Image Map











terça-feira, 5 de julho de 2016

Uma conversa sobre a Bíblia – a Bíblia é contra transfusões de sangue?

Fonte da ilustração:
https://www.jw.org/pt/testemunhas-de-jeova/perguntas-frequentes/por-que-testemunhas-jeova-nao-transfusao-sangue/



Artigo Contribuído.


Leia a seguir uma típica conversa que uma Testemunha de Jeová pode ter com uma pessoa. Imaginemos que Carlos questiona seu colega de trabalho, Pedro, sobre algo que ele ouviu a respeito das Testemunhas de Jeová.


CARLOS - Bom dia Pedro!

PEDRO - Bom dia Carlos! E ai, como foi seu final de semana?

CARLOS - Tranquilo. Eu fui passear com minha família e aproveitamos pra fazer uma visita ao meu sogro.

PEDRO - Que bom!

CARLOS - Estivemos conversando bastante. Mas teve uma coisa sobre a qual nós conversamos que me deixou chocado. Me diz uma coisa, Pedro: Aquela vez que você disse que ia se ausentar por causa de um Congresso; bem... você disse que era... Testemunha de Jeová, não é?

PEDRO - Isso. É como eu te expliquei, é um evento que acontece uma vez por ano em todo mundo.

CARLOS - Certo. Era sobre isso que eu e meu sogro estávamos conversando: As Testemunhas de Jeová. Bem, eu não conheço muito bem a sua religião. Já ouvi falar que vocês pregam de porta em porta. Como eu moro em um condomínio fechado, eu nunca tive contato com nenhum de vocês. Achei que era só mais uma religião evangélica. Mas, daí o meu sogro, que é evangélico, estava me contando que as Testemunhas de Jeová não recebem transfusões de sangue. Ele me disse que elas preferem morrer a tomar sangue. Ele até me contou um caso em que uma mãe deixou a filha morrer porque ela disse que Deus não queria que sua filha recebesse sangue. Eu fiquei revoltado com isso! Ele me disse que vocês na verdade são uma seita e que a Bíblia não fala nada sobre transfusão de sangue. Eu fiquei confuso. Pedro, por que vocês são contra transfusões de sangue? Qual o problema em querer salvar uma vida? Será que Deus é tão cruel assim?

Introdução eficaz do assunto

PEDRO – Bem, Carlos, antes de eu te explicar nossa posição com relação ao sangue, eu gostaria de fazer algumas observações. Infelizmente, existe um histórico grande de oposição à nossa religião em diversos lugares por onde nós pregamos. Às vezes essa oposição vem em forma de boatos e calúnias. E em alguns lugares nós sofremos até violência física. Acredito que a informação que chegou até o seu sogro está incompleta e foi distorcida. Mas eu quero agradecer por você sinceramente vir até mim pra entender mais sobre essa questão. Eu percebo sua boa motivação.

CARLOS - Acho importante ouvir os dois lados. Talvez uma Testemunha de Jeová explique melhor o assunto.

PEDRO - Pois bem: Quero deixar claro que, do ponto de vista médico, isso é apenas uma questão de LIBERDADE DE ESCOLHA DE TRATAMENTO. Nós não somos suicidas. Não queremos morrer nem deixar nossos filhos morrerem. A prova disso é que nós procuramos ajuda médica sempre que ficamos doentes, mesmo quando acontece uma doença grave ou um acidente. Nós amamos a vida e queremos continuar vivendo. Eu gostaria até de te contar COMO nós somos tratados sem sangue. Mas antes, deixe eu te explicar o PORQUÊ nós não fazemos uso do sangue.

CARLOS - Tudo bem. Faz sentido. Agora fiquei curioso. Continue.

A base bíblica

PEDRO - Tudo o que as Testemunhas de Jeová procuram fazer está baseado na Bíblia. Nós procuramos harmonizar todos os aspectos de nossa vida com o ponto de vista bíblico. E por isso nós estudamos constantemente a Bíblia. Se nós evitamos transfusão de sangue, é porque há algo na Bíblia que indica isso. Deixe eu te mostrar um texto bíblico aqui no meu celular. Veja aqui Atos 15:29. Diz assim: “
Que persistam em se abster de coisas sacrificadas a ídolos, de sangue, do que foi estrangulado e de imoralidade sexual. Se vocês se guardarem cuidadosamente dessas coisas, tudo irá bem com vocês. Saudações!” Neste texto há uma ordem clara de se ABSTER de sangue. Carlos, você sabe o que significa a palavra ‘ABSTER’?

CARLOS - Não usar. Não utilizar algo.

PEDRO - Exatamente! 

CARLOS - Mas isso não faz sentido. Naquela época nem existia transfusão de sangue. Nem hospital existia. Como é que Deus estaria proibindo um procedimento médico? Faz mais sentido acreditar que não era pra comer sangue.

PEDRO - Novamente é preciso entender o significado da palavra “abster”. Deixe eu te dar um exemplo. Se um médico dissesse para você se abster de álcool, você o injetaria na veia?

CARLOS - Com certeza, não! Ninguém faria isso.

PEDRO - Isso também se aplica a outras coisas. Por exemplo, se abster de cigarro: você não vai fumar, evitará sempre que possível ser um fumante passivo, nem mascar tabaco, nem inalá-lo sob qualquer forma.

Lembre-se: TUDO que nós comemos e introduzimos via oral, endovenosa ou intramuscular vai para nossa corrente sanguínea. Injetar na veia é apenas uma maneira de encurtar o caminho.

Já sobre a sua afirmação de que a ordem de Atos 15:29 teria apenas uma implicação nutricional de ‘não comer’, mas não teria uma relação médica como ‘transfusão de sangue’, saiba que desde antes de Cristo o sangue humano já era usado como tratamento. Os médicos egípcios usavam sangue para tratar lepra. Existiam até médicos romanos do primeiro século de nossa Era Cristã que utilizavam o sangue de gladiadores mortos para tratar epiléticos. O escritor do livro de Atos também sabia disso, porque ele era médico.

O fato de que algo passou a ser utilizado de uma maneira diferente não remove a restrição de seu uso. Sempre existe um principio por trás de uma ordem ou uma proibição. Se você se abstém de drogas, é porque elas causam dependência e graves problemas de saúde. Estará seguindo o princípio do respeito à vida. Nós evitamos transfusões de sangue pelo mesmo motivo que não usamos sangue como alimento e não comemos carne de animais não sangrados. Há um principio por detrás dessa ordem.

CARLOS - E que princípio é esse?

PEDRO - O princípio da santidade do sangue. A Bíblia deixa evidente esse princípio em diversas partes. Por exemplo, ela relaciona o sangue com a vida, em Levítico 17:11. Ela ordenou há muito tempo que Noé não deveria utilizar sangue. (Gênesis 9:3, 4) O sangue deveria ser derramado. (Deuteronômio 12:23, 24) Havia apenas um único uso do sangue aprovado por Deus, e era para sacrifícios. (Levítico 17:11b) Mas para os cristãos não existe essa obrigação, de fazer sacrifícios de animais. O sacrifício de Cristo já cumpriu essa finalidade.

Assim, quando um cristão se abstém de sangue, ele está, na verdade, expressando sua fé em que APENAS o sangue derramado de Jesus Cristo pode realmente redimi-lo e salvar a sua vida. – Efésios 1:7.

CARLOS – Mas, então, COMO um cristão vai ter sua vida salva se precisar de uma transfusão de sangue?

PEDRO - Essa é uma pergunta interessante. Mas lembre-se de que, como Criador, Deus sabe melhor do que ninguém o que nos prejudica e o que nos beneficia. E as pesquisas médicas têm mostrado que, quem evita transfusão de sangue, também evita diversas complicações. Por exemplo, nenhuma transfusão de sangue está 100% isenta do risco do vírus da AIDS, da hepatite e de incompatibilidades.

CARLOS - Mas é melhor correr o risco do que a certeza da morte.

A base científica

PEDRO – Não; porque, como eu disse, o sangue não é nem o melhor, nem o único tratamento. Por exemplo, existem máquinas chamadas cell-saver, que dispensam bolsas de sangue. Isto porque, ao invés de repor o sangue perdido, esta máquina lava e reinjeta o próprio sangue do paciente. Existem medicamentos que fazem com que os glóbulos vermelhos sejam produzidos com mais rapidez, como o uso de eritropoietina e solução de ferro. E também já se descobriu que não existe um ‘mínimo’, que seria o limiar entre a vida e a morte. A ciência comprovou que, ao invés de se determinar o mínimo de glóbulos vermelhos, é mais importante manter a pressão e o volume sanguíneo. Por exemplo, se a companhia de água fizesse um racionamento, o que você faria? Diminuiria o consumo de água e tentaria captar água de outras formas, não é? Talvez coletando água da chuva. Da mesma forma, isso é feito com relação aos sangue perdido. Como o mais importante é manter a volemia, o volume perdido é reposto com uma solução salina, um tipo de soro, por exemplo. Depois, pode-se reduzir o consumo de oxigênio por meio de coma induzido. E aumenta-se a demanda de oxigênio por meio de ventilação mecânica ou câmara de oxigenação hiperbárica – um ambiente de 100% oxigênio e duas vezes a pressão atmosférica. Nesse meio tempo, certos medicamentos vão entrar em ação pra restaurar os níveis dos fatores sanguíneos, por exemplo, a eritropoietina acelera a produção de hemácias. Também existem medicamentos que estimulam o surgimento de glóbulos brancos e plaquetas.

E, na verdade, o nosso corpo resiste a ‘extremos’ mais do que se imaginava. Antes os médicos achavam que o numero de hemácias não podia cair para mais de 10g/dl (10 gramas por decilitro). Mas já se sabe que, quando esse nível cai bruscamente, o corpo usa mecanismos de compensação, como a aceleração dos batimentos cardíacos e diminuição da viscosidade do sangue. E isso faz com que o sangue circule bem mais rápido que o normal. Daí a importância de se manter o volume: Para que esse sangue possa chegar em todos os tecidos.

Mas, quando o sangue é armazenado para ser transfundido, as hemácias sofrem deformação e prejudicam a microcirculação. A consequência disso é que há o risco de derrame, falência hepática, falência renal ou embolia pulmonar. Também há o risco de um choque anafilático por incompatibilidade. Mesmo se o tipo ABO ou Rh forem compatíveis, ainda há este risco. Na verdade, é mais fácil encontrar duas impressões digitais idênticas do que dois tipos sanguíneos idênticos! Há ainda o risco de uma reação transfusional como a TRALI, uma lesão pulmonar aguda com alta taxa de mortalidade. Pode ocorrer pelo contato do sangue com qualquer substância que contenha plasma.

CARLOS - Puxa, nunca tinha ouvido falar disso na minha vida! Eu realmente achava que as transfusões de sangue eram a única maneira de salvar uma vida. E também não sabia de todos estes riscos.

PEDRO - Você também mencionou um suposto caso em que uma filha de Testemunha de Jeová morreu. Na verdade, Carlos, ninguém morre porque não tomou sangue, assim como o sangue não é garantia de sobrevivência. Apesar das cirurgias sem sangue serem mais seguras, nenhum tratamento é isento de riscos. Mas o que geralmente acontece é a NEGLIGÊNCIA e a INCAPACIDADE médica. Mas lhe garanto que casos como estes são isolados. Todos os dias, milhares de cirurgias sem sangue são feitas. Não há restrições pra isso. Pode ser realizadas tanto em um campo de batalha como em um campo de refugiados. Num país de primeiro mundo até em um país de terceiro mundo. Não há limites pra esses procedimentos.

CARLOS - Não tinha pensado nesse ponto.

PEDRO - E com relação à declaração da mãe desta menina que você citou … bem, posso lhe dizer que não passou de uma colocação indevida. Por exemplo, uma mãe pode afirmar que prefere morrer do que ver seus filhos indo para o tráfico. Mas isso não significa que esta mãe queira morrer. Apenas ela tem uma firme determinação de manter seus filhos longe do tráfico. Assim também se dá conosco. Apesar de ser indevido afirmar desta maneira, pois passa uma impressão errônea, nós estamos determinados a nos manter fiéis ao nosso Deus Jeová, o Dador da vida. Pode ter certeza que os mandamentos dele não são um fardo, pelo contrário, são uma PROTEÇÃO.

Conclusão

PEDRO - Espero que você tenha entendido nossa posição. Lembre-se: Nós amamos a vida e não queremos perdê-la. Por isso que escolhemos os MELHORES tratamentos para nós e nossos filhos.

CARLOS - Olha, muito obrigado pela sua explicação. Quantas informações que eu não sabia! Depois eu vou querer saber mais sobre estes tratamentos alternativos.

PEDRO - Claro, será um prazer! Você vai encontrar mais informações também no nosso site: www.jw.org. Lá tem vários artigos interessantes que falam sobre isso.

CARLOS - Tudo bem, eu vou acessar sim!



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



2 comentários:

  1. Excelente matéria irmão. Está repleta de "pontos de interesse" com respeito á base médica, com informações bastante úteis.

    Me arrisquei em fazer também uma conversa bíblia sobre esse mesmo assunto, que pode ser encontrado aqui:

    https://ministeriotj.wordpress.com/2016/06/17/o-sangue/

    Gostei muito, de verdade. Espero que venham mais!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelo apreço pelo meu canal. Que Jeová também lhe abençoe em seus esforços de pregar pela internet em seu canal.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *