Image Map











quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Os “Dez Mandamentos” com seu sábado semanal devem ser guardados pelos cristãos? – Parte 1

Fonte da ilustração:
https://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/vida-feliz/por-que-deus-deu-tora/



Ainda subsistem grupos religiosos da cristandade que advogam a guarda dos chamados “Dez Mandamentos”, os quais incluem o sábado semanal. Eles arguem que esse conjunto de leis – também chamado de Decálogo – existe desde a criação do homem. E para tentar consolidar a continuidade dos mesmos dentro do cristianismo, estabeleceram uma série de fórmulas, ou conceitos, separando a Lei dada a Israel em “lei moral” (segundo eles, o Decálogo) e “lei cerimonial” (as demais leis dadas, segundo eles, por Moisés). Veja abaixo alguns aspectos dessa fórmula:

Decálogo
As demais leis
Mandamentos
Ordenanças
Lei moral
Lei cerimonial
Lei de Deus
Lei de Moisés
Perpétuo
Tiveram fim
Escrito pelo “dedo de Deus”
Escritas por Moisés
Escrito em pedras
Escritas num livro
Colocado na arca do pacto
Colocadas fora da Arca
   
Diante disso, pessoas sinceras, tementes a Deus, mas que desconhecem as Escrituras, se perguntam: “Preciso mesmo guardar os ‘Dez Mandamentos’? É um requisito divino para os cristãos?” Assim, em benefício de tais pessoas, bem como de todos os estudantes das Escrituras, esta série de artigos apresenta um estudo que analisa o que a Palavra de Deus realmente diz sobre o assunto em pauta. Ao mesmo tempo, analisará os principais argumentos dos proponentes da guarda do Decálogo com seu sábado semanal à luz das Escrituras. 

 Os defensores da obrigatoriedade do Decálogo para os cristãos costumam associar quase toda menção de “mandamentos” na Bíblia ao Decálogo. Assim, quando leem expressões tais como “os mandamentos de Deus” (Apocalipse 14:12), eles propõem que a referência é ao Decálogo. No entanto, a Bíblia usa a palavra “mandamentos” apenas para as leis do Decálogo?

A expressão “Dez Mandamentos” não ocorre na língua original do “Velho Testamento”

Para muitos, isso é uma grande surpresa, uma vez que ficaram acostumados com essa expressão, que foi, inclusive, popularizada em filmes. A expressão que ocorre no texto hebraico é ‛asé·reth had·deva·rím, que significa literalmente “Dez Palavras”. (Êxodo 34:28, NM) A Septuaginta grega (LXX), nessa passagem, verte por “δεκα λογους” (dé·ka ló·gous), expressão que significa “dez palavras”, combinação que originou a palavra “Decálogo” (Dez Palavras). Essa expressão ocorre apenas no Pentateuco (os cinco primeiros livros da Bíblia). Na exposição do Decálogo, em Êxodo, capítulo 20, e na repetição do mesmo, em Deuteronômio, capitulo 5, ele é chamado apenas de “Palavras” (LXX). (Êxodo 20:1, τοúς λογους, toús logous, LXX; Deuteronômio 5:22, τα ρηματα, tá rémata, LXX) A palavra hebraica para “mandamento” é mits·wáh, e ela não ocorre em nenhuma combinação que forme a expressão “dez mandamentos”. O entendimento desse fato derruba o sofisma colocado por alguns, de que a palavra “mandamento” ou “mandamentos” se refere sempre ao Decálogo, o que não é verdade.[1]

Uso da palavra “mandamentos” na Bíblia

      Leis das ofertas eram mandamentos:

Números 15:17-22IBB: “Disse mais o Senhor a Moisés: Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Depois de terdes entrado na terra em que vos hei de introduzir, será que, ao comerdes do pão da terra, oferecereis ao Senhor uma OFERTA alçada. Das primícias da vossa massa oferecereis um bolo em oferta alçada; como a oferta alçada da eira, assim o oferecereis. Das primícias das vossas massas dareis ao Senhor OFERTA alçada durante as vossas gerações. Igualmente, quando vierdes a errar, e não observardes TODOS ESSES MANDAMENTOS, que o Senhor tem falado a Moisés.”

Leis da herança eram mandamentos:

Números 36:7, 9, 13Al: “Assim, HERANÇA dos filhos de Israel não passará de tribo em tribo; pois os filhos de Israel se chegarão cada um à herança da tribo de seus pais. Assim, a herança não passará de uma tribo a outra; pois as tribos dos filhos de Israel se chegarão cada uma à sua herança. Estes são os MANDAMENTOS e os juízos que mandou o SENHOR pela mão de Moisés aos filhos de Israel nas campinas dos moabitas, junto ao Jordão, de Jericó.”

Lei do divórcio era mandamento:

Marcos 10:1-5ACRF: “E, levantando-se dali, [Jesus] foi para os termos da Judeia, além do Jordão, e a multidão se reuniu em torno dele; e tornou a ensiná-los, como tinha por costume. E, aproximando-se dele os fariseus, perguntaram-lhe, tentando-o: É lícito ao homem repudiar sua mulher? Mas ele, respondendo, disse-lhes: Que vos mandou Moisés? E eles disseram: Moisés permitiu escrever carta de DIVÓRCIO e repudiar. E Jesus, respondendo, disse-lhes: Pela dureza dos vossos corações vos deixou ele escrito esse MANDAMENTO.”

A lei do voto e a lei do dízimo eram mandamentos:

Levítico 27:2, 14, 26, 30, 34NVI: "Diga o seguinte aos israelitas: Se alguém fizer um VOTO especial, dedicando pessoas ao Senhor, faça-o conforme o devido valor. Se um homem consagrar a sua casa ao Senhor, o sacerdote avaliará a casa por suas qualidades. A avaliação do sacerdote determinará o valor da casa. Ninguém poderá consagrar a primeira cria de um animal, pois já pertence ao Senhor; seja cria de vaca, seja de cabra, seja de ovelha, pertence ao Senhor. Todos os DÍZIMOS da terra, seja dos cereais, seja das frutas das árvores, pertencem ao Senhor; são consagrados ao Senhor. São esses os MANDAMENTOS que o Senhor ordenou a Moisés no monte Sinai para os israelitas.”

Deuteronômio 26:12, 13ALA: “Quando acabares de separar todos os DÍZIMOS da tua messe no ano terceiro, que é o dos dízimos, então, os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas cidades e se fartem. Dirás perante o SENHOR, teu Deus: Tirei de minha casa o que é consagrado e dei também ao levita, e ao estrangeiro, e ao órfão, e à viúva, segundo todos os teus MANDAMENTOS que me tens ordenado; nada transgredi dos teus mandamentos, nem deles me esqueci.”

Outros mandamentos da chamada “Lei cerimonial”:

Marcos 10:19IBB: “Sabes os MANDAMENTOS: Não matarás; não adulterarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; A NINGUÉM DEFRAUDARÁS; honra a teu pai e a tua mãe.”

A lei contra defraudar encontra-se em Levítico 19:13, mas também foi chamada de ‘mandamento’ por Jesus Cristo e colocada junto com outros mandamentos do Decálogo. Isso mostra também que Jesus considerava o Decálogo e os demais mandamentos da Lei dada a Israel como sendo um único conjunto de leis, que findaram como um todo, conforme será mostrado nesta série de artigos.

Esdras 9:10-14Al: “Agora, ó nosso Deus, que diremos depois disto? Pois deixamos os teus MANDAMENTOS, que ordenaste por intermédio dos teus servos, os profetas, dizendo: A terra em que entrais para a possuir é terra imunda pela imundícia dos seus povos, pelas abominações com que, na sua corrupção, a encheram de uma extremidade à outra. Por isso, não dareis as vossas filhas a seus filhos, e suas filhas não tomareis para os vossos filhos, e jamais procurareis a paz e o bem desses povos; para que sejais fortes, e comais o melhor da terra, e a deixeis por herança a vossos filhos, para sempre. Depois de tudo o que nos tem sucedido por causa das nossas más obras e da nossa grande culpa, e vendo ainda que tu, ó nosso Deus, nos tens castigado menos do que merecem as nossas iniquidades e ainda nos deste este restante que escapou,tornaremos a violar os teus MANDAMENTOS e a aparentar-nos com os povos destas abominações? Não te indignarias tu, assim, contra nós, até de todo nos consumires, até não haver restante nem alguém que escapasse?” Portanto, casar-se com pagãos e buscar ter tratos com eles foram classificados como “mandamentos” de Deus.

Normas cristãs também são chamadas de “mandamentos”

Tito 1:3ACRF: “Mas, a seu tempo, manifestou a sua palavra pela PREGAÇÃO que me foi confiada segundo o MANDAMENTO de Deus, nosso Salvador.”

Assim, a pregação das boas novas constitui um mandamento de Deus, dado por meio de Jesus Cristo. (Mateus 28:19, 20) Observe outros mandamentos cristãos:

 1 João 3:23: “Deveras, este é o seu MANDAMENTOque tenhamos fé no nome do seu Filho Jesus Cristo e que estejamos amando uns aos outros, assim como ele nos deu mandamento.”

 1 João 4:21: “E temos dele este MANDAMENTOque aquele que ama a Deus esteja também amando o seu irmão.”

 1 Coríntios 14:37, IBB: Se alguém se considera profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor.” 

 Na carta de 1 Coríntios, Paulo escreveu sobre manter a união de crenças (1:10), sobre excomungar pecadores impenitentes (5:9-13), sobre casar-se apenas com cristãos fiéis (7:39), contra a fornicação e a idolatria (6:18; 10:14), sobre o respeito ao arranjo da chefia no cristianismo (11:5, 6, 10, 16), e sobre a necessidade de organização nas reuniões cristãs. (14:26, 27, 33, 34) Portanto, ele chamou todas essas diretrizes cristãs de “mandamentos do Senhor”.

Mandamentos também são ordenanças

Marcos 7:7ACRF: “Em vão, porém, me honram, Ensinando doutrinas que são MANDAMENTOS de homens.” 

Mateus 15:9ACRF: “Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são PRECEITOS dos homens.” 

Pela comparação das passagens acima, torna-se claro que “mandamentos” também são “preceitos”. E o que são preceitos?

Colossenses 2:20-22ACRF: “Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ORDENANÇAS, como se vivêsseis no mundo, tais como: Não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens.”

Note que as “ordenanças” foram comparadas a “preceitos”, os quais são também “mandamentos”. Assim, ordenanças e mandamentos são a mesma coisa. De modo que essa fórmula de diferenciação entre “mandamentos” e “ordenanças”, bem como a suposição de que “mandamentos” se referem sempre ao Decálogo, não subsistem a um escrutínio bíblico. Esses conceitos não têm base bíblica.

O próximo artigo dará continuidade ao exame dos conceitos que separam a Lei dada a Israel em duas partes.


Traduções usadas neste artigo:
Al: Versão de João Ferreira de Almeida, Revista e Corrigida.
ACRF: Almeida Corrigida e Revisada Fiel.
ALA: Almeida Atualizada no Brasil.
IBB: Almeida da Imprensa Bíblica do Brasil.
NVI: Nova Versão Internacional.


Nota:
[1] Não seria errado as traduções usarem a expressão “Dez Mandamentos”, visto que essa expressão ficou popularizada e identifica o Decálogo. Apenas a expressão não poderia ser usada doutrinalmente para identificar cada uso de “mandamento(s)” como sendo do Decálogo.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





25 comentários:

  1. otimo muito.otimo parabens nao ha.como determinar a palavra mandamento sempre com relacao as dez palavras.

    ResponderExcluir
  2. " Os defensores da obrigatoriedade do Decálogo para os cristãos costumam associar quase toda menção de “mandamentos” na Bíblia ao Decálogo. Assim, quando leem expressões tais como “os mandamentos de Deus” (Re 14:12), eles propõem que a referência é ao Decálogo. "

    Este é o ponto!!! Muito bem sacado, já tinha notado isso

    ResponderExcluir
  3. Lembrar alguns pontos para o Apologista levar em conta nessa série de matérias:

    1- Argumentações que alguns fazem a favor da Lei, não só dos Dez ou do Sábado mas de vários outros itens dela, com poucas excessões. Inclui o que Jesus disse sobre que não veio destruir a Lei mas cumpri-la e que quando se diz que Jesus é o fim da Lei, a palavra fim aqui quer dizer outra coisa, finalidade, objetivo, etc.
    2- Elementos antigos ainda populares entre professores seguidores de Jesus, Dízimos, Sacerdotes, Altares, Arcas da Aliança!!! As leis alimentares, como não comer porco, certos tipos de peixe, etc. Existe quem ainda comemore FESTAS JUDAICAS! Também roupas, tem quem faça questão de orar e cantar em hebraico...
    3- Argumentos que alguns usam a favor de guardar um dia semanal, seja o primeiro ou o sétimo, que incluem o dia que Jesus reviveu, o dia que Deus descansou na Criação, o dia que os adoradores de Deus se reuniam no Novo Testamento.
    4- Contra-argumentos aos textos que falam da não obrigatoriedade do Sábado. Dizendo que falam dos Sábados Cerimoniais e não do sétimo dia.

    ResponderExcluir
  4. Marcos 7:10 fala de um dos dez mandamentos, o qual alguns dizem que diferentemente da lei moram fora dado por deus, como se moises fosse o autor. Ou seja, nao existe diferenca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O texto de Marcos 7:10, bem como o texto paralelo de Mateus 15:4, serão considerados nesta série de artigos sobre os "Dez Mandamentos".

      Excluir
  5. Eu acredito que a Igreja Adventista do sétimo dia seja uma das que menos causa tropeço e vitupera a Cristo na questão comportamento. Muitos adventistas são pesquisadores e leitores exemplares da Bíblia ao passo que evitam a emoção barulhenta que caracteriza a maioria dos movimentos pentecostais, entre outros. Mas escorregam feio no tomate quando defendem a guarda do sétimo dia, algo ausente nas cartas de Paulo e nas declarações dos Evangelhos. Mateus 24:14 diz "E este evangelho do Reino será pregado em toda a terra habitada" contudo, na mente deles o texto deve rezar: "E este evangelho do sábado será pregado em toda a terra habitada" Que vergonha! Estão estacionados na Lei de Moisés e parados no tempo, congelados na era pré Cristã dominada pelos líderes do judaismo. Apaixonados pela observância do sétimo dia sem base sólida na Nova Aliança estabelecida por Cristo e revelada no chamado "Novo Testamento"! Os adventistas dão uma lição de pesquisa mais coerente em alguns aspectos em comparação com a pobreza que é escolas teológicas de movimentos recentes como por exemplo, os Universalistas e outros néo pentecostais, no entanto, se tornam infantis em suas pesquisas sobre o sábado. Parece seleção em copa do mundo, que passam por vários times e quando chega mais ou menos perto, tomam uma goleada feia. Lamentável. Eu lamento muito pela teimosia dos líderes adventistas que rejeitam claramente, entre muitos textos, o cap 7 de Romanos. é tão simples...leia este capítulo e pergunte-se:

    O que é que Paulo cita, como parte daquilo de que "fomos libertos" logo após dizer que fomos "libertos da Lei"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de saber se posso mandar um email pra vc, justamente sobre esse tema, pode me ajudar? abraço.

      Excluir
    2. Sim, Bruno.

      Estou à disposição.

      Abraços.

      Excluir
  6. prezado irmão apologista,gosto muito desse assunto,depois vou te apresentar alguns textos que os defensores do sábado gostam de usar para apoiar a gurda do sábado para fazermos deles um assunto para analises.Um grande abraço e fique com Jeová.

    ResponderExcluir
  7. É "Oráculo" mais além disso os adventistas também comete algo ainda mais grave que é defender a doutrina da trindade,quando os primeiros adventistas chamados de "pioneiros" a repudiavam como "falsa doutrina".São teimosos porque persistem em defender algo que já tá mais que provado que não existe nenhum apoio bíblico apenas textos mal aplicados ou fora de seu contexto.

    ResponderExcluir
  8. Conforme eu prometi estou trazendo aos poucoa alguns textos usados pelos defensores da guarda do sábado:
    1Cor. 15:56 ...Mas o poder para o pecado é a lei.
    Rom. 7: 12..A lei é santa e o mandamento é santo,e justo e bom.
    ! Tim 1:8.. A lei é excelente..
    Esses são aluns textos usados para sustentar a continuidade da Lei ou dez mandamentos.Depois apresento outros.Givanilson Rocha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O texto de 1Cor. 15:56 vai justamente CONTRA a continuidade da guarda da lei do sábado. Pois, uma vez que “o poder para o pecado é a lei”, isso significa que, enquanto a lei existisse, o pecado teria poder. Por isso que Paulo explicou: “Pois o pecado não deve dominar sobre vós, visto que não estais debaixo de lei, mas debaixo de benignidade imerecida.” – Ro 6:14.

      Quanto a Ro 7: 12 e a 1Ti 1:8, esses textos apenas expressam a verdade encontrada em Tg 1:17: “Toda boa dádiva e todo presente perfeito vem de cima, pois desce do Pai das luzes celestiais.” Assim como a Lei era excelente, o mesmo se podia dizer da circuncisão, que foi ordenada por Jeová antes da Lei e que foi depois incorporada na Lei. (Gn 17:9-14) No entanto, a lei da circuncisão deixou de vigorar, assim como a inteira Lei dada por Deus mediante Moisés. – Gál. 5:2, 3.

      Excluir
  9. Prezados leitores e leitoras deste blog: Como já mencionei em minha última postagem, prefiro que alguns assuntos que contenham a citação de links contrários à fé cristã e de pessoas opositoras sejam tratados por e-mail, e não expostos como comentários neste blog. Assim, quando tiverem temas dessa natureza, escrevam para meu e-mail. Obrigado.

    ResponderExcluir
  10. Vou apresentar agora mais uma linha de raciocínio apresentada pelos defensores da continuidade da guarda do sábado semanal.Vamos lá apologista,mas trabalho para você.( Mas que trabalho bom!)
    Muitos argumentam que o livro de Atos prova que Paulo guardava o sábado e para isso recorrem a vários versículos que segundo eles é uma prova clara.
    Ex: Atos 13:14: “ E eles ...entrando na sinagoga,num dia de sábado,assentaram-se “.
    Quando argumentamos que Paulo pregou no sábado por que pregava aos Judeus na sinagoga eles então eles recorrem a outros textos que mostra que Paulo pregou tanto a Judeus como a gentios.Por exemplo: Atos 13:16: “ E Paulo ..disse: varões Israelitas e os que temei a Deus,ouvi”.Segundo eles esta expressão mostra que Judeus e gentios estavam congregado ali,daí para reforçar sssua argumentação eles citam Atos 13:42: “ E saindo os Judeus da sinagoga,os gentios rogaram que no sábado seguinte lhes fossem ditas as mesmas coisas.”
    Segundo eles Atos 14:1,21,23 prova que Paulo também pregou a congregação no sábado.outros textos são Atos 16:13,Paulo pregava ao ar livre no sábado.
    Atos 18:3-4: “ E,como era do mesmo oficio ,ficou com eles,e trabalhava ;pois tinham por oficio fazer tendas..”Agora note a argumentação: Paulo,em corinto,associou-se a um casal de missionários À quila e Priscila,que eram construtores de tenda.Como precisavam do sustento normal,durante a semana os três trabalhavam,mas ...no sábado estavam todos na igreja.Outros textos são: Atos 8:11 segundo eles Paulo pregou por 78 sábados. 1 Cor 1:2 " A igreja de Deus,que está em corinto.."Paulo pregou a igreja no sábado... e por ai vai.

    ResponderExcluir
  11. Eles deixam de - ou não querem - reconhecer que as sinagogas também eram frequentadas por gentios circuncisos, prosélitos do judaísmo. Quanto a At 14:1, 21-23, nada diz sobre guarda do sábado. De fato, nenhum dos textos citados fala de Paulo, então um cristão, guardar o sábado. Mas a série sobre o Decálogo irá abordar também esse ponto. Obrigado pela contribuição.

    ResponderExcluir
  12. -Não é dito que os 10 mandamentos são TODOS os mandamentos de Deus, mas que eles FAZEM PARTE dos “mandamentos de Deus”.

    -Com a vinda do Messias, nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo, todos os mandamentos que Deus ordenou que faziam parte do cerimonialismo que APONTAVA A VINDA do Messias, foram “abolidos” para nós, porque o Messias já tinha vindo! Oras! Eram transitórios, durariam até a vinda do Messias, eram prejudiciais e imperfeitos.

    -Os 10 mandamentos eram “perfeitos”, “eternos”, “santos” por isso foram escritos em pedra: e é isso que a pedra simboliza: eternidade, perfeição. “Deus é nossa rocha”. Mandamentos na pedra simbolizam os mandamentos da Pedra, da Rocha, Deus.

    -Mas quando Jesus afirmava que NADA seria tirado da Lei e dos Profetas, isso inclui que o cerimonialismo TAMBÉM não havia sido abolido, porque afinal, ele está na Lei. Mas quando lemos Hebreus, percebemos que Jesus torna-se o Sumo Sacerdote, e ele passa a MINISTRAR O SANTUÁRIO CELESTIAL (Hebreus 8:1,2).

    -Ora, de Jesus Cristo passa a ministrar o Santuário Celestial, significa que o Santuário NÃO FOI ABOLIDO, mas recebeu um “upgrade”. Todo o cerimonialismo é feito por Jesus, de maneira perfeita porque o santuário terrestre era só um símbolo. Então NADA da Lei foi abolido, porque até mesmo o cerimonialismo é feito HOJE EM DIA, por Jesus, e por isso nós não precisamos mais ministrar esses coisas cerimônias. Não foi ABOLIDO, mas TRANSFERIDO a Jesus, e é por isso que não precisamos mais fazer.

    -O sábado do sétimo dia não é sombra da vinda do Messias, como diz Colossenses “sombra das coisas futuras” mas é sombra de um evento PASSADO a criação. Então você não pode utilizar esse argumento para refutar o sábado.

    -Se os mandamentos escritos na Pedra, são “eternos” e “perfeitos”, como algo perfeito pode mudar, se já é perfeito¿

    -Então, se foram abolidos, podemos adorar outros deuses, podemos fazer imagem de escultura, podemos roubar, matar, desonrar pai e mãe.

    Os Dez Mandamentos são os mandamentos da Arca, na qual as pessoas que transgrediam e precisavam a lei cerimonial para se reconciliar com Deus. Apocalipse diz que seremos julgados e mostra uma ARCA DA ALIANÇA NO CÉU. O que tinha na arca da aliança? Vai me dizer que a lei que mostra o pecado mudou?

    É óbvio que os 10 mandamentos permanecem como regra de prática de uma vida de santificação, porque Jesus disse que “TODA a Lei é baseada no amor”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você afirmou: “Não é dito que os 10 mandamentos são TODOS os mandamentos de Deus, mas que eles FAZEM PARTE dos ‘mandamentos de Deus’.”
      Realmente, isso é um fato. Não negamos isso. Veja o artigo Os “Dez Mandamentos” com seu sábado semanal devem ser guardados pelos cristãos? – Parte 1.

      Porém, você se contradiz quando diz que “nem mesmo essa lei [a “cerimonial”] foi abolida e depois afirma: “Todos os mandamentos que Deus ordenou que faziam parte do cerimonialismo que APONTAVA A VINDA do Messias, foram “abolidos” para nós. … Eram transitórios, durariam até a vinda do Messias, eram prejudiciais e imperfeitos.”
      Como Deus poderia dar mandamentos “prejudiciais e imperfeitos”, visto que de Deus somente vem ‘boas dádivas’ e ‘presentes perfeitos’?! (Tiago 1:17) Seus conceitos antibíblicos acabam sendo uma afronta a Deus, embora talvez você não esteja percebendo isso.

      Você afirmou: “Os 10 mandamentos eram ‘perfeitos’, ‘eternos’, ‘santos’ por isso foram escritos em pedra: e é isso que a pedra simboliza: eternidade, perfeição.”
      Em primeiro lugar, nenhum texto bíblico afirma que os Dez Mandamentos sejam eternos. Pelo contrário, a Bíblia mostra que a Lei como um todo foi abolida. – Ro 7:4; 10:4; 2Co 3:3-16

      Ademais, como demonstrado no artigo Os “Dez Mandamentos” com seu sábado semanal devem ser guardados pelos cristãos? – Parte 3, as pedras NÃO SÃO símbolo de eternidade.

      O artigo declara sobre isso:

      Isaías 60:17: “Em lugar de cobre trarei ouro, e em lugar de ferro trarei prata, e em lugar de madeira, cobre, e em lugar de pedras, ferro; e eu vou designar a paz como teus superintendentes e a justiça como teus feitores.”

      O texto acima profetiza a melhora organizacional dentro do povo de Deus. Se pedras fossem um símbolo de eternidade, ficaria incoerente serem substituídas por ferro, sendo consideradas inferiores a esse material. O máximo que podemos inferir das Escrituras é que “pedras” simbolizam apropriadamente dureza e durabilidade, como diz Ezequiel 3:9a: “Igual ao diamante, mais dura do que a pederneira [pedra muito dura] fiz a tua testa.” Mas isso não é evidência de eternidade. O exemplo abaixo é definitivo em mostrar isso:

      Em Daniel 2:34, 44 e 45, o Reino messiânico nas mãos de Cristo foi comparado a uma “pedra” que destrói todos os governos humanos. No entanto, essa figurativa “pedra” não é eterna. A Bíblia diz: “A seguir, o fim, quando ele [Cristo] entregar o reino ao seu Deus e Pai, tendo reduzido a nada todo governo, e toda autoridade e poder. Pois ele [Cristo] tem de reinar até que Deus lhe tenha posto todos os inimigos debaixo dos seus pés. Como último inimigo, a morte há de ser reduzida a nada. Pois Deus ‘lhe sujeitou todas as coisas debaixo dos pés’. Mas, quando diz que ‘todas as coisas foram sujeitas’, é evidente que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas. Mas, quando todas as coisas lhe tiverem sido sujeitas, então o próprio Filho também se sujeitará Àquele que lhe sujeitou todas as coisas, para que Deus seja todas as coisas para com todos.” (1Co 15:24-28) Portanto, assim que cumprir seu objetivo, o Reino messiânico será ‘entregue’ (devolvido) a Jeová Deus, o produtor desse Reino. Não haverá mais necessidade desse governo subsidiário entre Jeová Deus e a humanidade.

      Excluir
    2. Você afirmou: “Jesus afirmava que NADA seria tirado da Lei e dos Profetas …”
      Novamente, você desconsiderou o contexto – a continuação das palavras de Cristo: “sem que tudo se cumprisse.” (Mt 5:18) Ou seja uma vez que a Lei e os Profetas fossem cumpridos, eles seriam tirados do caminho, ficando apenas arquivados para nosso conhecimento.

      Você perguntou: “Como algo perfeito pode mudar, se já é perfeito?”
      Pode mudar ou ser cancelado por ter cumprido seu objetivo. Exemplo: o dom de línguas foi dado por Deus; logo, era perfeito. No entanto, Paulo afirmou:
      “Quer haja línguas, cessarão.” (1 Co 13:8) Isse se deu porque cumpriu seu objetivo.
      O objetivo da Lei era manifestar as transgressões (Gál. 3:19), prover tipos ou sombras de coisas até então vindouras (He 10:1) e conduzir os debaixo dela a Cristo. (Gál 3:23-25) Todos esses propósitos foram cumpridos.

      O sábado referido em Colossenses 2:16 é o sábado semanal.
      O texto declara:
      “Portanto, nenhum homem vos julgue pelo comer ou pelo beber, ou com respeito a uma festividade ou à observância da lua nova ou dum sábado.”
      O texto menciona
      1) Festividade
      2) Lua nova
      3) Sábado

      Os sábados cerimoniais estão incluídos na palavra “festividade” ou expressão “dias de festa” (Almeida Corrigida). E a lua nova está associada ao sábado SEMANAL.
      2 Reis 4:23: “Não é lua nova nem sábado.”
      Isaías 66:23: “de lua nova a lua nova e de sábado a sábado.”
      Ezequiel 46:1: ““Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Quanto ao portão do pátio interno, que dá para o leste, deve continuar fechado pelos seis dias de trabalho e deve ser aberto no dia de sábado, e deve ser aberto no dia da lua nova.”
      Oseias 2:11: “E certamente farei cessar toda a sua exultação, sua festividade, sua lua nova e seu sábado, e toda época festiva sua.”
      Amós 8:5: “‘Quando é que passará a lua nova e poderemos vender cereais? Também o sábado, e poderemos oferecer à venda grãos de cereais …?”

      Alguém talvez argumente: ‘Mas Colossenses 2:16 usa a palavra “sábados” (sábado no plural). Portanto deve referir-se aos sábados cerimoniais.’
      Essa colocação não tem fundamentação.
      1.º) Seria redundância, visto que os “dias de festa” mencionados antes já incluem os sábados cerimoniais;
      2.º) Sábado no plural não indica forçosamente os sábados cerimoniais. Os próprios sabatistas se esquecem rapidamente desse seu argumento do plural ao usarem Ezequiel 20:12 para afirmar que o sábado semanal é o sinal da verdadeira igreja. Acontece que o texto diz:
      “Também lhes dei os meus SÁBADOS, para servirem de sinal entre mim e eles, para que soubessem que eu sou o SENHOR que os santifica.” (Almeida Atualizada)
      Assim, os sabatistas aceitam que o sábado semanal seja colocado no plural quando lhes é conveniente.
      Sábados (sábado no plural) pode simplesmente se referir à sucessão contínua do sétimo dia semana após semana.



      2Crônicas 331:3: “… e também para as ofertas queimadas dos sábados, e para as luas novas, e para as épocas festivas, segundo o que está escrito na lei de Jeová.”

      Você insiste nesse argumento sem base bíblica: “Então, se foram abolidos, podemos adorar outros deuses, podemos fazer imagem de escultura, podemos roubar, matar, desonrar pai e mãe.”

      Isso já foi explicado no artigo acima.

      Excluir
    3. Com relação à arca do pacto citada em Revelação (Apocalipse) 11:19, ela não está associada às tábuas de pedra dos Dez Mandamentos, como pretendem os sabatistas, mas sim à presença de Deus como Rei.

      Jeová declarou:
      “E ALI ME HEI DE APRESENTAR A TI e falar contigo de cima da tampa, de entre os dois querubins que há sobre a arca do testemunho, sim, tudo o que eu te mandar para os filhos de Israel.” – Êxodo 25:22.
      Até os inimigos dos israelitas reconheciam que a Arca simbolizava a presença de Deus:

      “Também os filisteus chegaram a ouvir o som da gritaria e começaram a dizer: ‘Que significa o som desta grande gritaria no acampamento dos hebreus?’ Finalmente, FICARAM SABENDO QUE A PRÓPRIA ARCA DE JEOVÁ TINHA CHEGADO AO ACAMPAMENTO. E os filisteus ficaram com medo, porque DISSERAM: ‘DEUS CHEGOU AO ACAMPAMENTO!’ Por isso disseram: ‘Ai de nós, pois nunca antes aconteceu tal coisa! Ai de nós! Quem nos salvará da mão deste Deus majestoso? Este é o Deus que golpeou o Egito com toda sorte de matança no ermo.’” – 1Sa 4:6-8.
      A Arca estava em especial associada à presença de Jeová como Rei. Isso se torna claro em Jeremias 3:16, 17:

      “ ‘E terá de acontecer que vós vos tornareis muitos e certamente dareis fruto na terra, naqueles dias’, é a pronunciação de Jeová. ‘NÃO MAIS DIRÃO: “A ARCA DO PACTO DE JEOVÁ!” nem subirá ao coração, nem se lembrarão dela ou sentirão sua falta, e não mais será feita. NAQUELE TEMPO CHAMARÃO JERUSALÉM DE TRONO DE JEOVÁ.”
      Portanto, a Arca, na época representativa do “trono [reino] de Jeová”, daria lugar a Jerusalém como sendo símbolo desse “trono”, ou Reino.
      Esse é o contexto de Revelação 11:19:
      “E abriu-se o santuário do templo de Deus, que está no céu, e viu-se a arca do seu pacto no santuário do seu templo. E houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e um terremoto, e grande saraivada.”

      Por que a visão apresenta nessa ocasião a ‘arca do pacto’? Para afirmar que os Dez Mandamentos que estavam nela contidos vigoram para os cristãos? Não, não é nada disso. Tem a ver com o símbolo que ela sempre teve: a presença de Deus como Rei. O contexto é claro nesse respeito:
      Revelação 11:15:
      “E o sétimo anjo tocou a sua trombeta. E houve vozes altas no céu, dizendo: ‘O REINO DO MUNDO TORNOU-SE O REINO DE NOSSO SENHOR E DO SEU CRISTO, e ele reinará para todo o sempre.’”
      Revelação 11:17:
      “dizendo: ‘Agradecemos-te, Jeová Deus, o Todo-poderoso, Aquele que é e que era, porque assumiste o teu grande poder e COMEÇASTE A REINAR.’”
      Assim, nada tem a ver com os Dez Mandamentos, e sim com a evidência do Reino de Deus por meio de Cristo começando a atuar.

      Portanto, NÃO É ÓBVIO “que os 10 mandamentos permanecem como regra de prática de uma vida de santificação”. A “lei do Cristo” já cumpre esse objetivo. – Gál 6:2.

      Excluir
  13. Bem, ola sou adventista do sétimo dia, e queria que me explica-se jJeremias 7:21-23 que diz:Asim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: Ajuntai os vossos sacrifícios e comei carne 22 Porque NADA falei a vissos pais, no dia em que os tirei da terra do Egito , nem ordenei coisa alguma acerca de holocausto ou sacrifícios 23 Mas isto lhes ordenei, dizendo:Dai ouvidos a minha voz, e eu serei o vosso Deus, e vós seres o meu povo; andai em TODO o caminho que vos ordenei, para que vá bem.
    Cimo que vc diz que a lei é uma só e foi dada por Deus e Ele diz que não deu essa lei de sacrifício?
    E sobre Mc, qur vc vez iguadade de mandamento e preceitos, vc precisa atentar mais para o contexto, pois la é claro que a questão era mandamentos , e prefeitos de homens.
    Me explique que lei é essa que aparece em 1Joao 2:4 que si nós transgredimos estamos pecando mais responda com os siguinicados do original? Oro por vc que o Senhor Deus jesus Cristo abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jone.

      Um artigo foi preparado em resposta aos seus questionamentos.

      Abraços.

      Excluir
  14. Meu comentário é,com uma explicação dessa as pessoas que tem um coração voltado para a palavra de Deus devem ir correndo pra jeova!que jeova continua abençoando os irmãos.abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Eduardo, pela expressão de apreço! Que Jeová também o abençoe ricamente! - Provérbios 10:22.

      Excluir
  15. Ótimo, parabéns pela explicação.

    ResponderExcluir
  16. Ótimo, parabéns pela explicação.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *