Image Map











quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Debate online sobre a permanência dos Dez Mandamentos - Parte 3



Andreas:
 [O texto foi colocado exatamente como escrito pelo argumentador]

-Não é dito que os 10 mandamentos são TODOS os mandamentos de Deus, mas que eles FAZEM PARTE dos “mandamentos de Deus”.
-Com a vinda do Messias, nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo, todos os mandamentos que Deus ordenou que faziam parte do cerimonialismo que APONTAVA A VINDA do Messias, foram “abolidos” para nós, porque o Messias já tinha vindo! Oras! Eram transitórios, durariam até a vinda do Messias, eram prejudiciais e imperfeitos. 
-Os 10 mandamentos eram “perfeitos”, “eternos”, “santos” por isso foram escritos em pedra: e é isso que a pedra simboliza: eternidade, perfeição. “Deus é nossa rocha”. Mandamentos na pedra simbolizam os mandamentos da Pedra, da Rocha, Deus.
-Mas quando Jesus afirmava que NADA seria tirado da Lei e dos Profetas, isso inclui que o cerimonialismo TAMBÉM não havia sido abolido, porque afinal, ele está na Lei. Mas quando lemos Hebreus, percebemos que Jesus torna-se o Sumo Sacerdote, e ele passa a MINISTRAR O SANTUÁRIO CELESTIAL (Hebreus 8:1,2). 


-Ora, de Jesus Cristo passa a ministrar o Santuário Celestial, significa que o Santuário NÃO FOI ABOLIDO, mas recebeu um “upgrade”. Todo o cerimonialismo é feito por Jesus, de maneira perfeita porque o santuário terrestre era só um símbolo. Então NADA da Lei foi abolido, porque até mesmo o cerimonialismo é feito HOJE EM DIA, por Jesus, e por isso nós não precisamos mais ministrar esses coisas cerimônias. Não foi ABOLIDO, mas TRANSFERIDO a Jesus, e é por isso que não precisamos mais fazer.



-O sábado do sétimo dia não é sombra da vinda do Messias, como diz Colossenses “sombra das coisas futuras” mas é sombra de um evento PASSADO a criação. Então você não pode utilizar esse argumento para refutar o sábado.

-Se os mandamentos escritos na Pedra, são “eternos” e “perfeitos”, como algo perfeito pode mudar, se já é perfeito¿


-Então, se foram abolidos, podemos adorar outros deuses, podemos fazer imagem de escultura, podemos roubar, matar, desonrar pai e mãe.



Os Dez Mandamentos são os mandamentos da Arca, na qual as pessoas que transgrediam e precisavam a lei cerimonial para se reconciliar com Deus. Apocalipse diz que seremos julgados e mostra uma ARCA DA ALIANÇA NO CÉU. O que tinha na arca da aliança? Vai me dizer que a lei que mostra o pecado mudou?



É óbvio que os 10 mandamentos permanecem como regra de prática de uma vida de santificação, porque Jesus disse que “TODA a Lei é baseada no amor”.

O Apologista da Verdade:

          Você afirmou: “Não é dito que os 10 mandamentos são TODOS os mandamentos de Deus, mas que eles FAZEM PARTE dos ‘mandamentos de Deus’.”

          Realmente, isso é um fato. Não negamos isso. Veja o artigo Os “Dez Mandamentos” com seu sábado semanal devem ser guardados pelos cristãos? – Parte 1.


          Porém, você se contradiz quando diz que “nem mesmo essa lei [a “cerimonial”] foi abolida e depois afirma: “Todos os mandamentos que Deus ordenou que faziam parte do cerimonialismo que APONTAVA A VINDA do Messias, foram “abolidos” para nós. … Eram transitórios, durariam até a vinda do Messias, eram prejudiciais e imperfeitos.” 

          Como Deus poderia dar mandamentos “prejudiciais e imperfeitos”, visto que de Deus somente vem ‘boas dádivas’ e ‘presentes perfeitos’?! (Tiago 1:17) Seus conceitos antibíblicos acabam sendo uma afronta a Deus, embora talvez você não esteja percebendo isso.



          Você afirmou: “Os 10 mandamentos eram ‘perfeitos’, ‘eternos’, ‘santos’ por isso foram escritos em pedra: e é isso que a pedra simboliza: eternidade, perfeição.”

          Em primeiro lugar, nenhum texto bíblico afirma que os Dez Mandamentos sejam eternos. Pelo contrário, a Bíblia mostra que a Lei como um todo foi abolida. – Ro 7:4; 10:4; 2Co 3:3-16

    Ademais, como demonstrado no artigo Os “Dez Mandamentos” com seu sábado semanal devem ser guardados pelos cristãos? – Parte 3, as pedras NÃO SÃO símbolo de eternidade.


          O artigo declara sobre isso:


Isaías 60:17: “Em lugar de cobre trarei ouro, e em lugar de ferro trarei prata, e em lugar de madeira, cobre, e em lugar de pedras, ferro; e eu vou designar a paz como teus superintendentes e a justiça como teus feitores.”

              O texto acima profetiza a melhora organizacional dentro do povo de Deus. Se pedras fossem um símbolo de eternidade, ficaria incoerente serem substituídas por ferro, sendo consideradas inferiores a esse material. O máximo que podemos inferir das Escrituras é que “pedras” simbolizam apropriadamente dureza e durabilidade, como diz Ezequiel 3:9a: “Igual ao diamante, mais dura do que a pederneira [pedra muito dura] fiz a tua testa.” Mas isso não é evidência de eternidade. O exemplo abaixo é definitivo em mostrar isso:


              Em Daniel 2:34, 44 e 45, o Reino messiânico nas mãos de Cristo foi comparado a uma “pedra” que destrói todos os governos humanos. No entanto, essa figurativa “pedra” não é eterna. A Bíblia diz: “A seguir, o fim, quando ele [Cristo] entregar o reino ao seu Deus e Pai, tendo reduzido a nada todo governo, e toda autoridade e poder. Pois ele [Cristo] tem de reinar até que Deus lhe tenha posto todos os inimigos debaixo dos seus pés. Como último inimigo, a morte há de ser reduzida a nada. Pois Deus ‘lhe sujeitou todas as coisas debaixo dos pés’. Mas, quando diz que ‘todas as coisas foram sujeitas’, é evidente que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas. Mas, quando todas as coisas lhe tiverem sido sujeitas, então o próprio Filho também se sujeitará Àquele que lhe sujeitou todas as coisas, para que Deus seja todas as coisas para com todos.” (1Co 15:24-28) Portanto, assim que cumprir seu objetivo, o Reino messiânico será ‘entregue’ (devolvido) a Jeová Deus, o produtor desse Reino. Não haverá mais necessidade desse governo subsidiário entre Jeová Deus e a humanidade.

          Você afirmou: “Jesus afirmava que NADA seria tirado da Lei e dos Profetas …”


     Novamente, você desconsiderou o contexto – a continuação das palavras de Cristo: “sem que tudo se cumprisse.” (Mt 5:18) Ou seja uma vez que a Lei e os Profetas fossem cumpridos, eles seriam tirados do caminho, ficando apenas arquivados para nosso conhecimento.


          Você perguntou: “Como algo perfeito pode mudar, se já é perfeito?”

        Pode mudar ou ser cancelado por ter cumprido seu objetivo. Exemplo: o dom de línguas foi dado por Deus; logo, era perfeito. No entanto, Paulo afirmou:


          “Quer haja línguas, cessarão.” (1 Co 13:8) Isso se deu porque cumpriu seu objetivo. O objetivo da Lei era manifestar as transgressões (Gál 3:19), prover tipos ou sombras de coisas até então vindouras (He 10:1) e conduzir os debaixo dela a Cristo. (Gál 3:23-25) Todos esses propósitos foram cumpridos.

        O sábado referido em Colossenses 2:16 é o sábado semanal.

          O texto declara:

        “Portanto, nenhum homem vos julgue pelo comer ou pelo beber, ou com respeito a uma festividade ou à observância da lua nova ou dum sábado.”


          O texto menciona:

1) Festividade
2) Lua nova
3) Sábado



      Os sábados cerimoniais estão incluídos na palavra “festividade” ou expressão “dias de festa” (Almeida Corrigida). E a lua nova está associada ao sábado SEMANAL.


2 Reis 4:23: “Não é lua nova nem sábado.”


Isaías 66:23: “de lua nova a lua nova e de sábado a sábado.”

Ezequiel 46:1: ““Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Quanto ao portão do pátio interno, que dá para o leste, deve continuar fechado pelos seis dias de trabalho e deve ser aberto no dia de sábado, e deve ser aberto no dia da lua nova.”


Oseias 2:11: “E certamente farei cessar toda a sua exultação, sua festividade, sua lua nova e seu sábado, e toda época festiva sua.”

Amós 8:5: “‘Quando é que passará a lua nova e poderemos vender cereais? Também o sábado, e poderemos oferecer à venda grãos de cereais …?”


          Alguém talvez argumente: ‘Mas Colossenses 2:16 usa a palavra “sábados” (sábado no plural). Portanto deve referir-se aos sábados cerimoniais.’


         Essa colocação não tem fundamentação.


     1.º) Seria redundância, visto que os “dias de festa” mencionados antes já incluem os sábados cerimoniais;


     2.º) Sábado no plural não indica forçosamente os sábados cerimoniais. Os próprios sabatistas se esquecem rapidamente desse seu argumento do plural ao usarem Ezequiel 20:12 para afirmar que o sábado semanal é o sinal da verdadeira igreja.

          Acontece que o texto diz:

        “Também lhes dei os meus SÁBADOS, para servirem de sinal entre mim e eles, para que soubessem que eu sou o SENHOR que os santifica.” (Almeida Atualizada.)

        Assim, os sabatistas aceitam que o sábado semanal seja colocado no plural quando lhes é conveniente.


       Sábados (sábado no plural) pode simplesmente se referir à sucessão contínua do sétimo dia semana após semana.

         2 Crônicas 31:3: “… e também para as ofertas queimadas dos sábados, e para as luas novas, e para as épocas festivas, segundo o que está escrito na lei de Jeová.”

         Você insiste nesse argumento sem base bíblica: “Então, se foram abolidos, podemos adorar outros deuses, podemos fazer imagem de escultura, podemos roubar, matar, desonrar pai e mãe.”

         Isso já foi explicado no artigo “Tiago incentiva a guarda dos Dez Mandamentos?

     Com relação à arca do pacto citada em Revelação (Apocalipse) 11:19, ela não está associada às tábuas de pedra dos Dez Mandamentos, como pretendem os sabatistas, mas sim à presença de Deus como Rei.

         Jeová declarou:

        “E ALI ME HEI DE APRESENTAR A TI e falar contigo de cima da tampa, de entre os dois querubins que há sobre a arca do testemunho, sim, tudo o que eu te mandar para os filhos de Israel.” – Êxodo 25:22.


         Até os inimigos dos israelitas reconheciam que a Arca simbolizava a presença de Deus:

        “Também os filisteus chegaram a ouvir o som da gritaria e começaram a dizer: ‘Que significa o som desta grande gritaria no acampamento dos hebreus?’ Finalmente, FICARAM SABENDO QUE A PRÓPRIA ARCA DE JEOVÁ TINHA CHEGADO AO ACAMPAMENTO. E os filisteus ficaram com medo, porque DISSERAM: ‘DEUS CHEGOU AO ACAMPAMENTO!’ Por isso disseram: ‘Ai de nós, pois nunca antes aconteceu tal coisa! Ai de nós! Quem nos salvará da mão deste Deus majestoso? Este é o Deus que golpeou o Egito com toda sorte de matança no ermo.’” – 1Sa 4:6-8.

       A Arca estava em especial associada à presença de Jeová como Rei. Isso se torna claro em Jeremias 3:16, 17:

      “‘E terá de acontecer que vós vos tornareis muitos e certamente dareis fruto na terra, naqueles dias’, é a pronunciação de Jeová. ‘NÃO MAIS DIRÃO: “A ARCA DO PACTO DE JEOVÁ!” nem subirá ao coração, nem se lembrarão dela ou sentirão sua falta, e não mais será feita. NAQUELE TEMPO CHAMARÃO JERUSALÉM DE TRONO DE JEOVÁ.”


       Portanto, a Arca, na época representativa do “trono [reino] de Jeová”, daria lugar a Jerusalém como sendo símbolo desse “trono”, ou Reino.


          Esse é o contexto de Revelação 11:19:
         “E abriu-se o santuário do templo de Deus, que está no céu, e viu-se a arca do seu pacto no santuário do seu templo. E houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e um terremoto, e grande saraivada.”


        Por que a visão apresenta nessa ocasião a ‘arca do pacto’? Para afirmar que os Dez Mandamentos que estavam nela contidos vigoram para os cristãos? Não, não é nada disso. Tem a ver com o símbolo que ela sempre teve: a presença de Deus como Rei. O contexto é claro nesse respeito:


Revelação 11:15:

“E o sétimo anjo tocou a sua trombeta. E houve vozes altas no céu, dizendo: ‘O REINO DO MUNDO TORNOU-SE O REINO DE NOSSO SENHOR E DO SEU CRISTO, e ele reinará para todo o sempre.’”

Revelação 11:17:

“dizendo: ‘Agradecemos-te, Jeová Deus, o Todo-poderoso, Aquele que é e que era, porque assumiste o teu grande poder e COMEÇASTE A REINAR.’”

         Assim, nada tem a ver com os Dez Mandamentos, e sim com a evidência do Reino de Deus por meio de Cristo começando a atuar.

       Portanto, NÃO É ÓBVIO “que os 10 mandamentos permanecem como regra de prática de uma vida de santificação”. A “lei do Cristo” já cumpre esse objetivo. – Gál 6:2.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org








8 comentários:

  1. Se segundo ele esta escrito na pedra e sinônimo de eternidade por que não comem carne de porco se não foi escrito na pedra? Dizer que Deus deu mandamentos imperfeitos e prejudiciais acho que ele não pensou muito bem não e ele tem de decidir se a ''lei cerimonial'' foi abolida ou não

    ResponderExcluir
  2. Notei e noto uma insistência neste "então se agora nos podemos matar...", ou "agora podemos fazer tudo....os mandamentos foram abolidos e não há pecado" que foi esclarecido anteriormente, mas continuam usando essa falácia.

    O fato é que nem o Apologista da Verdade e nem nenhuma outra Testemunha Cristã de Jeová afirma que agora não existem mais mandamentos de Deus a serem obedecidos e que não existe mais pecados, o que se diz é que os preceitos da LEI DE MOISÉS não são prescrições para os cristãos. Na Lei de Moisés era proibido o consumo de sangue, sob pena capital para o transgressor, mas as TCJ hoje não se abstem de sangue por seguirem esse mandamento da Lei e sim em obediência a decisão cristã do Concílio de Jerusalém relatado nos Atos dos Apóstolos, até porque se o mandamento conforme a lei mosaica estivesse em vigor seria necessário decepar o transgressor.

    Matar, roubar, estuprar e outros crimes todos iriam contra o principio de amor cristão que faz parte do evangelho de Jesus, o fato dos cristãos pecarem ao cometer tais atos não depende de estarem ou não explicitados na Lei, mas por ferirem os princípios da Bíblia.

    Sem dúvida nenhuma parece que muitos pessoas ainda estão no leitinho e não conseguem alcançar a madureza espiritual necessitando se prender a abundantes leis de não faça isso e não faça aquilo como dadas aos antigos israelitas no deserto.

    Lembro a todos que se o Obama matar a primeira dama, não estará quebrando o artigo da constituição brasileira que proíbe o assassinato, sim, pois ele não está sujeito a tal lei, mas isso também não significa que ele esteja livre para sair matando inocentes por aí, a constituição americana já tem leis referentes a este caso, o fato de ambas leis nacionais que citei terem similaridades não mudam o fato de serem leis distintas e independentes. Também gostaria de citar o fato de que quando um país troca de constituição e muda os textos de todos os artigos legislativos, faz um novo código penal e cria um outro código civil, não quer dizer que agora o que antes era crime deixou de ser crime, pois embora as leis sejam novas e não tenham vinculo com a anterior, ela terá sentido e intenção similar, sendo assim coisas como assassinato e roubo serão crimes também nas novas leis. Tentei me dar a entender, espero que os leitores todos tenham entendido, as similaridades encontradas entre duas constituições não mudam o fato de serem distintas e não afeta sua independência uma da outra, por isso a lei brasileira não afeta a lei norte-americana e vice-versa, cada qual responderá seu crime sob a lei a que estiver sujeito.

    ResponderExcluir
  3. Apologista da Verdade,

    Faltou citar que a arca da aliança citada na Revelação NÃO É LITERAL, é um dos simbolismos que faz parte da visão.
    Sim, pois tem gente que acha que a arca literalmente realmente se locomoveu até o domínio espiritual, e que no céu as pessoas usam vestidos brancos, e lá a cidade é feita de ouro, Jesus senta numa cadeira e faz rituais num altar físico, anjos oferecem incenso etc etc. Obviamente que se as coisas do "Antigo Testamento" eram símbolos de verdades espirituais então elas não vão existir de maneira física no domínio celestial.

    ResponderExcluir
  4. A alegação dos adventistas é: quem AMA não mata,rouba etc,portanto o amor é o cumprimento da lei no sentido que quem ama obedece os dez...

    ResponderExcluir
  5. Apolo, apenas corrigindo:

    2 Crônicas 331:3 -> 2 Crônicas 31:3

    ResponderExcluir
  6. Eles estão em confusão. Hora a lei cerimonial foi abolida, hora parte dela foi abolida.

    Bom, o Adreas admite que quando fala Lei, a "lei cerimonial" estava incluída também.

    "Mas quando Jesus afirmava que NADA seria tirado da Lei e dos Profetas, isso inclui que o cerimonialismo TAMBÉM não havia sido abolido, porque afinal, ele está na Lei."

    Mas daí, os que dizem que a lei cerimonial não foi abolida, eles dizem que a parte de sacrifícios foram transferidas para Jesus...

    Ele diz:

    "Com a vinda do Messias... todos os mandamentos que Deus ordenou que faziam parte do cerimonialismo que APONTAVA A VINDA do Messias, foram “abolidos” para nós, porque o Messias já tinha vindo!"

    Paulo poderia ter explicado a afirmaćão acima de maneira tão simples como como o Adreas explicou... mas não o fez isto. Por isto não existe base bíblica para tal conclusão.


    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *