Image Map











terça-feira, 27 de setembro de 2011

Quem é o anjo de Jeová?



Fonte da ilustração: 
https://www.jw.org/es/publicaciones/revistas/ws20140215/jud%C3%ADos-cre%C3%ADan-que-el-mes%C3%ADas-estaba-a-punto-de-llegar/



     Numa tentativa de identificar Jeová com Jesus Cristo, alguns trinitaristas recorrem a duas proposições: 1) afirmam que a expressão “anjo de Jeová” (“anjo do Senhor”, Al) se refere exclusivamente a Jesus Cristo; 2) afirmam que tal “anjo” é o próprio Jeová. Vamos, portanto, examinar a validade dessas duas proposições. Neste artigo analisaremos a primeira asserção. Em que base se afirma que o “anjo de Jeová” é Jesus Cristo?

     Alguns costumam fazer referência ao incidente registrado em Juízes 13:8-22. Quando Manoá pergunta ao “anjo de Jeová” sobre o nome do anjo, este declara: “Por que é que me perguntarias assim pelo meu nome, quando ele é maravilhoso?” (Versículos 17 e 18.) Com base nisso, eles relacionam a resposta do anjo com Isaías 9:6, onde um dos títulos de Jesus Cristo inclui a palavra “Maravilhoso”. No entanto, em Juízes 13:18 a palavra “maravilhoso” não é um nome pessoal nem tampouco um título; é apenas uma descrição, significando que o nome do anjo é admirável, surpreendente, até sobrenatural. A resposta do anjo foi uma objeção à pergunta de Manoá. Tal anjo modestamente não quis revelar o seu nome, assim como se deu com o anjo com quem Jacó lutou. – Gênesis 32:29.[1]

     Por outro lado, em Isaías 9:6, a palavra “Maravilhoso” faz parte do título composto “Maravilhoso Conselheiro”, assim como os demais títulos são compostos de duas expressões, tais como “Pai Eterno” e “Príncipe da Paz”. (Veja Isaías 9:6 na IBB, cuja tradução do texto é igual a da NM.) Além disso, o uso da mesma palavra não indica, automaticamente, que as pessoas (ou coisas) referidas por tal palavra tenham a mesma identidade. Um exemplo disso se encontra em Gênesis 31:48 e 50. No primeiro desses versículos, encontramos Labão dizendo: “Este montão é hoje testemunha entre mim e ti”; ao passo que, no versículo 50, Labão disse: “Deus é testemunha entre mim e ti.” Jamais se poderia concluir disso que Deus seja algo inanimado como um “montão”!   – Veja o artigo “Duas regras – uma falsa e uma verdadeira”, neste site.

     Com efeito, a Bíblia faz alusão a Jesus na sua existência pré-humana como sendo o anjo que Jeová designou para conduzir os israelitas à Terra Prometida. Lemos em Isaías 63:9: “Seu próprio mensageiro pessoal os salvou.” Outras traduções vertem por “o anjo da sua face”, (Al) e “o Anjo da sua presença”. (ALA) Contudo, ele é mencionado como “um anjo” e chamado por Jeová de “meu anjo”. (Êxodo 23:20, 23; 32:34) A clara distinção entre tal anjo – identificado como o pré-humano Filho de Deus – e o próprio Jeová reside no fato de que Jeová disse que enviaria tal anjo mas que ele mesmo não iria no meio de Israel. Apenas com a fervorosa súplica de Moisés é que Jeová assentiu, dizendo: “Minha própria pessoa irá junto.” (Êxodo 33:14-17) Encontramos outra evidência clara dessa distinção na conversa do anjo de Jeová com o próprio Jeová. – Zacarias 1:12, 13.

     De fato, a expressão “anjo de Jeová” (“anjo do Senhor”, Al) não é usada exclusivamente para o Filho primogênito de Deus. Em 1 Crônicas 21:12, 15, 27, o “anjo de Jeová” é descrito como “um anjo” enviado por Jeová e que age segundo as ordens de Jeová. A passagem não determina a identidade desse anjo como sendo o Logos. Ele pode referir-se a qualquer um dos anjos de Deus. Ademais, lemos no Salmo 34:7: “O anjo de Jeová acampa-se ao redor dos que o temem, e ele os socorre.” A expressão “anjo de Jeová” nesse texto refere-se, naturalmente, a qualquer anjo de Deus. Por fim, temos o texto de Lucas 2:9, o qual declara que, por ocasião do nascimento de Jesus, apareceu o “anjo de Jeová” (“anjo do Senhor”, Al) aos pastores, anunciando tal nascimento. É, pois, evidente que tal expressão não se aplica apenas a Jesus Cristo. Também é evidente que o “anjo de Jeová” é distinto do próprio Jeová Deus.

Mas, por que em algumas passagens o anjo de Deus fala como se fosse o próprio Deus, e é assim aludido por humanos aos quais eles se manifestaram? O artigo “Uma regra bíblica desconsiderada pelos trinitaristas” responde a essas questões.






[1] O anjo Gabriel revelou seu nome a Zacarias para dar peso à sua declaração, devido à falta de fé Zacarias. No entanto, Gabriel não revelou seu nome a Maria. (Lucas 2:18-20, 26-38) Embora a Bíblia revele que existem “miríades de miríades” de anjos, ela revela apenas o nome de dois deles, Miguel e Gabriel. (Judas 9; Lucas 1:19; Apocalipse 5:11; Hebreus 12:22) Isto, por certo, constitui uma salvaguarda contra a “adoração dos anjos”. – Colossenses 2:18.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




6 comentários:

  1. www.verdadesbiblicas.com.br8 de março de 2012 02:07

    O anjo de Jeová muda a promessa que faz: “Enviarei um anjo diante de ti, e lançarei fora os cananeus, e os amorreus, e os heteus, e os perizeus, e os heveus, e os jebuzeus” (Ex. 33:2). A promessa é repetida em Ex. 34:11. E no livro de juizes, o anjo diz que não lançará mais as nações. E diz isso por vingança (Jz. 2:1-3). Jesus age de outra forma: Quando um servo ou discípulo peca, ele intercede junto ao Pai (I Jo. 2:1). Jesus veio a este mundo para salvar, e não para condenar (Jo. 3:16-17).

    ResponderExcluir
  2. A promessa que Jeová fez mediante seu anjo, de expulsar as nações diante dos israelitas, era condicional: seu cumprimento dependia da fidelidade de Israel, conforme mostra Juízes 2:1-3. Ademais, a situação de Israel era diferente da dos cristãos. Os primeiros pecaram como nação, coletivamente, ao passo que 1 João 2:1 fala de um cristão individual cometer um pecado. Na sua vinda como humano, Jesus depôs sua vida como sacrifício para a salvação dos que nele exercerem fé. (João 3:16, 36) No entanto, com relação à lidar com os iníquos no fim do sistema de coisas, a Bíblia diz sobre Jesus que ele trará "vingança sobre os que não conhecem a Deus e os que não obedecem às boas novas". - 2 Tes. 1:6-9.

    ResponderExcluir
  3. www.verdadesbiblicas.com.br8 de março de 2012 23:40

    O anjo de Jeová amaldiçoa: “Amaldiçoai a Meroz, diz o anjo de Jeová; acremente amaldiçoai aos seus moradores, porque não vieram em socorro de Jeová, em socorro de Jeová com os seus valorosos” (Jz. 5:23). Mas Jesus, com sua morte nos resgatou de todas as maldições (Gl. 3:13). E Paulo recomenda aos cristãos dizendo: “Abençoai aos que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis” (Rm. 12:14). Se um cristão não amaldiçoa um perdido, porque precisa de salvação, por que o anjo de Jeová amaldiçoa? Porque não ama. E tem mais: O texto diz que Jeová necessitava o socorro dos homens de Meroz, e Paulo declara que Deus não precisa as ajuda dos homens (At. 17:24-25).

    ResponderExcluir
  4. Como o artigo acima mostrou, nem toda ocorrência da expressão “anjo de Jeová” se aplica ao Logos. No entanto, os anjos de Deus, que permaneceram fiéis a ele, são perfeitos. Eles manifestam perfeitamente as qualidades divinas, inclusive o amor. – Veja Lucas 15:10.
    Jeová não precisa de ninguém. Ele é completo em si mesmo. O “auxílio” mencionado me Juízes 5:23 diz respeito a ajudar Baraque, o comandante designado por Jeová, na própria luta contra os cananeus sob Sísera. – Juí. 5:5-16.
    Com relação ao proferimento de maldições, encontramos na Bíblia o próprio Deus, que é amor, fazendo isso. (Gên. 3:14, 15; 4:11, 12) A Lei mosaica, que era “santa”, também estabelecia maldições. (Deut. 27:15-26; 28:16-19) Dentro do cristianismo, há também o uso de maldições. Paulo disse: “Quem quer que vos esteja declarando como boas novas algo além daquilo que aceitastes, seja amaldiçoado.” (Gál. 1:9) A respeito de certas pessoas iníquas, Pedro disse: “São filhos amaldiçoados.” (2 Ped. 2:14) E o próprio Senhor Jesus Cristo também amaldiçoa. Ele retratou a si mesmo dizendo: “‘Afastai-vos de mim, vós os que tendes sido amaldiçoados, para o fogo eterno, preparado para o Diabo e seus anjos.” (Mat. 25:41) Nos casos acima, a maldição é mencionada com relação a classes ou a pessoas específicas, em plena harmonia com a justiça divina. Mas, no âmbito geral, como não podemos ler corações, o conselho que os servos de Deus seguem é o de Romanos 12:14.

    ResponderExcluir
  5. Este individuo é da seita "jeová falso deus" ? Note a distinção gnóstica que tenta criar no Antigo Testamento vs Novo Testamento.

    ResponderExcluir
  6. Interessante esse assunto, entre nossas irmãs havia a dúvida entre a pergunta se "O anjo de Jeová" era Jesus. Algumas disseram que não, outras discordaram. Então agora tirei a dúvida, o anjo de Jeová não é precisamente Jesus. Mas qualquer Anjo que esteja designado a fazer a sua vontade ou realizar algo determinado por Ele. Obrigada!

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *