Image Map











terça-feira, 16 de agosto de 2016

O “argumento do batismo” não contesta a personalidade do “Espírito Santo”? (Parte 1)


Fonte da ilustração: 
https://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/sentinela-estudo-janeiro-2016/como-se-torna-ungido/

Um leitor escreveu:

Em Mateus 3:11, João Batista disse: “Ele vos batizará no Espírito Santo, e em fogo.” Sobre esse texto, lemos no livro Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra (p. 40, § 17): João, o Batizador, disse que Jesus batizaria com espírito santo, assim como João batizava em água. Portanto, assim como a água não é pessoa, tampouco o espírito santo é pessoa. (Mateus 3:11).”
Contudo, o mesmo "argumento do batismo" poderia ser usado contra a personalidade de Jesus Cristo, que obviamente andou na Terra como uma pessoa. Por exemplo, Romanos 6:3 diz: "Ou, porventura, ignorais que todos quantos fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?” Diante disso, alguém poderia argumentar: ‘Da mesma forma que a morte não é uma pessoa, Jesus Cristo também não é uma pessoa.’
Também, Gálatas 3:27 diz: "Porque todos quantos fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo". Aqui, o raciocínio poderia ser: ‘Já que as pessoas podem ser batizadas em Cristo e revestidas de Cristo, ele não pode ser uma pessoa.’ Estas comparações contestam a personalidade de Cristo? Não! Então o "argumento do batismo" também não contesta a personalidade do Espírito Santo.


Resposta:

Essa argumentação desconsidera o contexto envolvendo os elementos envolvidos: Jesus Cristo e o espírito santo.

No caso de Jesus, evidentemente trata-se de um personagem histórico, comprovado inclusive por fontes históricas extrabíblicas. Portanto, a alusão ao batismo “em Cristo Jesus” e a ser ‘revestido de Cristo’ são facilmente entendidas como expressões figuradas.

Como exemplo adicional, podemos citar o texto de 1 Coríntios 10:2:

“Irmãos, quero que vocês saibam que os nossos antepassados estiveram todos debaixo da nuvem e todos passaram pelo mar, todos foram batizados em Moisés, por meio da nuvem e do mar.”

Como no caso de Jesus Cristo, Moisés também é reconhecido como um personagem histórico, inclusive pelos três grandes ramos religiosos – o judaísmo, o cristianismo e o islamismo. A referência, portanto, aos israelitas e outros terem sido “batizados em Moisés” fica claramente compreendida como sendo uma expressão figurada.

O mesmo não se dá no caso do espirito santo, que não tem nenhuma historicidade no campo dos personagens reais, históricos. Sua existência ocorre no domínio espiritual.

Alguém poderia argumentar: ‘Mas, Deus, o Pai, também tem sua existência apenas no domínio espiritual.’ Acontece que, neste caso, as Escrituras como um todo atestam a sua personalidade. O próprio Jesus Cristo o chamou de “Pai”. (Mateus 6:9) Uma vez que o Filho, Jesus Cristo, é uma pessoa, seu Pai também o é.

Além disso, Hebreus 1:3 diz que Jesus Cristo é “a representação exata do seu ser” (de Deus, o Pai). Assim, uma vez que Jesus é indiscutivelmente uma pessoa, o mesmo se pode dizer de seu Pai.

Ademais, Jesus afirmou: “Também, na própria Lei de vocês está escrito: ‘O testemunho de dois homens é verdadeiro.’ Eu sou um que dá testemunho de mim mesmo, e o Pai, que me enviou, dá testemunho de mim.”João 8:17, 18.

O espírito santo também dá testemunho, mas não junto com o Pai e o Filho, e sim com coisas impessoais, como a água e o sangue:

1 João 5:7, 8: “Pois são três os que dão testemunho: o espírito, a água e o sangue; e os três estão de acordo.”

Isso se dá porque o espírito santo claramente não é uma pessoa, e sim algo impessoal, como a agua e o sangue. Pois, se fosse uma pessoa, daria testemunho junto com o Pai e o Filho. E o testemunho de três pessoas seria melhor ainda.

Um segundo fator envolvido está no significado envolvendo as já citadas expressões figuradas aplicadas a Cristo e ao Moisés. Isso será exposto na segunda e última parte deste tema.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.com.br





Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *