Image Map











quarta-feira, 4 de maio de 2016

A possessão demoníaca prova que o espírito santo seja uma pessoa?

Fonte da ilustração:
http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1102014664

Certo leitor escreveu:

Olá, amado irmão.

Debatendo com um trinitarista sobre a personalidade do espírito santo, o tal afirmou que é possível sim uma pessoa "encher" outra pessoa; e para tal usou o exemplo dos demônios, que são espíritos pessoas, mas que podem "entrar" numa pessoa.

Segundo ele, "entrar" e "encher" não faz diferença, visto que podemos dizer que "a água ENTROU no navio e este afundou" ou podemos dizer que a "água ENCHEU o navio e este afundou."

Nessa explicação dele, o espírito "entrar" numa pessoa significa que a pessoa fica sob o seu controle ou influência.

No caso do espírito santo, ele "encher" uma pessoa significa que ela está sob seu controle ou influência.
Então conclui: Se o argumento unitário está certo e o espírito santo não é pessoa porque enche, da mesma forma demônios não são pessoas, porque entram numa pessoa.

Eu gostaria de saber do irmão qual é a diferença das palavras gregas ou hebraicas para "entrar" e "encher" e assim fazer uma refutação mais elaborada.

Agradeço.


Resposta do apologista:

O exemplo citado pelo referido trinitarista para fundamentar a tese dele, de que “entrar” e “encher” significam a mesma coisa, prova justamente o contrário.

Quando ondas bravias arrebentam contra o casco de um navio ou de uma embarcação menor, um pouco de água pode entrar no navio, mas isso não significa que a embarcação fique cheia de água. Mesmo quando uma embarcação sofre ruptura em seu casco, e as águas começam a entrar por essa ruptura, leva algum tempo até que o navio fique cheio de água e afunde. Portanto, o verbo “entrar” não significa “encher”. A continuidade da ação de entrar resulta em se encher algo. Mas as duas ações não são a mesma coisa. Não é possível encher sem entrar, mas é possível entrar sem encher.

Os termos gregos não significam a mesma coisa

Vejamos as palavras “entrar” e “encher” em textos do “Novo Testamento”:

Lucas 22:3:
Εσλθεν δ Σατανς ες οδαν
Eisêlthen dè Satanâs eis Ioúdan
Entrou pois Satanás em Judas

O verbo eisêlthen é derivado de eisérkhomai σέρχομαι). Este último tem a preposição eis, que indica movimento para dentro, e érkhomai, que significa “vir”; portanto, ‘vir para dentro’, ou “entrar”.
εσέρχομαι, v

Vejamos agora a palavra grega para “encher”:

Atos 2:4:
κα πλσθησαν πντες πνεματος γου
kaì eplésthesan pántes pneúmatos hagíou
E ficaram cheios todos de espírito santo

Efésios 5:18:
πληροσθε ν πνεματι
pleroûsthe en penúmati
Ficai cheios em espírito

O verbo envolvido é πληρόω (pleróo), que significa basicamente “encher”.

Portanto, tanto em português quanto em grego – de fato, em qualquer idioma – “entrar” e “encher” não significam a mesma coisa.

Diferença entre o espírito santo e os seres espirituais pessoais

O histórico dos demônios prova que são seres espirituais pessoais.

A Bíblia mostra que os demônios eram seres espirituais pessoais de boa índole, chamados de “anjos”, antes de se tornarem maus e serem chamados de “demônios”. 2 Pedro 2:4 os descreve como “os anjos que pecaram”, e Judas 6 os menciona como “os anjos que não mantiveram sua posição original, mas abandonaram sua própria morada correta”. O mesmo não se dá com o espirito santo. Não há na Bíblia nenhum histórico sobre ele.

Falta ao espírito santo identificação como pessoa.

Além disso, a expressão “espírito santo” é um termo genérico que poderia ser usada para descrever qualquer ser espiritual perfeito. Deus, o Pai, é Espírito, e é santo. (João 4:24; 17:11)  Portanto, ele é um espírito santo pessoal. Jesus, o Filho, também é espírito, e é santo. (1 Pedro 3:18; João 6:69) Os anjos de Deus são todos espíritos, e são santos. (Hebreus 1:7; Marcos 8:38) Assim, todos esses são espíritos santos pessoais. Para que o “espírito santo” seja uma pessoa, ele teria de ter um nome pessoal para distingui-lo dos demais espíritos santos pessoais que existem. Mas, falta-lhe tal identificação como pessoa.

Os demônios possuem corpo espiritual definido. O espírito santo, não.

A Bíblia diz: “Se há corpo físico, há também um espiritual. E, assim como levamos a imagem daquele feito do pó, levaremos também a imagem do celestial.” (1 Coríntios 15:44, 49) Portanto, os seres espirituais pessoais têm corpo definido. Assim, um demônio consegue se apossar de um corpo de um ser material, mas não consegue se apossar de diversos corpos físicos ao mesmo tempo.

Por outro lado, o espírito santo – uma energia – não tem definição corporal e pode, não apenas “entrar”, mas “encher” pessoas – e várias delas – ao mesmo tempo.

Atos 1:15: “Naqueles dias, Pedro se levantou no meio dos irmãos (os presentes ali somavam cerca de 120 pessoas).”

Atos 2:4: “E todos ficaram cheios de espírito santo e começaram a falar em línguas, assim como o espírito os capacitava.”

Nisso reside a razão pela qual só o espírito santo pode “encher” pessoas: porque somente ele pode ser parcelado. Lemos as palavras de Jeová a Moisés em Números 11:17, 25:

 “‘Eu descerei e falarei com você ali, tirarei um pouco do espírito que há sobre você e o colocarei sobre eles. E eles o ajudarão a levar o fardo do povo, para que você não tenha de levá-lo sozinho.  Jeová desceu então numa nuvem e falou com ele, e tirou um pouco do espírito que havia sobre ele e pôs sobre cada um dos 70 anciãos. E, logo que o espírito veio sobre eles, começaram a agir como profetas,  mas fizeram isso apenas aquela vez.


A questão do exercício da influência

O referido trinitarista, na sua proposição de tentar igualar o espírito santo aos demônios na questão da pessoalidade, afirmou que a ação de ambos em um ser humano significa exercer controle sobre o mesmo.

Mas há uma diferença fundamental no caso do espírito santo: o respeito pelo livre-arbítrio. Quando o espírito santo encheu pessoas fiéis, energizando-as ou lhes dando capacidade de executarem algo que naturalmente não conseguiriam, tais pessoas continuaram com seu livre-arbítrio. Nada na Bíblia indica que foram forçadas a agir. Por exemplo, Davi tinha espírito santo, mas isso não o impediu de cometer adultério, a ponto de ele suplicar a Jeová: “Não me expulses da tua presença; e não tires de mim o teu espírito santo.” – Salmo 51:11.

Por outro lado, o controle exercido pelos demônios faz as pessoas agir ao contrário do que fariam normalmente, conforme os textos abaixo:

Marcos 9:20: “Ao ver Jesus, o espírito lançou o menino imediatamente em convulsões. Depois de cair no chão, ele ficou rolando e espumando pela boca.”

 Marcos 5:2, 5: “E, assim que Jesus saiu do barco, um homem sob o poder de um espírito impuro saiu dentre os túmulos e foi ao seu encontro. E, incessantemente, noite e dia, ele gritava nos túmulos e nos montes, e se cortava com pedras.

Portanto, por todos os motivos lógica e biblicamente fundamentados acima, a possessão demoníaca NÃO prova que o espírito santo seja uma pessoa.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





18 comentários:

  1. Excelente explicação... Gostei muito do artigo, especialmente de 2 argumentos. 'O espírito santo enche inúmeras pessoas' e 'o espírito santo pode ser parcelado' como foi citado em Números 11. Não tem lógica dizer que foi tirado uma parte de Jeová e Jesus e dividido entre um grupo de pessoas... Assim; espírito santo não é semelhante a Deus, nem ao seu filho Jesus... A verdade é clara, lógica e sensata!

    ResponderExcluir
  2. Olá Apologista da Verdade

    Bom dia

    Interessante o estudo assim como os outros estudos. Davi mesmo pecando tinha o Espirito Santo então vem a dúvida: Davi enquanto um ser pessoal consegui com sua ação "dominar" o Espirito Santo e pecar? O Espirito Santo pode ser "dominado" pela ação humana?

    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como o artigo mostrou, Jeová, por meio de seu espírito santo, atua sobre seus servos, ajudando-os a fazer o que é certo. Mas, Jeová respeita o livro-arbítrio das pessoas. Ele não força ninguém. Quando alguém como Davi, age contrário à boa influência do espírito santo de Deus, tal pessoa não está 'dominando' tal espírito; está resistindo à boa influência desse espírito.

      Excluir
  3. Caro amigo,percebo que vc no meio de uma Guerra Espiritual,sabe manejar bem a Espada do Espírito.continue assim é nunca baixe a Guarda,o escudo e a Espada.valeu!

    ResponderExcluir
  4. Caro amigo,percebo que vc no meio de uma Guerra Espiritual,sabe manejar bem a Espada do Espírito.continue assim é nunca baixe a Guarda,o escudo e a Espada.valeu!

    ResponderExcluir
  5. Percebo que o irmão sabe manejar bem a Espada do Espírito,nas explanações.pois quem faz isso,cumpre-1cor 2:10

    ResponderExcluir
  6. Olá Apologista da Verdade

    Boa tarde

    No exemplo de Davi se ele resistiu ao espirito santo então a ação dele prevaleceu sobre a ação de Deus. Se o espirito santo que veio de Deus foi impedido de atuar estando dentro de Davi então Davi venceu a ação de Deus justamente com o livre-arbitrio.Davi prevaleceu na luta interna.
    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como já explicado acima, o espírito santo não FORÇA ninguém a fazer a vontade divina. Portanto, não se trata de uma vitória sobre o espírito santo, pois esse espírito ou energia não é usado por Deus para FORÇAR os seus servos. Davi apenas decidiu não aceitar os bons frutos de qualidades piedosas que o espírito santo estava produzindo no íntimo dele. - Gálatas 5:22, 23.

      Excluir
  7. A ação de Davi baseada no livre-arbitrio superou os frutos do espirito santo ou seja mesmo o espirito santo produzindo qualidades de Deus em Davi e mesmo assim tais qualidades foram vencidas pela ação de Davi. Lembrando que o ser humano coopera no processo de salvação.

    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mostra que a decisão cabe a cada um, e cada um responde pelas decisões tomadas. "O que a pessoa semear, isso também colherá." - Gálatas 6:7

      Excluir
  8. Apologista da Verdade, por favor, me tire uma dúvida: as Testemunhas de Jeová acreditam mesmo que o Espírito Santo foi "derramado" literalmente sobre os 120 discípulos no dia de Pentecoste ou tal expressão bíblica é uma figura de linguagem para se referir a obra do Espírito naquelas pessoas? E quanto ao ser cheio do Espírito, o Espírito enche literalmente àqueles aos quais é dado por Deus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fabiano!

      A Bíblia usa para o espírito santo verbos não usados para pessoas espirituais (o Pai, o Filho e os anjos):
      ENCHE pessoas. – Êxodo 31:3; Atos 2:4.
      Pode VIR SOBRE elas. – Juízes 3:10; Lucas 2:25.
      Pode ESTAR ATIVO em pessoas. – Juízes 14:6; 1 Samuel 10:6.
      É DERRAMADO. – Atos 2:17; 10:45.
      PARCELADO. – Números 11:17, 25.
      SOPRADO. – João 20:22.

      O espírito santo é comumente associado a coisas impessoais:
      ao fogo’ (Mateus 3:11);
      à fé (Atos 6:5; 11:24);
      à alegria (Atos 13:52)
      á água e ao sangue. (1 João 5:5-8)

      O espírito santo não tem identificação pessoal; falta-lhe um nome, o que não ocorre com o Pai e o Filho.

      Veja os artigos:
      O “Espírito Santo” é uma pessoa?
      Debate sobre o espírito santo
      "Espírito Santo" – um dilema para os trinitaristas


      Excluir
  9. Olá Apologista da Verdade

    Bom dia

    Muito obrigado pela resposta.

    Um abraço

    Luiz

    ResponderExcluir
  10. Trinitarios costumam citar tambem Efesios 4:30 que diz "E não entristeçais o Espirito de Deus"...O apostolo empregou nessa passagem uma figura de linguagem chamada prosopopeia ou animismo, que personifica coisas que nao sao pessoas, isso ocorre varias vezes na Biblia e em obras literarias. Se os cristaos em Efeso praticassem as coisas mencionadas por Paulo nos versiculos anteriores , eles estariam agindo contrario a influencia do espirito com o qual foram selados .

    ResponderExcluir
  11. A própria Tradução do Novo Mundo confirma que o Espírito é uma Pessoa: " Ou vocês acham que é sem motivo que as Escrituras dizem: “O espírito que passou a morar em nós continua cheio de desejos invejosos”?Tiago 4.5

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É óbvio que esse "espírito" de que trata Tiago 4:5 não é nada santo, pois está "cheio de desejos invejosos". O sentido de espírito nesse texto é de disposição, ou inclinação mental. (Veja o artigo "Estudo sobre Pneumatologia – Parte 3". Também, Tiago 4:5 personifica as Escrituras, por afirmar que elas "dizem" (falam), mostrando que a personificação é um recurso comum na Bíblia, inclusive sendo aplicada ao espírito santo.

      Excluir
  12. Outro texto, além de Tiago 4.5, prova que o Espírito Santo é uma Pessoa: "Mas Pedro disse: “Ananias, como Satanás levou você a mentir+ de forma descarada ao espírito santo". É óbvio que se alguém mente, mente para alguma pessoa. Ninguém mente para um poste ou uma cadeira, não é mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um artigo foi preparado respondendo seu questionamento e será publicado neste site.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *