Image Map











domingo, 15 de março de 2015

A questão do sangue – parte 2

  Fonte da foto:http://www.jw.org/pt/ensinos-biblicos/perguntas/
biblia-transfusoes-de-sangue/


Neste segundo artigo desta série, a temática envolvida é se a ordem bíblica de evitar o sangue tem a ver com o uso dele como alimento – com comer sangue.

A proibição do uso de sangue não envolve apenas o uso dele como alimento? Envolve também tratamento médico?

Atos 15:28 e 29 inclui as transfusões?

Não diz respeito apenas a comer carne animal?


Comentarista:

Assim como o texto de Atos 15:28, 29 se refere a alimentar-se com carnes que contenham sangue, tendo em vista que o sangue torna-se indigesto em nosso organismo. Quando o texto fala em comer carne de animais com sangue, vocês interpretam que, se você não come o sangue, também não injetará o sangue na veia, o que de fato não procede.

Resposta:

1)  O motivo da proibição do sangue não está em ele ser indigesto, mas está NO QUE ELE REPRESENTA: A VIDA, que de direito pertence a Deus. (Gênesis 9:4; Levítico 17:11) Visto que o sangue animal não pode ser colocado em nosso corpo por representar a vida animal, o sangue HUMANO também não o pode, por representar a vida humana. O sangue não deixa de representar a vida ao ser administrado pelas veias. Portanto, a proibição bíblica ABRANGE a prática de infundir sangue humano pelas veias.

2)  Também, a proibição bíblica do sangue em Atos 15:28 e 29 não envolve somente o uso de sangue animal. O texto faz na realidade menção do sangue duas vezes. Primeiro, na expressão "coisas estranguladas", ou sufocadas, está claro que a referência é à carne animal não sangrada devidamente. No entanto, em seguida o mesmo texto manda abster-se de sangue.

Se a segunda referência fosse ao sangue animal, essa menção seria redundante e desnecessária. É óbvio que a menção de "sangue" significa o sangue de modo geral, incluindo o sangue HUMANO, uma vez que o sangue animal já foi englobado na expressão "carne sufocada".

3)  Ademais, Atos 15:28 e 29 não usa o verbo "comer" e sim ABSTER-SE, o que significa evitar por completo o sangue. A pessoa não estaria cumprindo essa ordem se introduzisse o sangue pelas veias. Você não encontrará nenhum texto bíblico que diga: "Não deves fumar." No entanto, encontrará textos que fornecem princípios contra essa prática. Para quem entende o significado da palavra ABSTER-SE, fica clara a proibição de transfusões.

4)  O único uso aprovado por Deus do sangue foi para cobrir pecados:

Pois a alma da carne está no sangue, e eu mesmo o pus para vós sobre o altar para fazer expiação pelas vossas almas, porque é o sangue que faz expiação pela alma nele.” – Levítico 17:11.

O sangue, do ponto de vista divino, tem valor expiatório (de cobrir pecados):

“Sim, quase todas as coisas são purificadas com sangue, segundo a Lei, e a menos que se derrame sangue, não há perdão.” – Hebreus 9:22.

Esse único uso autorizado por Jeová só podia ser cumprido por Jesus Cristo, o Filho de Deus. Por ter sido um homem perfeito, somente o sangue de Cristo tinha valor expiatório. Portanto, não estamos autorizados a usar o sangue de modo nenhum.

5)  Mesmo na questão da alimentação, quando alguém não consegue se alimentar utilizando seu aparelho digestivo, ele é alimentado pela nutrição parenteral, por se introduzir um cateter em sua veia (jugular, femural, ou periférica). Assim, "comer", em princípio, também abrange infusão venosa.

Comentarista:

Um judeu não come sangue. Para isso, ele tira o excesso de sangue, salga toda carne e deixa secar, só comendo depois desse processo retirar o sangue. As Testemunhas de Jeová não fazem isso; logo, comem sangue. E acham depois um absurdo injetar sangue para salvar a vida, interpretação que é considerada absurda por qualquer judeu.

Resposta:

As testemunhas de Jeová NÃO comem sangue. A Bíblia não exige o que você afirmou que os judeus atuais fazem com a carne. Portanto, o método deles NÃO É a norma bíblica para evitar o sangue.

Ademais, a Bíblia ordena aos servos de Deus que se ABSTENHAM de sangue, o que significa EVITÁ-LO por completo.

Terceiro, as transfusões alogênicas de sangue NÃO SÃO NECESSÁRIAS para salvar a vida. As técnicas de conservação e gerenciamento do próprio sangue fazem isso de modo eficaz, e sem violar a lei de Deus.

O fato de um israelita nos tempos bíblicos poder vender carne não devidamente sangrada a um forasteiro simplesmente se destinava a livrar-se da carcaça, e isto porque o forasteiro não havia se colocado debaixo do pacto da Lei, que estipulava a proibição do sangue.

A Bíblia é clara: o sangue foi proibido por representar a vida. (Gênesis 9:3, 4) Até mesmo quando certa vez água representou a vida, um servo de Deus não quis ingeri-la:

“Depois de um tempo, Davi expressou o seu almejo e disse: ‘Quem me dera beber da água da cisterna de Belém, que está junto ao portão!’ 16 Então os três poderosos romperam pelo acampamento dos filisteus e puxaram água da cisterna de Belém, que está junto ao portão, e vieram carregá-la e trazê-la a Davi; e ele não consentiu em bebê-la, mas derramou-a para Jeová. 17 E ele prosseguiu, dizendo: ‘É inconcebível, da minha parte, ó Jeová, fazer isso! Beberia eu o sangue dos homens que andam arriscando as suas almas?’ E ele não consentiu em bebê-la. – 2 Samuel 23:15-17.

Assim, não importa como o sangue é inserido no corpo. O ponto não é esse. O sangue não deixa de representar a vida ao ser administrado pelas veias. O único uso aprovado era para cobrir pecados. (Levítico 17:11; Hebreus 9:22) Nosso sangue não tem poder expiatório. Assim, não estamos autorizados a usar o sangue de modo algum.

Portanto, a posição das Testemunhas de Jeová é bem fundamentada nas Escrituras, na razão e na verdadeira ciência médica.


Comentarista:
Abster-se não poderia significar evitar por completo no sentido de transfusão, já que ela nem existia quando estas palavras foram escritas.

Resposta:

Os princípios bíblicos são válidos em todas as épocas. Afirmar que a lei de proibição do sangue não inclui transfusões porque elas não existiam naquele tempo seria o mesmo que afirmar que a lei "não matarás" não abrange matar alguém com arma de fogo, que elas não existiam naquele tempo. Além disso, abster-se significa evitar. Portanto, a lei divina é clara: evitar o sangue. Aceitá-lo numa transfusão não é evitá-lo.


Próximo artigo:

Há base científica para se evitar uma transfusão de sangue de outra pessoa? 





Se você perdeu os artigos da semana passada, segue a lista deles:

Filipenses 2:6 prova que Jesus é o Deus Todo-Poderoso?




A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org









8 comentários:

  1. Apologista,

    Os questionários dos jeofóbicos envolvendo a questão do sangue são mal intencionados, pois não envolvem perguntas sinceras e sim tentativas de criar armadilhas para servos de Jeová e colocar minhocas na cabeça daqueles que são mais frágeis na sua fé.

    Eles não questionam a fim de seres respondidos e sim para difamar o povo de Jeová.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso é importante estarmos sempre preparados para fazer uma defesa. (1 Pedro 3:15) Este é o objetivo desta série, com relação à questão do sangue.

      Excluir
    2. Desde quando abster-se de sangue envolve secar e salgar alimentos? Não encontrei nenhuma orientação bíblica para retirar o sangue de alimentos dessa forma.

      Excluir
    3. De fato, a Bíblia não exige nada disso. No caso de comer carne de um animal, a instrução referente ao sangue era "derramá-lo na terra como água". (Deuteronômio 12:24) Assim, bastava escoar razoavelmente o sangue do animal abatido para se cumprir a ordem de evitar o sangue.

      Excluir
  2. OPOSITOR: "Um judeu não come sangue. Para isso, ele tira o excesso de sangue, salga toda carne e deixa secar, só comendo depois desse processo retirar o sangue. As Testemunhas de Jeová não fazem isso; logo, comem sangue"


    Nenhum evangélico ou católico faz isso, ou faz? Então se esse é o requisito para não comer sangue, então eles estão pecando e quebrando a Lei de Deus. Esse comentário acima dá a entender que nossos opositores religiosos presentes nas Igrejas da Cristandade NÃO ESTÃO INTERESSADOS em guardar os mandamentos de Deus. O tema do sangue nunca é falado em suas igrejas a não ser se for para denegrir as JW, os fieis do movimento gospel e do rebanho católico tem liberdade para comer o que quiserem (restrições dietéticas ficam por conta de adventistas).

    ResponderExcluir
  3. Excelente matéria muito esclarecedora só não consegue entender quem não quer ou que está sendo cegado pelo deus deste sistema

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bom? Por favor, como refutar essa afirmação: Falaram pra mim assim: "O que é Abster? Abster é um verbo intransitivo e verbo pronominal e significa o impedimento da realização de qualquer atividade, cargo, serviço ou direito; é a decisão de privar-se de tomar uma decisão, escolha ou executar determinada ação. Isso é abster é não tocar, não pegar, não comer, não pode realiza nada. Isso é o que está mandando, então pode notar claramente que sua forma de interpretar isso está completamente equivocado."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso não precisa de refutação. Ele está endossando nossa posição: abster-se de sangue significa evitar o uso do sangue. No contexto bíblico, não significa não tocar, pois o sumo sacerdote o tocava. Mas a proibição está em ingerir o sangue de qualquer modo, por ele representar a vida.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *