Image Map











segunda-feira, 3 de outubro de 2011

As Testemunhas de Jeová são a religião verdadeira?

Fonte da ilustração: 
https://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/biblia-ensina/como-adorar-a-deus-verdadeiros-adoradores/ 


O conceito de religião verdadeira tem sofrido uma mudança drástica nas últimas décadas. Há alguns anos, diversas denominações assumiam a postura de ser, cada qual, a única e exclusiva religião aprovada por Deus. Entre essas se achavam a Igreja Católica Romana, os Adventistas do Sétimo Dia, os Mórmons, e a Congregação Cristã no Brasil. Membros dessas e de outras denominações autônomas posicionavam-se atrás de barricadas de hostilidade e antipatia para com membros de outras religiões, numa expressão de religiofobia para com outros sistemas de adoração.
    
No entanto, os ventos de mudança da “cena deste mundo” passaram a soprar em outra direção. (1 Coríntios7:31) O termo “protestante” – oposicionista e antagônico – deu lugar à palavra “evangélico”, amena e conciliadora. Até mesmo as denominações adrede mencionadas adotaram uma disposição mais recatada nesse respeito. Ao invés de os membros da maioria delas se identificarem pelo nome oficial da religião, preferem o termo genérico “evangélico”. A premissa de haver uma única religião verdadeira desvaneceu-se, arrefeceu e parece ter se dissipado quase por completo, dando lugar a uma suposta tolerância e a um alegado respeito mútuo das diferenças, baseados numa desconsideração dos conceitos religiosos divergentes.

É verdade que tolerância e respeito mútuo são necessários numa sociedade religiosa pluralista. Por outro lado, seria correto deixar de lado conceitos religiosos relevantes, que têm que ver com a identidade de Deus, nossa relação com ele, e o modo em que ele quer ser adorado? O que a Bíblia tem a dizer sobre isso?

Religião verdadeira – um conceito bíblico

Em João 4:23, Jesus Cristo, o fundador do cristianismo, afirmou que “os verdadeiros adoradores adorarão o Pai com espírito e verdade”, e acrescentou: “Pois, deveras, o Pai está procurando a tais para o adorarem.” A expressão “verdadeiros adoradores” denota que existe uma adoração verdadeira, ou seja, um único modo correto de adorar a Deus. Como Jesus mostrou a seguir, tal adoração verdadeira envolve prestar adoração ao Pai. Portanto, a adoração de uma Trindade, ou de “santos”, não constitui adoração verdadeira.
     
O próximo ponto salientado – adorar “com espírito e verdade” – mostra que a verdadeira adoração tem de ser guiada pelo espírito santo e estar em harmonia com a verdade revelada na Bíblia. E a verdade não admite conceitos divergentes. O apóstolo Paulo deu a seguinte instrução a Timóteo: “Mandes a certos que não ensinem doutrina diferente.” (1 Timóteo 1:4) Assim sendo, o cristianismo fundado por Jesus não admitia ensinos conflitantes. O primitivo cristianismo constituía uma única religião unificada quanto ao conjunto de crenças. Possuía “uma só fé”, isto é, um único conjunto de doutrinas. (Efésios 4:5) Tudo isso é incompatível com a ideia de que mais de uma religião possa ser verdadeira.
     
Ter esse conceito é sumamente importante, tendo presente as palavras finais de Jesus em João 4:23: “Pois, deveras, o Pai está procurando a tais para o adorarem.” Isto indica que Deus está ativamente interessado nas pessoas que querem adorá-lo do modo que ele aprova, que querem praticar a religião verdadeira.

Religião verdadeira – exclui mudanças de crenças?

Quando Jeová estabeleceu a forma de adoração baseada no pacto da Lei mosaica, ele deixou claro como queria ser adorado. Similarmente, quando Jesus estabeleceu o cristianismo, ele deixou claro como seu Pai celestial queria ser adorado através desse novo arranjo. No entanto, muitos séculos de apostasia criaram uma pluralidade de crenças e de seitas conflitantes. Assim sendo, o retorno ao verdadeiro conjunto de crenças teria de ser contínuo e progressivo.

Falando acerca do “tempo do fim”, Daniel 12:4 declara: “O verdadeiro conhecimento se tornará abundante.” Isto significa que tal “conhecimento” não era abundante desde o início do “tempo do fim”, mas ‘se tornaria’ progressivamente abundante. Como ocorreria o aumento do conhecimento bíblico?

Daniel 12:10 responde: “Muitos se purificarão, e se embranquecerão, e serão refinados. E os iníquos certamente agirão iniquamente, e absolutamente nenhum iníquo entenderá; mas os perspicazes entenderão.” Como é explícito no texto, seria necessário uma purificação, um embranquecimento e um refinamento. Tais palavras obviamente indicam que conceitos errados, absorvidos das religiões falsas, teriam de ser eliminados, pelo progressivo estudo da Palavra de Deus.

Já no início de sua história moderna, as Testemunhas de Jeová entenderam que a Trindade, a imortalidade da alma e o inferno de fogo não são doutrinas bíblicas. Entenderam também que a Terra ocupa um lugar honroso no propósito de Deus e será transformada num paraíso. Outros ensinos errados, porém, levaram mais tempo para ser detectados. Por exemplo, a conscientização de que a celebração do Natal não é compatível com o verdadeiro cristianismo foi plenamente absorvida em 1928, e somente em 1936 elas entenderam que a cruz é pagã.

De fato, fazer mudanças de crenças, em si mesmo, não traz nem mérito nem demérito para a organização religiosa que o faz. Tudo depende da motivação e dos resultados. Podemos ilustrar isso com as mudanças ocorridas na Medicina. Por sinceros pesquisadores estarem dispostos a abandonar conceitos e práticas médicas comprovadamente anticientíficos, que estagnaram por séculos a ciência médica, o resultado tem sido o elevado conhecimento médico de que dispomos atualmente. O mesmo se dá com a ciência bíblica. 

Por sinceros estudiosos da Palavra de Deus estarem dispostos a examiná-la com mente aberta e sem ideias preconcebidas, e por humildemente estarem dispostos a corrigir conceitos errados, o resultado tem sido como foi descrito por Bertil Persson, clérigo, autor, redator e professor de religião. Ele disse: “Por detrás da fé que está sendo pregada pelas Testemunhas de Jeová, há uma espantosa ciência bíblica de alta classe e de orientação internacional.”[1]

Portanto, as Testemunhas de Jeová creem sinceramente que estão praticando a verdadeira adoração. Isso não é evidência de presunção, e sim de coerência. Pois, se não acreditassem nisso, deveriam procurar outra religião. Caso contrário, estariam sendo hipócritas no exercício de sua fé. Mas a sua firme convicção não as leva a adotar uma atitude discriminatória. Elas altruistamente desejam compartilhar seu conhecimento bíblico com todas as pessoas. Afinal, como diz João 4:23, “o Pai está procurando” pessoas sinceras, que amam a verdade, “para o adorarem”.


Referências

[1] Veja A Sentinela de 15 de outubro de 1977 (p. 632), revista publicada pelas Testemunhas de Jeová.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




8 comentários:

  1. Ledi $HIMIZU T.J. (Salmo 83:18) Gostei do seu blog.....

    (Extraído do orkut)

    ResponderExcluir
  2. Nander Viníkcius
    Legal o seu blog !

    parabens

    (extraído do orkut)

    ResponderExcluir
  3. Meu querido,não somente você,mas todas as testemunhas de Jeová falam muito sobre religião.Mal sabem vocês que a religião é uma coisa feita pelo homem,e falha que muitas das vezes descumprem a palavra de Jeová,sinceramente,vocês são como os fariseus,ou seja,religiosos e não servos(as) de Deus.E porque você se chama "O Apologista da verdade"?
    Quer dizer então que os apologistas protestantes e os demais são apologistas da mentira?Por favor explique isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus fundou a Religião Cristã e Jesus foi religioso pois ele amava o Judaísmo.

      Excluir
    2. Jesus já existia no céu antes de vir à Terra como o Filho unigênito de Jeová. (João 3:16) Nasceu na religião judaica, que era o arranjo divino para a adoração de Jeová. (João 4:22) Estabeleceu um novo arranjo para a adoração de Jeová, que ficou conhecido como cristianismo. (Atos 11:26) Jesus é o modelo para os que querem adorar a Jeová de modo correto. – Hebreus 12:2.

      Excluir
  4. Você está equivocado. As Testemunhas de Jeová já fizeram e publicaram um extensivo estudo sobre o desenvolvimento das religiões em seu livro "O Homem em Busca de Deus". As Testemunhas não podem ser acusadas de serem fariseus porque, diferentemente deles, elas praticam o que pregam. Quanto ao termo "o apologista da verdade", isso apenas indica um defensor da verdade bíblica. Não se pretende com isso excluir outros que também defendem a verdade da Bíblia. Mas, é um fato que as religiões da cristandade defendem vários conceitos antibíblicos, tais como a imortalidade da alma, o tormento eterno e a Trindade, para se mencionar apenas alguns. Evidentemente, os que defendem tais conceitos não são apologistas da verdade bíblica.

    ResponderExcluir
  5. Amigo, meu nome é Érico da Silva, "O Apologista da Verdade" como é seu nome?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Érico:

      Por enquanto é necessário que eu me mantenha no anonimato para o melhor desempenho do meu trabalho pela internet. Conto com sua compreensão neste sentido.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *