Image Map











quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A “mulher apanhada em adultério” – essa história está mesmo na Bíblia?


Cena do filme "A Paixão de Cristo", de 2004.



“Quem não tiver pecado, que atire a primeira pedra.” Você talvez já tenha ouvido muitas vezes essa famosa frase, atribuída a Jesus Cristo. Alguns a citam para justificar alguma falha pessoal ou mesmo um pecado biblicamente grave. Muitos acreditam sinceramente que a passagem em que essa frase foi feita se encontra no texto sagrado. Mas, será que se encontra mesmo na Bíblia?


Ausência da história nos manuscritos mais antigos e mais reconhecidos

A famosa frase reputada a Cristo se encontra na passagem de João 7:53 a 8:11. A nota de rodapé da Tradução do Novo Mundo explica que esses doze versículos não se encontram no Manuscrito Sinaítico e no Manuscrito Vaticano 1209 (ambos do quarto século). São omitidos pela maioria das versões antigas.[1] A passagem é conhecida como Pericope Adulterae, expressão latina para “Perícope [seção ou passagem] da Adúltera”.[2] Trata-se, evidentemente, de uma interpolação, ou acréscimo – uma passagem espúria. A evidência sobrepujante disso se encontra nas contradições apresentadas na própria passagem em relação ao texto bíblico inspirado.


Desarmonia com o restante das Escrituras

Em primeiro lugar, tal passagem apresenta Jesus como estando ‘sentado’, até mesmo ‘se abaixando’, diante dos “anciãos” de Israel que se chegaram a ele com a mulher adúltera. (João 8:2, 6, 8, 9) Tal postura de Jesus se chocaria frontalmente com a Lei de Deus dada à nação de Israel. Um dos mandamentos dessa lei prescrevia: “Deves levantar-te diante do cabelo grisalho e tens de mostrar consideração para com a pessoa dum homem idoso, e tens de ter temor de teu Deus. Eu sou Jeová.” (Levítico 19:32) Visto que Jesus veio cumprir a Lei, permitindo assim que ela o identificasse como o prometido Messias, ele não poderia violá-la.  – Mateus 5:17; Gálatas 3:19, 22-25.

Ademais, a famosa frase – ‘que aquele de vós que estiver sem pecado que atire a primeira pedra’ – também mostraria desrespeito pela Lei e promoveria o seu desacato. Afinal, era a própria Lei que exigia tal punição tanto para o adúltero como para a adúltera. (Levítico 20:10; Deuteronômio 22:22) Em todas as suas declarações, Cristo mostrou elevado respeito pela Lei divina vigente naquela época, várias vezes citando partes dela e também condenando os que não a cumpriam.  – Mateus 4:4, 7, 10; 5:19; 15:3-9; 19:17.

 Nessa mesma linha de raciocínio, a frase que João 8:10 reputa como tendo sido dita por Jesus à mulher adúltera – “não te condenou ninguém?” – vai diametralmente contra o que o próprio Jesus Cristo disse em João 5:45: “Há um que vos acusa, Moisés.” Mostrando que endossava o que Moisés escreveu – que incluía a Lei – Jesus prosseguiu: “De fato, se acreditásseis em Moisés, teríeis acreditado em mim, porque este escreveu a meu respeito. Mas, se não acreditais nos escritos desse, como acreditareis nas minhas declarações?” (João 5:46, 47) Uma vez que Jesus reconhecia que a Lei dada por Jeová mediante Moisés condenava pecados graves como o adultério – e concordava com tal Lei –, como poderia ele ter dito à adúltera: “Não te condenou ninguém?”

 Outro equívoco cometido por certos religiosos é considerar a mulher adúltera desse relato como sendo Maria Madalena. Outros afirmam que a prostituta mencionada em Lucas 7:36-50 era Maria Madalena. Daí a expressão “Madalena arrependida”. No entanto, nada disso é verdade. O que a Bíblia relata a respeito da vida passada de Maria Madalena é que dela “saíram sete demônios”, evidentemente expulsos por Jesus Cristo.  – Lucas 8:2.

Devido à flagrante clareza da falsidade da passagem de João 7:53-8:11, tanto pela evidência documental externa como pela evidência interna – diversas traduções da Bíblia a colocam entre colchetes e explicam em notas remissivas que tal relato não faz parte da inspirada Palavra de Deus. (Veja Almeida da IBB, ALA, BLH, NTLH.) A “Perícope [passagem] da Adúltera” é, na realidade, uma passagem adulterada, não condizente com as Escrituras inspiradas, acrescentada séculos depois da escrita original do Evangelho de João, possivelmente para servir de desculpa para pecados deliberados.


Notas de rodapé:

[1] Veja a obra Estudo Perspicaz das Escrituras, (publicada pelas Testemunhas de Jeová),
volume 2, pág. 576..
[2] Veja o artigo “Ausência do PA confirma a superioridade erudita da Tradução do Novo Mundo”, no blog traducaodonovomundodefendida.blogspot.com, acessando o link: 


Siglas das traduções usadas:

ALA: Almeida Revista e Atualizada.
BLH: Bíblia na Linguagem de Hoje.
IBB: Almeida da Imprensa Bíblica Brasileira.
NTLH: Nova Tradução na Linguagem de Hoje.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





17 comentários:

  1. MUITO BOM!É ÓBVIO QUE TRATA-SE DE UMA FRAUDE.

    ResponderExcluir
  2. GOSTO DO SITE.
    GOSTARIA DE SABER POR QUE ALGUNS TEXTOS BÍBLICOS SÃO OMITIDOS NA TRADUÇÃO
    DO NOVO MUNDO EX: MATEUS 18;11, 23: 14; MARCOS 7:16; 9:44, 46; 11:26;
    LUCAS 17: 36; JOÃO 5:4; ATOS 8: 37; 15:34; 24:7 e ROMANOS 16: 24.
    SE PUDEREM ME AJUDAR EU AGRADEÇO.
    QUE JEOVÁ ABENÇOE A TODOS

    ResponderExcluir

  3. Todos os textos que não se encontram na Tradução do Novo Mundo são de passagens que não estão nos manuscritos mais antigos e mais aceitos. São versículos tidos como espúrios, tendo sido acrescentados por algum copista após a escrita dos originais.

    Em alguns casos, são declarações que se encontram em outra passagem bíblica. (Compare Mateus 18:11 com Lucas 19:10; Mt 23:14 com Mr 12:40; Mr 7:16 com Mr 4:9, 23; Mr 9:44, 46 com Mr 9:48; Mr 11:26 com Mt 6:15) Sobre o motivo dessas inserções, veja o comentário da revista A Sentinela de 15 de novembro de 1978, p. 12:
    “Veja como isso pode ter acontecido. Um copista, bem familiarizado com o Evangelho de Mateus, talvez, ao copiar o Evangelho de Marcos ou Lucas, usasse a fraseologia de Mateus que tão bem conhecia. Ou ele pode ter observado que uma sentença usada por Mateus não constava nas narrativas paralelas de Marcos ou de Lucas. De modo que talvez acrescentasse a sentença na margem. Um copista posterior, porém, talvez incluísse a sentença no texto principal de Marcos ou de Lucas, achando que deve ter estado originalmente ali, visto que apresentava maior concordância entre as narrativas. Por exemplo, no relato de Lucas, sobre a Oração-modelo, alguns manuscritos acrescentam: ‘Seja feita a tua vontade, como no céu, assim também na terra.’ Contudo, o peso da evidência sugere que esta é uma intercalação tirada do relato de Mateus, omitida em Lucas 11:2 nas traduções modernas da Bíblia. (Mat. 6:10) Conforme pode ver, tais harmonizações feitas por amanuenses de motivação sincera tenderam a aumentar a matéria.”
    Já em outros casos, parece ter havido um esforço para acrescentar uma doutrina. Por exemplo, a do jejum. (Marcos 9:29; Mateus 17:21 (17:20, Figueiredo); Atos 10:30, onde se faz que Cornélio diga que jejuou; e em 1 Coríntios 7:5, onde Paulo supostamente o recomenda aos casais (Compare as versões Almeida, revista e corrigida Figueiredo e Trinitária com a versão Almeida Revisão Autorizada; a versão do Centro Bíblico Católico e a da Editora Herder.) Veja a revista A Sentinela de 1.º de março de 1972, p. 153.
    Também, houve tentativa de inserir o ensino da Trindade no texto de 1 João 5:7, 8. (Veja Almeida Corrigida; compare com Almeida Atualizada, que coloca a parte espúria entre colchetes, e com a Almeida da Imprensa Bíblica Brasileira, que já omite a parte que havia sido acrescentada.)
    Sobre esta passagem espúria, diz a católica Bíblia de Jerusalém, (N.T.):
    “O texto dos vv. 7-8 [no céu: o Pai, o Verbo e o Espírito Santo, e esses três são um só; e há três que testemunham sobre a terra] está . . . ausente nos antigos mss. gregos, nas antigas versões e nos melhores mss. da Vulg., e que parece ser uma glosa marginal introduzida posteriormente no texto.”

    Mais informações: A Sentinela de 15 de novembro de 1978, pp. 11-14, sob o tema: Como sumiram estes versículos?

    Essa é uma das provas de que a Tradução do Novo Mundo, publicada pelas Testemunhas de Jeová, é uma tradução honesta e confiável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MAIS CADE O HOMEM QUE PRATICOU ADULTÉRIO COM ELA SE ELA FOI PEGA NO FRAGANTE .. NESTE CASO O HOMEM NÃO PECOU SAIU ILESO?

      Excluir
    2. Realmente, esse é mais um argumento que mostra que essa passagem é espúria.

      Excluir
  4. NAO ENTENDI, NAO VEIO JESUS ENSINAR QUE A MISERICORDIA TRIUNFA SOBRE O JULGAMENTO. CONFORME TIAGO 2:13. E SENDO ELE O MESSIAS E O PROMOGENITO DE TODA A CRIAÇAO, FILHO DO DEUS ALTISSIMO JEOVÁ. EM QUE ESTARIA DESREIPEITANDO OS MAIS VELHOS ALI NAQUELA OCASIAO. E O PROPRIO JESUS NAO VEIO INSTITUIR UM NOVO PACTO DA LEI?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto a Lei mosaica vigorasse, Jesus deveria cumpri-la. Como diz Gálatas 4:4: "Mas, quando chegou o pleno limite do tempo, Deus enviou o seu Filho, que veio a proceder duma mulher e que veio a estar DEBAIXO DE LEI."

      Excluir
  5. A mulher não poderia ser condenada porque quem comete adultério não comete o mesmo sozinha. Os anciãos deveriam levar o homem com o qual ela estava adulterando. Mas não o fizeram. Jesus veio dar um sentido pleno a lei dos 10 mandamentos. E Ele deixa isso claro quando nos manda amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo e afirma que dessas duas dependem toda a lei e os profetas. Quem ama a Deus não tem outros deuses, não chama seu nome em vão e adora somente a ele. Quem ama o próximo honra seu pai e mãe, não rouba, não mata, não dá falso testemunho, não deseja o que pertence ao outro. Essa lei é eterna como Deus é eterno. A bíblia diz que Deus não muda como sua palavra não muda. Quanto a Jesus quebrar leis tradições, isso foi o que mais Ele fez, não como um rebelde, mas com um mestre que resgata o verdadeiro sentido e tira os excessos colocados pelos homens. Ele curou e permitiu que seus discípulos tirarem espigas de milho para comer no sábado. Ele se permitiu tocar por pessoas consideradas impuras segundo a lei. Ele entrou em casa de proscritos e se permitiu ser seguido por mulheres, algo indigno para qualquer homem santo da época.
    Poderia falar mais, infelizmente estou escrevendo um texto nesse preciso momento. Mas uma coisa me chamou a atenção, o fato d autor do texto defender a versão dos testemunhas de Jeová como confiável sem mencionar outra. Fiquei com a curiosidade de saber se, para o autor, essa seria a única tradução confiável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cristina.
      O artigo acima citou diversas traduções que indicam que o texto de João 7:53 a 8:11 é espúrio.
      Além da Tradução do Novo Mundo, publicada pelas Testemunhas de Jeová, há outras traduções que se esforçam a reproduzir de modo honesto e exato o conteúdo da Palavra de Deus. O que eu defendo é que a TNM, em sua totalidade, demonstra ser mais exata do que as demais traduções.
      Veja os artigos, neste blog, sob o tema “As traduções da cristandade”. O link do primeiro artigo dessa série é este: http://oapologistadaverdade.blogspot.com.br/2011/10/as-traducoes-da-cristandade-parte-1-e.html

      Excluir
  6. As palavras que supostamente seriam de Jesus: "Quem nunca pecou que atire a primeira pedra"... São uma flagrante contradição com a bíblia.
    RACIOCINEMOS MAIS UM POUCO: Se essas palavras fossem realmente de Cristo, elas implicariam que desde o começo nenhum humano poderia ter executado essa lei, pois os humanos sempre tiveram pecados, logo em nenhuma época poderiam ter executado essa lei dada por Deus. O que isso significa? Significaria que Deus deu uma lei que não podia ser cumprida pelo seu povo. Como? Será que deus cometeu uma gafe, ao estipular uma punição que não poderia ser aplicada? Não a resposta pra isso, a não ser um famoso achismo humano.

    ResponderExcluir
  7. "O homem não foi apanhado em adultério", só a coitada da mulher. Eis aí mais uma prova de que o texto é espúrio.

    ResponderExcluir
  8. Irmão, apologista da verdade, só queria lhe sugerir que quando for abreviar as traduções da bíblia usadas por ti, (como ALA, OU Al, que estão desatualizados) sejam atualizados, visto que seu blog é bastante conhecido e respeitado...ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA é conhecida nacionalmente como: ARC e não Al como está no raciocinios, e REVISTA E ATUALIZADA é ARA e não ALA, NOVA VERSÃO INTERNACIONAL é NVI e assim por diante, para facilitar para os evangélicos que vem até o seu blog...vlw...
    obs.:não precisa publicar...é só uma sugestão. grande abraço do seu mano, seu blog é show!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Lucas:

      Agradeço muito sua sugestão e acho apropriada. As siglas que tenho usado são as usadas nas publicações das Testemunhas de Jeová. Não estão desatualizadas; apenas são diferentes das usadas pelos da cristandade em geral. Nos artigos que usei essas siglas, tomei a providência de explicar no final o significado delas.

      Obrigado pelo elogio Também o elogio pela iniciativa de criar um canal para defender a verdade bíblica, que você nomeou Estudo da Verdadeira Teologia (http://estudodaverdadeirateologia.blogspot.com.br/)

      Também gostaria de lhe dar um sugestão: Ao citar (parcial ou integralmente) os artigos de outros, inclusive das publicações das Testemunhas de Jeová, é apropriado citar a fonte. - LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998, art. 46, inciso I, alínea "a", e inciso III.

      Mais uma vez, parabéns pelo seu trabalho!

      Excluir
  9. marcos cap 8 vs1a4 diz que jesus tocou um leproso pela lei ele estaria impuro jesus nao descumpriu a lei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A passagem de Mateus capítulo 8 não pode ser usada como argumento de que Jesus tenha violado a Lei de Deus. A ordem da Lei mosaica de se evitar tocar em um leproso se aplicava a pessoas comuns; não se aplicava a Jesus, que, em vez de ser contaminado, tinha o poder de remover a impureza.

      Excluir
  10. Se Jesus disse: "Quem nunca pecou que atire a primeira pedra"
    Ele que teria que atirar, porque ele nunca pecou.
    Percebo que algum se ressentem de ouvir que essa passagem não é Divinamente inspirada por acharem muito bonitinha e até mesmo para alívio pessoal, mas existem muitas outras passagem em toda a Bíblia e do Próprio ministério de Jesus que ensinam de modo correto sobre o amor e perdão de Jeová.

    ResponderExcluir
  11. Excelente explicação,agradeço pela matéria.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *