Homem, visto que, para prover o resgate, ele tinha de corresponder ao primeiro homem, Adão, o qual evidentemente não era Deus-Homem. (Ro 5:14, 17-19)
      Quando Jeová disse “a minha própria glória não darei a outrem” (Is 42:8), ele está se referindo, como o próprio texto se autoexplica, à glória que pertence a ele, de ser ele o Criador, o Deus Todo-Poderoso, o Altíssimo – atributos que não pertencem a mais ninguém, nem ao Filho. Mas isso não significa que Jeová não glorifique suas criaturas. (Veja Ro 8:30.) Jeová glorificou seu Filho unigênito acima de todos os demais seres criados, conforme a Bíblia declara: ‘O Deus de nossos antepassados glorificou o seu Servo, Jesus.’ – At 3:13.
      Quanto ao que a Bíblia afirma sobre o espírito santo, veja o artigo “O ‘Espírito Santo’ é uma pessoa?”, neste blog, no link http://oapologistadaverdade.blogspot.com.br/2012/07/o-espirito-santo-e-uma-pessoa_8.html

      Excluir
  4. Meu irmão,
    você é realmente um exímio pesquisador das Escritura. Continue assim, pois tenho certeza de que você já deve ter ajudado muita gente.
    A doutrina da Trindade é uma das mais desencaminhadoras e você tem desmantelado -- com a ajuda do texto sagrado -- os raciocínios por trás dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço muito pelo elogio caloroso, que me traz profunda satisfação de saber que meu trabalho está atingindo o objetivo. Grande abraço!

      Excluir
  5. Amado irmão,
    Que Jeová sempre o ilumine, pois seus comentários nos ajudam muito, principalmente quando temos pessoas próximas que nos dão investidas, contrárias ao ensino verdadeiro.
    Apreciamos muito seu trabalho.
    Muito Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimado irmão, fico muitíssimo contente com comentários como o seu. Isso serve de estímulo para eu continuar este trabalho. Conto com suas orações e a de todos os que valorizam meu esforço. (He 13:18) Grande abraço!

      Excluir
  6. Prezado irmão

    Parabéns pelo trabalho apresentado. Creio que está fazendo um belo trabalho e ajudando a divulgar verdades bíblicas a muitos a quem a Palavra chama de indoutos e comuns. Não se deixe levar pelos comentários maldosos, ofensas e ataques pessoais dos opositores (especialmente daquele "teólogo" batista empurrador de heresia bíblica). O Deus verdadeiro Jeová e seu filho amado Jesus Cristo estão contigo.

    Abraços e a paz de Deus esteja contigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço imensamente as expressões de apreço, que me servem de incentivo para continuar com esta divulgação da verdade bíblica pela internet. Grande abraço e que Jeová o continue abençoando, bem como aos demais que mostram tal apreço.

      Excluir
  7. Eu sempre leio os artigos apresentados aqui. Os que desmascaram a Trindade são os meus preferidos. Acho interessante quando os opositores comentam contra o ensino verdadeiro e você os refuta com conhecimento, lógica, e acima de tudo com os textos da Palavra de Deus. Tem me ajudado muito, fortalecido minhas convicções, e me dado vários argumentos lógicos e bíblicos para refutar este ensino pagão, e ajudar sinceros que desejam entender os ensinos da Bíblia. Muito obrigado irmão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado leitor:

      Fico muitíssimo satisfeito de saber que minha atividade no ministério cristão pela internet está sendo de real ajuda. Que Jeová continue a abençoá-lo!

      Excluir
  8. Gostei muito desse artigo "Duas regras – uma falsa e uma verdadeira". Inclusive tem dois textos que gosto de usar: Mt 15:4 e Marcos 7:10 onde a mesma fala é atribuida tanto a Deus, como a Moisés. Será que Moisés e Jeová são a mesma pessoa por causa disso? Ou Moisés se tornou parte da Trindade? Realmente, é mais lógico pensar que Jeová usou Moisés como um porta voz. Exatamente o que Jeová faz com seu Filho Jesus. Gostaria de saber de mais passagens bíblicas onde ações são atribuidas a Jeová e a outras pessoas do relato bíblico, comprovando assim que a regra trinitária é falha. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Os dois textos que você citou foram utilizados como exemplos no artigo "Malabarismo de textos bíblicos para tentar provar a Trindade", neste site. De fato, há outras passagens que comprovam a verdadeira regra bíblica. Artigos futuros deste site poderão abordar mais desses exemplos.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *