Image Map











quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Debate sobre a Trindade – Parte Final





Como última argumentação, o aludido José Raimundo tece os comentários abaixo [o texto foi reproduzido como ele mesmo escreveu]:

“Tiago 1:13 DEUS não pode ser tentado pelo mal, concordo com você,mas JESUS foi tentado como Homem como Homem Ele foi tentado,mas como DEUS Ele deu ordem a natureza,dizendo cala-te vento,aquieta-te mar,os discípulos ficaram espantados dizendo uns para o outro,quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem;
como Homem,Ele teve fome,mas como DEUS Ele disse Eu sou o Pão da vida Jo 6:35
como Homem Ele teve sede,mas como DEUS Ele disse quem tem sede vem a mim e beba Jo 7:37
como Homem Ele perdeu a vida no calvário, mas como DEUS Ele ressuscitou a si mesmo
como DEUS Ele olhou para o paralítico de Cafarnaum e disse perdoado são os teus pecados
como DEUS Ele recebeu a oração de Estevão e recebeu o espírito de Estevão
como filho de Maria Ele foi obediente,como DEUS e SENHOR de Maria Ele disse o que Eu tenho contigo mulher não é chegada a minha hora
como DEUS Ele é SENHOR do sábado,tanto sábado lei como espaço de tempo
como DEUS quando os Oficiais vieram o prender Ele disse SOU EU,eles caíram por terra Jo 18:6”

Resposta do Apologista:

Esse ensino de que Jesus, quando na Terra, era Deus-Homem vai diretamente contra o ensino bíblico do RESGATE.

No artigo “A Cristandade e a Doutrina da Redenção”, expliquei isso desta forma:

A cristandade ensina que, quando Jesus Cristo estava na Terra, ele era Deus-Homem. A cristandade traz essa crença desde o ano de 451 d.C, quando o Concílio de Calcedônia decidiu que Cristo tinha na Terra duas naturezas – uma humana e uma divina. Mas essa doutrina nega a doutrina da Redenção, ou Resgate. Veja por quê:

A necessidade de uma redenção, remissão ou resgate surgiu quando o primeiro homem, Adão, pecou, e após isso, transmitiu o pecado aos seus descendentes. (Ro 5:12, 18) Uma vez que foi um homem perfeito quem pecou, seria necessário outro humano perfeito para pagar o preço do resgate, de acordo com o princípio bíblico de se dar “vida por vida”. (Êx 21:23, Versão Almeida Revista e Corrigida) Trata-se do princípio da equivalência, para equilibrar a balança da justiça. Em razão disso, nenhum humano imperfeito poderia pagar o resgate pelos pecados nem de um irmão. Como diz o Salmo 49:7, 8 (Almeida Revista e Atualizada):

“Ao irmão, verdadeiramente, ninguém o pode remir, nem pagar por ele a Deus o seu resgate (Pois a redenção da alma [vida] deles é caríssima, e cessará a tentativa para sempre.)

Pela mesma razão, um anjo não poderia pagar o preço do resgate, uma vez que é superior a um homem perfeito, não havendo assim equivalência. (Sal 8:4, 5) A respeito de Jesus, a Bíblia declara: “Ele não cometeu pecado, nem se achou engano na sua boca.” (1Pe 2:22) Portanto, ele tinha o preço do resgate – a vida humana perfeita. Mas, se Jesus fosse Deus-Homem, não haveria equivalência, pois Adão não era Deus-Homem. Assim, a doutrina da Trindade nega o resgate.

Portanto, em hipótese alguma Jesus era tanto Deus quanto homem. Ele era o “último Adão”, tão e unicamente humano quanto o primeiro Adão. (1 Coríntios 15:45) Os milagres que ele fez não provaram que ele era Deus, nem era esse o objetivo.

A Bíblia é clara quanto a isso:

Atos 10:38:

“Jesus, que era de Nazaré, como Deus o ungiu com espírito santo e poder, e ele percorria o país, fazendo o bem e sarando a todos os oprimidos pelo Diabo; porque Deus estava com ele.”

O texto não diz que ele fez o bem e sarou por que ele era Deus, mas sim PORQUE DEUS ESTAVA COM ELE.

Os milagres provaram que Deus estava com ele, que ele era o enviado de Deus, o Cristo (Messias) – o Filho de Deus.

Quanto a ele perdoar pecados, já foi explicado biblicamente que isso não fez dele o Deus Todo-Poderoso.

JESUS NÃO RESSUSCITOU A SI MESMO:

Atos 2:32:

“A este Jesus Deus ressuscitou.”

Atos 10:40:

Deus ressuscitou a Este no terceiro dia e lhe concedeu tornar-se manifesto.”

Hebreus 13:20:

Agora, o Deus de paz, que com o sangue dum pacto eterno tirou dentre os mortos o grande pastor das ovelhas, o nosso Senhor Jesus.”

Romanos 8:11:

“Então, se morar em vós o espírito daquele que levantou a Jesus dentre os mortos, aquele que levantou a Cristo Jesus dentre os mortos também vivificará os vossos corpos mortais por intermédio do seu espírito que reside em vós.”

Gálatas 1:1:

“Paulo, apóstolo, não da parte dos homens, nem por intermédio dum homem, mas por intermédio de Jesus Cristo e de Deus, o Pai, que o levantou dentre os mortos.”

você deve ter baseado sua afirmação na interpretação errônea de João 2:19-22:

19 Em resposta, Jesus disse-lhes: “Demoli este templo, e em três dias o levantarei.” 20 Os judeus disseram, portanto: “Este templo foi construído em quarenta e seis anos, e tu o levantarás em três dias?” 21 Mas ele estava falando do templo do seu corpo. 22 Quando, porém, foi levantado dentre os mortos, seus discípulos lembraram-se de que costumava dizer isso; e eles acreditaram na Escritura e na palavra que Jesus dissera.

Mas, observe que o próprio texto diz: “Quando, porém, foi levantado dentre os mortos”. O texto não diz: “Quando, porém, SE LEVANTOU dentre os mortos.”

Qual é então o significado de João 2:19-22?

O livro Raciocínios à base das Escrituras[1], (p. 415, parágrafo 6) esclarece:

Mediante uma expressão similar, em Lucas 8:48, Jesus é citado dizendo a uma mulher: “A tua fé te salvou.” Curou ela a si própria? Não; foi o poder de Deus, por intermédio de Cristo, que a curou porque ela tinha fé. (Luc. 8:46; Atos 10:38) Da mesma forma, Jesus, pela sua perfeita obediência como homem, proveu a base moral para que o Pai o ressuscitasse dentre os mortos, reconhecendo assim a Jesus como Filho de Deus. Por causa de seu proceder fiel na vida, podia-se dizer corretamente que Jesus foi ele próprio responsável pela sua ressurreição.

Quanto à petição de Estêvão, NÃO SE TRATAVA DE UMA ORAÇÃO.

Veja este comentário muito bem fundamentado biblicamente da revista A SENTINELA de 15/5/2008 p. 31:

Estêvão estava orando a Jesus? Não. A adoração da pessoa, o que inclui suas orações, deve ser dirigida apenas a Jeová Deus. (Luc. 4:8; 6:12) Em circunstâncias normais, Estêvão suplicaria a Jeová em nome de Jesus. (João 15:16) Nesse caso, porém, Estêvão teve uma visão do “Filho do homem em pé à direita de Deus”. (Atos 7:56) Com pleno conhecimento de que Jesus tinha recebido poder para ressuscitar pessoas, Estêvão falou, mas não orou, diretamente a Jesus, pedindo-lhe que protegesse seu espírito. — João 5:27-29.

João 15:16

“Não importa o que pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo dê.”

Em visão, o apóstolo João falou com um dos 24 anciãos no céu, mas isso não era oração. – Apocalipse 7:13, 14.

Prezado José Raimundo:

Ajude a si mesmo por se desligar da doutrina antibíblica da Trindade, que os evangélicos herdaram do catolicismo romano, e que o catolicismo herdou do paganismo.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org









[1] Publicado pelas Testemunhas de Jeová.

5 comentários:

  1. Excelentes matérias!!! Mas vamos ver se ele vai ser humilde o suficiente para se desligar dessas doutrinas anti biblicas é só ele deixar o ser humano de lado e se apegar a Jeová é o que eu espero e desejo

    ResponderExcluir
  2. EXCELENTE este Blog.
    gostei bastante deste arigo, apenas gostaria que voce esclarecesse, quanto a dizer que o resgate não poderia ser atraves de um anjo, pois anjo é superior ao homem e é verdade.Mas o arcanjo Miguel e Jesus não são o mesmo?
    obrigada
    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Neuza, pela expressão de apreço. Quanto à sua pergunta: Uma comparação de textos bíblicos mostra que o arcanjo Miguel é Jesus, mas em sua existência no céu, tanto antes como depois de ter vindo à Terra. (Dan. 10:13; 12:1; Judas 9; 1 Tessalonicenses 4:16;Revelação 12:7-12; 19:11-16) Veja este link: http://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/biblia-ensina/quem-e-o-arcanjo-miguel/
      Quando Jesus se tornou humano, ele deixou de ser uma criatura espiritual e se tornou humano assim como Adão havia sido antes de pecar. Portanto, nesse período, ele não era um anjo (criatura espiritual) e, assim, não era Miguel, o arcanjo.



      Excluir
  3. Sei não!!! Acho que esse sr. Raimundo é um admirador retraído dos TJ's!!! Não adianta raciocinar com ele. Ele sempre vai fechar a mente para a verdade!!!

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *