Image Map











domingo, 25 de dezembro de 2016

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (parte 39)

Fonte da ilustração:
Livro O Maior Homem  Que Já Viveu, história 66.

Ministério Posterior na Judeia
festividade das Tendas
Jesus ensina no templo; debate com a multidão
(João 7:11-31)
11 Portanto, os judeus começaram a procurá-lo na festividade e a dizer: “Onde está esse [homem]?” 12 E havia muitos cochichos sobre ele entre as multidões. Alguns diziam: “Ele é um homem bom.” Outros diziam: “Não é, mas desencaminha a multidão.” 13 Ninguém, naturalmente, falava dele publicamente, por causa do temor dos judeus.
14 Estando a festividade então já pelo meio, Jesus subiu ao templo e começou a ensinar. 15 Portanto, os judeus ficaram admirados, dizendo: “Como é que este homem tem conhecimento de letras, sendo que não estudou nas escolas?” 16 Jesus, por sua vez, respondeu-lhes e disse: “O que eu ensino não é meu, mas pertence àquele que me enviou. 17 Se alguém desejar fazer a Sua vontade, saberá a respeito do ensino se é de Deus ou se falo de minha própria iniciativa. 18 Quem fala de sua própria iniciativa está buscando a sua própria glória; mas, quem busca a glória daquele que o enviou, este é verdadeiro, e não há nele injustiça.
19 “Não vos deu Moisés a Lei? Mas, nem um só de vós obedece à Lei. Por que buscais matar-me?” 20 A multidão respondeu: “Tu tens demônio. Quem está buscando matar-te?” 21 Em resposta, Jesus disse-lhes: “Uma só ação realizei, e vós todos estais admirados. 22 Por esta razão, Moisés vos deu a circuncisão — não que ela seja de Moisés, mas ela é dos antepassados — e vós circuncidais um homem num sábado. 23 Se um homem recebe a circuncisão num sábado, a fim de que a lei de Moisés não seja violada, estais violentamente irados comigo por eu ter feito um homem completamente são num sábado? 24 Parai de julgar pela aparência externa, mas julgai com julgamento justo.”
25 Portanto, alguns dos habitantes de Jerusalém começaram a dizer: “Não é este o homem a quem buscam matar? 26 E, no entanto, eis que ele está falando em público, e não lhe dizem nada. Será que os governantes vieram a saber com certeza que este é o Cristo? 27 Ao contrário, nós sabemos donde é este homem; contudo, quando vier o Cristo, ninguém há de saber donde é.” 28 Portanto, Jesus clamou, ao estar ensinando no templo, e disse: “Tanto vós me conheceis como sabeis donde sou. Também, eu não vim de minha própria iniciativa, mas aquele que me enviou é real, e vós não o conheceis. 29 Eu o conheço, porque sou representante dele, e Este me enviou.” 30 Por isso começaram a buscar segurá-lo, mas ninguém deitou mão nele, porque a sua hora ainda não havia chegado. 31 Todavia, muitos da multidão depositavam fé nele; e principiavam a dizer: “Quando o Cristo chegar, será que ele realizará mais sinais do que este homem realizou?”
Fonte da ilustração:
Livro O Maior Homem  Que Já Viveu, história 67.
Os oficiais deixam de prender Jesus
(João 7:32-52)
32 Os fariseus ouviram a multidão resmungar estas coisas a respeito dele, e os principais sacerdotes e os fariseus mandaram oficiais para o segurarem. 33 Portanto, Jesus disse: “Eu continuo mais um pouco convosco, antes de ir para aquele que me enviou. 34 Vós me procurareis, mas não me achareis, e onde eu estou[1], vós não podeis ir.” 35 Os judeus disseram, portanto, entre si mesmos: “Para onde pretende ir este [homem], de modo que não o havemos de achar? Será que pretende ir para os [judeus] dispersos entre os gregos e ensinar os gregos? 36 Que significa esta palavra que ele disse: ‘Vós me procurareis, mas não me achareis, e onde eu estou, vós não podeis ir’?”
37 Ora, no último dia[2], o grande dia da festividade, Jesus estava em pé e clamava, dizendo: “Se alguém tiver sede, venha a mim e beba.[3] 38 Quem depositar fé em mim, assim como disse a Escritura: ‘Do seu mais íntimo manarão correntes de água viva.’”[4] 39 No entanto, ele disse isso com respeito ao espírito que os que depositavam sua fé nele estavam para receber; pois, por enquanto ainda não havia espírito, porque Jesus ainda não havia sido glorificado. 40 Portanto, alguns da multidão, que ouviram estas palavras, começaram a dizer: “Este é certamente O Profeta.” 41 Outros diziam: “Este é o Cristo.” Mas alguns estavam dizendo: “Será que o Cristo vem realmente da Galileia? 42 Não disse a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi, e de Belém, a aldeia onde Davi costumava estar?” 43 Desenvolveu-se, portanto, uma divisão sobre ele entre a multidão. 44 Alguns deles, porém, queriam segurá-lo, mas ninguém deitou mãos nele.
45 Portanto, os oficiais voltaram aos principais sacerdotes e fariseus, e estes últimos lhes disseram: “Por que é que não o trouxestes para cá?” 46 Os oficiais responderam: “Nunca homem algum falou como este.” 47 Os fariseus responderam, por sua vez: “Será que também vós fostes desencaminhados? 48 Será que um só dos governantes ou dos fariseus depositou fé nele? 49 Mas esta multidão, que não sabe a Lei, são pessoas amaldiçoadas.” 50 Nicodemos, que viera a ele anteriormente, e que era um deles, disse-lhes: 51 “Será que a nossa lei julga um homem sem que primeiro o tenha ouvido e venha a saber o que ele está fazendo?” 52 Em resposta, disseram-lhe: “Será que tu também és da Galileia? Pesquisa e vê que nenhum profeta há de ser levantado da Galileia.”

Explicação das siglas usadas:

w: revista A Sentinela. Os números em sequência indicam, respectivamente, o ano, o dia e o mês da publicação.

Notas:
[1] Ou: “Onde eu vou”. No grego ático o verbo ei.mí (ser, ou estar) é usado como futuro de ér.kho.mai (vir), sendo traduzido, na primeira pessoa do singular, “eu irei”. (Veja o vers. 35; 8:21, 22; 13:33, 36.) – Léxico do Novo Testamento Grego-Português (Shorter Lexicon of The Greek New Testament, Second Edition, by F. Wilbur Gingrich e Frederick W. Danker).
[2] 21 de etanim (tisri).
[3] Jesus fazia alusão a um costume acrescentado à Festividade das Barracas, de oito dias de duração. Toda manhã, durante sete dias, um sacerdote tirava água do reservatório de Siloé e despejava-a junto ao altar do templo. Dizia-se, entre outras coisas, que isso representava o derramamento do espírito. A partir de Pentecostes de 33 EC, o espírito de Deus impeliu os seguidores de Jesus a levar águas vitalizadoras às pessoas em toda a terra. Só se pode ganhar vida eterna da parte de Jeová, “a fonte de água viva”, mediante Cristo. (Jer. 2:13; Isa. 12:3; João 17:3) – w90 15/3, p. 25.
[4] Não se trata de uma citação direta de um texto, mas de uma condensação ou ideia básica expressa em alguns textos, tais como Prov. 18:4 e Sal. 78:2.

O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *