Image Map











quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

A banalização dos argumentos trinitários (Parte 1)



Devido à ausência de respaldo bíblico para a doutrina da Trindade, tem ocorrido uma banalização, por parte dos trinitaristas, em matéria de argumentação, que beira a uma infantilidade teológica e somente presta um desserviço aos que querem realmente comprovar os fatos.

Por exemplo, certo trinitarista afirmou que o termo “santo” indica que o espírito santo tem que ser uma pessoa, pois, segundo esse trinitário, tal termo é usado para pessoas.

Porém, tal defensor da falida doutrina da Trindade desconsidera que o termo “hágios” (“santo”), que faz parte da composição da expressão pneúma hágios (espírito santo), também é usado no “Novo Testamento” para coisas impessoais. Por exemplo, Jesus disse: “Não deis aos cães o que é santo”, evidentemente se referindo a dar algo impessoal. (Mateus 7:6) Nesta mesma linha de evidência, encontramos hágios no plural em Hebreus 9:25, com referência ao compartimento do templo em que o sumo sacerdote israelita entrava no dia da expiação. Ademais, o sábado é chamado de "dia santo" e nem por isso é uma pessoa (te hemera te hagia, na LXX, em Isaías 58:13).

Ele afirmou que a palavra “santo”, quando é substantivo, refere-se quase 95 por cento a pessoas; que, quando é adjetivo, quase 100 por cento se refere a pessoas. Acrescenta que a palavra “espírito” é usada quase 100 por cento para se referir a seres pessoais.

Bem, em primeiro lugar, é necessário ressaltar que a afirmação quanto à porcentagem acima NÃO É VERDADEIRA.

A palavra “hágios” (“santo”), (excetuando o espírito santo, que é o foco da questão), é usada cerca de 100 vezes para pessoas e cerca de 40 vezes para coisas impessoais. Portanto, 40 por cento das ocorrências – quase a metade – refere-se a algo impessoal.

Em hebraico, a palavra qodesh (“santo”), que é usada em relação ao espírito santo, excetuando as três referências ao espírito santo, aplica-se mais de 430 vezes a coisas impessoais e menos de 20 vezes – menos de 5 por cento – a pessoas. 

A palavra “espírito”, na Bíblia inteira, ocorre cerca de 800 vezes. Excetuando as referências (diretas e indiretas) ao espírito santo (cerca de 330), tal palavra é aplicada quase 400 vezes a coisas impessoais e menos de 90 vezes (cerca de 20%) a pessoas.

Assim, tal trinitarista desinformado precisa fazer um estudo sobre pneumatologia. É muito perigoso ficar citando porcentagens a esmo, que não correspondam à realidade. Isso pode iludir os leigos, o que é algo sério.

Mas, mesmo que a porcentagem citada pela referida pessoa fosse verdadeira, isso não seria um argumento conclusivo. Afinal, o uso mais frequente de um termo não é determinativo para assegurar o sentido do mesmo termo num caso específico. Se fosse determinativo, então teríamos de concluir que “pacto” e “lei” são pessoas, pois essas coisas foram qualificadas como sendo “hágios” (“santo”):

Lucas 1:72: “Para mostrar misericórdia com relação aos nossos antepassados e para lembrar o Seu santo pacto.”

Romanos 7:12: “Assim, a Lei em si mesma é santa, e o mandamento é santo, justo e bom.”

Segundo certa estimativa, a palavra “Deus” aparece na Bíblia, na Edição Pastoral, num total de 4.799 vezes; e, na versão Almeida Revista e Atualizada, 4.353 vezes. Dessas ocorrências, cerca de 4.000 vezes se refere a uma Pessoa, o Deus verdadeiro, Jeová. Isso representa um percentual de 83 a 91 por cento. Mas isso não significa que TODOS os demais usos se refiram a pessoas. A palavra também foi aplicada a um pedaço de madeira e ao ventre:

Isaías 44:15-17: Então alguém usa a madeira como combustível para fazer fogo. Ele pega parte dela para se aquecer; ele acende um fogo e assa pão. Mas também faz um deus e o adora. Ele a transforma numa imagem esculpida e se curva diante dela. Metade ele queima no fogo; Com essa metade ele assa a carne, come e fica satisfeito. Também se aquece e diz: ‘Ah! Estou me aquecendo enquanto olho para o fogo.’ Mas o resto ele transforma num deus, numa imagem esculpida. Curva-se diante dele e o adora. Ora a ele e diz: ‘Salva-me, pois tu és o meu deus.’”

Filipenses 3:19: “O fim deles é a destruição, o seu deus é o ventre, eles se orgulham do que deveriam se envergonhar e fixam a mente em coisas terrenas.”

É lamentável que certas pessoas, independente de sua motivação, usem argumentos fictícios, sem base lógica nem bíblica, fundada numa pseudociência bíblica, e espalhem essas afirmações na internet, prestando um desserviço a todos os que sinceramente buscam saber a verdade.

Devemos usar nosso precioso tempo para fazer pesquisas sérias, bem motivadas e contextualizadas com a inteira Palavra de Deus, visando ajudar as pessoas sinceras e que amam a verdade.

O segundo e último artigo deste tema irá considerar outros argumentos infundados e banalizadores da doutrina da Trindade.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




7 comentários:

  1. Amado irmao obrigado pela otima explicaçao . Aki em MG muitos irmaos da nossa congregaçao acompanham suas materias ,foram eles que me recomendaram seu blog. Continue postando materias edificantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimado irmão:

      Fico muito contente de saber que estão se beneficiando desta obra de pregação pela internet. Transmito a você e aos demais irmãos de MG meu amor cristão e votos de paz e prosperidade espiritual.

      Excluir
  2. Esses que defendem a trindade deveriam respeitar a palavra de Jeová e em vez de ficar imaginando uma coisa que não existe Parabéns irmão continuar divulgando a verdade

    ResponderExcluir
  3. Parabéns irmão pelo ótimo trabalho de pregação que o irmão está fazendo pela internet, tenho acompanhado as publicações que o irmão está postando no seu blog, vi uma palestra que o irmão fez sobre a trindade e com outros irmãos aos da Assembléia de Deus no YouTube, que Jeová continue abençoando seu trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço suas expressões de apreço e fico contente de que está se beneficiando dos artigos deste site. Contudo, você está me confundindo com outro irmão.

      Excluir
  4. Prezado Apolo, não sei se entendi errado, mas caso eu esteja certo, se faz necessário avisa-lo.

    O artigo diz que a palavra hagios é usada 100 vezes para seres pessoais e 40 vezes para coisas impessoais.
    Aí diz que sem 40% dos casos é usado para coisas impessoais.

    Mas o correto não seria somar todas as vezes em que a palavra hagios é usada (100 mais 40) e tirar a porcentagem dos 140?
    Segundo meus cálculos daria uns 29% aproximadamente que a palavra hagios seria usada para seres impessoais e não 40%.

    Bem, peço desculpas caso eu tenha entendido errado. De qualquer forma já peço que se possível não publique meu comentário. Minha intenção foi só dar esse toque.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado amigo:

      Agradeço pela sincera preocupação de que os artigos deste site sejam exatos. Publiquei seu comentário porque outros podem estar tendo o mesmo questionamento. De fato, no passado, quando outro artigo abordou essa forma de calcular, outro leitor também expressou o mesmo questionamento. Publico a seguir a resposta que dei na época:

      São modos diferentes de chegar ao mesmo resultado. Em relação ao número de vezes em que hágios se refere a pessoas no “Novo Testamento”, (c. 100 vezes), temos 40% de ocorrências de hágios (quase a metade de ocorrências) para seres impessoais.
      Agora, em relação ao total de ocorrências de hágios (excetuando seu uso para o espírito santo), seu uso para pessoas chega a cerca de 72 por cento, ao passo que seu uso para seres impessoais é de cerca de 28 por cento, sendo esta última porcentagem equivalente a quase a metade de seu uso para pessoas.
      De qualquer forma, o percentual de hágios para pessoas está bem longe do que se diz ter sido afirmado por certo defensor da alegada personalidade do espírito santo.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *