Image Map











sábado, 28 de novembro de 2015

João 20:25 e o instrumento da execução de Cristo




Boa tarde.
Eu entendi a questão do sinal dos pregos, no artigo do seu site; mas, se o sinal significa um único furo, então não seria também apenas um prego? Se assim for, por que o texto diz “o sinal DOS PREGOS”?
Para ser um furo só usando mais de um prego, o soldado teria que bater mais de um prego no mesmo furo.
Poderia me explicar?
Att.

“Então os outros discípulos lhe disseram [a Tomé]: ‘Nós vimos o Senhor!’ Mas ele lhes disse: ‘Se eu não vir nas mãos dele a marca dos pregos, não colocar o dedo na marca dos pregos e não colocar a mão no lado dele, de modo algum acreditarei.’” – João 20:25.

Resposta do apologista:

Prezado leitor:

O ensino milenarizado, massificado pelas religiões da cristandade, de que Jesus foi pregado com braços abertos num instrumento de duas vigas, produziu efeitos tendenciosos na mente de muitos leitores do texto de João 20:25.

Por isso, é natural que vejam no texto algo que ele realmente não diz. Quando leem “sinal [furo ou “marca”] dos pregos”, imediatamente associam o furo com “pregos”, como se o texto estivesse dizendo: ‘o sinal dos pregos que produziram tal furo’. Mas isso não está escrito, embora essa dedução seja possível. Inclusive, o artigo “Sinal dos pregos” no corpo de Jesus – o que indica? reconheceu isso, ao declarar: “Uma possibilidade é que mais de um prego tivesse sido afixado nas mãos de Jesus, pregadas uma sobre a outra.”

Afinal, como você mesmo chegou a colocar, é sim possível que mais pregos tenham sido pregados juntos, alargando o furo produzido. Não há atualmente evidência documental de quantos pregos foram usados no corpo de Cristo.

Como bem colocou The International Standard Bible Encyclopedia (1979, Volume 1, página 826): “O exato número de pregos usados. . . tem sido assunto de considerável especulação.”

Em adição, A Enciclopédia de Literatura Bíblica, Teológica, e Eclesiástica (em inglês), de M’Clintock e Strong, observou:

‘Muito tempo e esforço já foram desperdiçados em discutir se foram usados três ou quatro pregos para pregar o Senhor. Nono afirma que foram usados apenas três, no que é acompanhado por Gregório Nazianzeno. A crença mais comum advoga quatro pregos, opinião que é apoiada em grande medida e com argumentos curiosos por Curtius. Outros elevaram o número de pregos a tantos quantos catorze.’ — Volume II, página 580; grifo acrescentado.

Mas, mesmo que possa ter sido essa a ideia que Tomé queira ter transmitido, tal interpretação não invalida o fato de que Jesus Cristo NÃO foi pregado em uma cruz de duas vigas, tendo em vista o contexto bíblico, histórico e linguístico.

Também, vale ressaltar que o texto de João 20:25 pode ademais ser interpretado de modo a desvincular os pregos do furo em suas mãos. Desse modo, poderia ser interpretado assim:

‘Se eu não vir nas mãos dele a marca dos pregos usados em seu corpo, não colocar o dedo na marca dos pregos usados em seu corpo …’

Assim como na interpretação anterior, essas palavras não ocorrem no texto. Mas, assim como na interpretação anterior, esta também é uma possibilidade.

Isto porque, conforme o artigo “Sinal dos pregos” no corpo de Jesus – o que indica? mostrou,

[…] a fraseologia usada por Tomé não associa “pregos” com as “mãos” de Cristo. O termo “pregos” está associado a “sinal”. Em termos simples, a Bíblia não fala de ‘pregos [no plural] nas mãos’ de Cristo, mas sim do sinal dos pregos” em suas mãos. Para ilustrar isso: a Bíblia não diz em 1 Timóteo 6:10 que ‘o dinheiro é a raiz de toda sorte de coisas prejudiciais’, mas sim que o “amor ao dinheiro” o é. Do mesmo modo, não são os pregos, mas sim o sinal deles, que Tomé associa com as “mãos” de Cristo. Portanto, uma possibilidade razoável é que o termo “pregos” (no plural) inclua também os pés de Cristo, pois seus pés também foram pregados. (Luc. 24:39) Isso explicaria a expressão “pregos” no plural, indicando que um havia sido afixado nas “mãos” de Jesus, deixando um “sinal” (no singular), e o outro nos seus “pés”. Em outras palavras, dos “pregos” (plural) que foram usados para afixar Jesus no madeiro, Tomé queria ver o “sinal”, ou furo, deixado nas mãos de Cristo pelo prego específico que foi usado naquela parte de seu corpo. – Grifo acrescentado.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *