Image Map











terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Destaques da Leitura da Bíblia: 2 Crônicas 6-9

Fonte da ilustração: http://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/achegue-se/sabedoria/sabedoria-encontrada-na-biblia/

O conceito de divindade na Bíblia

2 Crônicas 6:14: “E disse: ‘Ó Jeová,Deus de Israel, não há Deus igual a ti nos céus nem na terra; tu guardas o pacto e demonstras amor leal aos teus servos que andam diante de ti de todo o coração.

Note que o texto declara que não há Deus “igual” a Jeová. Por quê?

Os judeus entendiam que a divindade, ou qualidade divina, não era exclusividade do Deus Todo-Poderoso.

Por exemplo, lemos no Salmo 8:5: “Tu o fizeste [o homem] um pouco menor que os seres divinos, e o coroaste de glória e esplendor.”

A versão Almeida Revista e Corrigida traduz "seres divinos" por anjos”, e na nota de rodapé declara sobre a palavra “anjos”: “ou Deus Heb[raico] Elohim.”

Os anjos são mencionados na Bíblia como sendo ‘filhos de Deus’ (benéh ha·ʼElo·hím):

Jó 1:6: “Chegou o dia em que os filhos do verdadeiro Deus foram apresentar-se perante Jeová, e Satanás também foi no meio deles.”

Jó 2:1: “Depois disso, chegou o dia em que os filhos do verdadeiro Deus foram apresentar-se perante Jeová, e Satanás também foi no meio deles para apresentar-se perante Jeová.”

Jó 38:4, 7: “Onde você estava quando lancei os alicerces da terra? Responda-me, se você acha que tem entendimento. Quando as estrelas da manhã juntas gritavam de alegria e todos os filhos de Deus davam gritos de louvor?”


Portanto, os anjos, por serem “filhos de Deus”, são da classe de elohim (“deuses”), mas não no sentido de receberem adoração (algo que é exclusivo do Deus Todo-Poderoso Jeová) e sim por terem natureza divina.

Por isso, a tradução de James Moffatt traduz por: “Contudo tu o tens feito um pouco menor do que o divino.”

Esse entendimento explica porque Jesus Cristo pode ser referido como “Deus”, ou “deus”, por ter natureza divina, sem ser o Deus Todo-Poderoso.

Isaías 9:6: “Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado; e o reinado estará sobre os seus ombros. Ele receberá o nome de Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso [não: Todo-Poderoso], Pai Eterno, Príncipe da Paz.”

João 1:1: “No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus, e a Palavra era um deus.”

Mesmo que a parte final de João 1:1 seja traduzida “o Verbo era Deus” (como na maioria das traduções da cristandade), ainda assim isso não torna Jesus o Deus Todo-Poderoso, e sim “Deus Poderoso”, conforme profetizado em Isaías 9:6.


O nome divino é deveras importante

2 Crônicas 6:24, 32, 33: “E, se o teu povo Israel for derrotado por um inimigo, por terem persistido em pecar contra ti,g e eles voltarem e glorificarem o teu nome, e orarem e implorarem o teu favor perante ti nesta casa, quanto ao estrangeiro que não faz parte do teu povo Israel e que vier de uma terra distante por causa do teu grande nome, da tua mão poderosa e do teu braço estendido, e que vier e orar em direção a esta casa, que tu também o ouças desde os céus, teu lugar de morada, e que faças tudo que o estrangeiro te pedir, para que todos os povos da terra conheçam o teu nome e te temam assim como o teu povo Israel faz, e para que saibam que o teu nome é invocado sobre esta casa que construí.”

2 Crônicas 7:14: “Então, se o meu povo, que leva o meu nome, se humilhar, orar, procurar a minha face e abandonar os seus maus caminhos, eu ouvirei desde os céus, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra.”


2 Crônicas ajuda a explicar outras passagens

2 Crônicas 6:21:“Escuta as súplicas por ajuda do teu servo e as súplicas do teu povo Israel quando orarem em direção a este lugar. Que tu ouças do lugar da tua morada, os céus; sim, que tu ouças e perdoes.

Encontramos no mesmo texto alusão ao individual (“servo”) e ao coletivo (“povo”).

Isso ajuda a entender o “escravo fiel e prudente” de Mateus 24:45-47 como sendo um elemento coletivo, ao passo que na mesma passagem são mencionados os “domésticos” – membros individuais desse coletivo “escravo”.

Mateus 24:45-47: “Quem é realmente o escravo fiel e prudente, a quem o seu senhor encarregou dos seus domésticos, para lhes dar o alimento no tempo apropriado? Feliz aquele escravo se o seu senhor, quando vier, o encontrar fazendo isso! Digo a verdade a vocês: Ele o encarregará de todos os seus bens.”


O sofrimento de cada pessoa é único. Por isso devemos evitar fazer julgamentos e comparações

2 Crônicas 6:29: “E um homem ou todo o teu povo Israel fizer uma oração ou apresentar um pedido de favor, qualquer que seja (pois cada um conhece a sua própria aflição e a sua própria dor), quando eles estenderem as mãos em direção a esta casa.”


Nem toda promessa divina visando a eternidade é absoluta; pode ser condicional

2 Crônicas 7:16: “Eu escolhi e santifiquei esta casa, a fim de que o meu nome esteja nela de modo permanente, e os meus olhos e o meu coração sempre estarão nela.

2 Crônicas 7:19, 20: “Mas, se vocês se desviarem e abandonarem os decretos e os mandamentos que coloquei diante de vocês, e forem servir outros deuses e se curvarem diante deles, eu arrancarei Israel da terra que lhes dei, lançarei para longe da minha vista esta casa que santifiquei para o meu nome, e farei dela alvo de desprezo e motivo de zombaria entre todos os povos.”


Harmonizando passagens bíblicas

2 Crônicas 8:10: “Havia 250 chefes dos encarregados da obra do rei Salomão. Eles eram os capatazes dos trabalhadores.”

1 Reis 5:16: “Além de 3.300 encarregados que serviam como capatazes para supervisionar os trabalhadores.”

1 Reis 9:23: “Havia 550 chefes dos encarregados, que supervisionavam a obra de Salomão. Eles eram os capatazes dos trabalhadores.”

A solução dessa aparente contradição foi trazida à atenção pela obra Estudo Perspicaz das Escrituras:

Os “prepostos principescos” serviam também como capatazes e supervisores da força operária empenhada nas construções realizadas durante o reinado de Salomão. Parece que os dois relatos sobre esses prepostos, em Primeiro Reis e em Segundo Crônicas, diferem apenas no método de classificação, sendo que o primeiro alista 3.300, mais 550, que soma 3.850 (1Rs 5:16; 9:23), e o segundo fornece 3.600, mais 250, que também totaliza 3.850. (2Cr 2:18; 8:10) Os peritos (Ewald, Keil, Michaelis) opinam que Crônicas diferencia os 3.600 prepostos não-israelitas dos 250 prepostos israelitas, ao passo que em Reis a distinção dos prepostos é entre os 3.300 capatazes subordinados e os 550 supervisores principais, esta última cifra incluindo 300 não-israelitas. – it-3, pp. 312-313, verbete “Preposto”.

Vejamos outro exemplo:

2 Crônicas 8:18: “Por meio dos seus servos, Hirão lhe enviou navios e marinheiros experientes. Eles foram com os servos de Salomão a Ofir e trouxeram de lá 450 talentos de ouro, e os levaram ao rei Salomão.

1 Reis 9:26-28: “O rei Salomão fez também uma frota de navios em Eziom-Geber, que fica junto a Elote, à beira do mar Vermelho, na terra de Edom. Com a frota de navios, Hirão enviou os seus servos, marinheiros experientes, para trabalhar com os servos de Salomão. Eles foram a Ofir e trouxeram de lá 420 talentos de ouro, e os levaram ao rei Salomão.”

Novamente, obra Estudo Perspicaz das Escrituras equaciona o problema:

[…] a frota comercial de Salomão, filho de Davi, trazia regularmente de Ofir 420 talentos de ouro. (1Rs 9:26-28) O relato paralelo em 2 Crônicas 8:18 reza 450 talentos. Alguns peritos sugerem que esta diferença surgiu quando letras do alfabeto serviam como algarismos — que um antigo copista poderia ter confundido a letra hebraica numeral nun (נ), que representava 50, com a letra kaf (כ), que equivalia a 20, ou vice-versa. Contudo, a evidência indica que todos os números nas Escrituras Hebraicas eram escritos por extenso, em vez de serem representados por letras. Uma explicação mais provável, portanto, é que ambos os dados estejam corretos, e que o total bruto trazido foi de 450 talentos, dos quais 420 constituíam lucro líquido. – it-3, p. 125, verbete “Ofir”.


Apreço da rainha de Sabá foi valorizado por Deus

2 Crônicas 9:1-9: “A rainha de Sabá ouviu falar da fama de Salomão, por isso foi a Jerusalém para pôr Salomão à prova com perguntas difíceis. Ela foi acompanhada de uma comitiva impressionante, com camelos carregando óleo de bálsamo e uma grande quantidade de ouro e pedras preciosas. Ela se apresentou a Salomão e falou com ele a respeito de tudo que tinha no coração. Salomão respondeu a todas as suas perguntas. Não havia nada que fosse difícil demais para Salomão explicar a ela. Quando a rainha de Sabá viu a sabedoria de Salomão, a casa que ele tinha construído, o alimento da sua mesa, e a ordem em que se sentavam seus oficiais, o serviço dos que serviam à mesa e a roupa deles, seus copeiros e a roupa deles, e os sacrifícios queimados que ele oferecia na casa de Jeová, ela ficou sem fala. Então ela disse ao rei: ‘Tudo o que eu ouvi na minha terra sobre as suas realizações e sobre a sua sabedoria era verdade. Mas só acreditei no que ouvi depois de vir e ver com os meus próprios olhos. E, na verdade, não me contaram nem a metade da sua grande sabedoria. O senhor superou em muito o que ouvia seu respeito. Felizes são os seus homens, e felizes são os seus servos que estão sempre diante do senhor, escutando a sua sabedoria! Que Jeová, seu Deus, seja louvado, aquele que se agradou do senhor, pondo-o no Seu trono como rei em nome de Jeová, seu Deus. Visto que o seu Deus ama Israel e quer que esse povo permaneça para sempre, Ele designou o senhor como rei sobre Israel para governar com justiça e retidão.’ Então ela deu ao rei 120 talentos de ouro [4.104 kg, ou cerca de US$ 49.248.000] e uma grande quantidade de óleo de bálsamo e pedras preciosas. Nunca mais se trouxe óleo de bálsamo como o que a rainha de Sabá deu ao rei Salomão.”

Lucas 11:31: “A rainha do sul [a rainha de Sabá, cujo país ficava ao sul da Terra da Promessa] será levantada no julgamento com os homens desta geração e os condenará, porque ela veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. Mas agora alguém maior do que Salomão está aqui.”

Será que somos incansáveis na busca da sabedoria divina?

Provérbios 2:1-6: “Meu filho, se você aceitar as minhas declarações e guardar no coração os meus mandamentos, ouvindo atentamente a sabedoria e inclinando o seu coração ao discernimento; além disso, se você clamar pelo entendimento e erguer a voz pedindo discernimento; se você persistir em procurar essas coisas como a prata e continuar a buscá-las como a tesouros escondidos; então você entenderá o que significa temer a Jeová e achará o conhecimento de Deus. Pois é Jeová quem dá sabedoria; da sua boca procedem conhecimento e discernimento.”


Prosperidade material do Reinado de Salomão prefigura a do Reinado do Messias

2 Crônicas 8:18: “Por meio dos seus servos, Hirão lhe enviou navios e marinheiros experientes. Eles foram com os servos de Salomão a Ofir e trouxeram de lá 450 talentos de ouro [15.390 kg, cerca de US$ 184.680.000], e os levaram ao rei Salomão.”

2 Crônicas 9:9: “Então ela deu ao rei 120 talentos de ouro [4.104 kg, ou cerca de US$ 49.248.000] e uma grande quantidade de óleo de bálsamo e pedras preciosas. Nunca mais se trouxe óleo de bálsamo como o que a rainha de Sabá deu ao rei Salomão.”

2 Crônicas 9:13: “O peso do ouro que Salomão recebia por ano era de 666 talentos [22.777 kg, ou cerca de US$ 273.326.400].”

2 Crônicas 9:15: “O rei Salomão fez 200 escudos grandes de liga de ouro (cada um tinha 600 siclos de liga de ouro) [US$ 16.416.000].”

2 Crônicas 9:16: “E 300 escudos pequenos de liga de ouro (cada escudo pequeno tinha três minas de ouro). Então o rei os colocou na Casa da Floresta do Líbano.”l (Cada broquel, ou escudo pequeno, pesava 1,71 kg; ao todo, eram 513 kg, e US$ 6.156.000.)

2 Crônicas 9:26: “E ele governava todos os reis desde o rio Eufrates até a terra dos filisteus, e até o limite do território do Egito.”

Salmo 72:2-4, 8: “Que ele [o Messias] defenda a causa do teu povo com retidão; e a dos teus humildes, com justiça. Que os montes tragam paz ao povo, e as colinas justiça. Que ele defenda os humildes do povo, que salve os filhos dos pobres e esmague aquele que os explora. Ele terá súditos de mar a mar, e desde o rio [Eufrates] até os confins da terra.”

Salmo 72:16: “Haverá fartura de cereal na terra, e superabundância no cume das montanhas. Os frutos do rei crescerão como no Líbano, e nas cidades as pessoas florescerão como a vegetação da terra.”


Explicação das siglas usadas:

it: obra Estudo Perspicaz das Escrituras. O número em sequência indica o volume.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org











Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *