Image Map











domingo, 19 de junho de 2016

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (Parte 12)

Jesus fala com um homem doente ao lado do reservatório de Betezata
Fonte da ilustração: 
https://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/jesus/ministerio-na-galileia/fazer-boas-obras-no-sabado/

Cura de um paralítico no sábado (Páscoa de 31 EC)
(João 5:1-16)
Depois destas coisas houve uma festividade dos judeus,[1] e Jesus subiu a Jerusalém. 2 Ora, em Jerusalém, junto ao portão das ovelhas,[2] havia um reservatório de água, denominado em hebraico Betsata, com cinco colunatas[3]. 3 Nestas deitava-se uma multidão de doentes, cegos, coxos e os que tinham membros ressequidos. 4 —— 5 Mas, havia ali também certo homem que já estava com a sua doença por trinta e oito anos. 6 Vendo este homem deitado e apercebendo-se de que já estava [doente] por longo tempo, Jesus disse-lhe: “Queres ficar são?” 7 Respondeu-lhe o doente: “Senhor, não tenho nenhum homem para pôr-me no reservatório de água quando a água fica agitada;[4] mas, enquanto eu me chego, outro desce na minha frente.” 8 Jesus disse-lhe: “Levanta-te, apanha a tua maca e anda.” 9 Com isso, o homem ficou imediatamente são, e ele apanhou a sua maca e começou a andar.
Ora, aquele dia era sábado. 10 Os judeus começaram, por isso, a dizer ao homem curado: “É sábado, e não te é lícito carregar a maca.” 11 Mas ele lhes respondeu: “O mesmo que me fez são disse-me: ‘Apanha a tua maca e anda.’” 12 Disseram-lhe: “Quem é o homem que te disse: ‘Apanha-a e anda’?” 13 Mas o homem sarado não sabia quem ele era, porque Jesus se havia desviado, pois havia uma multidão no lugar.
14 Depois destas coisas, Jesus encontrou-o no templo e disse-lhe: “Eis que tens ficado são. Não peques mais, a fim de que não te aconteça algo pior.” 15 O homem foi embora e disse aos judeus que fora Jesus quem o havia feito são. 16 Assim, por esta razão, os judeus perseguiam a Jesus, porque fazia estas coisas durante o sábado.

Alguns judeus acusam Jesus de violar o sábado
Fonte da ilustração:
https://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/jesus/ministerio-na-galileia/jesus-filho-de-deus/

Jesus responde a seus acusadores
(João 5:17-47)
17 Mas ele lhes respondeu: “Meu Pai tem estado trabalhando até agora e eu estou trabalhando.” 18 Deveras, por esta razão, os judeus começaram ainda mais a procurar matá-lo, porque não somente violava o sábado, mas também chamava a Deus de seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.
19 Portanto, em resposta, Jesus prosseguiu a dizer-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente o que ele observa o Pai fazer. Porque as coisas que Este faz, estas o Filho faz também da mesma maneira. 20 Pois o Pai tem afeição pelo Filho e mostra-lhe todas as coisas que ele mesmo faz, e mostrar-lhe-á obras maiores do que estas, a fim de que vos maravilheis. 21 Porque, assim como o Pai levanta os mortos e os faz viver, assim também o Filho faz viver os que ele quer. 22 Porque o Pai não julga a ninguém, mas tem confiado todo o julgamento ao Filho, 23 a fim de que todos honrem o Filho, assim como honram o Pai. Quem não honrar o Filho, não honra o Pai que o enviou. 24 Digo-vos em toda a verdade: Quem ouve a minha palavra e acredita naquele que me enviou tem vida eterna, e ele não entra em julgamento, mas tem passado da morte para a vida.
25 “Digo-vos em toda a verdade: Vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que tiverem dado ouvidos viverão. 26 Pois, assim como o Pai tem vida em si mesmo, assim também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo. 27 E deu-lhe autoridade para julgar, porque é Filho do homem. 28 Não vos maravilheis disso, porque vem a hora em que todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a sua voz 29 e sairão, os que fizeram boas coisas, para uma ressurreição de vida, os que praticaram coisas ruins, para uma ressurreição de julgamento. 30 Não posso fazer nem uma única coisa de minha própria iniciativa; assim como ouço, eu julgo; e o julgamento que faço é justo, porque não procuro a minha própria vontade, mas a vontade daquele que me enviou.
31 “Se eu sozinho der testemunho de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro. 32 Há outro que dá testemunho de mim, e eu sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro. 33 Vós mandastes homens a João, e ele tem dado testemunho da verdade. 34 No entanto, não aceito o testemunho de homem, mas digo estas coisas para que sejais salvos. 35 Esse homem era uma lâmpada acesa e brilhante, e vós, por um pouco de tempo, estáveis dispostos a alegrar-vos grandemente na sua luz. 36 Mas, eu tenho o testemunho maior do que o de João, porque as próprias obras que meu Pai me determinou efetuar, as próprias obras que eu faço, dão testemunho de mim de que o Pai me mandou. 37 Também, o próprio Pai que me enviou tem dado testemunho de mim. Vós nem ouvistes jamais a sua voz, nem vistes a sua figura; 38 e não tendes a sua palavra remanescente em vós, porque não acreditais naquele mesmo a quem ele mandou.
39 “Pesquisais as Escrituras, porque pensais que por meio delas tereis vida eterna; e estas mesmas são as que dão testemunho de mim. 40 Contudo, vós não quereis vir a mim para ter vida. 41 Não aceito glória de homens, 42 mas eu bem sei que não tendes em vós o amor de Deus. 43 Vim em nome de meu Pai, mas não me recebestes; se algum outro chegasse no seu próprio nome, a este receberíeis. 44 Como podeis crer, quando aceitais glória uns dos outros e não buscais a glória que é do único Deus? 45 Não penseis que vos hei de acusar perante o Pai; há um que vos acusa, Moisés, em quem depositastes a vossa esperança. 46 De fato, se acreditásseis em Moisés, teríeis acreditado em mim, porque este escreveu a meu respeito.[5] 47 Mas, se não acreditais nos escritos desse, como acreditareis nas minhas declarações?”

Explicação das siglas usadas:

AEC: Antes de nossa Era Comum.
EC: Era Comum.
it: obra Estudo Perspicaz das Escrituras, publicada pelas Testemunhas de JeováO número em sequência indica o volume.


Notas: 

[1] A Páscoa. – It-2, pp. 539-40; It-3, p. 354.
[2] Ficava próximo da área do templo, (Nee. 3:1, 32; 12:39) provavelmente, no canto NE da cidade, ou próximo dali. Este portão pode ter sido assim chamado por se trazerem através dele ovelhas e cabritos para sacrifícios, ou, talvez, devido a um mercado que se localizasse nas imediações. – It-3, p. 289
[3] Situado na parte N de Jerusalém. Descobertas arqueológicas em 1888 revelaram um reservatório duplo, dividido por um muro de pedras e abrangendo uma área geral de cerca de 46 m por 92 m. – It-1, p. 356.
[4] A Bíblia não fornece nenhum indício quanto à causa da agitação das águas, mas mostra simplesmente a crença do povo nos poderes curativos das águas. – It-1, p. 356.
[5] Gên. 3:15; 49:10; Deut. 18:15.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *